domingo, 18 de dezembro de 2011

A chave está na regulação do tecido gorduroso

Na década de 70 um pesquisador camado George Wade conduziu um experimento para documentar cuidadosamente o que acontecia com ratas em que os ovários eram removidos. Os efeitos eram dramáticos. As ratas começavam a comer vorazmente, e em seguida tornavam-se obesas. Dentro do paradigma tradicional, imaginaríamos que a falta dos ovários deixava os animais gulosos, e que o excesso de calorias consumidas acabava estocado no tecido gorduroso.
Wade, no entanto, conduziu um segundo experimento revelador: as ratas tiveram seu ovários removidos e foram colocada em um dieta de restrição calórica severa. Por mais fome que tivessem, as ratas tinham acesso apenas à quantidade de ração que consumiam antes da cirurgia. Como não podiam consumir calorias em excesso, não poderiam engordar, certo? ERRADO. As ratas engordaram tanto e tão rapidamente quanto antes. A diferença é que tornaram-se incrivelmente sedentárias. Moviam-se apenas o esencialmente necessário para obter a comida. Se soubéssemos apenas deste segundo experimento, interpretaríamos o seu resultado à luz do paradigma tradicional: a remoção dos ovários deixou as ratas preguiçosas, por isso gastaram menos calorias e engordaram. Quando, entretanto, consideramos ambos experimentos, a conclusão é radicalmente diferente: a remoção dos ovários muda a regulação do tecido gorduroso, de modo que este tecido literalmente extrai mais calorias da circulação, deixando o organismo em déficit calórico. Se puder comer mais, comerá. Se não puder, ficará imóvel. Em outras palavras, as ratas não engordam por que comem, elas comem por que engordaram. Há uma inversão de causa e efeito: a gula e a preguiça são as consequências do distúrbio, e não suas causas.
As células removem a gordura da circulação através de uma enzima chamada LPL (Lipoprotein Lipase, ou lipase de lipoprteína). Se a LPL estiver presente e ativa na superfície de uma célula adiposa, esta célula removerá gordura do sangue e ficará um pouco mais "gorda". O estrógeno, hormônio secretado pelos ovários, inibe a ação da LPL. Assim, os adipócitos (células de gordura) das ratas castradas removem quantidades desproporcionais de gordura do sangue, deixando o animal mais gordo. Tais calorias fazem falta no resto do corpo, e o animal precisará comer mais a fim de atingir o equilíbrio calórico. As células adiposas, desreguladas pela ausência do hormônio, de fato sequestram as calorias, e o organismo terá de "se virar" para resolver o déficit criado.
A essa altura, a ordem correta de causa e efeito já deve estar óbvia para você. O que impede a comunidade médica de perceber esta inversão? O paradigma errôneo está tão arraigado, fomos tão convencidos de que as causas da obesidade são a gula e a preguiça, que os médicos e pesquisadores em geral sequer estudam a regulação hormonal e bioquímica do tecido gorduroso, pois estão convencidos de que a culpa pela doença está no comportamento do doente - como na idade média. Se estivéssemos discutindo distúrbios do crescimento (nanismo, gigantismo), os únicos temas discutidos seriam os hormônios e enzimas que controlam crescimento. No entanto, quando tratamos de obesidade, na qual o sintoma definidor da doença é o expansão anormal do tecido gorduroso, os hormônios e enzimas que regulam este tecido são considerados irrelevantes, pois nosso pardigma já decidiu que as causas são outras.

35 comentários:

  1. Boa Tarde Dr.José Carlos Souto! Parabéns pelo blog! Opinioes sólidas e organizadas sempre.
    Venho seguido a dieta paleo paralela a musculação há 2 semanas e venho obtendo bons resultados já que tenho 19 anos e possuo um body fat baixo.Só estou querendo eliminar o resto da gordura para "trincar"
    Em relação as calorias...Obviamente que a redução dramatica de carbs(60gr/dia no meu caso) afetará positivamente no controle da insulina e aumentará a secreção de glucagon/GH certo?
    Fazer uma dieta de 1800 calorias uma com 40% carbs 20%fat e 40%prot. e outra 40% 20% fat e 40%prot daria diferença na perda de godura final??
    ps: Ainda bato na tecla na questao de calorias.Sei que elas não sao a fonte dos problemas na humanidade e sim da onde elas vem(carbs em excesso e desregulação hormonal obviamente).Mas além de darmos atenção a ingestão de carbs diaria,a ingestão diaria de calorias tbm nao tem sua importancia,pois tenho objetivos mais especificos?? (definição corporal acentuada).

    Um abraço e obg desde já

    ResponderExcluir
  2. Scott, 1800 calorias é dieta de mulherzinha! Vai botar massa como comendo essa miséria? Eu tenho 1,74 e 72Kg, e uma gordura corporal de uns 12%. E tenho 42 anos. Pelas minhas contas, tenho um gasto calórico diário de umas 3000 calorias. Comeria 2500 calorias se quisesse emagrecer...

    Bom, a não ser que vc queira fazer um programa de bodybuilder tradicional, tipo comer umas 5000 calorias por dia enquanto tá "crescendo" (ganhando músculo e gordura), e depois comendo pouco para secar a gordura. Eu sugiro uma dieta caloricamente adequada (ou um pequeno déficit), mas com menos carbs, de modo a facilitar a perda de gordura sem perder massa magra. Dê uma olhada no livro dieta TNT, acho que vc vai aproveitar bastante.

    Veio truncada a sua mensagem nas proporções de macronutrientes.

    Em 07/06/13, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  3. Oi! Obg pelo breve retorno.Só estou utilizando esse protocolo de 1800 calorias(grande déficit por curto periodo de tempo) porque tenho uma certa pressa e com o trabalho que eu lido(modelo) nao tenho que me preocupar tanto com a massa muscular.Apenas mente-las e buscar definição maxima....até pq eu ja possuo uma estrutura ossea avantajada entao tenho sempre que tomar cuidado(tórax por exemplo).Em relação as proporções eu havia perguntado se uma dieta com o mesmo numero de calorias porem uma com C20/P40/G40 OU C40/P40/G20 DARIAM O MESMO RESULTADO NA PERDA FINAL DE GORDURA.
    Obg pela indicação do livro!

    ResponderExcluir
  4. Ok!

    Eu acho q a de menos cargo facilitará a perda de gordura - e é o q tenho observado.
    Em 07/06/2013 17:39, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  5. Corretor ortográfico do celular... cargo = carbo
    Em 08/06/2013 09:45, jcsouto@gmail.com escreveu:

    ResponderExcluir
  6. Dr. Souto. Uma maior concentração de gordura na dieta em vez de carboidratos, possui função anti-catabólica muscular maior comparada a de carboidratos? Muita gente está me perguntando isso. Gostaria de saber sua opinião.
    abç

    ResponderExcluir
  7. Não sei dizer se é maior, mas é fato que uma maior quantidade de ácidos graxos livres circulantes bem como de corpos cetônicos é anticatabólico.
    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 19/10/2013 17:47, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  8. Yorkshire Concurseira4 de novembro de 2013 20:48

    Boa noite Doutor Souto!
    Li em um artigo que essa dieta afeta o funcionamento do cérebro e que depois de um tempo o corpo volta ao peso que perdeu, isso procede?

    ResponderExcluir
  9. Não. E essa dieta é A DIETA para a qual estamos evolutivamente adaptados. Já a dieta da pirâmide alimentar, essa bizarrice da moda, inventada em 1977, afeta o cérebro (vício no curto prazo, Alzheimer no longo prazo). Dieta de grama nunca fez mal para ovelhas.

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 04/11/2013 20:48, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  10. http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2013/02/evolucao-agua-do-mar-atmosferas-e-dieta.html
    ______
    42

    ResponderExcluir
  11. Bom dia, Dr Souto! Parabéns pelo blog, tem sido de grande ajuda!

    Ao ler sobre esse experimento com as ratas me pus a pensar sobre de que forma o uso de anticoncepcionais estaria afetando as humanas.. rs...

    O anticoncepcional nao estaria impedindo os ovários de secretarem estrogenio e assim causaria esse desequilíbrio em relaçao à LPL? Ou estou falando bobagem?

    Sempre tive uma pulga atrás da orelha com relaçao ao uso da pílula, como sendo algo anti-natural ao organismo. Agora, com minha nova visao paleo sobre o mundo, passo a questionar ainda mais o uso de medicamentos desse tipo, que parecem "desnecessários", já que existem os métodos de barreira, por exemplo.

    Qual sua opiniao sobre o assunto?

    Desde já agradeço! Abraços!

    ResponderExcluir
  12. Me parece lógico...

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 08/03/2014 09:38, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  13. Boa tarde! Quero agradecer pelas orientações. O sentimento ao adotar esse estilo de alimentação é de liberdade!
    Agora surgiu mais uma dúvida: retirei um dos ovários e trompa devido a um teratoma. Não deveria tomar uma dose extra de hormônios? Ou o ovário que me resta é capaz de dar conta do recado?

    ResponderExcluir
  14. Precisa avaliar isso com seu ginecologista

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 17/05/2014 17:19, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  15. Boa noite Dr,Souto vi um comentario entre o senhor e o Scott Rocco onde ele fala sobre 1800 calorias,e o senhor rebate e diz que ele deveria aumentar o consumo de calorias, como é isso?
    eu tem 1,70 de altura, 33 anos e 73 kilos estou com uma barriga dificio de sair, como devo proceder?
    graças ao teu Blog nao tenho medo de gorduras...
    os graos,açuca e todos industrializado no consumo mais,só comidade verdade
    Mas,estou perdido tem dia que estou acheio de energia, mas tem dia que fico desanimado com leve dor de cabeça e ja estou 4 messes nessa briga,eu devo esta errando em alguma coisa,tem como o senhor me da uma ajuda nesta briga?

    ResponderExcluir
  16. É Lucilei, não é difícil... Bem, com toda a minha desconfiança, parei a pílula há três meses já... Não notei nenhum benefício, na verdade, alguns inconvenientes que não tinha quando estava tomando... Algumas espinhas logo antes de menstruar e pele do rosto e cabelo mais oleoso... Bem chatinho isso...
    Ainda não sei se vou me manter sem a pílula justamente por não ter notado nenhum benefício!

    ResponderExcluir
  17. É você quem sabe né. Eu parei a vários anos e estou muito
    bem sem elas. Não pretendo voltar nunca mais. Ainda mais depois que uma amiga
    minha teve trombose por causa da pílula. Eu heim. Tô fora.

    ResponderExcluir
  18. Nossa trombose... Fora as outras coisas que podemos nem estar sabendo né... A maior dificuldade é encontrar informação confiável sobre o assunto!

    ResponderExcluir
  19. Eu não conheço mais ninguém que usa. Só eu mesmo. Eu uso a quase 2 anos.

    ResponderExcluir
  20. Entendi. Como sempre, aqui no Brasil é difícil ver informações ou comportamentos que fujam da mainstream... Obrigada pela dica Lucilei, já estou pesquisando sobre o assunto! ;-)

    ResponderExcluir
  21. Tem mais uma coisa que eu esqueci de falar. Esse livro tem um software que o acompanha.
    Tem que comprar separado nesse site http://www.tcoyf.com/content/ApplicationBuy.aspx?shop .

    Custa 40 dolares (na época eu paguei 30 dolares). É opcional mas ajuda bastante a traçar os
    gráficos e o programa avisa quando você entra na fase fértil.

    ResponderExcluir
  22. Ah legal! Obrigada mais uma vez!

    ResponderExcluir
  23. Olá Dr.,
    Fiquei um pouco confusa sobre o tema. De acordo com o texto, as mulheres que consomem anticoncepcionais com estrogênio deveria emagrecer, e não engordar. Certo?

    ResponderExcluir
  24. P efeito dos hormônios sintéticos sobre o peso são complexos. O segredo é INSULINA


    2014-07-24 15:12 GMT-03:00 Disqus :

    ResponderExcluir
  25. Olá Dr.
    Fiz alguns exames recentemente que mostraram uma queda enorme nos meus hormônios devido ao uso de anticoncepcional, mas os dois médicos que procurei acharam estranho a queda no hormonio do crescimento e não souberam explicar a causa (os da tiroide estão normais). A dieta não aumentaria esse hormônio? Sabe o que pode ser a causa dessa alteração?
    Grata

    ResponderExcluir
  26. O que aumenta GH é exercício de alta intensidade.


    Em 12 de agosto de 2014 09:40, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  27. Mas pode ter diminuído pela dieta?

    ResponderExcluir
  28. Muito interessante. Poderíamos dizer que uma dose exógena de estrogênio poderia combater a obesidade em mulheres também? Certamente a testosterona tem esse efeito...

    ResponderExcluir
  29. É, mas pode dar câncer também... Melhor parar de comer pão.

    2014-09-22 14:38 GMT-03:00 Disqus :

    ResponderExcluir
  30. De fato, o Taubes toca nesse assunto no GC, BC. Foi só curiosidade mesmo. Pão já parei de comer a dois anos, e sempre tento esclarecer meus conhecidos a pararem também...

    ResponderExcluir
  31. Aliás, tive outra dúvida. Será que o aumento do índice de câncer em mulheres em TRH pode ter a ver com o efeito Pelztman? Isto é, as mulheres em TRH, por notarem uma melhora em seu bem estar, diminuem a vigilância quanto à saúde e dieta, aumentando assim a chance de câncer ou outras doenças?

    ResponderExcluir
  32. Acho que não. Pois o aumento foi visto no estudo randomizado (que tende a eliminar esse viés), enquanto no Nurse's Health Study o que aparecia era o contrário (redução de câncer, pois quem usava o TRH eram as mulheres que se cuidavam mais).

    Sobre isso, nosso indefectível Taubes tem um artigo ANTOLÓGICO: http://www.nytimes.com/2007/09/16/magazine/16epidemiology-t.html?pagewanted=all&_r=0
    Em 22 de setembro de 2014 15:42, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  33. Dr Souto, na sua opinião não precisamos ficar atrás de fazer modulação hormonal? A dieta low carb Paleo nos dá esse equilíbrio normalmente?

    ResponderExcluir
  34. É a minha tendência - a de achar que "humans are not broken by default", como diz o Angelo Coppola.

    2014-10-23 10:59 GMT-02:00 Disqus :

    ResponderExcluir
  35. Sua opinião é preciosa para mim!! Obrigada!

    ResponderExcluir