sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Dieta e inflamação

Uma grande quantidade de doenças tem como fundo a inflamação. A inflamação tem sido reconhecida como causa ou como fator importante até mesmo em doenças que, até recentemente, não eram consideradas como parte do espectro de doenças inflamatórias. Os dois maiores exemplos são as doenças cardiovasculares e o câncer. Outras doenças surpreendentes em que a inflamação parece ter influência são a depressão e o Alzheirmer. Isso sem contar as inúmeras patologias nas quais a inflamação é reconhecida tradicionalmente como fator preponderante: artrites, alergias, asma, psoríase, colites, a lista é infindável.

A dieta paleolítica é uma dieta anti-inflamatória. Parece haver 2 grandes motivos para isso. O primeiro é a remoção de agentes causadores de inflamação. Já discutimos previamente que a maior causa alimentar de inflamação sistêmica são os grãos, em particular o trigo, em função do glúten. Outros alimentos industrializados tais como gordura vegetal hidrogenada e inúmeros aditivos químicos são automaticamente eliminados quando se adere ao conceito de Comida de Verdade. Para algumas pessoas, os laticínios também produzem reação inflamatória, embora em muito menor escala do que os grãos.

Há um outro motivo, relacionado às gorduras poli-insaturadas. As gorduras poli-insaturadas são ácidos graxos essenciais, ou seja, só podem ser obtidas através da alimentação. Há 2 tipos básicos de gorduras poli-insaturadas: ômega-3 e ômega-6. Ambas são importantes, e devem ser consumidas em equilíbrio. Nossos antepassados paleolíticos consumiam uma proporção de cerca de 2:1 de ômega-6 e ômega-3, respectivamente. Na dieta ocidental contemporânea, esta proporção varia de 10 a 20:1. Por que isto é importante? O predomínio de gorduras ômega-6 é pró-inflamatório. Isto explica a grande quantidade de literatura médica indicando o efeito protetor dos ácidos graxos ômega-3 no que diz respeito a doenças cardiovasculares, demência, alguns tipos de câncer e doenças auto-imunes.

Todos os animais obtêm seus ácidos graxos ômega-3 a partir dos vegetais, ou da gordura de animais que consumiram tais vegetais. As algas são muito ricas em ômega-3. O mesmo ocorre com as pastagens naturais. Os grãos e sementes, por outro lado, são ricos em ômega-6. Assim, mesmo os caçadores que viviam longe do oceano obtinham um bom equilíbrio destes ácidos graxos essenciais, pois os animais que caçavam pastavam capim. O mesmo não se pode dizer do gado engordado com ração à base de milho, sorgo e soja. De forma análoga, salmão criado em fazendas e alimentados com ração não contém quantidades significativas de ômega 3, ao contrários daqueles pescados em seu habitat natural. Os óleos vegetais obtidos por processos industriais a partir de sementes (soja, algodão, milho, etc) obviamente nunca fizeram parte da alimentação humana até recentemente. Ademais, são ricos em ômega-6. O azeite de oliva, por outro lado, contém ômega-3, e seu processo de extração não requer métodos industriais complexos. Por este motivo, os óleos vegetais (com exceção do azeite de oliva) devem ser evitados.

Se você puder se dar ao luxo de consumir apenas animais que foram criados de forma orgânica, pastando grama, e peixes pescados no mar (de preferência em áreas com pouca contaminação de mercúrio), excelente. Caso contrário, esta é uma das únicas situações em que o consumo de um suplemento seria indicado dentro de uma dieta paleolítica. O suplemento é o óleo de peixe. Normalmente é encontrado em cápsulas de 1000mg - 1000 de óleo de peixe, mas os ingredientes ativos (EPA e DHA, os ácidos graxos ômega-3) normalmente apresentam uma concentração bem menor. A dose indicada para a maioria das pessoas é de cerca de 1g destes componentes ao dia. Dependendo da marca do produto, isto pode significar até 2 cápsulas 3x ao dia.

Os efeitos anti-inflamatórios são bastante evidentes, desde normalização de exames de sangue tais como PCR, VSG e ferritina (marcadores de inflamação sistêmica), até a melhora de muitos quadros inflamatórios crônicos tais como artrites, alergias, asma, e doenças auto-imunes como psoríase e tireoidite. Parece inacreditável, mas há grande quantidade de literatura médica embasando estas afirmações (quem quiser conferir, pode cruzar os termos "omega-3" e qualquer destas patologias no PubMed) . Ademais, é comum que estes efeitos clínicos e laboratoriais já possam ser observados em apenas 4 semanas, às vezes de forma dramática.

58 comentários:

  1. Dr. Estou na dieta paleo há algum tempo. Só tenho duvidas em relação ao suplemento oleo de coco e oleo de peixe, o quanto eu devo tomar por dia?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Óleo de peixe eu sugiro usar 2x ao dia nos dias em que vc não comer peixe. Óleo de coco eu acho bom para cozinhar (fritar bifes, ovos, etc). Usa como comida, e não como suplemento.

      Excluir
  2. Dr. Souto, para cozinhar, há um substituto para o óleo de coco? o de azeite por exemplo? É que esse óleo ainda está um pouco inacessível por conta do seu alto valor. Um pote de 500ml por aqui custa R$ 50,00...

    Às vezes fico pensando que é tão absurdo as diferenças nos valores que chego a conclusão que a grande maioria das pessoas está condenada a conviver com a má alimentação por conta disso. Um óleo vegetal custa em média R$3,00 e o de coco R$ 50,00. :/ Isso também se aplica aos demais alimentos...

    ResponderExcluir
  3. Você pode cozinhar com banha, manteiga e azeite. A minha experiencia essas gorduras é que você precisa usar muito menos do que um óleo de sementes industrializado. A banha é bem barata e dá um sabor especial à comida. Experimente!
    Eu não sei onde você mora, mas realmente este óleo de coco está muito caro. Eu compro no ABC paulista 500 ml por 30,00. Se for em SP pago mais barato um pouco, uns 28,00. Mas dura MUITO, certa de um mês. Eu uso o óleo de coco no café e em algumas receitas doces. Mas nas receitas salgadas uso banha, manteiga e azeite. Também uso a manteiga em receitas doces.
    No começo da minha dieta low carb / páleo, achei que ia falir! Mas no fim das contas, ficou mais barato! Eu não compro pão de nenhum tipo, macarrão, nenhuma farinha (de mandioca, de trigo, farelos, etc), açucar, biscoitos, bolos, óleos, temperos artificiais, maionese, barras de cereal, pudim, leite condensado, iogurtes industrializados (eu faço os meus iogurtes), geleias, pastas, margarinas, salgadinhos, chips, batata frita, lazanha, hamburguer, nuguets, sorvete, pipoca, milho enlatado, ervilha, feijão, arroz... poderia fazer uma lista maior ainda! Minha lista de compras hoje é muito mais simples e BARATA!

    ResponderExcluir
  4. Um tijolo de banha custa 5 reais no super. É o que eu uso.

    Sent from Galaxy S3
    Em 12/03/2013 10:16, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  5. Muito bem colocado, Patrícia, como sempre :-)

    Sent from Galaxy S3
    Em 12/03/2013 10:37, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  6. Você tem razão, a minha lista de exclusão está bem parecida com a sua, e também fiz uma economia danada, mesmo tendo alguns itens mais caros, como é caso do óleo de coco.
    Vou ver se encontro a banha...
    Obrigada pelas dicas, Patrícia!

    ResponderExcluir
  7. Patricia onde e qual banha vc compra aqui em São Paulo? Eu só estou achando a da marca Seara, que tem gordura trans, e eu raramente encontro os tijolinhos nos mercados grande e pequenos daqui da zona norte... alguma dica?

    ResponderExcluir
  8. Porco não tem gordura trans. É comida de verdade - se a composição for apenas isso, banha de porco, pode comer tranquila, nem dê bola para o rótulo. A banha Seara é bem gostosa, diga-se de passagem.


    Em 2 de maio de 2013 16:52, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  9. Que estranho! Aqui é fácil de achar, sempre encontro em qualquer supermercado. Tem no Carrefour, Extra, Wall Mart, Dia... Pergunte no Supermercado mais próximo de vc, sempre tem.Tal como o Dr. Souto falou, a Seara é bem gostosa!

    ResponderExcluir
  10. Patricia e Dr. Souto,
    O rótulo está errado então, não precisa se preocupar c/ a gordura trans citada na composição? Também achei isso estranho, se é só banha de porco como teria gordura trans?

    No caso dos queijos e das manteigas eu também vejo isso com frequência e não entendo... Os queijos da Tirolez por exemplo, e a manteiga Aviação, eles tem gordura trans na composição nutricional embora não contenha gordura vegetal nos ingredientes... posso consumí-los também?
    Obrigada mais uma vez!

    ResponderExcluir
  11. Sim, pode comer. Que quantidade o rótulo diz ter?

    Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from android phone
    Em 02/05/2013 18:56, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  12. No rótulo desses produtos diz ter 0,3g de gordura trans por porção de 10g na manteiga Aviação (de lata). O provolone da Tirolez informa 0,4g a cada 30g de queijo.
    A banha da Seara tem 0,2g a cada 100g... a banha é hidrogenada ou algo assim, seria por isso essa informação?

    Obrigada!

    ResponderExcluir
  13. Postei esse comentário mas ele sumiu...
    No queijo provolone Tirolez há 0,4g de GT a cada 30g na porção e 0,2 a cada 10g na manteiga Aviação de lata. Na banha a proporção é menor, é 100g a cada 0,2g, parece realmente uma quantidade ínfima. Pesquisei um pouco sobre o assunto e GT aparece naturalmente em alguns lácteos, é isso? Depende de como é produzido mas posso consumir normalmente?

    Obrigada!!

    ResponderExcluir
  14. Correto, um pouco de gordura trans ocorre naturalmente. Há inclusive um tipo de gordura trans, chamada ácido linoleico conjugado, que é BOM para a saúde e ocorre naturalmente na gordura animal. ( http://pt.m.wikipedia.org/wiki/%C3%81cido_linoleico_conjugado)

    Ou seja, sendo em comida de verdade, até a gordura trans faz bem. Assim, parem de se preocupar com rótulos: comida de verdade é segura. A gordura trans q faz mal é OUTRO tipo, produzido pela hidrogenação de óleos vegetais extraídos de sementes.

    Para que diabos eu precisaria ler o rótulo de um porco??
    Em 02/05/2013 20:48, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  15. Não sei. Mas emagrecer reduz um pouco. E perder líquido acumulado (fazendo low carb) também ajuda.


    2013/5/21 Disqus

    ResponderExcluir
  16. Dr. e qual é a proporção adequada? Só vejo 180/120mg EPA/DHA, mas li em artigos que o melhor é 2:1.

    ResponderExcluir
  17. Ada, creio que isso não é muito importante. Leia: http://www.marksdailyapple.com/fish-oil-questions-dosage

    ResponderExcluir
  18. OBRIGADA! Vou ler Doutor.

    ResponderExcluir
  19. Dr, uma amiga comentou que fez a dieta low carb mas teve anemia. Ficou com déficit de vitaminas. Será que isso pode ser associado ao fato de não ter suplementado com óleo de peixe (ômega 3)?
    Estou na dieta a 1 mês e pouquinho. É aconselhável que eu inicie a suplementação com ômega-3?

    ResponderExcluir
  20. Não sei o que ela fez. Quem segue o que eu prego aqui, não fica com déficit de nada, MUITO MENOS de ferro (carne). Melhor q óleo de peixe é comer peixe no mínimo 1x por semana.
    Em 30/08/2013 20:33, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  21. Dr. Souto, preciso de sua ajuda, cheguei em um platô, porém desconfio que estou ingerindo um alimento que pode estar atrapalhando minha dieta... o HAMBURGUER, voce pode posicionar sua opinião a respeito deste alimento?

    O ponto positivo dele é que tem pouco carboidrato, cerca de 1.8 gramas para 1 porção e meia de 60 gramas cada, além de ser muito barato e de facil acesso, porém temo ter coisas na formula que pode estar prejudicando minha perda de peso.

    Pode aconselhar uma quantidade máxima deste alimento também?

    Parabéns e obrigado

    Diogo Herminio
    (Perdi 26k com a dieta paleo, curei minha gatrite, problemas de pele escurecida, pressão alta, fomes intenças, ganhei disposição, tudo por causa de sua disposição para nos ajudar, parabéns pelo blog!)

    ResponderExcluir
  22. Uau, 26 Kg! Acho que v chegou num platô simplesmente por já ter perdido muito peso, não pelo hamburger. O problema do Hamburger é a soja, farinha e óleos vegetais ali. Entendo que seja barato e prático - mas, enfim, minha dica é, se for o caso, fazer o seu próprio (há receitas por aí, na net).

    Em 19 de setembro de 2013 22:03, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  23. Doutor, mas como eu consigo esta proporção de 2:1 ou 1:1? Isso é difícil demais! Fiz um cálculo de minha alimentação de hoje, por exemplo, e a minha proporção de ingestão de ômega 6 para ômega 3 foi de 14:1, mesmo com as únicas fontes de gordura sendo provindas de carne, manteiga e abacate. Aliás, o que dizer do abacate que tem a proporção de 14:1? Ele não era consumindo amplamente pelos homens das cavernas?

    ResponderExcluir
  24. Nenhuma fruta moderna existia há 10 mil anos e era consumida pelos homens das cavernas.

    Você deve estar consultando tabelas norteamericanas nas quais os animais são alimentados com ração. Nosso gado (ao menos aqui no sul) ainda pasta, e tem portanto mais ômega-3. Se a manteiga for de animais alimentados com pasto, idem (mas isso é bem mais difícil). Se você apenas fizer um esforço para não consumir óleos de sementes (a nossa GRANDE fonte de ômega-6) e alimentos processados (todos feitos com os mesmos óleos), já reduzirá drasticamente este elemento; acrescente a isso um maior consumo de peixes e frutos do mar (camarão é uma boa dica), e você estará um pouco mais próximo da proporção ideal.


    Em 15 de outubro de 2013 05:04, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  25. Pois é, sobre a carne vermelha e a manteiga precisei recorrer à uma tabela americana para ver a proporção, pois não achei em português. No mais, obrigadão novamente pelo esclarecimento. Os óleos de sementes e refinados eu já retirei completamente, assim como qualquer coisa que possa vir a ter traços deles. Agora só falta eu começar a comer mais peixe mesmo.

    ResponderExcluir
  26. Oi Dr Souto e colegas,

    Estou há mais de 1 mês tentando cozinhar com óleo de coco, mas me dá mt enjoo e ânsia.

    Para cozinhar a comida do dia-a-dia, qua outro óleo é recomendado?

    Não tenho acesso a banha de porco.

    ResponderExcluir
  27. Qualquer supermercado tem banha junto das margarinas, em tijolos.

    Manteiga é uma opção Boa

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 11/12/2013 12:44, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  28. Dr,


    Como se fala banha de porco em inglês?
    Eu moro fora do Brasil.


    Fica um cheiro forte no ambiente quando se está cozinhando com a banha?

    ResponderExcluir
  29. Lard

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 11/12/2013 13:20, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  30. Fica um cheiro bom de bife. Para mim, é quase místico, como incenso.

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 11/12/2013 13:20, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  31. eu vou a caça dele (adoro essa expressão rsrsrs).


    estamos no inverno, então abrir as janelas em caso de fortes odores será inviável.


    me atento a cheiros pois isso tbm me dá enjoos (e olha que nem estou grávida).


    mas foi herança de uma gastrite. Agora me enjoo mt fácil.


    obrigada, doutor!!!

    ResponderExcluir
  32. Místico é GENIAL! Vou lançar esta ideia: incenso de bacon!

    ResponderExcluir
  33. Dr. Couto, aproveitando... é muito popular o uso de suplementos em
    cápsula de CLA entre praticantes de musculação para queima de gordura
    além de ajuda na hipertrofia... Há algum embasamento nisso? Argumenta-se
    que o CLA obtido na dieta não seria o suficiente... Aqui no Brasil a
    ANVISA os proibiu por não haverem estudos o suficiente que atestassem
    sua eficácia, o que forçou essa avalanche de suplementação de Óleo de
    Cártamo pra substituir... o qual possui Ácido Linoleico, mas NÃO o
    conjugado. Já consumi ambos antes de conhecer o low-carb/paleo, e
    gostaria de saber se essa suplementação seria benéfica ou inflamatória. A
    de CLA imagino ser benéfica, mas e a do óleo? Lógico que sim, sempre tentando obter de fontes de comida de verdade antes...

    ResponderExcluir
  34. Eu não usaria nem o suplemento de CLA, nem o óleo: http://www.marksdailyapple.com/cla-supplements/

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 16/12/2013 00:25, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  35. Ótimo saber, Dr. Souto (dessa vez escrevi certo, hehe). Já tava quase pensando em arrumar um CLA importado...missão abortada!

    ResponderExcluir
  36. Doutor, sei que não se trata da sua especialidade, mas assim mesmo gostaria de sua opnião, como eu já citei algumas vezes, praticamente curei minhas tendinites com a exclusão do trigo na alimentação, nesta semana minha mão foi diagnosticada com espondiolite anquilosante que é uma inflamação das articulações, ela está com 64 anos, e come trigo em excesso, pois diz não conseguir fazer a dieta lowcarb, pois tem o agravante de não ter mais a visicula. Se for possível uma opnião sua, qual seria o melhor maneira de alterar a alimentação se é que ainda dá tempo...grato

    ResponderExcluir
  37. Compre o livro barriga de trigo e dê a ela. E leia a postagem sobre vesícula.

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 08/01/2014 10:00, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  38. rsrs....acabei de comprar a uns 10 minutos....muito obrigado!!

    ResponderExcluir
  39. Olá Rodrigo , onde vc encontrou essa tabela ? Moro nos estados unidos e estou perdida quanto isso, infelizmente onde eu moro creio que todas as carnes são vindas de cativeiro . Ontem mesmo li uma reportagem de uma das marcas de carne que compro que está proibida ( que diz todas aquelas coisas no rótulo sem antibióticos e blá blá blá ) .obrigada

    ResponderExcluir
  40. Marcela, comece a ouvir os podcasts e seguir os blogs em inglês. Todos os dias eles falam das várias formas de ser obter carne grass-fed e grass-finished delivered to your doorstep. AQUI é que tudo é difícil. Aí tem TUDO.

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 11/01/2014 00:25, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  41. Obrigada dr pela atenção !

    ResponderExcluir
  42. Olá Dr. Souto e amigos. Tenho um testemunho (e também uma pequena dúvida).


    Iniciei a dieta low-carb há pouco menos de 4 meses e até agora perdi 17kg dos 40kg que estabeleci como meta.


    Estou muito satisfeito com o resultado, mas o que de fato mudou minha vida foi uma coisa totalmente inesperada. Sofro de psoríase (doença auto-imune da pele) há mais de 20 anos, e não conseguia mais controlar o estado dela com os remédios, coisa que acabou me trazendo até alguns sintomas de depressão, pois atrapalhava demais minha vida social e profissional.


    Minha surpresa foi a quase total remissão da doença com a retirada do Glúten. Aconteceu de forma expontânea, sem que eu precisasse usar nenhum dos fortes medicamentos que usei durante mais da metade de minha vida! Fantástico!


    Tenho forte esperança que as poucas marcas que sobraram irão desaparecer com o tempo, e aqui entra minha dúvida: tenho lido no blog e no PubMed que o Omega-3 seria altamente indicado para meu caso. Alguém poderia me indicar um bom suplemento, pois não tenho hábito de comer peixe com tanta frequência. Estou correto em partir para a suplementação nesse caso?


    Estou por dentro do protocolo auto-imune e tenho testado retirar cada item da minha dieta (um por vez, a cada 15 ou 20 dias) para descobrir se algo ajuda também, mas acho que o Omega-3 será mais efetivo, pois retirei os principais e nada mudou.


    Agradeço por toda informação compartilhada pelo incansável Doutor Souto e por todos que ajudam. Um milagre aconteceu em minha vida e está iniciando na vida de meus pais também, que começaram a dieta nesta semana. Obrigado!

    ResponderExcluir
  43. Isso de fato acontece!

    Eu acho que os outros itens do protocolo auto-imune só interessam para quem não entra em remissão com a retirada do glúten, já que o glúten é o principal culpado pela autoimunidade humana.

    Quero publicar esse teu caso. Mais detalhes para soutopalelo@gmail.com
    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 12/02/2014 02:29, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  44. Dr, meu PCR saltou de 2,01 para 7,55, em condições normais de saúde, e colesterol.
    O que fazer, através da LCHF/Paleo?

    ResponderExcluir
  45. Amido resistente

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 27/02/2014 11:14, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  46. ÓTIMO!
    Quero ver é ter coragem de engolir a fécula de batata. Aqui só acha da YOKI, vou tentar seguir o conselho da Didi, começando aos poucos.

    ResponderExcluir
  47. Gi Mayumi da Rocha5 de junho de 2014 23:54

    Boa noite, Dr! Infelizmente eu sou do grupo que não se dá muito bem com os laticínios. Notei que quando consumo: manteiga, creme de leite, requeijão, cream cheese e queijos gordos, fica tipo um catarro ou muco, não sei o termo certo, na minha garganta, e eu engulo, engulo e não desce!Não pode ser refluxo, porque sei que não é a comida que volta! Incomoda demais, para dormir é uma luta! Quando consumia leite sem lactose isso não me acontecia, aí penso: a lactose? Mas não, tomava sorvete, comia chocolates e brigadeiros e esses não me davam esse engole-engole!! Devo cortar esses alimentos sim, mas eu queria descobrir o porquê disso e se é mesmo muco/catarro, sei lá.. rs!!

    ResponderExcluir
  48. Eliminei sinusite eliminando leite. E nunca mais tive crises recorrentes. Sim, laticinios aumentam secreção de muco.

    ResponderExcluir
  49. Edmar Ferreira Jr25 de junho de 2014 19:32

    "Lard", vendida em tijolos, como aqui no Brasil. O cheiro, como dizemos aqui em Minas, é bão dimais da conta sô...

    ResponderExcluir
  50. Olá Dr. Souto! Faço a dieta Atkins há pouco mais de 1 mês e venho acompanhando e pesquisando seu blog desde então, e por causa do seu blog não faço uso do farelo de trigo, obrigada!
    Tenho uma dúvida: Geralmente faço coxa e sobrecoxa cozido, acabo tirando toda a pele, para o molho não ficar com gosto só de gordura e assim poder tomá-lo (fica muito bom). A questão é: Eu guardava a pele do frango para fritar, fazia uma pururuca, disse isso numa comunidade Atkins e fui muito criticada dizendo que faz mal????????? Nossa dieta é a base de gorduras... Qual o mal que a pele de frango frita, temperada com pimenta do reino e sal pode fazer? Dr. Souto, posso continuar com minha pururuca de frango??????????????????

    ResponderExcluir
  51. Não vejo problemas

    Sent from mobile phone
    Em 17/07/2014 11:31, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  52. Olá Denise,


    Eu frito meu frango a pururuca na banha! Uma diliça!

    ResponderExcluir
  53. Olá Dr Souto,

    sou professora de educação física, alguns dias atras deixei um depoimento sobre minha experiencia com a paleo. Hoje em uma conversa com um médico na academia onde trabalho em Curitiba, ele questionou o potencial inflamatório das carne vermelhas, eu argumentei dizendo q geralmente o processo inflamatório vem dos grãos, ele perguntou se eu conhecia algum artigo cientifico que falasse que as carnes vermelhas NÃO geram processos inflamatórios? Gostaria de saber se tem alguns estudos pra eu indicar para seu colega de profissão, ele é bem esclarecido se comparado aos demais, conhece a paleo, porém geralmente indica a mediterrânea. Ele é oftalmo mas tbm atua na área da longevidade, modulação hormonal, etc. Talvez tenha a resposta em outros artigos do blg, porém estou lendo desde a sua primeira postagem, ainda estou em Janeiro de 2013... Eu indiquei este artigo: http://www.lowcarb-paleo.com.br/2012/02/dieta-e-inflamacao.html

    Desde já obrigada pela atenção,
    Juliana.

    ResponderExcluir
  54. http://www.lowcarb-paleo.com.br/2013/04/o-pecado-da-carne.html
    http://www.nytimes.com/2007/09/16/magazine/16epidemiology-t.html?pagewanted=all&_r=0
    Em 7 de outubro de 2014 20:50, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  55. Amelia Schwarzeluhr11 de outubro de 2014 11:50

    Dr Souto! Fera!

    ResponderExcluir