sexta-feira, 31 de maio de 2013

Ganhar peso comendo menos?

Se você ainda pensa na obesidade do ponto de vista do balanço calórico, quem sabe a notícia abaixo lhe ajuda a reconsiderar (http://www.correiodopovo.com.br/Noticias/?Noticia=473405).

Médicos extraem tumor de 28kg de mulher na Alemanha

Paciente havia sido diagnosticada de forma errada com obesidade influenciada pelo diabetes

Médicos extraem tumor de 28kg de mulher na Alemanha<br /><b>Crédito: </b> AFP
Médicos extraem tumor de 28kg de mulher na Alemanha
Crédito: AFP
Médicos da Clínica Universitária de Dresden, no leste da Alemanha, extraíram um tumor de 28 quilos do corpo de uma paciente que havia sido diagnosticada com obesidade. A intervenção, que foi realizada no início de outubro e levou sete horas, transcorreu sem problemas. O tumor de baixo potencial maligno media 60 por 50 centímetros e estava situado num ovário da paciente, que havia ganhado peso de maneira extremamente rápida.

Seu médico atribuiu este aumento de peso a uma diabetes e à falta de atividade e prescreveu tratamento contra obesidade. Quando a paciente não conseguia mais se manter em pé pelo peso, a filha resolveu pedir uma segunda opinião e um exame proporcionou o diagnóstico correto. A paciente perdeu um total de 40 quilos durante a operação. "Jamais poderei agradecer o bastante aos médicos, sou uma nova pessoa", destacou.

Observem o seguinte: a paciente estava sendo tratada para obesidade - lhe foi orientado gastar mais calorias com exercício e comer menos. Seu peso deveria ter diminuído, não?? Como então o tumor continuava crescendo? A resposta é: o tumor cresce, independentemente da situação nutricional ou do déficit calórico da paciente, pois há fatores de crescimento produzidos pelo próprio tumor que sustentam o seu crescimento. O corpo compensará as calorias sequestradas pelo tumor de alguma forma: aumento do apetite, cansaço/inatividade, etc. O paralelo é óbvio:

 - O tecido adiposo, na presença de fatores de crescimento (fundamentalmente insulina), não diminuirá de tamanho, mesmo que a pessoa esteja consumindo menos calorias do que gasta; as células adiposas não têm olhos nem ouvidos, elas só "enxergam" hormônios.

Se não fosse assim, seria fácil curar qualquer tumor: bastaria passar fome, e ele não cresceria, certo? Pense nisso.

Por fim, reflita sobre a seguinte pergunta: para ganhar 28 Kg de tumor, a paciente precisou comer mais calorias do que gastava (isso é inquestionável, é uma lei da termodinâmica). Mas você acha que o tumor cresceu por que ela comia demais, ou que ela comia demais por que o tumor estava crescendo?

Você dirá?: "é obvio que ela sentia mais fome pois havia um tumor enorme crescendo". Afinal, as calorias abduzidas pelo tumor faziam falta no resto do corpo. Se você substituir tumor por "gordura" nesta frase, terá entendido o fenômeno da obesidade - não engordamos por que comemos demais, engordamos pois estimulamos o tecido adiposo a crescer (pelo consumo de carboidratos que levam ao hiperinsulinismo, pelo consumo de trigo que leva à inflamação crônica, pelo consumo de porcarias que bagunçam a flora intestinal), e isto leva à necessidade COMPENSATÓRIA de comer mais.

Se comer demais não é a causa, comer de menos não é a cura.

77 comentários:

  1. Oi Dr. Me surgiu uma pergunta. Teria algum problema a dieta LCHF (Low carb high fat) para uma pessoa que tirou a vesícula. Tirei fazem 5 anos. Comecei a dieta a 1 semana, passei por todas as fases, fiquei indisposto, cansado, tive mau humor, essa dieta também me faz suar muito, porque tenho hipoglicemia, então to sempre suando. mas a pergunta realmente é quanto a vesícula. ontem passei meio mal com a dieta, comi apenas 2 bifes, com aquela camada de gordura sabe, mas na primeira garfada ja estava enjoado. tive também dor de cabeça, isso no oitavo dia. Pensei que de repente poderia ser do fígado. pensando em como funciona o corpo, a falta da vesícula prejudica bastante sendo que seria um deposito de bile pra um momento de grande consumo de gordura, mas como não tenho o figado teria que preparar a bile sob demanda. isso nao seria muito pesado pra ele?

    não sei se to viajando. sei que acabei saindo por um instante da dieta, por achar que precisava comer algo mais leve, tipo uma fruta. agora meu estomago ja esta doendo e ja to pensando em voltar, mas um pouco preocupado.

    Obrigado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode comer sim, mas a falta da vesícula faz a adaptação ao high fat mais difícil. A sugestão é ir devagar. Vá aumentando a gordura aos poucos, sem forçar. Num primeiro momento, corte fora a capa de gordura do bife, etc. Não esqueça de suplementar o sal (seja como caldo de galinha, seja como 1 colher de chá de sal tomada como remédio), e o magnésio (óxido de magnésio 200mg 2x ao dia). O melhor tratamento para hipoglicemia é não comer carbs...

      Excluir
  2. Dr o senhor já leu a materia de capa da revista super interessante? Fala muito sobre o açucar e carbos, eles finalmente estão se redendo!
    http://www.assineabril.com.br/assinar/revista-superinteressante/origem=sr/ba/si

    ResponderExcluir
  3. Acho que peguei meio pesado mesmo. já adoro gordura e não me poupei nem um pouquinho... :)Infelizmente acabei dando uma pausa e em 3 dias engordei 3kg... vou voltar novamente, começando da indução...

    Tem que ser persistente... :)

    ResponderExcluir
  4. Dr. José Carlos, adorei seu blog e estou achando tudo maravilhoso. Estou no 15º dia da dieta do Dr. Atkins. Comprei o livro e tudo mais. Pretendo nunca mais deixar esta dieta. Os cardápios e receitas não me ajudaram muito, pois são refeições sofisticadas demais pra minha vida tão corrida. E cá pra nós, tenho poucas aptidões na cozinha. Emagreci 5 kg apenas nas semanas da indução e confesso imaginava que iria perder mais peso. Será porque eu não sou assim aficcionada por carnes gordas e gorduras em geral? Parei de fumar há 5 anos e tive muitos problemas intestinais, e hoje me preocupo em não comer carne demais, pois o efeito é direto uma prisão de ventre. Então é automático. Procuro comer mais folhas e sinto falta de fruta. Ontem comi uma mini fatia de melão e parecia a melhor das recompensas. Mas voltando à minha dúvida... Não tinha o hábito de tomar café da manhã - agora tento comer uns enroladinhos de presunto e queijo, as vezes um ovo. Almoçava legumes e verduras - agora ainda como legumes e verduras e um pedaço de carne. Jantava um sanduiche - agora janto legumes e verduras e queijo e ovo. Sou pouquissimo criativa nas refeições. Tenho me sentido um pouco enjoada e as vezes preciso colocar sal na boca, pois parece que vou cair. Tenho buscado receitas em sites low carb. Já comprei a fibra e a farinha de soja, mas ainda não fiz nada novo. A questão é que no livro fala sobre comer bastante proteina e gordura pela manhã e jantar bastante gordura. Será que esta dieta é pra quem adora comer bastante? Ou será que estou no caminho certo, porém meus resultados serão mais lentos? Sou neta e filha de pessoas que morreram em consequencia de complicações extremas do diabetes e quero muito ser mais saudável. Aguardo seu retorno, por favor. Obrigada. ass. Susanna

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sussanna - na fase de indução são comuns sintomas e mal estar - mas isso passa - e é NECESSÁRIO comer mais sal. E, como vc disse, não faz sentido se não for para a vida toda. E, para ser para a vida toda, precisa ser coisas que vc GOSTA de comer. Há inclusive vegetarianos que comem low carb, de modo que vc não precisa forçar a carne, se não quiser. Não vejo necessidade de forçar a gordura, apenas é preciso ficar claro que vc não deve ter MEDO ou EVITAR a gordura. Visite os blogs de receitas, e lembre-se de algumas alternativas como fricassê, estrogonofe, lasanha de beringela, almôndegas, frango assado (com pele), etc. E não esqueça do abacate!
      Seus resultados não estão nem um pouco lentos, as expectativas é que estão meio exageradas... Depois da perda inicial da indução, é normal perder numa velocidade menor, coisa de um meio Kg por semana. Se é para a vida toda, qual a pressa?

      Excluir
  5. Ficção virando realidade. Em um episódio de Grey's Anatomy, aconteceu exatamente isso, todo mundo achava que a mulher era obesa, até que encontraram um tumor enorme dentro dela. Felizmente, a realidade teve um final melhor... na série, a mulher morreu na mesa de operação.
    Sobre o tumor continuar crescendo, mesmo com a mulher fazendo dieta rigorosa de restrição calórica, um instituto de estudos sobre o câncer divulgou que uma dieta baseada em carboidratos é tudo que um câncer quer para se desenvolver feliz e saudável, já que as células cancerígenas se alimentam de glicose. Uma dieta baseada em gordura é altamente benéfica para ajudar a vencer o câncer. http://bare5.com/2012/10/25/why-we-all-dont-get-cancer/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu já tinha ouvido falar neste autor através desta entrevista: http://livinlavidalowcarb.com/blog/atlcx-episode-31-dr-colin-champ-ketogenic-diets-and-cancer/16307 Mas este vídeo é ótimo!!

      Excluir
  6. Dr.
    E a linhaça? Devo considera-la um grão?
    Tive indicações médicas de fazer o uso dela em minha dieta sem gluten, lactose e açucar.
    Juliana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode comer linhaça, é bem saudável. Misture num iogurte feito em casa (http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2012/10/cuidado-com-produtos-light.html)

      Excluir
  7. Antes de tudo, parabéns pelo seu blog!

    Chamo-me Ana Beatriz e descobri essa página vagando aleatoriamente por sites de receitas low-carb hoje a tarde e praticamente devorei todos os textos até o presente momento, usando o conteúdo desses como munição aos ataques dos meus pais (obesos mórbidos, um que insiste que é saudável e cujos médicos não ousam discutir, que mesmo após sérios acidentes cardíacos no início do ano continua a se entupir de açúcar e farinha branca, e e outro que tem um caso sério de depressão há longos anos mas que tem buscado tratamento somente agora, mas que parece ter descontado todos os anos de péssimo humor e frustração em bombas de farinha branca em momentos de compulsão diários), que insistem em apontar o dedo para o que ando colocado no meu prato nas últimas duas semanas em que entrei de cabeça em uma dieta low-carb, mesmo após ver meus três quilos perdidos já na primeira semana enquanto eu comia mais do que tudo no mundo e comia carne, linguiça caseira e ovos como alguém que nunca havia visto comida saborosa durante seus dezoito anos de vida.

    Esse blog, junto de outros sites bastante esclarecedores, parecem ter sido a luz no fim do túnel que eu necessitava.

    Pratico exercícios físicos desde os cinco anos de idade, passando a treinar para competições de ginástica e diversos tipos de dança desde os sete. Com 12, mandei a pressão excessiva para os ares e entrei no mundo das artes marciais e passei anos me deliciando com boxe chinês, tai ji e wushu, até que o final do ano passado me deu um tapa na cara sobre as responsabilidades que a vida adulta que me esperava em menos de um ano já me cobrava responsabilidades das quais eu não tinha condições de manter juntos da minha vida de atleta, que eu levava apenas por hobby.
    Engraçado que eu sempre, mas sempre mesmo, fui baixa e tive um corpo mais curvilíneo, sendo exaustivamente comparada a pin-ups, mas isso só passou a me irritar na adolescência. Mas a preguiça de mudar minha alimentação falava mais alto quando começava a ver dietas restritivas em relação a gorduras, e assim mantive meus 65kg distribuídos de maneira harmoniosa nos meu 1,57m (vários e vários nutricionistas tentaram me amedrontar a respeito da obesidade, em vão, ao ver que minha cintura tinha circunferência inferior a 65cm e que eu nunca iria me adptar a uma dieta que exigisse um consumo de frutas e legumes superior ao de 1 por semana com muito custo da parte que voz fala).

    Até essa época, mesmo sem perceber, minha dieta era composta por pouquíssimos carboidratos de digestão rápida, uma quantidade absurda de proteína e de gordura, e eu não engordava de jeito nenhum. Não a toa que mantive esse peso desde que minha altura se estabeleceu, aos meus 12 anos, até os meus 17, sem nenhum esforço. Quer dizer, eu comia pastéis de queijo caseiros, com mais queijo que qualquer outra coisa, logo de café da manhã, durante anos, e para horror dos que sabiam desse hábito, jamais engordei por conta deles.

    E então, veio o fatídico dia que parei de uma vez com minhas atividades físicas e, coincidentemente, passei a ficar mais tempo dentro de casa e passando a ingerir cada vez mais produtos industrializados cheios de farinha e de açúcar, sobretudo massas instantâneas e pães, coisas das quais nunca tive costume de comer diariamente. E o ganho de peso me assustou e serviu como um tapa na cara: 8kg a mais em dois meses, quase nada da massa muscular que eu tinha e minha cintura com uma circunferência brutalmente maior. Eis que meu odiado corpo se foi, dando espaço para um pior. E tentei mais uma vez ir a nutricionistas, todos me fazendo seguir uma reeducação alimentar que não durava mais de um mês, simplesmente porque eu não conseguia não sentir fome comendo 1200 calorias por dia, e tudo isso para perder 2kg em um mês perturbador de dieta.

    Isso tudo no começo desse ano... AO longo deste, com escola e vestibulares públicos a vista, além de estágios e provas intermináveis, eu joguei tudo para o alto e decidi me preocupar com o peso quando minha relação com meu espelho beirasse o insuportável.

    ResponderExcluir
  8. [...]Eis que esse dia chegou, quando tive que comprar uma calça com manequim três números maiores que meu habitual.

    Pesquisa vai, pesquisa vem, nada. Eis que leio sobre a dieta de Atkins em algumas edições antigas das Seleções, endeusando essa dieta como nada mais que eu tivesse lido. E a proposta de comer queijo frito, bacon e ovos de manhã e ainda perder peso era tentadora demais.

    Com relutância, me joguei de cara nessa empreitada. A primeira semana foi a mais difícil, uma vez que meus pais me constrangiam o máximo que conseguiam para me fazer comer porções pequenas enquanto minha vontade era de matar um prato cheio. Arrisco dizer que, no entanto, estava mais relutante que eles sobre perder peso comendo uma quantidade tão fenomenal de gordura proveniente de creme de leite e queijos, ao passo que nunca tive preconceito com minhas queridas proteínas.

    O problema chegou no meio da primeira semana, quando meu corpo parecia gritar de vontade de comer um bom prato de massa ou um simples pão francês, e então passei a procurar receitas feito uma louca na internet que não incluíssem nada que tivesse carboidratos em excesso ou ao menos algum tipo de farináceo que eu pudesse usar, uma vez que não tinha ideia da existência de farinha de coco, de soja tostada, ou de farelo de trigo, para citar alguns. Eis que encontro-os no supermercado e agora parecem-me velhos amigos.

    Exatamente com uma semana de dieta, meu aniversário chegou e meus amigos insistiram em me arrastar para uma pizzaria para ocmer bolo. Eu não consegui resistir de jeito algum, ainda morrendo de vontade de comer algo carregado de açúcar de verdade e sem adoçante, e me deliciei, saindo da dieta por dois dias e me remoendo de remorso por dentro. Após o surto, fui me pesar e, surpresa! Havia voltado ao estágio zero, os 69kg que venho mantendo desde o inicio do ano. Depois de dois dias de volta, no entanto, já havia perdido mais dois quilos e meio novamente, e qual a minha surpresa de perceber que eu não sentia mais a fome avassaladora da primeira semana.

    Hoje foi até engraçado, pois tive que ser lembrada de beliscar um pouco de carne após sete horas sem comer nada, simplesmente por não sentir nem uma mínima vontade.

    Ouch, e eu escrevo demais!

    Tudo isso para chegar a alguns pontos:

    1- Atkins não deu certo para mim, uma vez que deixar de comer qualquer coisa com farinhas low-carb não rola, a fase de indução seria jogado ralo abaixo, certo? Assim, tenho me policiado quanto a quantidade de carboidrato que tenho consumido, algo em torno de 20g a 50g diárias, ainda sem bloquear nenhum alimento em especial da minha dieta, além de açúcar e produtos com farinha branca, estou indo pelo caminho errado?

    2- Eu estou consumindo uma quantidade de gordura assustadora até para mim, e mesmo com a perda de peso, aquele medo bobo de virar uma bolinha ainda me persegue durante a noite. Tranquilize-me: Se eu manter meu consumo de carboidratos moderado, não há problemas em consumir essa superdosagem, certo?

    3- Eu tento, de verdade, mas adoçantes a base de sucralose só funcionam em receitas em que vão bem diluídos, como em bolos, e ainda assim, sinto um gosto residual na boca por horas, mesmo após a higienização da boca e bebendo água e mais água, fato que começou a me causar certo asco desse produto, sendo que só de sentir esse gosto na boca as vezes já me deixa extremamente enjoada, isso é normal? Passa ou é algo bem pessoal mesmo?

    4- Parece que posso comer meio potinh ode sal por refeição e ainda não ficar satisfeita. rsrs Ainda que os sonhos com pratos de massas e afins continuem, é mais fácil me pegar desejando e indo preparar um prato com um teor imenso de sódio. Nunca fui fã de coisas doces, e sempre tive certo gosto por comidas bem salgadas e temperadas, mas esse consumo de sódio exacerbado pode comprometer minha saúde?

    Agradeço desde já, Dr. Jose!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá. A dieta ideal é aquela que vc pode seguir para o resto da vida. Não é necessário manter-se cetogênica. Vc descobrirá, por tentativa e erro, quantos carboidratos seu corpo tolera sem que vc ganhe peso e sem que a fome volte. O MAIOR benefício do low carb é a falta de fome, e vc tem que manter os carbs suficientemente baixos para que a fome não volte. Os "cravings" (desejo intenso por determinado alimento) desaparecem lentamente. Se vc tiver que comer algo fora da dieta, faça-o em alguma circunstância em que não seja possível abusar (nunca num bufet). Exemplo: comer UM brigadeiro, ou UM bom-bom, ou UMA fatia de pão, etc. Claro, o ideal seria não comer, mas pior e acumular a vontade e se jogar de cabeça.

      Consumir gordura NÃO é problema desde que no contexto low carb. Gordura + carbs = infarto. Se vc um dia largar a dieta low carb, volte a comer low fat (argh!).

      Teste vários adoçantes. Eu, por exemplo, não tolero a estevia (embora seja a opção mais saudável), e prefiro a sucralose ou até mesmo o cilamato e sacarina (embora, na verdade, cada vez menos consuma adoçantes de qualquer tipo)

      Ao contrário de tudo que vc já ouviu falar, a restrição de sal não traz benefício à saúde (tenho os estudos). E, no contexto de uma dieta low carb, o corpo PERDE sal, de modo que há necessidade de repor.

      Abraço

      Excluir
  9. ola dr.! eu adoro seu blog e estou na dieta ha 6 semanas.. tenho algumas duvidas que procurei no blog mas nao achei e espero que o dr. possa me ajudar.
    eu fiz a inducao mas nao parei de comer morangos ( cerca de 4 ou 5 morangos por dia) e um punhado de amendoas tambem. eu li no livro de atkins (comprei essa semana) que para a inducao ser correta nao pode frutas, mas se eu mantiver os 20 carbs diarios e os morangos entrarem nesses 20 ha problema?
    eu estava na duvida se estava em cetose ou nao, entao comprei as tirinhas e descobri que nao estou. eu devo fazer inducao de novo? estou comendo cerca de 40 g de carbo por dia, sera que devo comecar a inducao ate o resultado da cetose for positivo?
    eu tenho 22 anos e comecei a dieta e estava com 37% de gordura corporal, apos 6 semanas desceu para 25% e quero chegar a 20% pelo menos. to feliz com os resultados mas com medo de estagnar por nao estar em cetose. a cetose eh algo que deve permanecer na dieta inteira, em todas as fases?
    outra coisa, eu comprei um kindle e comecei a ler "why we get fat" e o livro do atkins atualizado, nao tenho problema com ler em ingles mas queria saber se voce tem mais alguma dica de leitura ou algum livro imperdivel para me ajudar com meu novo estilo de vida!
    muito obrigada pela ajuda!!!
    Natascha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Natascha. Veja bem, você está relatando um sucesso imenso. Afinal, seu objetivo é perder gordura ou ficar em cetose? Em outras palavras, QUEM SE IMPORTA se vc está em cetose ou não, se vc seguiu a indução com morangos ou sem? Se está dando certo, continue fazendo! Se e quando você estagnar a perda de peso, e SE isso acontecer antes de seu objetivo, então sim vc deverá fazer ajustes em sua dieta, ok? E não, não é necessário estar em cetose para perder peso em uma dieta low carb.

      E sim, eu tenho mais duas dicas de leitura para vc. The Smarter Science of Slim (uma versão com menos gordura e mais ênfase em exercício, e uma coleção inestimável de ciência sobre o assunto) e Diet 101 - The Truth About Low Carbs Diets, onde você entenderá as limitações da dieta. Lê nesta ordem.

      Excluir
    2. Em 4 meses de dieta estive em cetose acusada nas fitinhas apenas uma vez. Cheguei a comemorar.
      No entanto, já li que essas tirinhas não são muito confiáveis. Tb, segundo nosso amigo José Souto, emagrece-se sem estar em cetose e sou a prova viva disso. Essas fitinhas do inferno nunca mostravam nada e eu emagrecendo.
      Parabéns pelo resultado, incrível a diminuição no % de gordura.

      Excluir
  10. muito obrigada dr! comprarei mais esses dois livros e vou parar de ficar tao encanada com a cetose.. vou continuar acompanhando meu percentual de gordura e se nao descer nas proximas semanas vejo se entro na inducao novamente. :) obrigada, e parabens novamente pelo blog! natascha

    ResponderExcluir
  11. Doutor,
    Primeiramente, gostaria de parabenizar-te pelo blog. Escreves muito bem, de uma maneira clara e didática.
    Li muitas postagens, mas ainda fiquei com uma dúvida.
    Desde adolescente, venho seguindo dietas de baixas calorias e mantendo o peso assim (tenho IMC normal, quase com sobrepeso), mas ainda queria perder uns 5 kg.
    Lendo teu blog, percebi que as dietas low carb não requerem controle de calorias, desde que só se consumam os alimentos permitidos.
    Então, desde que comecei a dieta (há 13 dias), tenho comido apenas carne, ovos, queijo e um pouco de salada, mas sem controlar as quantidades. Contudo, noto que tenho comido muito mais do que comia antes, às vezes não por fome, mas para passar a vontade de comer alimentos não aconselhados (como mais do que o necessário - penso - mas não a ponto de me "empanturrar").
    Depois que comecei a dieta, não mais me pesei. Porém, noto pelas minhas roupas que perdi algum peso, embora não muito.
    O que eu queria saber, em síntese, é se é possível que eu comece a engordar se continuar comendo muito mais do que eu estava habituada a comer antes da dieta. A quantidade de calorias não é mesmo essencial? Importa, para emagrecer, apenas o tipo de alimento?
    Abraços,
    Marcela

    ResponderExcluir
  12. Vale a pena ler e refletir

    ResponderExcluir
  13. Olá, doutor.

    Estou passando aqui novamente para dividir minha alegria com o senhor - sou a "S." de um comentário anterior e na época meu peso era 72 Kg. Agora estou com dez quilos a menos, rumo aos meus sonhados 52 Kg. Tenho me mantido na dieta low-carb com muita determinação e entusiasmo. No total, desde que me propus a fazer dieta, perdi 16 Kg, mas o processo acelerou bastante desde que comecei a acompanhar o blog e cortar carboidratos das refeições. Ainda não comprei o livro sobre dieta paleo que me havia sido recomendado aqui, pois a vida anda meio corrida, mas em breve vou adquiri-lo. De resto, mando-lhe um link da Superinteressante que vi há pouco: http://super.abril.com.br/alimentacao/dieta-paleolitica-720992.shtml
    A matéria não é muito longa, mas fico feliz pela maior divulgação da dieta paleo nas revistas de grande circulação.

    Abraços,

    S.

    ResponderExcluir
  14. Oi! Meu nome é Geysa. Estou precisando desesperadamente de ajuda com a dieta! Tenho 1,60 e estava com 80,00kg. Agora, há 22 dias na indução, meu peso travou em 75,5 e às vezes oscilando até 76,1. Não mudei em nada a alimentação nesses 17 dias. O que pode ter acontecido? Significa que não voltarei a perder de peso com esse cardápio que estou seguindo? Minha alimentação é basicamente shake whey(2carb)com 1 copo de leite de soja no almoço, 1 copo de leite de soja no café da manhã, presunto e queijo de tarde, e legumes(vagem, abobrinha, repolho, pimentão, tomate -só 1, carne e ovos e gelatina diet com creme de leite, creme de leite com achocolatado gold diet -5 carb no jantar e refrigerante diet). Acho que não dá 20 carbs, não é? Hoje comecei a comer o pão de indução com farelo de trigo também, mas estou com medo de piorar...Por favor, me ajude, doutor!!!! Essa é a única dieta que consigo fazer sem auxílio de remédios que agora são proibidos. E a única que conseguirei manter pra vida toda... Estou muito preocupada, é possível que essa dieta não seja pra mim??? geysamedvet@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Geysa, você leu esta postagem?: http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2012/11/expectativas-versus-realidade.html

      Leia a postagem, e depois me diga se lhe resta alguma dúvida.

      Excluir
  15. Doutor, me desculpe mas esqueci de explicar no post anterior: esse peso que perdi foi todo nos primeiros 10-12 dias. Portanto estou estagnada há 10 dias já... me peso todos os dias na mesma balança, mesmo horário. Por favor, estou ficando desmotivada...
    Geysa- geysamedvet@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  16. Olá doutor! Primeiramente quero muito lhe agradecer pela atenção. É muito bom saber que podemos contar com a ajuda de alguém que realmente entende do assunto! Eu já havia lido essa postagem sim, acho que já li quase o blog inteiro, é fantástico. A dúvida que ficou é a seguinte: existe possibilidade de eu não perder mais peso mesmo seguindo a dieta à risca? Pois meu principal objetivo é esse, retornar ao meu peso de sempre, +-58 kg. Nunca fui gorda, esses tantos quilos a mais vieram nos últimos 3 anos... meus exames segundo o médico que acompanhou, por enquanto estão todos normais, colesterol, glicose, triglicerídeos, tsh, t4, etc. Mas não me conformo com essa nova condição e estou muito infeliz por isso. Essa estagnada na perda de peso que estou vivendo pode ser indício de que não vai mais "funcionar" a dieta no meu caso?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá. Eu não falaria em estagnação antes de uns 3 meses. A perda simplesmente pode estar em uma velocidade lenta, que torna sua detecção mais difícil. Como já disse naquela postagem, pode ser necessário, para algumas pessoas, fazer ajustes, controlar o tamanho das porções, adicionar exercício intervalado de alta intensidade (hiit). Para algumas pessoas é realmente difícil perder a quantidade de peso que desejam. No entanto, penso que até mesmo manter o peso no longo prazo seja mais fácil e menos sofrido do que em dietas low fat tradicionais, eternamente passando fome. Uma dieta Los carb pode não ser uma alternativa mágica para todos os tipos de metabolismo, mas ainda é muito melhor do que as alternativas.

      Excluir
  17. Dr. Souto,
    Parabéns pelo seu trabalho! Tenho acompanhado as matérias do blog e adotado as suas orientações! Os resultados já se fazem notar! Muito obrigada! Um abraço!

    ResponderExcluir
  18. Esse blog é d+ Parabéns!

    ResponderExcluir
  19. Olá Dr Souto, meu marido começou a fazer a dieta em janeiro. Após 3 semanas de dieta a glicose dele estava 89 mg/dl, Até agora ele emagreceu 9 kgs. Ultimamente, ele continua sem ingerir açúcar, mas voltou a comer um pouco de carboidratos. Apesar disso ele não tem engordado e continua a perder lentamente um pouco de peso, mas o que está preocupando é que ele está urinando muito. Isso é normal? Estamos pra ir ao cardiologista, quais exames devemos pedir ao médico. Eu tbém faço a dieta e estava em janeiro com o colesterol 304. Muito obrigada pela atenção

    ResponderExcluir
  20. Dr. souto, está de parabéns , seu blog é maravilhoso, cheio de informações!! Show.

    ResponderExcluir
  21. 8 Ridiculous Nutrition Myths Debunked



















    From calorie counting to high-protein diets
    http://www.popsci.com/node/74033/edit

    ResponderExcluir
  22. Dr. Souto,

    Preciso de ajuda, estou desesperada. Desde janeiro deste ano tenho tentado fazer uma dieta low-carb, com ciclos de carboidrato. Porém, nas fases de liberação de carboidrato, eu exagerava, acabei não levando meu objetivo muito a sério e fiquei indo e voltando com a dieta. Agora eu decidi fazer seriamente mas não estou conseguindo entrar em cetose. Reduzi meu consumo de carboidrato ao mínimo possível (nem salada estou comendo mais) e simplesmente não estou emagrecendo nem tendo sintomas de cetose. Fui pesquisar e li isso: "Em cerca de 80% dos casos, essa dieta só poderá ser feita uma única vez na vida. As pessoas que fazem essa dieta, emagrecem muito sim, mas se voltarem a engordar não poderão fazer novamente essa dieta pelo simples motivo que ela não vai funcionar e não se perderá um grama. Por fatores ainda não compreendidos pelos médicos, o metabolismo se adapta e não consegue mais entrar em cetose benigna. Por isso, pense bem antes de começar essa dieta, pois se por algum motivo você falhar, provavelmente não poderá recomeçar."

    Isso é verdade, Dr. Souto? Qual é a solução pra mim agora?
    Por favor me responda, não sei mais nem o que comer.

    ResponderExcluir
  23. Olá Ana

    Entramos em cetose todos os dias, quando ficamos em jejum, ao amanhecer. Mas podemos emagrecer sem entrar em cetose. Se restringimos os carboidratos já conseguimos o benefício de controlar os picos de insulina.

    http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2012/12/atkins-ou-nao-atkins.html

    Eu não sei a quanto tempo você está em páleo/LC, se já estiver adaptada aos poucos carbs, pode tbm tentar o JI. http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2013/02/jejum-intermitente.html

    Leia aqui tbm: http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2013/02/nao-e-tao-simples-o-set-point.html


    Coma comida de verdade, não fique tão estressada, perca o medo da gordura. As gorduras boas (óleo de coco, manteiga, banha, azeite) são as mais saciantes.

    ResponderExcluir
  24. Obrigada pela resposta, Patrícia.
    Será que eu cheguei ao meu set point? Não sei se é o caso, pois no passado fiz uma dieta de restrição calórica e emagreci muito mais. Não estou criticando a dieta LC, mas o fato de eu tê-la burlado tantas vezes desde que comecei pode ter criado alguma resistência no meu organismo... não sei, estou preocupada. Ainda preciso emagrecer. Não muito, cerca de 5 kg, mas não sei como proceder. Não como uma folha de alface mais, apenas proteína e gordura! E ainda assim meu corpo parece não estar usando meu tecido adiposo como fonte de energia. Eu realmente não acho que teria tanta força de vontade para fazer jejum intermitente. Me ajudem :(. Será que devo fazer exercícios?

    ResponderExcluir
  25. Ana, 5 k não é muito mesmo! Tem quanto tempo vc retomou a LC de fato? O JI parece difícil, mas não é. Tente começar e tome o café com manteiga. A gordura sustenta bastante e não tem impacto na insulina.

    E fique mais calma! Essa ansiedade toda tbm não deixa emagrecer! http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2012/11/expectativas-versus-realidade.html

    CAFÉ COM MANTEIGA

    1 xícara de café (pronto ou pode fazer com o solúvel)

    ¼ de um tablete de manteiga (sem sal ou com sal, vai do gosto)

    Adoçante a gosto (ou não! Tem quem prefira sem.)Bata no liquidificador ou mixer. Se precisar, aqueça de novo no micro.

    Agora vai da sua criatividade e paladar! Pode adicionar:

    Essências

    Creme de leite (Nestlê de lata)

    Cacau (no mínimo 70%)

    Whey

    Óleo de coco

    Leite de coco

    Canela

    ResponderExcluir
  26. Regina Nercolini1 de junho de 2013 13:23

    Oi Patrícia, café com leite de coco é simplesmente magnífico "acorda" a gente e dá saciedade.......creme de leite também, é tudo de bom, bj

    ResponderExcluir
  27. Obrigada, esse texto me tranquilizou. Eu estava esperando uma perda de peso dramática e como isso não aconteceu comecei a me desesperar. O negócio é ter paciência!

    ResponderExcluir
  28. Faz apenas uma semana, mas eu não perdi 1 grama de gordura. Uma hipótese é que a minha dieta é moderada em gordura e rica em proteína. Será que estou produzindo glicose por gliconeogênese?

    ResponderExcluir
  29. Uma semana é muito pouco! Eu demorei 20 dias para começar a emagrecer e é muito lento... Cada pessoa é de um jeito. A gente vai descobrindo o que funciona pra gente a medida que vai testando.

    ResponderExcluir
  30. Fiquei aliviada, Patrícia. Talvez seja o caso de aumentar a proporção de gordura e diminuir a de proteína, né? Acho que vou experimentar. Enfim, obrigada pela ajuda. :)

    ResponderExcluir
  31. Fabiana - não creio que esta questão de urinar muito tenha qualquer relação com a dieta. Aliás, como urologista, possa lhe dizer que há muitas causas possíveis - precisa mesmo avaliar - mas nem esta nem nenhuma outra dieta causa isso.

    Sobre colesterol, vou lhe copiar uma resposta que acabei de dar a outra leitora (se é que seu colesterol já não baixou com a dieta):

    Uns meses atrás, eu escrevi o seguinte (http://lowcarb-paleo.blogspot....
    "Eu entendo o receio das pessoas, mas não consigo deixar de me indignar quando recebo perguntas do tipo "Eu estou seguindo uma dieta páleo low carb há 6 meses, perdi 15 Kg, me sinto ótimo, minhas enxaquecas passaram, não sinto mais fome o tempo todo, durmo melhor. Mas meu colesterol subiu de 170 para 210, eu meu [médico/nutricionista/amigo/mãe] disse que eu tenho que parar com essa coisa se não vou morrer. O que faço?"

    Onde e por que perdemos o bom senso? Quando foi que a medicina deixou de tratar doenças, e passou a tratar números? Quando foi que passamos a ignorar que a sensação de bem estar costuma ser um sinal de saúde?"

    Quanto ao seu caso específico (colesterol > 300), tenho 2 comentários a fazer

    1) As reduções de risco observadas com o uso de estatinas são minúsculas. Elas só parecem grandes à luz do risco relativo. Na postagem que citei acima, explico bem isso. Sem o uso da droga, tem-se um risco de morte de 3% em 5 anos; com o uso da droga, o risco cai para 2% em 5 anos. Isto é uma redução de UM por cento. Mas como 2% é 30% de 3%, eles dizem que a redução é de 30%, o que é matematicamente correto, mas é uma forma de lhe enganar.
    2) Um colesterol de 300 provavelmente lhe coloca num risco cardiovascular um pouco maior. Por que provavelmente? Porque o que se sabe sobre colesterol foi observado no contexto da pavorosa dieta americana padrão. Ou seja, se você comer lixo o dia inteiro (sucrilhos, refrigerante, pães, bagels, tortas, doces, massas, sobremesas industrialisadas, etc) e tiver um colesterol de 350, isto é um marcador de risco. mas NINGUÉM SABE o que acontece com pessoas que têm estes níveis de colesterol mas tem uma dieta páleo saudável, faz atividade física, e tem outros marcadores de risco cardiovascular MARAVILHOSOS, com triglicerídeos abaixo de 100 e HDL acima de 60.

    O que eu faria se EU estivesse no seu lugar? Eu faria exames, talvez cada 2 anos, para me certificar de que eu não estou desenvolvendo nenhuma doença cardiovascular - eco doppler de carótidas e TC de coronárias para medir o ESCORE DE CÁLCIO CORONÁRIO. Se os exames estiverem Ok, azar é o do colesterol, pois o que queremos, em última instância, é evitar doença, e não modificar um número.

    Metade das pessoas que morrem do coração têm LDL BAIXO. Minha opinião? Um LDL baixo não lhe protege se vc tiver síndrome metabólica (que é uma fator de rico muito maior); da mesma forma, um LDL alto não lhe ameaça se vc não tiver inflamação sistêmica e tiver HDL alto e triglicerídeos baixos.


    Em 31 de maio de 2013 18:38, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  32. Obrigado :-)


    2013/5/31 Disqus

    ResponderExcluir
  33. UAU!

    Esse eu vou traduzir!!


    2013/6/1 Disqus

    ResponderExcluir
  34. Ana:

    Isso não é verdade. Apenas fica mais difícil - mais lento - emagrecer após várias dietas io-io. O principal é adotar o estilo de vida como isso mesmo, um ESTILO DE VIDA. Pensar em páleo low carb como uma forma de melhorar a saúde, de melhorar os exames, de sentir-se melhor, de não passar fome, de estabelecer uma relação saudável com a comida, de não engordar mais. Se tudo que este estilo de vida lhe oferecesse fosse isso, sem emagrecer uma grama, já valeria a pena e MUITO. O emagrecimento virá, mas virá aos poucos. E qual é a pressa? Se é um estilo de vida para o resto da vida, por todos os motivos citados acima, se levar um ano para perder peso, qual o problema? Não sei qual a sua idade, mas se você está adotando um estilo de vida para os próximos 40 anos, que diferença faz o tempo que vai levar para perder o peso? Você não levou 2 meses para chegar aonde chegou - levou anos. Não exija que seu corpo corrija isso de uma hora para outra - dê-lhe tempo para cicatrizar seu metabolismo.


    Em 1 de junho de 2013 07:46, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  35. É incrível como sua abordagem é persuasiva. Você sabe defender seu
    ponto de vista. Com tantas referências, sempre linkadas, não dá pra não
    confiar. Parabéns!

    Estou animado e disposto a começar a dieta. Difícil mesmo vai ser largar a cerveja e o leite -- dois produtos intrinsecamente ligados à minha alimentação. Leite, diariamente por mais de 30 anos, cerveja, quase diariamente há quase 2 semestres. Depois do período inicial, vou tentar encaixar pequenas doses na minha dieta -- para não perder o sentido fundamental de tudo isso.

    Mas a perspectiva de diminuir a fome -- e a ansiedade que ela causa -- e
    sensação de mal-estar, talvez causada pelo amido e glúten no estômago, são
    verdadeiramente bons estímulos.

    Estou consumindo fervorosamente seus links e referências, ainda não terminei mas gostaria de saber se você recomenda algum site/tabela onde possamos consultar com facilidade os compostos dos alimentos. E.g., aprendi aqui que maracujá é uma fruta com pouco açúcar, assim como limão. Então suco dessas frutas talvez seja recomendável, certo? (Mas como fazer um suco sem açúcar?). Mas e beringeja? Tem muito carboidrato? Vi um comentário em que você parecia sugerir que brocólis tiinha carboidrato. Enfim.. uma vez mais, parabéns!

    ResponderExcluir
  36. Obrigada pelos esclarecimentos.

    ResponderExcluir
  37. Não precisa...a revista HypeScience já fez isso...e ainda tem vários links legais dentro do texto

    8 mitos sobre dietas nos quais você possivelmente acredita

    http://hypescience.com/8-mitos-sobre-dietas/

    ResponderExcluir
  38. A verdade é que a discussão sobre obesidade e nutrição só vai progredir quando as pessoas pararem de encarar como uma discussão sobre ganho ou perda de peso, mas como uma questão de ganho ou perda de gordura corporal.
    Aqui no blog, se não todos, a esmagadora maioria já compreende isso, mas enquanto as pessoas em geral não entenderem que não se trata de acumulo de peso, mas de acumulo de gordura, e que o ganho de massa de uma criança em crescimento é diferente do ganho de massa de um obeso ganhando gordura, que é diferente de um halterofilista ganhando musculos, que é diferente de um cancer crescendo. Nesse sentido essa reportagem é ótima para provocar essa reflexão.

    ResponderExcluir
  39. PUTZ! Eu já tinha traduzido quase a metade!!

    ResponderExcluir
  40. Te coloquei de moderador - já devia ter feito isso há horas! Obrigado por toda a ajuda.

    ResponderExcluir
  41. Espero poder ajudar
    Obrigado

    ResponderExcluir
  42. Já ajuda muito! Através do disqus.com fica mais fácil de ver todas as perguntas.
    Em 02/06/2013 11:45, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  43. Regina Nercolini2 de junho de 2013 13:40

    hummm, preciso te confessar......nunca gostei mt desses chá que falou rrsrsrssr....mas vou experimentar, bj

    ResponderExcluir
  44. my bad...

    Dr, estou com uma dúvida. Troquei as frutas pela gordura (ovos, bacon, presunto gordo, creme de leite) e estou engordando 1kg/mês nos últimos 4 meses. Seguindo dicas do Mark Sisson, reduzi laticínios e voltei a fazer corridas rápidas com sprints, mas continuo engordando. Já faço musculação há mais de 1 ano. O que pode estar acontecendo?

    ResponderExcluir
  45. Engordando ou aumentando de peso? Como está a circunferência abdominal? Os furos do cinto?
    Em 02/06/2013 14:35, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  46. Eu vinha sentindo as roupas mais apertadas e acabei de constatar:



    Medidas em 02/fev
    Abdomen 83,5 cm
    Cintura 77 cm
    Quadril 93 cm

    Medidas em 02/jun
    Abdomen 86 cm
    Cintura 80 cm
    Quadril 93,5 cm

    ResponderExcluir
  47. Luiz, muito estranho...

    Dê uma lida nestas duas postagens do Mark Sisson e me diga se vc acha que se enquadre em alguma destas situações (com 26 situações, acho difícil que qualquer um de nós não se enquadre :-)

    http://www.marksdailyapple.com/17-reasons-youre-not-losing-weight/
    http://www.marksdailyapple.com/9-more-reasons-youre-not-losing-weight/

    2013/6/2 Disqus

    ResponderExcluir
  48. Foram exatamente estes dois posts que eu li e passei a reduzir laticínios e voltar a fazer tiros de corrida. Não me encaixo em nenhuma outra situação. Aliás, o post dele parece ser voltado para pessoas que simplesmente pararam de perder peso. O meu caso é muito pior, estou ganhando peso a uma velocidade assustadora. Se eu estivesse com o peso estacionado, estaria tranquilo.
    Nas próximas 3 semanas, tentarei mais algumas alterações na dieta, como eliminar 100% dos laticínios, e te conto o resultado.

    ResponderExcluir
  49. Legal, Ada. Obrigado. Mesmo que não seja de todo confiável, já dá pra ter uma base!

    ResponderExcluir
  50. Obrigado, Patrícia. Estou confiante também, especialmente por conta dos efeitos do trigo no corpo -- e do glúten. Até efeitos no humor e no sistema digestivo foram detectados.

    Já li os link indicados, como eu disse, desde sábado tenho lido compulsivamente sobre tudo isso. Vai ser difícil ficar sem sucos doces, mas vou tentar, já comprei um adoçante de sucralose pra minimizar os efeitos. Meu metabolismo é muito rápido, eu costumo sentir o resultado de dietas rapidamente -- até mesmo na perda de peso.


    Obrigado pelo blog de receitas!

    ResponderExcluir
  51. Sempre tem alguém que foge ao habitual...
    Luiz, para a maioria das pessoas se vc simplesmente mudar a dieta nas linhas que falamos aqui, o apetite regula o resto. Mas há sim pessoas que conseguem consumir em excesso uma dieta pobre em carbs, pobre em comida processada e rica em gordura. Se esta mudança da retirada dos laticínios e derivados não surtir efeito, sugiro dar uma olhada no assunto do jejum intermitente.


    Em 3 de junho de 2013 11:20, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  52. Afora a tabela de carboidratos que está ali (e há incontáveis tabelas na internet), o resto do que está escrito é o oposto do que recomendamos neste blog. Pirâmide alimentar, restringir gorduras, comer grãos, um desastre. Releia esta postagem: http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2012/12/atkins-ou-nao-atkins.html
    Não há necessidade de complicar com fases, regras detalhadas, etc. aquilo que, no fundo, é simples:

    1) Cortar açúcar
    2) Eliminar grãos
    3) Evitar raízes ("tubérculos")
    4) Optar por comida de verdade
    5) Não consumir azeites extraídos de sementes
    6) Perder o medo da gordura natural dos alimentos.


    Em 3 de junho de 2013 11:51, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  53. Leonardo:

    1/2 limão (daqueles verdes, de caipirinha) com casca
    1 litro de água
    Bata no liquidificador com casca
    Coe no final
    Use sucralose gotas, se quiser adoçar.
    Depois me conte!


    Em 3 de junho de 2013 13:52, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  54. Caramba, meio limão pra 1 litro de água? E fica bom mesmo? Vou testar depois eu conto.

    Mas tem que consumir na hora, né, do contrário azeda. Por isso eu fiz um litro de suco de maracujá, pra deixar aqui no caso de sede repentina. Eu bebia muito leite, chá gelado industrializado, suco de polpa e.. CERVEJA. Gosto de bebida gelada!

    ResponderExcluir
  55. Doutor José Carlos, primeiramente obrigado por este blog, é fantástico. Depois de ler o resumo que você fez do livro "Why We Get Fat" e algumas postagens, creio que entendi o que ocorre e me parece bem simples: Por fatores bioquímicos, desencadeados principalmente pelo consumo de carboidratos de alto índice glicêmico, o tecido adiposo de certas pessoas aumenta de tamanho, independente do quanto se come em calorias. É basicamente isso?
    Felipe Piacesi
    Professor de Educação Física, Pós-graduado em musculação e treinamento de força - UnB.
    Brasília. DF.

    ResponderExcluir
  56. É uma forma bem sucinta de colocar a questão :-)

    Eu não diria que é independente das calorias: uma pessoa consumindo 500 calorias de puro açúcar todos os dias irá perder peso mesmo assim; uma pessoa consumindo 5000 calorias de pura gordura por dia irá ganhar peso. A questão é: ninguém faz isso. Dentro do que seria uma dieta normal de uma pessoa, a variação dos macronutrientes irá, sim, particionar as calorias mais no sentido do tecido gorduroso ou mais no sentido do tecido muscular. Assim, dá pra dizer que as calorias não são irrelevantes, mas que tentar controlar manualmente o consumo e o gasto calórico não é inteligente e nem eficaz no longo prazo; dê ao corpo uma alimentação realmente adequada (comida de verdade, sem trigo, sem açúcar, sem óleos de sementes e sem cortar a gordura natural dos alimentos), e os mecanismos homeostáticos controlarão este equilíbrio, da mesma forma que controlam a temperatura, o pH, os batimentos cardíacos, o sódio, enfim, tudo.

    Posso lhe colocar na lista de profissionais?


    Em 3 de junho de 2013 19:06, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  57. Muito obrigado, Dr. José Carlos. Pode sim. Gostaria de aproveitar e mencionar que meu trabalho com emagrecimento é voltado para alta intensidade nos exercícios, tanto nos chamados ergométricos como na musculação. Informo que dentre as atividades físicas, somente a musculação é capaz de destacar enzimas que atuam no metabolismo dos lipídeos, o que favorecerá o emagrecimento, conforme consta no livro do pesquisador da UnB, Dr. Paulo Gentil: Emagrecimento - Quebrando mitos e alterando paradigmas, livro este que recomendo a você, Dr. José Carlos, e a todos os interessados que recorrem à atividade física para auxiliar no emagrecimento. O livro mostra evidências que o exercício aeróbio para o emagrecimento, bem como a abordagem matemática (contagem de calorias) associada a ele são fracassos comprovados ha décadas em estudos científicos bem construídos. Além disso, fornece ampla explicação bioquímica sobre o impacto da musculação no metabolismo humano. Aos que se interessarem em saber mais, entrem em contato pelo piacesi85@gmail.com Obrigado e boa noite a todos.

    ResponderExcluir
  58. Maria Aparecida F Alves28 de junho de 2013 13:05

    Caros doutor José e moderadores, achei esta tabela de contagem de carboidratos no link http://www.diabetes.org.br/attachments/246_manual_oficial_contagem_carboidratos_2009.pdf, gostaria de saber se ela é confiável.

    ResponderExcluir
  59. Todas as tabelas são mais o menos confiáveis (ou significa que nenhuma é 100% confiável, até porque as plantas não leram as tabelas e podem ter mais o menos açúcar, os bichos podem ser mais ou menos gordos). Conselho?? PARE de contar coisas, que isso não é vida. Apenas siga isso:

    1) Cortar açúcar
    2) Eliminar grãos
    3) Evitar raízes ("tubérculos")
    4) Optar por comida de verdade
    5) Não consumir azeites extraídos de sementes
    6) Perder o medo da gordura natural dos alimentos.


    2013/6/28 Disqus

    ResponderExcluir
  60. Maria Aparecida F Alves28 de junho de 2013 23:23

    Obrigada doutor, o senhor é um querido! E tem toda razão quanto a desencanar de ficar contando calorias, carbos e tudo mais, só precisamos nos ater á comida de verdade. Comida esta que parece ter me livrado de uma bendita infecção urinária com a qual eu volta e meia me deparava, isso graças às preciosas informações do seu blog.

    ResponderExcluir
  61. Gustavo Garcia Ribeiro8 de janeiro de 2014 11:33

    O pensamento que mais me atormenta é: Como faço para este tipo de conhecimento entrar na cabeça das pessoas??
    Sensação de que sei de algo que o mundo precisa saber, mas o mundo não vai acreditar em mim...

    ResponderExcluir
  62. Faz um blog :-)

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 08/01/2014 11:33, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  63. Olá Meirelane

    Seu organismo está se adaptando às boas gorduras, é normal sentir-se mal no começo. Essa sensação de 'ânsia' pode ser o ponto de saciedade.

    Acrescente mais manteiga ou óleo de coco, nata, creme de leite nestlê de lata, cacau em pó, canela, etc. Se ainda assim tiver fome, coma ovos com bacon, omelete, etc.

    Não é preciso estar em cetose para emagrecer. Não se preocupe com isso. Se preocupe em perder o medo das boas gorduras (abacate, éloe de coco, banha, azeite, manteiga, bacon). Sempre que sentir fome, COMA! Leia; http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2013/06/prezado-dr-souto-como-comer-mais.html

    http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2012/01/como-devo-comer-comida-de-verdade.html


    http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2012/01/quais-frutas-comer-e-em-que-quantidade.html

    http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2012/01/o-que-comer-no-cafe-da-manha.html

    ResponderExcluir
  64. Dr. Souto estou fazendo a Paleo e gostaria de saber se posso consumir inhame, macaxeira, batata doce e tapioca. Vejo em fotos e no livro sobre a dieta que estes alimentos são permitidos.

    ResponderExcluir
  65. Depende do seu objetivo. Emagrecimento? Tratamento de síndrome metabólica? Ou apenas saúde?


    2014-03-27 8:35 GMT-03:00 Disqus :

    ResponderExcluir