quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Introdução à dieta paleolítica - Mark Sisson

Mark Sisson é um dos luminares do movimento "primal / páleo". Seu blog, Mark's Daily Apple, é referência obrigatória nesta área. Quem fornece seu email passa a receber não apenas as suas novas postagens, mas também uma sequência de 7 "Lições" sobre páleo, um email por dia, como se fossem aulas.

O primeiro e mais importante livro de Mark Sisson é The Primal Blueprint, que poderia ser traduzido por "Planta Baixa Primitiva, ou o O Projeto Primitivo do ser humano".

Após as recentes postagens mais "filosóficas", inauguro 2013 com a tradução do primeiro email da série. Feliz 2013 a todos.

Aula No.1 - Primal Blueprint - Mark Sisson
Tradução: José Carlos Souto

lionVou lhe fazer uma pergunta, e eu quero sua resposta instintiva. Responda rápido!

Com o que você alimenta um leão?

Carne.

Carne é obviamente a resposta certa. Você alimenta um leão com carne crua. Creio que até o vegetariano mais ardente admitiria que um leão deve comer carne.

Mas por que eles "deveriam" comer carne? Como nós determinamos o quê um ser vivo deveria comer?

Obviamente, leões são predadores. Eles caçam e comem animais quando na vida selvagem. Mas não é só isso.

Leões caçam e comem animais, e eles e seus ancestrais felinos têm feito isso por centenas de milhares de anos, até mesmo milhões de anos. ESTA É A CHAVE.

Caçar, matar e comer carne crua moldou a evolução dos leões por muitos milhões de anos. A constituição genética do leão foi esculpida comendo carne. Seus dentes e garras são feitos para matar, seu trato digestivo é feito para processar proteínas e gordura. Você poderia mesmo dizer que os genes de um leão esperam por uma dieta de carne crua como a de seus ancestrais, e funcionam melhor com ela. Ao contrário, uma dieta que divirja dramaticamente da dieta ancestral será provavelmente prejudicial, com o grau de dano sendo proporcional ao grau de divergência. Uma dieta vegetariana deixará seu leão doente, fraco, e provavelmente gordo; uma dieta vegana provavelmente o mataria.

Ninguém argumentaria contra alimentar leões com carne crua, e qualquer um que entenda a Seleção Natural (e, como alguém que assina esta newsletter, tenho certeza que você entende) concordaria que leões funcionam melhor com uma dieta de carne crua pois evoluíram com uma dieta de carne crua.

Isto funciona com outros animais, também. Vacas comem grama, não carne. Gatos, estes pequenos leões domésticos, comem carne, não grãos e vegetais.

E humanos? Humanos comem nuggets, refrigerante, e pão branco. Espere! (som de disco arranhando). Isto não está certo.
Humanos são animais também. Podemos ser relativamente novos neste planeta, mas já estamos aqui há uns bons 200.000 anos, e nossos ancestrais há milhões de anos. E, por uns bons 190.000 destes anos, éramos caçadores-coletores, vivendo da terra; caçadores de grandes animais que se fartavam dos mesmos e de plantas.

Então, desenvolvemos agricultura, e pelos próximos 9.900 anos, grãos dominaram a dieta humana.

100 anos atrás, os alimentos foram industrializados, dando-nos o óleo vegetal, gorduras trans, farinha branca e açúcar baratos.

Bem, podemos não saber exatamente o que nossos ancestrais paleolíticos comiam no seu dia a dia. Não temos seus menus ou diários nutricionais. Mas com certeza sabemos o que ele não comiam.

Nossos ancestrais não comiam grãos, legumes (vegetais que crescem em vagens), açúcar refinado e óleos vegetais processados.

O problema com as pessoas é que nós somos espertos o suficiente para explorar cada coisa oferecida pelo mundo natural. Nós não nos atemos a uma única fonte de alimentos, como o leão e sua carne ou as vacas e sua grama. Nós diversificamos. Nós pegamos vegetação comestível, nós caçamos animais grande e pequenos, nós comemos peixes, nós desenterramos raízes comestíveis, e nós catamos frutas vermelhas em arbustos. A grande variedade disponível torna difícil determinar uma dieta evolutiva específica para os humanos... Mas isto não nos impede de saber o que NÃO estava disponível.

Eis o que sabemos:

Grãos, feijões e legumes não eram disponíveis até o desenvolvimento da agricultura cerca de 10 mil anos atrás. O registro fóssil sugere que a saúde humana sofreu um baque com o advento da agricultura, tanto quanto pode-se deduzir do estudo dos ossos. Os agriculturalistas eram mais baixos, tinham mais cáries, cérebros menores e ossos mais frágeis que os caçadores-coletores. E a expectativa de vida também caiu.

Xarope de milho com alta frutose e óleos vegetais só foram disponibilizados nos últimos 100 anos - o xarope de milho há apenas 30 e poucos anos. Hoje, as pessoas são mais gordas, mais diabéticas e têm mais câncer e doença cardíaca do que as pessoas que viviam 100 anos atrás, mesmo quando você leva em conta as diferenças de expectativa de vida. A maioria, se não todas essas doenças, são diretamente atribuíveis ao nosso estilo de vida e dieta modernas.

Se você aceita que a biologia dos animais, como os leões, funciona melhor sob suas dietas ancestrais e evolutivas, o mesmo 
não seria provavelmente verdadeiro para os humanos?

Não deveríamos olhar com mais cuidado, de forma um pouco mais cética, para as comidas que passaram a estar disponíveis para os seres humanos apenas nos últimos 10.000, 1000 e 100 anos? E, quem sabe, as carnes, peixes, aves, nozes e sementes, frutas, raízes e tubérculos que estavam disponíveis para os caçadores-coletores por milhões de anos possam, em verdade, ser bons para nós?

Isto é o que eu chamo de “lógica de Grok”.

Picture4 11
Grok - meu nome jocoso para nosso ancestral caçador-coletor arquetípico - Grok somos nós.

Nós somos Grok. Bem, ao menos nossos corpos querem ser. Nosso genes certamente “pensam” que nós ainda estamos caçando e coletando, pois eles pouco mudaram nos últimos 10.000 anos. Nossos genes esperam por certas coisas, certos alimentos, certos níveis de atividade, certas quantidades de sono. Eles funcionam melhor quando expostos a condições iguais ou similares àquelas sob as quais evoluíram.

E há uma coisa importante sobre os genes. Eles podem ser ligados ou desligados, ou, mais tecnicamente falando, eles podem ser “expressados”. Só por que você tem um gene, digamos, para câncer de mama ou diabetes tipo 2, não significa que você esteja destinado a desenvolver câncer de mama ou diabetes tipo 2. Simplesmente significa que, na dependência de algum estímulo em seu ambiente, este gene irá ativar-se (ou desativar-se) e você terá uma chance maior (ou menor) de desenvolver a doença.

A isto se chama expressão genética

As coisas que comemos, a quantidade de sono que temos, nossos níveis de stress, o quanto nos exercitamos, se nos expomos ou não à luz solar - todos estes fatores ambientais podem estimular a expressão genética - para melhor ou pior. E, porquanto quase qualquer coisa que façamos possa estimular a expressão dos genes, a lista de coisas a que realmente devemos prestar atenção é bem curta. De fato, ela pode ser resumida a 10 leis simples (leia mais sobre as 10 leis - 10 primal blueprint laws - aqui)

É por isso que eu gosto da lógica de Grok como ponto inicial quando penso sobre a saúde humana. Ela resume-se a uma observação bem simples. Quando os humanos começaram a divergir do estilo de vida de seus ancestrais caçadores-coletores, sua saúde sofreu. Quando os alimentos industrialmente processados passaram a substituir nossa comida natural, a saúde sofreu mais ainda.

Hoje, as pessoas obtém a maior parte de suas calorias de grãos refinados, açúcar, e óleos vegetais. Elas sujeitam-se a estresse crônico, levam vidas sedentárias, trabalham em empregos que odeiam, e vivem em ambientes fechados. Hoje, as pessoas têm mais diabetes, doença cardíaca, câncer e obesidade do que nunca antes.

Correlação? Com certeza.
Coincidência? Duvido.
Causalidade? Creio que vale a pena investigar esta possibilidade.

Em lições futuras, começaremos esta investigação. Investigaremos as muitas formas em que o estilo de vida moderno diverge de nosso passado evolutivo, e como nossa saúde sofre em função disso. Tudo, desde a comida que consumimos, os calçados que usamos, o protetor solar passamos, as cadeiras nas quais sentamos, os exercícios que fazemos (ou não fazemos) - tudo faz parte.

Creio que você aprenderá muito sobre como recuperar a sua saúde - e a dos seus - seguindo sua Planta Baixa Primitiva e estimulando positivamente a expressão genética, e penso que você irá adorar aquilo que aprender.

Fique ligado para a lição No. 2.

Mark Sisson


55 comentários:

  1. Olá Dr!
    Conheci o seu blog a poucos dias e gostei bastante de suas idéias. O ano passado perdi 23 kilos a custa de muita proteína, verduras e poucos carboidrados integrais ( meus carboidratos passaram a ser arroz negro no máximo 50 gramas no almoço e 30 gramas de aveia no café.
    Concordo com muitas coisas sobre a dieta low carb e paleolitica,e estou disposta a seguir ela
    No entanto quero seguir a dieta Atkins durante 2 semanas para perda acelerada de peso pós festas já que extrapolei. Gostaria de saber se whey protein com nata é permitido nessa fase de indução e tb se pêssego natural (não em calda) com natas tb pode ser consumido nessa fase.
    Outra coisa que deve ser ruim é o hálito por estar em cetose, como posso mascarar o mal hálito ?
    Obrigada e parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carla: parabéns pelo sucesso! Se vc pretende seguir Atkins, compre o livro. Na indução não são permitidas frutas. O hálito não é um problema tão comum, mas às vezes um spray de menta ajuda.

      Minha sugestão? Se vc já teve tanto sucesso fazendo do seu jeito, por que inventar? Apenas retire o arroz e a aveia, e só abandone o pêssego se você não conseguir perder peso. Não vejo por que cortar os carbs além do necessário, certo?

      Excluir
    2. Então Dr, eu estou no chamado efeito " plato" e sinto que algo deve ser mudado na dieta. Ao longo de 2012 fiz ciclos de dieta quando via que o peso estacionava fiz jejum pulando o café da manhã, aeróbico em jejum, muitas vezes oortei carbo no café da manhã outras vezes ciclava carboidratos no jantar e eu via que meu organismo reagia bem a mudanças de regime e depois voltava a perder peso
      O arroz e a aveia já tirei desde que conheci o seu blog e sinto-me desintoxicada, é incrível como a eliminação desses dois alimentos causam uma sensação de bem estar no organismo, antes eu parecia que inflava.

      Tenho uma dúvida: Em uma dieta com eliminação de grãos e farinhas posso consumir nata sem limite?? Fico um tanto assustada em saber que nata pode ser consumida, minha dúvida é se tem alguma restrição em relação a quantidade.

      Excluir
    3. Carla, neste sentido, sim, fazer umas 2 semanas de zero-carb e depois alternar com low carb pode ser interessante - é preciso experimentar!

      Ilimitado é uma palavra forte. É difícil consumir nata em excesso, para a maioria das pessoas. Dito isso, bem, é um alimento muito calórico. Embora calorias sejam algo secundário, não são irrelevantes. Ou seja, se vc comer 4000 calorias de nata pura todos os dias, mesmo sem resposta insulínica, você vai engordar (muito menos do que se fossem 4000 calorias de amido, é claro).

      Você está no caminho certo, que é a autoexperimentação. Minha ideia é a de que páleo é a dieta humana ideal. O default para o qual devemos retornar depois de aloprar com Atkins, jejum intermitente, Carb Nite, etc. Mas é importante mudar um pouco, periodicamente.

      Excluir
    4. Dr.
      Ao ler seu blog vi que em um dos comentários vc indica um site de livros usados em que vende o livro do Dr.Atkins, poderia indicar esse site ?
      obrigada

      Excluir
    5. http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2012/12/livros.html

      Excluir
    6. O link está no meio da postagem acima, mas vou lhe facilitar: http://www.estantevirtual.com.br/q/robert-c-atkins-a-nova-dieta-revolucionaria-do-dr-atkins

      Excluir
    7. Dr,
      Mais uma pergunta, vc já ouviu falar de um adoçante chamado xylitol ?? Acha que ele se enquadra na dieta low carb? Qual seria o adoçante mais indicado para utilizar sem o comprometimento da dieta ?

      Excluir
    8. Sim. O Xylitol é uma excelente alternativas para fazer doces low carb (não exatamente páleo - não havia Xylitol no paleolítico). É um poliol que tem muito pouco impacto na glicemia. Mas eu nunca encontrei para vender no Brasil.

      Excluir
    9. Em low Carb, ciclamato, sacarina, sucralose, estevia... Em páleo, talvez a estévia.

      Excluir
    10. Oi,Dr!
      O xylitol realmente não é vendido no Brasil,mas dá para comprar em sites americanos que entregam por aqui. Um bom site é esse www.iherb.com

      Excluir
  2. Olá.

    Só um breve comentário. Apesar do "Primal Blueprit" do Mark Sisson se assemelhar bastante ao "movimento paleolítico", não podemos considerar as duas coisas como iguais; logo, não seria o idela chamar Mark Sisson de um dos luminares desse "movimento".

    As diferenças entre o Primal e o Paleo, mas que não em número, são bastante significativas e importantes.

    De qualquer maneira, parabéns pela iniciativa de transmitir informações valiosas na nossa língua. Se puder citar Mark Sisson mais vezes também seria interessante, já que as ideias e conceitos desse cara são realmente muito bons.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tá bom, tá bom... Olha, eu acho as diferenças cosméticas. E, tendo em vista que ambas abordagens são ótimas e que, frente ao senso comum, ambas tem MUITO mais semelhanças do que diferenças, eu tendo a passar por cima.

      Mas, para o leitor que quiser saber, páleo (no Sentido que Loren Cordain usa) tem mais medo de gorduras e de laticínios. Primal adota mais laticínio (queijo) e mais gorduras.

      Mas tudo isso se torna irrelevante perto do principal: cortar o açúcar, os grãos e os alimentos processados - é o que unifica ambas abordagens. O resto é, como disse, secundário.

      Quem lê este blog já sabe para que lado me inclino, não é mesmo?

      Excluir
  3. DR Souto,venho aqui parabenizá-lo pelo seu blog,estou seguindo-o desde o inicio do ano passado,vinha lutando com as dietas tradicionais.Não conseguia perder os 7 quilos que ganhei(parei de fumar).Com a dieta Paleo me adaptei super bem e consegui perder os quilos e mais alguns.Só aos domingos que dou ema escorregada(cervejinha)Mas na segunda ja sigo direitinho,nem lembro mais do gosto do arroz e do pão(que foram sofríveis no inicio).
    Venho aqui lhe fazer uma pergunta doutor,pois pesquisando na net fiquei com muitas duvidas...
    Trato o meu filho há cinco anos com deficit de atençao(ritalina)Hoje ele tem 12 anos,as vezes fico tentada a dar uma modificada grande na alimentação dele(cheia de carboidratos)mas encontro obstáculos na familia,o senhor acha que vale a pena tentar?Queria muito tirar esse remedio da vida do meu filho,pois essa medicação tem muitos efeitos colaterais,como tristeza e falta de apetite.Sei que esse blog não era para consulta mas gostaria muito de perguntá-lo e irei entende-lo perfeitamente se não puder responde.Muito obrigado doutor
    Christiane

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Christiane: parabéns pelo seu sucesso.

      Há estudos (prospectivos, randomizados) indicando benefício de dieta páleo para Déficit de Atenção/hiperatividade. Veja aqui: http://www.paleomental.com/2011/03/low-carbgluten-free-helps-with-adhd-in.html

      O filho é seu, e não dos outros. Se vc e seu marido concordam com a abordagem, não vejo por que não tentar. Que sociedade bizarra essa nossa, na qual é considerado normal uma criança tomar uma droga com uma série de para-efeitos, mas é visto com suspeita alguém remover glúten, guloseimas e produtos processados e introduzir alimentos naturais... Que MAL pode advir disso?

      Excluir
    2. Obviamente, não retire a medicação sem falar antes com o médico dele. Mas mudar a alimentação para melhor - para isso vc não precisa de autorização de ninguém.

      Excluir
    3. Muito obrigado doutor,vou tentar mudar a alimentação dele sim.Esse link pelo que vi é em inglês,idioma que não domino.Vou pesquisar mais.Ele agora está de ferias e sem medicação,está tranquilo,as vezes pelos relatos que leio tenho dúvidas até desse diagnóstico .Ele uiliza a Ritalina somente no período escolar e a dosagem dele é bem forte(LA 40 mg).Ele não tem problemas de hiperatividade,somente de foco,mas ainda estou como mãe bem insegura.Agradeço muito de coração

      Excluir
  4. Oi doutor!
    Mais uma vez aqui. Eu já disse antes, mas apenas para pontuar, eu sigo Atkins, já li todos os livros a respeito, participo de um grupo no yahoo que leva a sério a discussão sobre essa dieta, mas uma coisa ainda não consigo entender, a questão das frutas, da frutose. Veja muitas vezes já comi carbos depois de longos períodos seguindo a parte mais restritiva de Atkins que é a indução e parece que o choque causava uma perda grande, bastava pesar no dia posterior, já as frutas em especial a bendita melancia e o abacaxi é diferente. Não chego a ganhar, mas me estufa, não sei se é impressão mas hj me parece até de difícil digestão.

    Eu queria saber sobre a digestão da frutose em especial nessas duas frutas. E tb se eu tiver de escolher entre uma ou outra qual seria a menos pior, digamos assim para a dieta que faço. Existe algum alimento que consumido com elas ou antes ou depois que ajude a diminuir a absorção da frutose? Ten algum jeito, mesmo que esporadicamente continuar consumindo?

    Aqui no RJ já estamos há dias com temperaturas acima de 40 graus e essas frutas geladinhas são meus únicos pecados, ainda. Pão, refinados, massas, açúcar passo muito bem sem, mas abacaxi e melancia são a minha perdição!!!

    Muito Obrigada
    Andrea



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Andrea. A frutose é um açúcar simples. Diferente de sacarose (um dissacarídeo formado por frutose e glicose) ou da lactose (um dissacarídeo formado por glicose e galactose), a frutose é uma única molécula de um açúcar simples. Portanto, ela não é digerida, e é absorvida intacta. Daí em diante, é só desastre. Ao contrário da glicose, que pode ser metabolizada por QUALQUER célula do corpo, somente o fígado é capaz de metabolizar a frutose. E a frutose é preferencialmente transformada em gordura pelo fígado, provocando fígado gorduroso e resistência à insulina.

      Mas a maior fonte de frutose não são as frutas, é o açúcar (como já disse, o açúcar - sacarose - é metade frutose). Nosso fígado está preparado para metabolizar uma pequena quantidade de frutose (e de álcool, e de outras toxinas). Ou seja, ninguém desenvolve resistência à insulina por comer frutas: as pessoas adoecem pelo açúcar que consomem (puro e misturado nos alimentos industrializados). Mas, DEPOIS que você já adoeceu por décadas de exposição ao açúcar, seu metabolismo está, como diz o Mark Sisson, quebrado. Significa que você nunca vai pode comer a quantidade de frutose que poderia se nunca tivesse ficado resistente à insulina antes.

      Então, trate a frutose como você trata o álcool (aliás, o Dr. Robert Lustig argumenta que são quase iguais): controle de porções. E se um dia der vontade de comer (beber) demais, faça-o de forma consciente, sabendo que depois vem a ressaca.

      Excluir
    2. É Doutor, infelizmente vou ter que abolir a frutose da minha vida, não tem jeito. É certo que com tanto tempo moderando a alimentação a necessidade/vício vai diminuindo, mas esse calor não ajuda.

      Só mais uma dúvida, pq as frutas vermelhas são aceitáveis nessa dieta, o que elas tem de diferente?

      Outra dúvida: é verdade que quem faz uso da metformina poderia consumir um pouco mais de carboidratos pq estes não seriam absorvidos?


      Muito Obrigada!
      Andrea

      PS: Eu o convido a visitar meu blog que embora se trate de Atkins tem matérias suas devidamente linkadas, claro! http://atkiniana.blogspot.com.br/

      Excluir
    3. Oi. É apenas porque têm pouco açúcar. 1 morango = 1g de açúcar. 1 banana = 25g.

      Metformina diminui a resistência à insulina e diminui a gliconeogênese, não tem nada a ver com absorção. Se sua glicose está bem controlada com Atkins, não há por que usar.

      Ei, SENSACIONAL a matéria da Veja-Rio que vc postou no seu Blog. Vou postar ainda hoje!

      Excluir
  5. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpa, Andrea, deletei o comentário sem querer.
      Era o seguinte:

      "Ah! Entendi, então o açúcar das frutas é o que conta. Com isso a melancia dança bonito. Que pena, rsss

      Mais uma vez obrigada pelo destaque ao meu blog e por divulgar essa ótima matéria!

      abrs
      Andrea
      Com Atkins baixei de 124 para 106 a glicose em 2 meses de dieta e vou baixar mais. A médica queria que eu tomasse esse remédio, mas já aprendi que uma boa dieta faz milagres! "

      Amén!

      Excluir
  6. oi doutor adorei seu blog .entau eu ja fiz a dieta do atkins, consegui chegar no me objetivo, so q eu relaxei e volte a engordar mais agora tou com 68kg eu preciso voltar aos meus 50kg mais ou menos por motivo de saude.Eu li num blog de q quem ja fez essa dieta e volta a fazer naum da mais resultado sera!!! por favor vc poderia me orientar. muito obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá. Não é verdade. Funciona sim. O que ocorre é que, à medida que ficamos mais velhos, fica mais difícil perder peso. Então, a pessoa faz Atkins aos 30 e perde com facilidade. Depois tenta aos 45 e tem dificuldade. Mas ainda não inventaram uma maneira melhor de perder gordura com saúde do que cortar açúcar e farináceos e fazer alguma atividade física.

      Excluir
  7. Olá doutor, gostaria de ouvir sua opinião sobre o meu caso. Tenho 20 anos, nenhum problema de tireóide, e engordei 20kg durante um período que morei fora do país por pura compulsão e ansiedade. Tento desde que cheguei, há seis meses, emagrecer o que ganhei. Mas em vão. No início, malhava 5 dias por semana e fazia uma restrição calórica de 1.200 cal/dia. Que não funcionou: depois de dois meses na exaustão, física e mental, perdi apenas 2kg. Fiz uma nova tentativa com a dieta low carb. Consumo 20g de carboidratos por dia, como na indução de atkins. Não funcionou. Depois de um mês, perdi 0kg. Tentei ainda uma low carb mais "liberal" contabilizando 25g de carbos por dia e incluindo oleaginosas. Mas durante um mês assim, perdi 0kg. Não sei mais o que fazer. Minhas medidas não diminuiram, evito a maltodextrina e não tomo medicamentos que possam comprometer a dieta. Obrigada pela sua atenção e parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Complicado este seu caso. Há outras coisas que podem influenciar, além da dieta. Qualidade do sono é uma delas - há vários estudos indicando que sono ruim pode dificultar o emagrecimento (alguns mecanismos são citados nesta postagem: http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2012/12/para-alem-da-insulina.html). Diga-se de passagem, não há nada de liberal em 25g de carbs. O estresse é outro problema, pois o cortisol continuamente elevado trabalha contra o emagrecimento.

      Às vezes, em casos resistentes onde já se tentou de tudo, uma boa alternativa pode ser o jejum intermitente. Não uma privação crônica de calorias (como sugerem em geral os nutricionistas), mas uma dieta low-carb páleo com Jejuns intermitentes uma ou mais vezes por semana (2 ou 3x pr semana pulando o café da manhã ou 1 a 2x por semana com uma única refeição). Isto pode ser o pontapé que falta para produzir as alterações hormonais necessárias para iniciar a perda de peso.

      Leia esta postagem: https://www.marksdailyapple.com/fasting-weight-loss/

      Excluir
  8. Olá doutor
    Iniciei a dieta antes do natal... emagreci 3 kilos em uma semana !!! Sabia que nessa epoca seria dificil resistir as tentações , então meu objetivo era não engordar...Apos o Ano Novo me pesei e mesmo cedendo "moderadamente" as tentações não engordei. Retomei a dieta mas nesses ultimos dias não emagracei quase nada. O que pode ter acontecido???
    A unica dificuldade que estou encontrando é o cafe da manha... já tentei comer ovo, mas não desce... e olha que eu adoro ovo, mas não de manha!!!
    vi várias receitas de pão para a fase de indução, mas levam farelo de trigo, farinha de aveia, e outros farelos, gostaria de saber se pode usar esses farelos?

    Muito obrigada....

    Feliz 2013 e Deus te abençõe e te condições para continuar a nos orientar dessa forma tão atenciosa e carinhosa !!!

    Feliz 2013 !!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá. Obrigado.

      O que você pergunta está respondido nesta postagem: http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2012/11/expectativas-versus-realidade.html

      Repito, abaixo:

      "A perda de peso rápida, muito comum nos primeiros dias de dieta low carb, consiste em glicogênio e água, não gordura. O glicogênio é a forma em que o corpo armazena glicose. E cada grama de glicogênio liga-se a 4 gramas de água. Assim, não é incomum que se perca 2 a 6 Kg em poucos dias ou poucas semanas no início de uma dieta low carb devido à eliminação de glicogênio e água, além de um pouco de gordura."

      "Uma vez que ocorra esta perda inicial muito rápida de peso, há uma sensível diminuição da velocidade de perda de peso - a partir de agora, começa a perda de gordura propriamente dita"

      "De uma forma geral, há uma perda rápida nas primeiras semanas, uma perda lenta após, que culmina com a estabilização do peso após 6 meses."
      "A velocidade MÉDIA de perda de peso após o primeiro mês é da ordem de 500g por semana"
      "Quanto maior o excesso de peso no início da dieta, maior a perda de peso em quilos"
      "Quanto mais perto de seu peso ideal, mais lenta e difícil é a perda de peso - e esta perda pode NUNCA chegar ao peso ideal (pelo menos não ao peso que você definiu como o sendo o seu ideal)"

      Excluir
    2. Prefiro farinha de coco ou de amêndoas para as receitas, mas pode experimentar com essas outras.

      Veja também esta postagem, que sugere simplesmente pular o café da manhã (depois de estar cetoadaptado): https://www.marksdailyapple.com/fasting-weight-loss/

      Excluir
  9. Bom dia Dr. Jose Carlos,

    Excelente o seu blog, conheci na última sexta-feira e desde então não consigo parar de ler, muito bom mesmo. Estou com algumas dúvidas, tenho interesse em uma consulta, você atende?
    Com relação dieta primal/páleo, já foi considerado a expectativa de vida? Porque nossos ancestrais tinham uma expectativa de vida baixa, tem registros de doenças dessas civilizações antigas?
    Também tenho outra dúvida, sobre a dieta que você defende, acredita ou segue. O que seria melhor Atkins ou Mark Sisson?
    Você usa algum tipo de farinha ou nenhuma? Não achei no blog uma sugestão de cardápio, e também fiquei curiosa com relação ao seu cardápio.

    Obrigada!
    Daniela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado. Sim, foi considerado. Os nossos antepassados, com o surgimento da agricultura, passaram a viver MENOS do que os SEUS antepassados. Eu sigo mais Mark Sisson do que Atkins. Mas, digamos, uma versão um pouco mais low carb da dieta dele (menos frutas, quase nunca batatas).
      Leia: http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2012/12/atkins-ou-nao-atkins.html

      Não uso nenhum tipo de farinha, mas já usei no passado (de amêndoas e de coco).

      O cardápio é comida de verdade: http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2012/01/como-devo-comer-comida-de-verdade.html

      Cardápio típico:

      Café da manhã: omelete com vegetais, café preto com nata

      Almoço: Carne (moída, bife, frango, almôndegas, etc) com salada.

      Janta: mesma coisa

      Não tem mistério. Se eu como fora, como alguma carne (gado, aves, peixe) e salada. Simplesmente não tem mistério.

      Ainda sobre expectativa de vida, leia: http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2013/01/entrevista-com-staffan-lindeberg.html

      Os povos aborígenes tem uma expectativa de vida MÉDIA baixa por causa da mortalidade infantil. Mas os que chegam à idade adulta vivem até uma idade avançada, e COM SAÚDE.

      Excluir
  10. Agradeço muito sua contribuição e lhe digo que comprovei essas coisas sozinha, percebendo os alimentos que me faziam mal, me engordavam e me davam uma espécie de febre (fibromialgia). Parei com todos os remédios.

    ResponderExcluir
  11. Dr. farinha de arroz sem glútem pode?

    ResponderExcluir
  12. Engorda igual (é amido), mas vai te matar bem mais lentamente.


    2013/8/14 Disqus

    ResponderExcluir
  13. Pior que comprei essa porqueira. Vai para o lixo.

    ResponderExcluir
  14. Dr, farinha de amêndoa pode ser usada? Tipo uma colher de sopa pra fazer um bolinho? Desconfio pq meu bolinho de ovo, nata e cacau ficou MUITO fofinho, parece ate que usei os mesmos ingredientes de um bolo convencional!!

    ResponderExcluir
  15. Pode sim!


    2014/1/16 Disqus

    ResponderExcluir
  16. Doutor mudei a menos de uma semana para a dieta , estou ingerindo restritamente os alimentos de "verdade" e sinto que minha medida de gc está aumentando é momentâneo ou será que é só impressão? faço aerobico todos os dia e treino na academia tambem

    ResponderExcluir
  17. Olá Gabriel,

    uma semana?? é impressão sim!

    A relação entre exercícios
    físicos e emagrecimento é hormonal e não de queima gordura. O exercício físico
    aumenta o GH (que promove a perda de gordura), aumenta a sensibilidade a
    insulina (ou seja, ela vai ser menos necessária e irá diminuir). E ainda, com o
    aumento da massa magra a taxa metabólica basal também aumenta.



    Sobre exercícios físicos: http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2013/06/prezado-dr-souto-exercicio-sem.html

    http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2013/07/exercicio-e-emagrecimento.html

    http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2012/12/exercicio-sim-mas-nao-o-que-lhe.html

    http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2011/12/por-que-o-exercicio-fisico-tambem-nao.html

    ResponderExcluir
  18. Dr. Souto.Dizem que a dieta Frugivora do Douglas Graham faz perder bastante peso.Qual é a sua opinião.Obrigado.

    ResponderExcluir
  19. Que é péssima no longo prazo (horrores de açúcar). Qualquer dieta restritiva faz perder peso no curto prazo.

    2014-02-11 14:02 GMT-02:00, Disqus :

    ResponderExcluir
  20. Só verdades! Quem pensa o contrário , vai totalmente contra nossa fisiologia! Vi um cara que segue a dieta paleo e emagreceu 32 kg falando uma frase que me fez pensar e muito :" Nunca vi ninguém comer 10 ovos de uma vez, mas já vi comer 10 pães!" É uma realidade, a dieta primal, te dá saciedade e energia, estou a 13 dias neste estilo de vida, nem chamo de dieta, e já nem ligo pros lixos que antes comia compulsivamente! Este blog está me ajudando a mudar minha vida e voltar ao meu cormo original!

    ResponderExcluir
  21. :-)

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 17/02/2014 11:56, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  22. Douglas Teócrito de Aquino16 de abril de 2014 14:31

    Olá, pessoal. Como faço para ler a lição 2 ?

    ResponderExcluir
  23. Caixa de busca

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 16/04/2014 14:31, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  24. Nathalia, passa a receita desse bolinho!

    ResponderExcluir
  25. Cristofer Machado22 de maio de 2014 09:38

    Olá comecei a dieta recentemente, porém ainda tenho apreensão com alguns aspectos como, por exemplo, a dieta pode causar problemas de circulação?

    ResponderExcluir
  26. lowcarb-paleo.blogspot.com/2013/09/o-mais-alto-nivel-de-evidencia.html http://lowcarb-paleo.blogspot.com/2013/10/a-midia-se-rende-iii-gordura-saturada.html
    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 22/05/2014 09:38, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  27. A base da minha dieta paleo low carb é ovos, nozes, farinha de coco, whey protein, abacate e coco e café. Esta correto?

    ResponderExcluir
  28. Não creio. Falta peixe, falta salada, falta carne, e mais salada ainda.
    Sent from mobile phone
    Em 22/08/2014 19:49, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  29. Elucidativo!

    ResponderExcluir