segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Restringir gorduras ou carboidratos? O que a ciência indica?

O artigo é simplesmente muito bom - estou traduzindo na íntegra (o original encontra-se aqui)

Restringir gorduras ou carboidratos? O que a ciência indica?
Autor: Tom Nikkola

O emprego de uma dieta de restrição de carboidratos é cercado de mitos e incompreensão. Embora a redução de carboidratos já esteja em uso na prática há mais de 2 séculos, apenas nos últimos 50 a 60 anos é que esta abordagem passou a ser atacada como sendo ineficaz ou mesmo perigosa. Por experiência pessoal, sei que muitos ditos "experts" em saúde e fitness perpetuam informações falsas sobre dietas "low carb".

Para satisfazer a curiosidade, assim como para compilar um conjunto de referências às quais possa recorrer sempre que necessário, eu fiz um sumário de 14 estudos prospetivos e randomizados que compararam dietas low carb (reduzidas em carboidratos) com dietas "low fat" (reduzidas em gordura). Você pode ampliar a tabela abaixo, clicando AQUI. Se você preferir apenas ler sobre os pontos mais importantes, continue lendo, abaixo.


O que é especial nestes estudos? Como foi dito, eles são ensaios clínicos randomizados. Isto significa que diferentes grupos foram designados para diferentes dietas com recursos para ajudá-los a segui-las. É claro que sempre há o erro humano e, na maioria dos casos, os participantes dos estudos tinham liberdade de se desviar de seu plano original. Entretanto, quando você analisa um número tão grande de estudos e compreende o quão consistentes os resultados são, você constata um padrão de eficácia da redução dos carboidratos comparado com as recomendações padrão de reduzir a gordura para "proteger o coração."


Se você costuma acompanhar as manchetes da mídia, tenha em mente que a maioria dos estudos noticiados são estudos observacionais. Eles olham para grandes populações e examinam as tendências. Por exemplo, um estudo de 25 anos da Suécia produziu recentemente manchetes tais como "é tempo de aposentar a moda das dietas low carb". Se você apenas ler a manchete, você fica com a impressão que low carb não funciona, e com a impressão de que é apenas uma moda (moda essa que persiste há 200 anos). Como costuma ocorrer, este estudo foi observacional. Para saber mais sobre as limitações deste estudo, clique aqui.
As dietas de baixo carboidrato são eficientes para perda de peso?
Vamos encarar os fatos, obesidade é um problema enorme. A população da maior parte do mundo, especialmente do mundo ocidental, é gorda. Dê uma olhada nos shoppings, no aeroporto ou em uma feira na próxima vez que tiver uma oportunidade. Se existe uma solução melhor do que a restrição de carboidratos para ajudar a trazer de volta a gordura corporal das pessoas para níveis saudáveis, esta solução ainda não foi encontrada pelas pesquisas. Na verdade, quando você olha para os resultados das dietas low carb, mesmo que as pessoas estejam liberadas para comer o quanto queiram, eles são muito superiores em termos de perda de peso do que dietas pobres em gordura E restritas em calorias.
Se você for ler os vários estudo de dietas low carb, você verá que os participantes do estudo frequentemente não aderem aos níveis exatos de restrição de carboidratos que lhes foram prescritos. Entretanto, ainda assim são quantidades de carbs muito menores do que as do grupo low fat (baixa gordura), que por sua vez é mais parecido com a dieta americana padrão. Na maioria dos estudos, a perda de peso e a perda de gordura são próximas do dobro com dietas low carb em relação às dietas low fat. Mais uma vez, na maioria dos estudos os participantes são instruídos a manter os carboidratos limitados a um valor máximo, frequentemente entre 20 e 50 gramas para começar. Eles então são orientados a comer tanta comida quanto desejem, desde que não excedam as 20 a 50 gramas de carbs.
O grupo de comparação, o grupo low fat, é orientado a consumir apenas um certo número de calorias a cada dia. A limitação de calorias tem como objetivo forçá-los a um déficit calórico para garantir a perda de peso.
Agora, pense nisso: o que é mais interessante? Seguir uma dieta de restrição calórica na qual os diversos alimentos precisam ser pesados e medidos a cada dia para garantir que você não coma em excesso, ou seguir uma dieta na qual você pode comer o quanto quiser da maioria dos alimentos, com exceção de açúcar e amidos, e ainda receber o bônus de maior perda de peso? Nos estudos, aqueles pacientes designados para as dietas low carb frequentemente consomem menos calorias do que os da dieta low fat de calorias controladas, mas não por obrigação. Nada de medir ou pesar porções. Eles apenas comem até ficarem satisfeitos, e ficam satisfeitos mais rápido pelo simples fato de não consumirem tantos carboidratos, e por causa da saciedade provocada pela gordura da dieta.  

Reduzir carboidratos aumenta o risco de doença cardíaca? 


Eu sempre sorrio quando as pessoas levantam esta questão como uma razão para não adotar uma dieta low carb. Para algumas pessoas, você pode oferecer todas as provas do mundo de que as dietas low carb resultam em perda de peso muito superior mas, como não querem admitir a sua efetividade, elas proclamam que estas dietas aumentam o risco de doenças cardíacas.
No contexto de dietas de alto ou baixo carboidrato, o risco de doenças cardiovasculares é frequentemente determinado baseado nos níveis séricos de colesterol LDL, HDL, triglicerídeos e glicose. Se uma dieta afeta negativamente os lipídios e a glicose, poderia aumentar os riscos de doença cardíaca. Estar acima do peso também aumenta o risco de doenças do coração, de forma que o fato de que as dietas pobres em carboidratos são demonstravelmente mais efetivas na perda de peso também sugere que elas possam melhorar as perspectivas futuras de saúde.

Ainda assim, algumas pessoas apontam para os níveis dos lipídios no sangue e sugerem que o aumento da gordura na dieta causaria problemas. Em um mundo ideal, de acordo com a visão convencional, a dieta deveria baixar o colesterol LDL, aumentar o colesterol HDL, baixar os triglicerídeos e os níveis de glicose. Muitos vêm o valor da proporção entre LDL e HDL como sendo superior a cada número isoladamente, de modo que se uma dieta aumentasse os valores de LDL e o HDL de forma similar, estaria na verdade melhorando a razão LDL/HDL e, portanto, diminuindo o risco.
Além disso, as pessoas que seguem uma dieta low carb frequentemente apresentam uma quantidade menor de partículas de LDL, uma medida muito mais preditiva de (baixo) risco cardiovascular, mesmo que a concentração de colesterol nestas partículas seja maior. Peter Attia escreveu uma excelente série de artigos sobre este tópico. Se você quiser mais informações, clique aqui.
Mais uma vez, em vista dos estudos científicos, como a dieta de baixo carboidrato se compara à dieta de baixa gordura no que diz respeito aos lipídios e à glicose?
Em praticamente TODOS os casos, o colesterol HDL aumenta em uma dieta low carb (de baixo carboidrato), muito mais do que em dietas low fat (de baixa gordura) . O colesterol HDL é visto como protetor e, de uma forma geral, quanto mais você tiver, melhor. A gordura saturada, do ponto de vista dietético, é a que tende elevar mais o HDL.
Na maior parte das vezes, um ocorre um discreto aumento do colesterol LDL com as dietas low carb, e uma redução do mesmo nas dietas low fat. Entretanto, um colesterol LDL mais baixo nem sempre é, por si só, uma coisa boa. Se a concentração de colesterol LDL diminui, mas o número de partículas de LDL no sangue aumenta, pode haver aumento no risco cardiovascular.

Os triglicerídeos são outro marcador a que devemos atentar. Infelizmente, o colesterol leva a maior parte da atenção, mas níveis elevados de triglicerídeos são tão importantes quanto. Na verdade, a proporção entre triglicerídeos e HDL (Trigl/HDL) pode ser ainda mais preditora de risco cardíaco do que as comparações entre LDL e HDL. Os estudos mostram quedas dramáticas dos níveis de triglicerídeos com dietas low carb. O consumo de carboidratos aumenta a produção de triglicerídeos, de modo que reduzir os carboidratos tem grande impacto. Em alguns estudos, os níveis de triglicerídeos aumentaram como resultado de uma dieta de baixa gordura (low fat). E, nos casos em que houve queda, a queda foi pouco expressiva quando comparada à observada nas dietas low carb.
Os pesquisadores dos estudos comparativos de dietas resumem suas conclusões assim:

"Os efeitos mais favoráveis (da dieta low carb) nos lipídos e (da dieta mediterrânea) no controle glicêmico sugere que as preferências pessoais e considerações metabólicas precisam ser  individualizadas" (1)
"Pacientes severamente obesos com alta prevalência de diabetes e síndrome metabólica perderam mais peso com 6 meses de dieta restrita em carboidratos do que em uma dieta restrita em calorias e gordura, com melhora da sensibilidade à insulina e dos níveis de triglicerídeos" (3)
"Comparado com uma dieta de baixa gordura, um programa de dieta de baixo carboidrato teve maior adesão dos participantes e maior perda de peso. Durante a a fase de perda de peso ativa, os níveis de triglicerídeos diminuíram mais e os níveis de HDL-C aumentaram mais com a dieta low carb do que com  a dieta low fat" (5)

"A dieta low carb parece ser uma método eficiente de perda de peso a curto prazo em adolescentes e não prejudica o perfil lipídico" (6)

"Uma dieta fortemente restrita em carboidratos é mais efetiva do que uma dieta restrita em gorduras para perda de peso a curto prazo e, durante 6 meses, não está associada com efeitos deletérios em importantes fatores de risco cardiovascular em mulheres saudáveis" (7)

"A despeito de uma ingesta três vezes maior de gordura saturada durante a dieta low carb, a quantidade de ácidos graxos saturados nos triglicerídeos e ésteres de colesterol diminuiu significativamente em relação aos níveis verificados durante a dieta de baixa ingesta de gordura. O mesmo foi verificado com os níveis de ácido palmitoléico (16:1n-7), um marcador endógeno de lipogênese... Os resultados dão suporte ao uso da restrição de carboidratos como uma abordagem efetiva para a melhora dos aspectos da síndrome metabólica e do risco cardiovascular" (8).
As dietas de baixo carboidrato são eficientes para o manejo do açúcar no sangue?

Os níveis de açúcar (glicose) são fortemente influenciados pela quantidade de carboidratos na dieta, de forma que não é nenhuma surpresa que, nos estudos comparando dietas low carb e low fat nos quais a glicose foi medida, a restrição de carboidratos foi superior à restrição de gorduras, às vezes dramaticamente melhor. Um estudo também incluiu uma dieta mediterrânea, e a dieta mediterrânea foi superior à low carb e à low fat em reduzir os níveis de glicose, embora a dieta low carb tenha sido superior no que diz respeito à melhora do perfil lipídico e à perda de peso. Na verdade, quando pacientes diabéticos seguem uma dieta low carb, a queda nos níveis séricos de glicose é ainda mais significativa do que quando pacientes com níveis normais de glicose seguem a mesma dieta. Sabendo-se o que os estudos demonstram, é surpreendente que a Associação Americana de Diabetes ainda recomende uma dieta de alto carboidrato e baixa gordura. Em seu site, o gerador gratuito de planos de dieta produziu um plano de 1610 calorias, 205 gramas de carbs, 88 gramas de proteínas e 55 gramas de gorduras (~50% carboidratos, 20% proteínas e 30% gorduras). 

As dietas low carb são mais fáceis de manter do que as dietas low fat restritas em calorias?
Já que as dietas low carb são mais efetivas para perda de peso, melhorando o perfil lipídico e o manejo dos níveis de açúcar no sangue, o que dizer da habilidade das pessoas em se manter nelas? Mesmo que sejam efetivas, elas só funcionam para quem as segue. A questão deveria ser: "as dietas low carb são mais difíceis de manter do que as outras dietas"? De acordo com muitos dos artigos referenciados acima, a adesão às dietas low carb é tão boa quanto às outras dietas.

Isso significa que elas são fáceis? Não enquanto ainda houver alimentos processados ricos em carboidratos na casa. Se uma pessoa pretende ter sucesso no longo prazo, ela deve comprometer-se em manter distância dos alimentos que impactam negativamente a sua saúde. E isto é sempre o caso, não importa que tipo de "dieta" a pessoa segue. Contudo, o motivo pelos quais as pessoas têm mais facilidade de encaixar uma dieta low carb em suas vidas é que não há necessidade de contar calorias, nem de sentir fome, como nas dietas low fat.

A maioria dos estudos comparando dietas low carb e low fat comparam uma dieta de baixa gordura (low fat) restrita em calorias com uma dieta de baixo carboidrato (low carb) ad libitum (coma o quanto quiser). Frequentemente, as pessoas consomem menos calorias na dieta low carb, mas isto ocorre por saciedade, sem passar fome. Em resumo, de acordo com as evidências, se uma pessoa pretende mudar seu estilo de vida, é muito mais fácil adaptar-se um uma dieta low carb do que a uma dieta low fat. Como os pesquisadores no Journal of the American Dietetic Association concluíram:

"esta percepção de menos fome e portanto maior comedimento com a dieta low carb pode explicar a maior perda de peso comparada com a dieta de alto carboidrato e baixa gordura" (15).

A restrição de carboidratos é adequada para crianças?
Com os níveis alarmantes de crianças com sobrepeso e obesidade, dois estudos mostram resultados fascinantes. Ambos estudos vêm da revista The Journal of Pediatrics. Em um estudo de 12 semanas, um grupo de adolescentes foi dividido em 2 grupos. Um grupo foi colocado em uma dieta de baixa gordura e 30% menos calorias do que o seu nível de manutenção de peso. O outro grupo foi colocado em uma dieta restrita a 20g de carboidratos por dia, 2 gramas de proteína por Kg de peso magro e com consumo ilimitado de calorias. Isto é chave, e é o caso em muitos outros estudos de dietas low carb: o grupo low carb não tem um limite de calorias. Neste estudo, o grupo low carb perdeu uma média de 13 Kg, comparado com apenas 7 Kg no grupo low fat! Além disso, o grupo low carb teve uma queda maior nos níveis de triglicerídeos.

O segundo estudo foi desenhado com objetivos nutricionais similares e também durou 12 semanas. O grupo low carb perdeu mais do que o dobro do peso em 2 semanas, e também apresentou uma tremenda queda dos triglicerídeos.

A maioria dos pais é informada de que seus filhos precisam apenas se exercitar mais e comer menos. Estes dois estudos indicam uma abordagem diferente para ajudar a controlar as taxas de obesidade dos jovens.

Que quantidade de carboidratos é aceitável?

A pergunta final é uma questão pessoal: "que quantidade de carboidratos é ideal para mim"? A Life Time Fitness, por exemplo, sugere as seguintes proporções de macronutrientes: 40% carbs, 30% proteínas e 30% gorduras. Não há nada mágico nestes níveis de macronutrientes, exceto o fato de ter menos carbs do que a dieta americana padrão. Já é um início. Em uma dieta de 2000 calorias, seriam 200g de carbs.

Baseado nas pesquisas, isto ainda é MUITO carboidrato, muito mais do que a maioria das pessoas precisa. Ainda assim, é menos do que a população em geral consome. Nas pesquisas que comparam low fat e low carb, a maior parte dos estudos começa em 20g de carbs por dia, o mesmo que o dr. Atkins encorajava no início de seu primeiro livro. Entretanto, o erro fundamental é achar que as pessoas deveriam ficar para sempre em 20g, e isto não é verdade. O método empregado em vários estudos foi começar em 20g ou menos de carbs por dia nas primeiras 2 semanas e então adicionar 5 gramas de carboidratos diários a cada semana. Carboidratos continuavam a ser adicionados até que a perda de peso desacelerasse ou outros indicadores mostrassem que o indivíduo já estava comendo carboidratos em demasia.

Embora algumas pessoas com resistência à insulina ou intolerância aos carboidratos devam manter uma dieta de pouquíssimos carboidratos, isto não é necessário para a maioria. Além disso, convém contar com o suporte de um profissional de saúde, especialmente no caso de pessoas em uso de medicamentos para diabetes.

Assim, há um valor ideal? É difícil dizer. Menos do que 150g de carbs por dia é apropriado para a maioria das pessoas. Muitos encontram seu ponto de equilíbrio entre 50 e 100g ao dia. Embora as pessoas estejam livres pra experimentar à vontade, é conveniente contar com o auxílio de um nutricionista com experiência em dietas low carb.

A abordagem para a modificação de sua dieta depende do seu ponto de partida, sua saúde atual e a forma com que você tolera as mudanças. Em nossa experiência, quanto mais rapidamente se adota um plano de dieta, mais fácil tende-se a abandoná-lo. Afinal, não estamos falando sobre reduzir carbs para "fazer uma dieta". Estamos falando de um estilo de vida. O objetivo é fazer algo que possa ser mantido para o resto da vida, de modo que você possa manter seus lipídios melhorados, seu peso saudável, e dispor de mais energia sem ficar focado em "fazer uma dieta".

Resumo


Estudos randomizados e controlados são considerados como a melhor forma de determinar o que as pessoas deveriam fazer para otimizar sua saúde e manejar o seu peso. As dietas low carb têm uma reputação de serem apenas uma alternativa às dietas low fat, igualmente efetivas mas com riscos para o coração. Os estudos randomizados e controlados indicam o contrário. As evidências demonstram claramente que as dietas de baixo carboidratos são mais eficazes do que as dietas de baixa gordura e restrição calórica, além de produzirem um impacto mais favorável sobre os parâmetros de risco cardiovascular.
Na medida em que encaramos o fardo crescente produzido pelo aumento dos custos com saúde, além da queda da qualidade de vida com o aumento das nossas cinturas e o declínio da nossa saúde, precisamos seguir o peso das evidências, baseados em estudos de alto nível, ao invés de continuar repetindo os conselhos antigos apenas por que são tradicionais ou populares. 

63 comentários:

  1. Opa JC. Excelente apanhado. Vou aproveitar o espaço para levantar uma dúvida. Estou me aproximando da marca de 2 meses e devo chegar lá com coisa de 10ish kg a menos. Estou pensando em começar a inserir um pouco mais de carbs na dieta, coisa de chegar a 50/80g por dia, no máximo. Neste início passei com 20 esse tempo todo. Minha pergunta é... eu girando em torno de 50/80g por dia, vou continuar com o processo de queima de gordura atual? As expectativas da redistribuição da gordura abdominal devem continuar? Pelo que já li aqui, entendo que sim, mas sabe como é, seguro morreu de velho. Obrigado se conseguir um tempinho para dar um feedback.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá. Primeiramente, parabéns. O segredo é achar o ponto de equilíbrio, no qual você não ganha peso novamente, e isso varia MUITO de uma pessoa para outra. Vá acrescentando um pouco de carbs a cada semana, começando com aqueles de menor impacto glicêmico (nozes, frutas vermelhas, e por fim outras frutas). Se vc descobrir que, digamos, com 80g de carbs a perda de peso cessou, diminua para 70, e assim por diante. Na fase de manutenção, a maioria das pessoas não diabéticas pode ir a 100 ou 150g sem problemas. Enquanto vc não ultrapassar o seu limite pessoal de carbs, os benefícios continuam, ok? E se você ultrapassá-lo, basta reduzir novamente, sem stress.

      Excluir
  2. Oi José!
    Obrigada por traduzir este artigo otimo! Eu "reblogei" este post nu meu blog http://maisgorduramenoscarboidratos.com/.

    (http://maisgorduramenoscarboidratos.com/2012/09/01/explicacao-scientifica-por-que-uma-dieta-de-baixo-carboidrato-e-melhor-que-uma-de-baixo-gordura-traducao-pelo-blog-dieta-low-carb-e-paleolitica/)

    Seu blog é superlegal como referencia para os meus seguidores que querem entender melhor a sciencia por traz minha dieta/estilo de vida! Continue firme forte!
    Beijos,
    Maria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal, Mariana! Obrigado por divulgar - a massa crítica vai crescendo assim - de boca em boca, de clique em clique.

      Excluir
  3. Olá José, Como vc avalia esta dieta para maratonistas, já que precisamos de carboidratos como combustível para endurance. Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você precisa estar COMPLETAMENTE cetoadaptado para praticar endurance sem carbs. Mas é possível, e pode até ser vantajoso, pois vc carrega apenas 2000 Kcal de glicogênio no corpo, mas mesmo pessoas magras carregam umas 50 a 80 mil calorias de gordura. O problema é que estas calorias só estão disponíveis para uso se vc é cetoadaptado.
      Bem, não sou especialista em esportes de alta performance, mas o prof. Tim Noakes, o famoso maratonista e autor do mais influente livro sobre corridas, recentemente chegou à conclusão de que esteve errado a vida inteira, e que low carb é a melhor estratégia para endurance. Leia aqui: http://www.health24.com/fitness/Diet_Supplements/16-481-512,73175.asp

      Excluir
    2. Doutor, bate muito com o que tenho percebido nos meus pedais. Se estou cetoadaptado pedalo sem carbo. Pedalei 120km sem 1g de carbo além da minha alimentação diária que estava em 30g de carbo nessa época.
      Se a cetose estiver forte o rendimento é muito interessante.
      Após 4 horas pedalando me deu muita fome mas não tive perda de rendimento ou fadiga.
      Caí na besteira de fazer recarga de carbos antes de algumas provas, foi ruim.
      Penso hoje que vou seguir com lowcarb e levar géis nas provas e treinos pro caso de sentir necessidade.

      Excluir
  4. Sei que so Dr. pode me ajudar faço a dieta das proteinas há mais de dois anos e emagreci 30 kilos só que agora engordei 10 kilos siga a dieta só na base das proteinas. O corpo pode se acostumar com a dieta e parar de funcionar ou mellhor o corpo se acostumar? Desde já agrdeço..........

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rosana, dê uma lida nestas postagens:
      http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2012/11/expectativas-versus-realidade.html
      http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2012/12/para-alem-da-insulina.html

      Aguarde em breve uma postagem sobre jejum intermitente, que poderá lhe ser útil.

      Excluir
  5. Olá, José. Meu nome é Aréli. Li todos os posts, mas fiquei com uma dúvida. Se eu seguir essa dieta, com a retirada dos açúcares e carboidratos, não haverá um défit de vitaminas e de glicose para o cérebro já que este último só usa glicose? Obrigada.

    ResponderExcluir
  6. Areli, vc não leu todas as postagens. Sua reposta está aqui: http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2013/01/o-cerebro-nao-precisa-de-glicose-o.html

    ResponderExcluir
  7. Dr. Souto,

    Esse é o arsenal de "argumentos" que eu estava precisando para me defender dos meus entes queridos que acham que eu estou enlouquecendo...

    Muito Obrigada!

    ResponderExcluir
  8. Além disso, compre o livro barriga de trigo.
    Em 26/06/2013 22:56, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  9. Sim, eu irei comprar para dar de presente a minha mãe.
    Ela tem síndrome do intestino irritável

    Ela já tem uma saúde muito complicada, é intolerante a gordura e costuma ter crises (com vomito+disenteria+desmaio) quando come algo (gorduroso) que faz mal.


    Por esta razão, esse tipo de dieta Paleo não daria muito certo com ela, mas quero que ela pare de comer trigo e açucar e seus derivados.

    ResponderExcluir
  10. Quando ela para de comer trigo e seu intestino cicatrizar, ela irá tolerar todo o resto novamente.
    Em 27/06/2013 12:17, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  11. Também acho doutor.

    Ela já tá parando de comer o trigo...
    Quanto ao açucar, ela é uma abelha.
    Por isso ela precisa do livro rsrsrs

    Vou catequisar ela as poucos, mas ela tem saude frágiu, já tirou a vesicula, tirou alguns polipos no intestino e vive fazendo Colonoscopia



    Eu sei que a dieta Paleo traria uma maior qualidade de vida para ela, mas é dificil convencê-la se o médico que ela confia, recomenda que ela não coma gordura (apesar dele dizer que é melhor ela evitar trigo).



    É por isso que imprimi o pdf acima, eu preciso realmente de munição pra me defender, quando ela começar a brigar comigo por comer gordura.


    Ela dessosa a sobrecoxa de frango pra tirar toda gordura e quando usava caldo de carne, ela dissolvia ele, colocava na geladeira e retirava a gordura.



    Quando eu o ouvi falando da sopa nas recomendações do estudo sobre azeite e nozes, eu ri muito kkk



    Como eu queria que o senhor morasse na minha cidade... Não tem nenhum médico aqui na sua lista perto de mim (Paraíba, Natal ou Pernambuco).


    Muito Obrigada!

    ResponderExcluir
  12. Quando vc descobrir algum profissional por aí, me avise para eu poder divulgar, ok?
    Em 27/06/2013 22:40, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  13. Combinado.


    Posso fazer mais uma pergunta?

    ResponderExcluir
  14. Bom dia Dr. Souto, tem feito a dieta (estou no 4º dia) e não comi arroz, feijão, batata, pão, massas, beterraba, mandioquinha, banana.... Tenho emagrecido 100g por dia (já foram 400 g em 4 dias). Mas tenho comido normalmente mamão (1/2 por dia), abacaxi (uma fatia e meia de vez enquando), maçã, pera, embutidos... Não restringi mais nada na dieta a não ser os itens que são feitos com farinha, legumes como batata e massas. Isso está certo? Ontem na janta comi 2 ovos fritos em azeite com bacon (que eu seco no microondas e fica super crocante). Isso realmente está certo?
    Fiquei com um pouquinho de culpa pois parece que minhas veias vão entupir com a gordura do ovo e bacon... Estava acostumada a comer de forma "saudável".... Volto a dizer que todos acham que eu estou louca e que estou fazendo mal para a minha saude. Abraços, Tatiana

    ResponderExcluir
  15. Está correto, Tatiana. Se vc perceber dificuldade de perder peso, diminua as frutas - algumas têm muito açúcar (e coma frutas apenas como sobremesa, nunca como lanche). Se todos os argumentos científicos que já coloquei aqui sobre gordura não bastarem, não sei mais o que bastará...

    Seu dever de casa:

    http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2011/12/afinal-gordura-faz-mal-consideracoes.html

    http://lowcarb-paleo.blogspot.com/2012/01/dieta-de-baixo-carboidrato-portanto.html

    http://lowcarb-paleo.blogspot.com/2012/03/video-explica-dieta-de-baixo.html

    http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2012/06/colesterol-i.html

    http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2012/06/colesterol-ii.html

    http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2012/06/colesterol-iii.html

    http://lowcarb-paleo.blogspot.com/2012/08/dr-drauzio-varella.html

    http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2012/08/restringir-gorduras-ou-carboidratos-o.html

    http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2012/09/novo-estudo-comprova-que-as-dietas-low.html

    http://lowcarb-paleo.blogspot.com/2012/11/gordura-saturada-revista-mens-health.html

    http://lowcarb-paleo.blogspot.com/2013/01/scientific-american-carboidratos-e-nao.html

    http://lowcarb-paleo.blogspot.com/2013/03/dieta-pobre-em-gorduras-mais-derrames.html

    http://lowcarb-paleo.blogspot.com/2013/03/gordura-vegetal-versus-gordura-animal.html

    http://lowcarb-paleo.blogspot.com/2013/06/gordura-saturada-nao-merece-sua-ma.html

    ResponderExcluir
  16. Obrigada Dr, mas estou preocupada. Perdi 1,2 kilos em 5 dias de dieta. Ontem pela manhã pesei 57,1 sendo que segunda de manhã tinha pesado 58,3. Resolvi fazer a dieta pois eu não conseguia perder 100g. Já fazem meses que estou nesse peso e ele vem aumentando gradativamente (há 10 anos atrás eu pesava 48kg). Tenho um problema com retenção de líquidos. Quando comecei a deita e vi que estava perdendo peso e me sentindo menos inchada estava realmente feliz por ter encontrado meu problema (Carboidratos), mas hoje de manhã pesei 58,5kg. Isso me deixa extremamente frustrada, pois estou seguindo a risca. Estou sentindo minha perna e tornozelos inchados. De que adianta seguir a dieta se a água faz com que eu ganhe todo o peso novamente. Perdi 1,2 kg em 1 semana e voltei a ganha-los em 1 único dia com água. Se não são os carboidratos, o que pode estar causando esse inchaço? Continuo a dieta ou pra mim não faz sentido?

    ResponderExcluir
  17. Oi Tatiana, peço desculpas ao Dr. Souto por estar respondendo. Mas pelo menos assim posso treinar meu aprendizado e ele pode me corrigir nos meu erros.

    Sobre a sua expectativa de perda de peso não estar sendo saciada, veja este link: http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2012/11/expectativas-versus-realidade.html

    Como em vários comentários que já vi o Dr. Souto respondendo posso afirmar com certeza: 5 dias é pouco tempo pra dizer alguma coisa. As pessoas variam no período de adaptação, meu professor que segue este estilo de vida por exemplo levou 3 meses.

    Sobre a retenção de líquidos, segue um comentário do próprio Dr. Souto:

    "normalmente a retenção de líquidos se percebe nos tornozelos. A não ser que a causa seja alguma doença (como insuficiência cardíaca, renal ou circulatória), uma dieta low carb resolve isso em questão de dias. Afinal, low carb é tão diurético que a pessoa passa mal se não consumir mais sal."

    Sobre a dieta fazer ou não sentido pra vc: http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2013/06/prezado-dr-souto-exercicio-sem.html

    Neste link o dr. explica diferentes casos em que a dieta se aplica. Com certeza tem outros links mostrando que a dieta se aplica a todos que querem perder peso e ter uma saúde melhor. Mas como não me lembro, esse aí já é alguma coisa.


    Um abraço e boa sorte.

    ResponderExcluir
  18. Obrigado, Amintas, toda a ajuda é bem-vinda.


    Em 13 de agosto de 2013 01:15, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  19. Agradeço também pelas respostas. O ponteiro da balança "engorda" 1 kilo entra a pesagem da manhã e a da noite. Isso é totalmente normal. Agora fixei nos 57 mas ainda sinto muitas dores no tornozelo, ficam inchados e meus joelhos parecem que vão rasgar qdo agacho.
    Estou me mantendo firme e forte na dieta, pois apesar de magra eu sabia que a região abdominal e pernas estavam muito inchados. A região abdominal melhorou bastante mas ainda estou inchada. Não tenho nenhuma doença cardíaca ou renal (faço bastante xixi). Comecei com diuréticos. No começo eram otimos mas aos poucos foram perdendo o efeito. Estou a 3 semanas sem diuréticos e a quase duas fazendo a dieta. Quando tempo mais para desinchar completamente?
    Pode ser hipotiroidismo? Isso não seria "tratado" com a dieta né? Abraços!

    ResponderExcluir
  20. Para saber da tireoide, somente fazendo os exames. Resultados mais consistentes de paleo sobre a saúde? 90 dias.

    Em 13/08/13, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  21. Dr, segui seu conselho e hoje pulei o café da manhã. Fiz café com leite e coloquei manteiga. Impressionante como eu realmente fiquei bem. Claro que estou com fome, mas totalmente suportável. Essa fome que estou sentindo agora creio que é a fome normal. O que sentia antes chegava a doer o estômago (provavelmente o corpo pedindo carboidratos). Estou me curando do vício :-). Estou completando 10 dias de dieta. A região abdominal já desinchou bastante. O tornozelo ainda doi e incha, mas acredito que é questão de tempo (já fiz doppler e nada foi constatado, deve ser o trigo mesmo). Gostaria muuuuito que minha mãe fizesse a dieta, pois ela tem sobrepeso e colesterol um pouco alto. Tem tireóide de hashimoto e aplasia de medula. Mas ela disse que não fica sem o pão nem ferrando.... Pior! Ela acha que sou louca :-(

    ResponderExcluir
  22. E a fome vai diminuir cada vez mais - o estômago vai diminuindo.

    Em 15/08/13, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  23. Bom dia Dr, Souto! Iniciei a LCHF há
    dois meses, antes estava há 1 mês com restrição calórica. No total perdi 11,5kg
    e 10 cm de cintura. Tenho 1,63, hoje peso 59,5kg e 76cm de cintura. Não faço ativ. física e faço 4-5x na semana jejum 16/8. Minha alimentação: óleo de
    coco com café pela manhã, no almoço (normalmente depois de 16 horas de jejum)
    como carne/frango/peixe com legumes/salada com gordura, o mesmo no jantar. Não
    tomo iogurte, não como frutas. As vezes como amêndoas. Faço e como bolos (LCHF) e as
    vezes como chocolate >80% cacau (controlando o consumo de carbos), como
    sempre minhas receições com queijo. Uso banha de porco ou manteiga para cozinhar e do leite como só
    queijo, manteiga e creme de leite. Pelo fatsecret: 5% carbo, 10% proteína, 85% gordura. Tento manter entre 20 e 30g carbos (sem contar
    fibras), e proteína em torno de 80g. Medi minhas cetonas ontem a noite (depois
    do jantar - 2,8). Recebi o resultado dos meus exames e tenho
    algumas dúvidas: O valor do meu triglicérides subiu de 160 para 168, o do
    ácido úrico subiu de 3,8 para 5,8. As plaquetas baixaram de 150.000 para
    141.000 e os Hematócrito subiram de 36% para 42,2%. Colesterol total
    manteve, de 216 para 217. O HDL aumentou um pouco, de 41 para 46, LDL diminuiu
    um pouco, de 144 para 136, mas a diferença melhorou, CT/HDL, de 5,3 para 4,69 e
    LDL/HDL, de 3,5 para 2,95. triglicerideos/HDL: 3,65.

    Gostaria da opinião do senhor quanto aos valores. Meu marido (anatomista) falou
    com um colega da faculdade (especialista em nutrição) e ele disse que o valor
    dos triglicerídeos eram referente ao alto consumo de gordura. Eu sempre achei que
    fosse indicador de carboidratos...

    ResponderExcluir
  24. Muito bom. O "especialista" em nutrição está completamente errado. Os triglicerídeos dependem dos carboidratos na dieta e não têm nada a ver com o consumo de gordura. Mas eles podem elevar-se temporariamente durante a perda de peso. Apenas repita adiante, e verifique se não há carboidratos escondidos (exemplo: adoçantes de forno e fogão).

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 16/12/2013 04:57, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  25. Obrigada pela resposta Dr. Souto! Vou esperar um pouco e em março repito os exames. O adoçante que uso para cozinhar é o eritritol. Em relação ao colesterol eu estou muito satisfeita! Quanto às plaquetas,tem algo que eu possa fazer para aumentá-las?

    ResponderExcluir
  26. Não precisa aumentá-las.
    Onde diabos vc encontrou eritritol??


    Em 17 de dezembro de 2013 03:37, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  27. Dr. Souto, eu compro aqui: http://www.iherb.com/Now-Foods-Erythritol-Natural-Sweetener-2-5-lbs-1134-g/44499#p=1&oos=1&disc=0&lc=en-US&w=erythritol&rc=123&sr=null&ic=2

    ResponderExcluir
  28. Dr. Souto eu moro na Alemanha, compro aqui... Pena que não tem no Brasil... Fico feliz em saber que não preciso aumentar as plaquetas, porque eu estava preocupada!

    ResponderExcluir
  29. Caro dr, Souto.Sinto-me mais identificado com as dietas:Kitava,70% carbo;Okinawa,85% carbo;Nova Guiné (Turisenta) 90% carboidratos.Experimentei low carbo mas senti pirose.Estes povos,como o dr.sabe,têm os mesmos benefícios salutares que a dieta Paleo.Segundo Lindberg e Maelan Fontes e ainda Renko Kuipers(holandês).Gostaria que comentasse.Ogridado.

    ResponderExcluir
  30. http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2014/01/flora-intestinal-muito-alem-dos.html http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2013/01/entrevista-com-staffan-lindeberg.html
    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 20/02/2014 18:16, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  31. Pelo que percebi:o ideal é não comer grãos e feijões.Isso já não como há muito tempo e a pirose foi-se e o esomeprazol também.Agora só como fruta,folhas,raizes e mais peixe do que carne,manteiga e queijo curado feito de leite cru .Dr. Souto,estou no bom caminho?Obrigado.

    ResponderExcluir
  32. Certamente.


    Em 21 de fevereiro de 2014 12:10, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  33. Estou a pensar,no café da manhã,em vez de fruta comer castanhas do pará?

    ResponderExcluir
  34. Guarde os carbs para a noite. Boa opção.

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 21/02/2014 18:04, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  35. Obrigado Dr. Souto pelo conselho.Gosto muito deste estilho de vida.Come-se comida saborosa e muito saudável.

    ResponderExcluir
  36. Caion Fatibello Alves12 de março de 2014 16:22

    Nestes últimos 5 dias fiz bastante pesquisas sobre esse assunto e ontem traduzi um infográfico sobre pesquisas recentes na área de perda de gordura corporal que complementa este post, vale a pena dar uma olhada:

    http://perdendobarriga.com.br/carboidratos-engordam-mais-que-gordura-segundo-pesquisas-recentes

    ResponderExcluir
  37. Osvaldo Goncalves6 de maio de 2014 19:51

    DR Souto


    Estou na dieta paleo há 120 dias perdi 7 kg triglicerides 52, glicose passou de 96 para 89, ldl passou de 112 para 152, CT de 170 para 204 mas o HDL diminuiu passou de 49 para 42. O normal de quem faz paleo é ter aumento do HDL. O que pode estar acontecendo poderia me orientar por gentileza

    ResponderExcluir
  38. Variantes, quando vc repetir possivelmente dará diferente. E, de qualquer forma, assim está bom também.

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 06/05/2014 19:51, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  39. Dr. Comecei a dieta 13 dias atrás e já perdi 9 kgs. Estou sendo muito rigoroso em não consumir carboidratos, praticamente só consumo o carbo dos ovos. Sou obeso mórbido imc 49,3. Estou me sentido bem com a dieta o único problema que me preocupa é a prisão de ventre, pois estou a quase uma semana sem ir ao banheiro, já tomei laxante (complexo 46) em altas doses (5 comprimidos de uma vez) e não fez nenhum efeito. O Sr. tem algo a sugerir para solucionar este problema? No aguardo, obrigado!

    ResponderExcluir
  40. Amido resistente

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 07/05/2014 09:28, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  41. Dr. Souto, desculpe minha ignorância, mas quanto equivale 20g de carboidrato ou 40g? Como meço isso? Poderia dar um exemplo, por favor? Tenho procurado ler os posts, mas não encontrei essa informação ainda. Estou cortando tudo que tem amido e açúcar há alguns dias e ingerindo mais gordura animal; estou com um pouco de dor de cabeça, mas estou bem. Não sei como medir a quantidade de carboidratos que estou comendo. Por exemplo: tenho comido legumes refogados no almoço e no jantar, mas não sei que quantidade comer para ficar nos 20g recomendados. Agradeço se puder me orientar.

    ResponderExcluir
  42. Olá Anne,


    use um programa tipo fatsecret.com ou tabelas nutricionais na internet.

    ResponderExcluir
  43. Que dica ótima, Patrícia, obrigada! Nunca ouvi falar desse programa e não conhecia essas tabelas. Sempre começava a dieta e me sabotava, caía em tentação e estragava tudo. Mas dessa vez decidi continuar firme, até meu organismo não depender mais de refinados. Descobri que sou uma viciada em açúcar e trigo. A abstinência é terrível, mas eu quero ter controle sobre o meu corpo. Estou amando este site, entro aqui todos os dias. Dr. Souto, você devia publicar seus posts num livro. Parabéns pelo excelente trabalho!

    ResponderExcluir
  44. Oi Patricia, bom dia! Quando você compra eritritol nesse site você paga taxa de importação? Estive lendo a respeito e olha o que descobri: "O eritritol é um álcool de açúcar de ocorrência natural derivado de uma fonte de MILHO e é encontrado naturalmente em pequenas quantidades em várias plantas, frutas e fungos, incluindo cogumelos." Se ele é derivado do milho, podemos consumi-lo?

    ResponderExcluir
  45. Eu como polenta de vez em quando.

    Sent from mobile phone
    Em 26/06/2014 09:40, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  46. E eu vou lhe confessar que como cuscus de milho com leite de coco de vez em quando, adoro! Mas recentemente descobri uma farinha de flocos de arroz que ainda deixa o cuscus muito mais gostoso e parei de comer o de milho. Abraço.

    ResponderExcluir
  47. Só fique atenta ao shoyo que vai comprar... que não tenha glutamato monossódico, nem corantes, nem açúcar. O Daimaru sei que tem fermentação natural e não tem glutamato. Leia os rótulos! Eu gosto do Eritritol para receitas. Quando faço doces, uso ele ou Suquinha/Doçurinha.

    ResponderExcluir
  48. Heitor Fernando Posso10 de julho de 2014 10:16

    eu já emagreci tudo que tinha que emagrecer com essa dieta.. agora quero crescer, ganhar mais musculos.. se eu consumir apenas gordura no lugar do carboidrato (aqueles de alto IG), vou conseguir resultados da mesma forma?

    ResponderExcluir
  49. Segundo os fisiculturistas, precisa carbos. E se vc já está no peso ideal, não vejo porque não comê-los. Carbos páleo. Frutas e raízes.

    Sent from mobile phone
    Em 10/07/2014 10:16, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  50. Prezado Dr. Souto,

    Já passei por esta postagem anteriormente. Entretanto, resolvi buscá-la para lançar um questionamento que me perturbou hoje.

    Um grupo de pessoas muito bem intencionadas resolveu levar alegria a crianças portadoras de câncer internadas no INCA.

    A proposta é de se oferecer os mais variados DOCES para a alegria dos "piá".

    Disse que não era correto e alertei sobre os tantos malefícios e outras possibilidades ainda duvidosas em relação ao consumo desenfreado do açúcar.

    Disseram que a iniciativa era do próprio INCA.

    Não encontrei, no site da instituição, qualquer referência a doces.

    Mas fiquei espantado ao verificar a demonização que fazem da gordura e da carne vermelha.

    Está no link: http://www1.inca.gov.br/conteudo_view.asp?id=18

    O que o senhor poderia comentar a respeito da relação entre a alimentação e o câncer?
    Se já escreveu a respeito, me desculpe, poderia indicar o link, por favor?

    Desde já agradeço, mais uma vez.

    Abraço forte,
    Sérgio Weydt

    ResponderExcluir
  51. https://www.youtube.com/watch?v=ngwTPz4OwLA

    ResponderExcluir
  52. Obrigado, Patrícia. Já conhecia esse vídeo. Está compartilhado no meu próprio blog.
    A dúvida era se haveria algo que tratasse desse assunto pelas terras brasilis...
    Muito obrigado e parabéns pelo excelente trabalho.
    Abraço forte,
    Sérgio

    ResponderExcluir
  53. Sergio, esses vc já viu? http://www.myhealthwire.com/news/breakthroughs/856

    http://primalbrasil.com.br/dieta-cetogenica-no-tratamento-do-cancer/

    http://atmo.org.br/poderia-a-cura-do-cancer-estar-na-dieta-cetogenica/

    http://jornadacontraocancer.blogspot.com.br/2010/06/dieta-cetogenica-funcao-antitumoral-em.html



    abs!

    ResponderExcluir
  54. Tem esse, que é mais antigo: http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2012/05/dieta-e-cancer.html



    2014-09-03 21:55 GMT-03:00 Disqus :

    ResponderExcluir
  55. Caro Souto,
    Completei 3 meses de dieta low carb e resolvi fazer alguns exames laboratoriais. Fiquei surpresa ao constatar um aumento de trglicérides , que antes da dieta não havia, porque eu usava atorvastatina. Não deveria ter reduzido ? Além disso, observei um aumento da glicemia média, redução da glicemia de jejum e hemoglobina glicada ficou em 6,5 .
    Devo lhe dizer que o efeito triglicérides aumentado ocorreu em mais um membro de minha família que me acompanha na dieta durante o mesmo período. A que se deve este aumento? Proteínas?

    ResponderExcluir
  56. Ah, esqueci a insulina que foi verificada no início da dieta e estava dentro da faixa de normalidade e nesse último exame está elevada.
    Eliminei 8 kg nesse 3 meses e meu peso estabilizou.
    O que pode estar acontecendo?

    ResponderExcluir
  57. Muito estranho! Já vi alguém ter alguma alteração de exame, afinal nenhuma intervenção será perfeita para todos os indivíduos. Mas tudo ao contrário? Nunca vi. Se fosse no meu consultório, eu pediria um diário alimentar detalhado para análise - o fato de ter ocorrido em mais de uma pessoa torna essa anomalia um caso a ser estudado. Coisas que já vi no consultório: uso de adoçante Tal e Qual (maltodextrina), consumo de sucos fruta naturais (montes de açúcar natural), excesso de receitas de guloseimas carb, etc. Mas, enfim, se não está dando resultado, talvez o jeito seja buscar outra abordagem como a do Perfect Health Diet, por exemplo.

    Sent from mobile phone
    Em 11/10/2014 05:08, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  58. Ok.
    ..obrigada, mas vamos repetir os exames em um outro laboratório. Estou determinada a descobrir o que está acontecendo, pois estou me sentindo muito bem com esse novo estilo.
    Não estamos tomando sucos e as guloseimas foram abolidas. Frutas? Só abacate e morangos.
    Vou observar mais a nossa rotina alimentar e também vou ler mais sobre essa dieta que recomendou. Abraço.

    ResponderExcluir