domingo, 3 de março de 2013

O açúcar causa diabetes

Intuitivamente, no fundo, todo mundo já sabia. Diabetes é definido por um excesso de açúcar no sangue. Obviamente, o primeiro culpado a ser considerado deveria ser o consumo de açúcar. Mas a intuição é falha. A gordura na dieta, por exemplo, leva a à perda de gordura, e à diminuição da gordura no sangue.

John Yudkin já havia conduzido grande quantidade de estudos desde a década de 1950 que apontavam para o açúcar como causador de diabetes, resistência à insulina e obesidade.

No entanto, o Lobby da indústria do açúcar fez de tudo para financiar estudos epidemiológicos que contradissessem esta mensagem. Para quem lê inglês, não deixe de ler este artigo de jornalismo investigativo sobre o Lobby do Açúcar.



Pois bem, nosso já conhecido Robert Lustig é um dos 4 co-autores de um novo estudo que caiu como uma bomba esta semana. O estudo mostra que as evidências implicando o açúcar na gênese do diabetes são tão fortes quanto as que implicam o cigarro na gênese do câncer de pulmão.

Ou seja, o mundo científico não pode mais negar que as calorias não são todas iguais. 100 calorias de açúcar (uma barra de cereal, por exemplo), não são a mesma coisa que 100 calorias de um ovo. A barrinha de cereal e outras coisas açucaradas causam diabetes.

Segue uma tradução de um artigo do New York Times:

http://opinionator.blogs.nytimes.com/2013/02/27/its-the-sugar-folks/

ny times

É o açúcar, pessoal.
MARK BITTMAN 


O açúcar é, de fato, tóxico. Não é o único defeito da dieta americana padrão, mas está rapidamente ficando claro que é um dos maiores problemas.

Um estudo publicado no dia 27 de fevereiro de 2013 na revista científica PLoS One liga o aumento no consumo de açúcar com o aumento das taxas de diabetes em 175 países na última década. E após levar em conta muitos fatores de confusão, os pesquisadores descobriram que um aumento na quantidade de açúcar na alimentação de uma população estava ligado a maiores taxas de diabetes independentemente das taxas de obesidade.

Em outras palavras, de acordo com o estudo, não é apenas a obesidade que leva ao diabetes: o açúcar pode causá-la também, independentemente da obesidade. E a obesidade, por sua vez, nem sempre leva ao diabetes.

O estudo demonstra isso com o mesmo grau de confiança que ligou o cigarro ao câncer de pulmão nos anos 1960. Como Robert Lustig, um dos autores do estudo e endocrinologista pediátrico na Universidade da Califórnia em San Francisco me disse, "é impossível realizar um estudo no mundo real que pudesse ser mais conclusivo do que este".

O estudo controlou variáveis tais como pobreza, urbanização, idade, obesidade e atividade física. E controlou também o consumo de outros alimentos e as calorias totais. Em suma, controlou tudo o que era controlável, e satisfez os clássicos "critérios de Badford Hill" para o que é conhecido como inferência médica de causalidade: dose (quanto mais açúcar, mais diabetes), duração (se o açúcar está disponível há mais tempo, há mais diabetes), direcionalidade (não apenas o diabetes aumenta com mais açúcar, ele diminui com menos açúcar), e precedência (os diabéticos não passam a consumir mais açúcar; pessoas que consomem mais açúcar é que têm mais chance de tornarem-se diabéticas).

O ponto-chave deste artigo é "Cada aumento de 150 kCal/pessoa/dia em calorias totais correlacionou-se a um aumento de 0,1% em diabetes (não significativo), enquanto aumento de 150 kCal/pessoa/dia de açúcar (1 lata de refrigerante) estava associada com um aumento de 1,1% na prevalência de diabetes". Assim, para cada lata de bebida adoçada com açúcar adicionada por pessoa, por dia, no sistema alimentar de um país, a taxa de diabetes sobe 1%.

Isto é tão bom (ou tão ruim) quanto é possível em um estudo, a coisa mais próxima de causa e efeito, o mais próximo de uma arma do crime que jamais veremos. (para "provar cientificamente" a causalidade, você teria que controlar completamente a dieta de milhares de pessoas por décadas. É, tecnicamente, tão impossível quanto "provar" o aquecimento global ou os danos cerebrais dos boxeadores ou, sob este aspecto, os cânceres provocados pelo tabaco). E, da mesma forma que as companhias de cigarro lutaram, ignoraram, mentiram e escamotearam na década de 1960 (e, de fato, até os anos 1990), os proponentes do açúcar farão o mesmo.

Mas, como diz Lustig, "este estudo é prova mais do que suficiente de que o açúcar é tóxico. Agora, é hora de fazer algo a respeito".

Os próximos passos são óbvios, lógicos, claros, e são tarefa do FDA (agência americana que regula medicamentos e alimentos). A fim de cumprir sua missão, o FDA precisa responder a esta informação reavaliando a toxicidade do açúcar, chegando a um valor diário - quanto açúcar adicionado é seguro? - e idealmente removendo a frutose (a molécula "doce" no açúcar e que causa o dano) da lista de produtos "geralmente reconhecidos como seguros", pois é isto que dá à indústria a licença para continuar contaminando nosso suprimento alimentar.

Em outro front, duas semanas atrás cientistas e defensores da saúde liderados pelo Centro para a Ciência em Prol do Interesse Público fizeram uma petição pública ao FDA para 1) estabelecer limites de segurança para o consumo de açúcar e 2) reconhecer que açúcares adicionados aos alimentos, ao invés de ainda permanecerem na lista de "geralmente considerados seguros", deveriam ser declarados perigosos nos níveis em que são tipicamente consumidos (o FDA ainda não respondeu à petição).

Permitam-me resumir algumas coisas que o estudo do PLoS One esclarece. Talvez o mais importante, como vários cientistas têm insistido nos últimos anos, todas as calorias não são criadas iguais. Por definição, todas as calorias liberam a mesma quantidade de energia quando queimadas, mas nosso corpo trata as calorias do açúcar diferentemente, e esta diferença é danosa.

E, como Lustig lucidamente escreveu em "Fat Chance", seu convincente livro de 2012 que trata das causas de nossa crise de saúde induzida pela dieta, está-se tornando claro que a obesidade em si não é a causa de nosso aumento dramático em doenças crônicas. Ao contrário, é a síndrome metabólica, que pode atingir pessoas de peso normal assim como obesos. A síndrome metabólica é o resultado da resistência à insulina, que parece resultar diretamente do consumo de açúcar adicionado. Isto explica o porquê da pouca discussão no mundo científico sobre os estudos que dizem que o sobrepeso não irá lhe matar. Tecnicamente, estes estudos estão corretos, pois a obesidade é um marcador de síndrome metabólica, e não a sua causa.

E suma: não é simplesmente comer demais que pode lhe fazer doente; é comer açúcar demais. Nós finalmente temos a prova que precisávamos para um veredito: o açúcar é tóxico.

52 comentários:

  1. Dr., faço consumo de 60g de dextrose três vezes por semana para suplementação pós-treino com whey, visando hipertrofia. Embora fisiculturistas achem seguro, queria que o senhor desse sua opinião sobre os verdadeiros riscos disso. Como não faço uso de outros carboidratos de alto IG, não tenho picos de açucar outras vezes o que me faz realmente ficar mais tranquilo. É realmente preciso dose tão cavalar para o pico de açúcar anabólico que precisamos ou uma pessoa que pouco vê açucar na dieta como eu, teria esse pico com menos?

    ResponderExcluir
  2. A dieta TNT indica até 40g de carbo antes e 40g após o treino. Sempre com proteína nos casos.
    No entanto eles falam até em pão em certos momentos e sabemos dos males do trigo.
    Penso que trocar essa Dextrose por frutas será de bom tom mas gostaria de saber do Souto o q ele acha sobre o açúcar e seus apelidos (dextrose, gel, malto, etc...) ingeridos como suplemento face a essas novas descobertas.

    ResponderExcluir
  3. Divulgando! Muito importante!!

    ResponderExcluir
  4. Dr., boa tarde!

    Estou adorando o seu blog, é muito bem fundamentado, muito informativo.

    Comecei a procurar sobre alergia a alimentos, sintomas que tenho e outros que tive na infância e adolescência (problemas com baixo peso - apesar de hormônios com taxas normais -, gases, cólicas intestinais, aftas constantes, cáries - apesar dos cuidados -, infecções na garganta, gastrite, ovários micropolicísticos, cistos, falta de energia, sono não reparador).

    Em princípio, achei q o problema poderia ser apenas com o glúten, mas lendo mais cheguei até essa dieta e concluí que esse estilo de vida seria o melhor pra mim.

    Porém, como eu comentei, sou bem magrinha (1,69 m - 51 kg, isso pq estou na "melhor" fase, passei muitos anos pesando 45kg com essa altura) apesar de ter muita fome e comer bastante. O meu receio é que eu comece a dieta paleo e fique mais magra ainda. Isso pode acontecer? Tem algo que eu possa fazer para evitar?

    Obrigada

    ResponderExcluir
  5. Dr. Souto, postei esse comentário no post sobre insulina, mas como não sei se seu novo sistema de comentários te avisa por e-mail (ou qualquer coisa assim), resolvi publicar meu comentário aqui, até mesmo para que outras pessoas também possam ajudar.

    Sou hipoglicêmica desde mocinha (uns 14 anos), e DEPOIS da gravidez (não é durante!), passei a ter uma vontade louca de doces/carbos e passei a sentir MUITO SONO. Um sono fora do normal, tanto que procurei um neuro e estava em tratamento tomando AMATO todos os dias antes de dormir já há algum tempo.

    Desde que mudei meu estilo de vida e alimentação para lowcarb adaptado (pois não como grãos como soja, por exemplo e etc, enfim, optei por seguir seus conselhos e unir lowcarb + paleo), mas ainda sinto muito sono após o almoço. Não sei se estou fazendo algo errado.

    Estou no 8º dia da fase de indução (voltei nela dia 25/4), durmo uma média de 5 a 6 horas diariamente (impossível eu dormir mais que isso devido a minha rotina - bem que eu queria!). Desde que comecei lowcarb não preciso mais do remédio controlado para dormir e também me adaptei a não tomar mais café da manhã (janto às 18h30 ~ 19h no dia anterior).


    Hoje no almoço, por exemplo, comi uma omelete pequena (1 ovo, cebola, alho, 1 col. sopa de creme de leite, uma pitada de sal, 4 fatias de muçarela, 2 fatias de presunto) recheada com 1 col. sopa de molho de carne moída (carne, cebola, tomate) com creme cheddar (creme de leite + cheddar). Comi 1/2 tomate e 2 col. sopa de acelga.


    E mesmo assim, está impossível ficar com o olho aberto!!!! Desconfio muito que seja por causa da insulina! Dura cerca de 2 a 3 horas após o horário que eu como. Depois passa, e eu volto ao normal.

    O que pode estar acontecendo?

    ResponderExcluir
  6. Isso, eu também. Acho que frutas estão fora de cogitação, pelo menos para esse fim: a Dextrose é absorvida quase que instantaneamente, enquanto a frutose não está na lista dos açucares mais rapidamente absorvidos. No texto dele sobre a Whey, ele não também não menciona de maneira esclarecedora eu posicionamento quanto a essa suplementação para hipertrofia que faz uso de carboidratos de alto IG no pós-treino. Só fico receioso a essas malditas 60g recomendadas por oito em dez profissionais e gente que já é rodado na área. Não faço o consumo de açucar desse tipo na dieta e creio que com menos, dou o desejado pico de açucar no organismo. Vamos esperar um texto sobre isso aqui.

    ResponderExcluir
  7. ótimo artigo! no aguardo para o artigo sobre dietas pobres em gordura matarem mais =DD

    ResponderExcluir
  8. Olá Ivan, olá Luciano!

    Também tenho mil dúvidas sobre exercícios físicos, principalmente porque,nesse campo low carb páleo, não temos muitos profissionais pra nos ajudar. Precisar desse pico de açúcar acho que não precisa... Mas a questão é que cada organismo é único. Se vocês testaram e não viram resultado, parem! Vocês conhecem a Cláudia Vilaça? Aos 50 anos, competidora Body Fitness com uma dieta de BAIXO CARBO, estilo PALEO - PRIMAL, sem Glúten - sem Açúcar. Olhem!!! http://claudiafitblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Uma dúvida! Estive pesquisando sobre a dieta paleo e low carb e me deparei com algumas divergências nos sites. Alguns colocam o arroz como permitido, liberado, outras não. Qual o real problema do arroz? É o amido ou o glúten ou ambos? Alguns sites colocam o arroz branco como ideal então fiquei meio perdida com tanta informação desencontrada...

    ResponderExcluir
  10. Olá Paty.

    Isso de "permitido ou liberado" não é a questão. Permitido ou liberado pra que? Depende do seu objetivo. Replico aqui uma parte de uma postagem do Dr. Souto. " Meu objetivo é que as pessoas usem a cabeça e montem o cardápio que lhes dê o melhor resultado. Regras rígidas podem até ser mais fáceis de seguir num primeiro momento, mas são inviáveis no longo prazo - é preciso regras gerais, a partir das quais demos raciocinar e fazer nossas escolhas de risco e benefício.
    O que é preciso são apenas os princípios básicos:

    1) Açúcar faz mal e deve ser evitado;
    2) Glúten é tóxico e deve ser eliminado;
    3) Gordura natural dos alimentos não faz mal;
    4) Óleos de sementes não são aconselháveis;
    5) Amido se transforma em glicose no corpo;" http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2013/02/prezado-dr-souto-este-alimento-e.html


    Arroz é um carboidrato simples, pobre e de alto IG. Seu principal componente é o amido. Ou seja, vai virar açúcar no sangue rapidamente. Aí depende do seu objetivo com a dieta páleo / low carb. Se é somente para ter um estilo de vida mais saudável, coma com parcimônia seu arroz. Se quer emagrecer e consegue com o arroz, ótimo. Mas, se não consegue, tente cortar os carboidratos. Leia aqui: http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2012/01/como-devo-comer-comida-de-verdade.html

    ResponderExcluir
  11. Paty, completando...
    Arroz não tem glúten.
    O delicado dele é o excesso de carbo.
    ARROZ BRANCO COZIDO (Porção de 100 gramas)
    Carboidratos = 25,47 gramas
    Fibras = 0,49 gramas
    Assim... lembrando do conceito de que algo próximo da faixa de 30 a 50g de carbo/dia seria o limite de ingestão de carbo, comer arroz pode tirá-la facilmente desse objetivo.
    Eu ingiro quando faço etapa de recarga nos findi semana orientado pela Dieta TNT.

    ResponderExcluir
  12. OI, Patrícia.

    Vi o blog dela. Nesse campo a experimentação parece ser o grande caminho.
    Meu objetivo não é ficar grandão, busco só secar.
    Dessa forma, não tenho colocado carbo nem antes e nem depois, exceto de algumas frutas como morango e abacate.
    Já teve dias em que usei carbo antes e o rendimento foi maior, levantei mais peso, mas fiquei grilado com a ideia de que o pico de insulina atrapalha-se o emagrecimento, meu maior desejo.
    Assim, como quero continuar emagrecendo prefiro não usar carbos.
    Se mudar de objetivo vou testar mais prolongadamente e ver se gera acúmulo de gordura.
    Ainda gostaria de saber do Doctor sua opinião frente às novas descobertas sobre o açúcar.

    ResponderExcluir
  13. Katarina Ribeiro Peixoto6 de março de 2013 23:02

    Oi Souto. Passei aqui só para dizer que estes dois últimos posts sobre a comprovação dos males do açúcar são serviço público em acepção plena da palavra. E que o CNPq abriu linha de financiamento de pós-doc nos EUA e na Inglaterra, salvo engano hoje, para, entre outras coisas, estudos metabólicos! Go ahead! Thanks a lot, em tempo : - )

    ResponderExcluir
  14. Ivan, há várias formas de ver esta questão. Primeiro, acho questionável a real necessidade carbs para hipertrofia, ao menos em nível amador. Mas as opiniões estão espalhadas. Há o DiPasquali que recomenda carbos 1x por semana e low carb no resto da semana, há o TNT diet que recomenda carbos de uma forma semelhante à que você faz, embora em menor quantidade. Eu pessoalmente acredito que você poderia obter os mesmos benefícios com fontes alimentares de carboidratos, tipo uma batata doce, uma banana, etc. A Cláudia Vilaça consome zero carbs e obtém aos 50 anos resultados bem impressionantes (http://claudiafitblog.blogspot.com/)
    O açúcar (sacarose) é mais tóxico do que a maltodextrina, pois a maltodextrina é somente glicose, e a frutose da sacarose é muito pior.
    Também há que considerar que a maioria das pessoas que consome açúcar em estudos como o acima não vai treinar pesado antes ou depois, vai ficar com a bunda no sofá vendo TV.
    Fisiculturistas, em geral, não são exatamente modelos de saúde. O objetivo é aumentar a massa muscular e reduzir o % de gordura a qualquer custo. Se vc vir um sujeito muito grande, e ele lhe disser que o segredo é o whey com maltodextrina, fique cético. Parta do pressuposto de que os anabolizantes são os grandes responsáveis, e ALÉM disso o cara usa whey e maltodextrina - mas ele só vai lhe falar destes últimos 2. Com uma boa (e tóxica) dose de anabolizantes, o cara poderia tomar ou não tomar maltodextrina e não faria nenhuma diferença.

    ResponderExcluir
  15. Não gosto de comer nada cujo nome termine com "ose", pelo menos não em sua forma pura. Concordo 100% com o Luciano, e recomendo a compra do livro. Dentre as "oses", a frutose e a sacarose são as piores. Não se sabe o efeito do consumo de maltodextrina a longo prazo. Prefiro batata doce, que se come há alguns milhares de anos, vem com outros nutrientes saudáveis, e fica uma delícia com manteiga derretida.

    ResponderExcluir
  16. Olá. Como não é uma dieta de restrição calórica, você não vai minguar e desaparecer. Mas mantenha seu consumo de carbs saudáveis, tipo frutas e batata doce. E faça treino de resistência, com pesos de verdade. Essa é a forma certa de ganhar peso - não ganhar gordura. E, antes que você pergunte - homens, que têm testosterona circulando, têm dificuldade de ganhar bastante músculo treinando pesado, então para mulheres isso é quase impossível - ou seja, treino de resistência em mulheres não as deixa "grandes", as deixa firmes e definidas.

    ResponderExcluir
  17. Oi Letícia

    Eu acho que vc está no caminho certo, acho que ainda está muito cedo (pouco dias de mudança no estilo de vida), mas vc já nota algumas mudanças significativas. Com a dieta que você descreve, a culpa não é da insulina.

    Mas também acho que dormindo apenas 5 horas não há dieta que te tire o sono.

    Há mais no estilo páleo do que só dieta - há também a atividade física, o contato com a natureza, até mesmo medidas para diminuição do stress (yoga, etc). É um processo.

    Há coisas que podemos mudar, outras não. Talvez suas demandas de trabalho lhe impeçam de dormir o tempo necessário. Bem, fazemos o que podemos com aquelas variáveis sobre as quais temos controle. Eu tenho a impressão que em mais algumas semanas, vc notará uma melhora ainda maior em seus níveis de energia.

    ResponderExcluir
  18. 8 entre 10 pessoas na academia que eu frequento não têm os resultados que eu tenho. Eu vou lá 30 minutos 2 ou 3x por semana, treino pesado, e vou embora. Chego em casa e bato uns ovos com whey no liquidificador, sem carbs.

    O pessoal faz o que todo mundo faz e recomenda, vai 5x por semana e fica 90 minutos na academia, leva garrafinhas com coisas açucaradas dentro, e continuam gordinhos. E não entendem por que eu enxergo meus abdominais e eles não. Fazer o que...

    Se você fizer o que todo mundo recomenda, vai obter o resultado que todo mundo obtém.

    ResponderExcluir
  19. O tempo é curto, mas acho que neste fim de semana sai!

    ResponderExcluir
  20. Que bom. Estou em Atkins desde meados de Janeiro, mas "caí" várias vezes da dieta. Só depois de um episódio frustrante com batatas fritas há uns 15 dias e uma faringite bacteriana, que percebi que eu precisava mudar meu pensamento, minha cabeça para que meu corpo não padecesse.

    Então resolvi mudar a alimentação e meu estilo de vida e não simplesmente "fazer dieta". Já vinha seguindo seus conselhos esse tempo todo, mas a mudança precisa ser nossa mesmo. Enfim...

    Comecei a suplementar com Centrum semana passada, mas pretendo manipular uma fórmula sem ferro quando acabar (aquela do livro de Atikins é boa? Não sei se é problema na tradução, mas tem 2 componentes "diferentes" na fórmula do livro que são iguais...)

    Acredito que o maior problema do meu sono seja realmente a minha rotina, que não me permite dormir mais que 6 horas por noite, infelizmente. Trabalho de dia, estudo à noite, fica complicado mesmo. Mas os estudos logo se concluem! :)

    O fato de não precisar mais do remédio controlado para dormir já me dá um grande alívio. Não tomo desde o começo de fevereiro e tenho achado incrível. Quanto aos exercícios, eu estava fazendo 1 hora por dia, mas resolvi parar quando as aulas começaram porque tive que escolher entre dormir ou praticar exercícios. No caso, eu sacrificaria 1 hora de sono para fazer 1 hora de exercícios. :(

    Obrigada de qualquer maneira dr. Souto!

    ResponderExcluir
  21. Boa notícia!

    ResponderExcluir
  22. Obrigado Paty já tô me acostumando a ficar sem ele mesmo. Tudo é questão de tempo...

    ResponderExcluir
  23. Valeu Luciano! Já estou abolindo...

    ResponderExcluir
  24. Hey, doc!!

    Achei seu blog procurando sobre polióis e o conceito de paleo diet me pegou pela primeira vez. Acabei voltando aqui para ler mais sobre o assunto, comecei desde a primeira postagem e hoje consegui terminar TUDO. Estou me preparando para uma competição de fisiculturismo, na categoria Bikini Fitness, e não estava conseguindo emagrecer com a dieta passada pela nutricionista esportiva que me acompanha. Pelas contas que eu fiz, a dieta dela é low carb, low fat e high protein.

    O resultado disso foi um mês de dieta e de muita fraqueza, desânimo, sono e intestino desregulado, comida em pó, vitaminas em cápsulas e ZERO de perda de peso, mesmo com sessões diárias de aeróbico em jejum, musculação e aeróbicos pós-treino!!!

    Pode imaginar minha frustração, não é? Eu, que preciso dos six packs aparecidos, preciso de disposição para treinar (pesado, 5x por semana) e ao mesmo tempo preciso secar um pouco para me enquadrar no padrão, fazendo essa dieta super restrita em fat e carb, sem conseguir emagrecer e ainda minando minha disposição... Resolvi adotar esse estilo de vida pra mim, primeiro pq me convenceu com dados científicos, segundo pq faz muito sentido para a minha filosofia de vida.

    Estou em uma versão low carb da paleo (salvo pelos adoçantes, a gelatina e o whey... hehe) desde sábado, secando a cada dia. Sinto-me mais disposta do que nunca, meu humor está invejável, minha força não diminuiu e não estou com nenhum efeito colateral. Meu peso está despencando... Acredito que dará uma diferença total de 3kg nessa primeira semana (muito glicogênio e água indo embora, eu sei, mas já tem 4 packs aparecendo no abdômen!!!).



    Então, muito obrigada pelo serviço prestado a mim e a todas essas pessoas. Ontem fiz meu primeiro iogurte caseiro, comi hoje com um pedaço de mamão (meu carbo do dia, fora a salada) que ainda tinha na geladeira e ia estragar, ficou o perfeito creme de papaia. =)


    Tenho uma dúvida que me surgiu ontem: vou fazer uma tatuagem nos próximos meses... E a recomendação para esse e outros procedimentos é de reduzir o consumo de gorduras nos dias antecedentes. E AGORA??? hahahaha
    Beijos e até breve!

    ResponderExcluir
  25. Uau! Que depoimento inspirador!!!

    ResponderExcluir
  26. Este é o ponto crucial - depende de seus OBJETIVOS. E às vezes eles são conflitantes. Se seu objetivo é saúde, carbs de alto índice glicêmico provavelmente não são as melhores opções, muito menos o açúcar. Mas talvez o seu objetivo seja fisiculturismo profissional. Neste caso, a saúde fica em segundo plano. E há um saudável meio-termo, em que dá para perder bastante gordura (talvez não tanto quanto se queira) e ao mesmo tempo construir músculo (talvez não tanto quanto se queira). Para 90% de nós, é o que importa. E, neste caso, seria uma abordagem paleo low carb associada a exercício de musculação com resistência progressiva.


    Em 6 de março de 2013 12:39, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  27. Bianca, sensacional! Boa sorte com seus objetivos, vc tem tudo para alcançá-los! Obrigado por divulgar o blog no seu!

    A propósito, pessoa, o blog dela é http://sonhandofitness.com.br/



    P.S.: duvido que a gordura q vc come tenha qualquer coisa a ver com a tatoo :-)

    ResponderExcluir
  28. Olá doutor, gostaria que o sr comentasse essa matéria:

    http://sicnoticias.sapo.pt/vida/2011/01/31/consumo-de-gorduras-influencia-a-saude-mental4

    ResponderExcluir
  29. Bom dia, Dr.

    Parabens pelo seu blog. Desde Outubro, quando adotei o Low carb já perdi 7kg e quase 9% de BF. E isso pq sou uma pessoa atlética, sou corredor. E é justamente por isso que estou aqui: nas midias sociais, com meus pares, a gente anda mt confuso a como adotar o low carb/Paleo a nós, atletas. Sei que exercícios de endurance não combinam mt com esse estilo de vida, mas o fato é que tanto o low Carb qt a corrida tornaram-se estilos de vida para mim, indissociáveis. Meu treinador já falou que vou quebrar nos treinos longos, mas tenho substtuído o pao e as massas por Batata Doce e tubérculos. A questao é que ainda estamos perdidos, muito na base da tentativa e erro, não encontro nada especifico. Vc tem ou conhece algum texto que fale sobre como se alimentar para treinos longos, de mais de 90 min (para Maaratona, faço treinos de ate 2:30h) ou muito intensos? Sugiro que, se possivel, use seu blog para falar com esportistas. Assim podemos reunir mais argumentos cientificos para poder conversar com as pessoas sobre o perigo do gluten-acucar-amido. Obrigado!

    ResponderExcluir
  30. Olá Dr. Souto, bom dia!
    Tenho
    uma dúvida! Posso tomar whey protein isolado, com baixissima quantidade
    de carboidrato (0,5 g por porção) e alta quantidade de proteína (47g
    por porção)?



    Whey aumenta o nível de insulina?


    É porque eu não sei exatamente como fazer a minha alimentação entre o
    trabalho e a faculdade. Eu saio direto até lá, e aqui no trabalho não
    tenho como trazer comida. E na faculdade só vendem salgados, sanduíches,
    etc. Além disso, não tenho tempo para lanchar, pois é muito corrido.
    O que o senhor aconselha? Whey poderia ser uma boa alternativa? Eu sei que não é paleo, mas...

    Obrigada.

    ResponderExcluir
  31. Fatima Aparecida Rocha Guimara8 de março de 2013 12:13

    Oi Letícia
    Eu tinha o mesmo problema...sono em demasia e achava que era depressão..rsrsr...tomei até remédios pra isso.
    Depois de atkins, meu sono melhorou muito...durmo no máximo 8 horas ( graças a Deus eu posso..rsrsr)
    Talvez o seu sono seja mesmo falta de um polivitaminico...eu estou tomando Pharmaton...é mais caro, mas estou adorando..tente recuperar o sono no final de semana...a gente precisa dormir...rsrsr...bjussss

    ResponderExcluir
  32. Fatima Aparecida Rocha Guimara8 de março de 2013 12:16

    Nada com "ose"???...Dr. estou usando o adoçante Linea, que é sucralose...e ai??

    ResponderExcluir
  33. Olá Fátima!
    Sobre adoçantes, copio aqui uma parte da postagem http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2013/02/adocantes-e-rotulos.html "Considerações Finais
    Nenhum adoçante é "páleo" (isto é, condizente com os princípios de uma dieta paleolítica). Mas nenhum de nós é perfeito. Assim, com isso em mente, tenho as seguintes considerações a fazer:

    Use adoçantes como um ex-fumante usa adesivos de nicotina: para tentar largar o vício do açúcar;
    O objetivo é usar menos adoçantes com o tempo;
    Alguns adoçantes parecem bastante seguros, especialmente quando comparados à toxicidade já bem estabelecida do açúcar;
    Se for para comer algo com maltitol, melhor comer logo o produto original com açúcar e assumir a bronca, sem autoengano;
    Use os adoçantes não-calóricos em formulação líquida (gotas), pois os mesmos são diluídos em água (certifique-se, leia o rótulo); os adoçantes em pó são diluídos em carboidratos."

    ResponderExcluir
  34. Olá Jessica!
    Eu gosto do Whey, realmente é prático! E com essa dose tão pequena de carbs não acho que vai te atrapalhar. Eu uso um 0carbs. O Dr tem uma postagem falando sobre Whey aqui: http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2012/12/whey.html

    Você mencionou que na sua faculdade vem dem sanduíches. as vezes que vou em lugares que só tem sanduíches eu peço o meu no prato e sem pão! tem sanduíche de ovo com bacon? Peça no prato, o ovo o bacon no capricho!

    ResponderExcluir
  35. Oi Fátima!
    Eu já percebi uma grande melhora no sono, pois não dependo mais de remédios controlados para dormir. Também tenho me deixado acordar com o sol (meu quarto tem portas ao invés de janelas, deixo-as abertas). Tenho acordo mais bem disposta sem o remédio, tem sido muito bom pra mim. :)

    Acho que o maior problema mesmo são as poucas horas que tenho para dormir, de fato. Sabemos que o sono tem estágios e, até atingir o estágio de sono profundo leva um tempo - e nem sempre conseguimos atingir esse estágio.

    Atualmente estou tomando Centrum, porque não tive tempo de correr atrás da fórmula indicada por Atkins no livro. Você já usou a fórmula manipulada que ele disponibiliza no livro? Conhece alguém que já usou? Gostaria de uma opinião de quem já usou pra saber se realmente foi boa. :)

    Obrigada pelas dicas!!!

    Beijão!

    ResponderExcluir
  36. Obrigada, Patrícia. Eu tinha pesquisado na barra de pesquisa do blog por "whey protein" e não apareceu nenhum resultado, por isso perguntei.
    Infelizmente os sanduíches que servem lá não são desse tipo. Eles já ficam prontos e embrulhados, e tem apenas uma fatia de presunto e outra de queijo.
    Mais uma vez obrigada!

    ResponderExcluir
  37. Depoimento que talvez seja útil para diabéticos tipo II:
    Diabetes diagnosticada em 2001: TTG 290 (após 2 horas). A partir de então cuidados com alimentação, seguindo orientação tradicional: diversas refeições seguindo a pirâmide alimentar recomendada. Diabetes e demais exames desde então sempre sobre controle. Em 2012 início de Metformina.

    Em novembro, buscando orientação para familiar que estava muito acima do peso, tive contato com dieta dos ancestrais. Depois de ler bastante, cheguei à conclusão "makes sense".

    Em dezembro, iniciei low carb/páleo. Cometi todos os "excessos" (todos os tipos de queijo, muitos ovos, carnes variadas, vegetais, algumas frutas e ... muitas críticas de familiares). Aproveitei para eliminar a lactose também (algumas vezes ainda tomo café com leite, mas sem lactose). Vinho tinto comedidamente.

    Fiz checkup recente (3 meses de experimentação, mensuro em 95% do tempo em low carb/páleo): colesterol total 212, HDL: 63, LDL 139, glicose jejum 118, hemoglobina glicada 6,5, e (pasmem): triglicerídeos 47. Creatinina normal, enzimas TGP, TGO e gama GT normais.
    Nunca tive problemas com peso, mas estou com um Kg a menos. Caminho regularmente e corro (agora corrida lenta, corrida rápida) quando possível. Pretendo fazer musculação em academia para manter/aumentar a massa magra.

    Não tive problemas de adaptação como mau humor, etc. (nunca comi carbos em demasia). Nos primeiros dias muita disposição (hoje está menor, mas ainda acentuada). Pequena constipação, facilmente resolvida comendo abacate. Acabou a flatulência. Durante esta experimentação parei de tomar Metformina.

    Conclusão: PARA MIM, faz sentido, come-se melhor, sente-se melhor, me sinto mais saudável. Neste período comi em excesso para verificar a eficácia e os resultados. Pretendo agora manter este modo de vida (comendo sem os excessos) e melhorar os índices de colesterol e glicose e ... eliminar de vez a metformina.

    Thanks a lot por este blog de alta utilidade pública.

    ResponderExcluir
  38. Obrigada por compartilhar! Depoimento precioso!

    ResponderExcluir
  39. Opa pessoal tudo bem?

    Gostaria de sabe o seguinte ,estou dieta low carb a 2 meses so com uma recaída ( me senti muito mal no outro dia com dores estomacais) ,pois bem no momento não estou fazeno exercicios fisicos pois fiz uma operação de cisto picolidal e quando eu volta a faze exercicios (daki 1 mes +-) eu gostaria de 2 vezes na semana faze uma recarga do giglogenio muscular e eu queria sabe quais seraim os melhores carboidatros que devo utilizar para essa recarga (não quero nenhum carbo de grãos ou derivados) ? frutas são eficientes para isso(uma vez q ja lir em muitos lugares q a frutose ela abastece o gligogenio epatico,ent ela tbm recarregaria o gligogenio muscular?) ? batata doce seria uma boa? Enfim gostaria da opiniões de vcs.

    Obrigado,fikem com Deus!!!!

    ResponderExcluir
  40. Opa pessoal tudo bem?

    Gostaria de sabe o seguinte ,estou dieta low carb a 2 meses so com uma recaída ( me senti muito mal no outro dia com dores estomacais) ,pois bem no momento não estou fazeno exercicios fisicos pois fiz uma operação de cisto picolidal e quando eu volta a faze exercicios (daki 1 mes +-) eu gostaria de 2 vezes na semana faze uma recarga do giglogenio muscular e eu queria sabe quais seraim os melhores carboidatros que devo utilizar para essa recarga (não quero nenhum carbo de grãos ou derivados) ? frutas são eficientes para isso(uma vez q ja lir em muitos lugares q a frutose ela abastece o gligogenio epatico,ent ela tbm recarregaria o gligogenio muscular?) ? batata doce seria uma boa? Enfim gostaria da opiniões de vcs.

    Obrigado,fikem com Deus!!!!

    ResponderExcluir
  41. Olá Breno!

    Eu não entendo muito dessa tal 'recarga de giglogenio' (acho que vc quis dizer glicogênio!), mas entendo de carbs de alto valor nutriticional. Eu ficaria com frutas (abacate e vermelhas principalmente), batata doce, inhame, quinoa e gergelim. E lembre-se que tomate, couve-flor, brócolis, abobrinha, berinjela, azeitonas,cogumelos, cebola, pimentão... tudo isso tem carboidrato tbm! Eu tbm uso óleo de coco, coco ralado, farinha de coco...

    ResponderExcluir
  42. Bem, como sempre achei a dose muito forte, já comecei a reduzir. Obrigado, doutor. Realmente faz muito sentido o que tem dito. Quando eu tiver atingido algo perto do crescimento e definição muscular que desejo acho que os carbs da suplementação vão embora... Estou quase lá: são os únicos que não tirei ainda.

    A batata doce é minha companheira de treinos de corrida longos, é energia até o 15º quilometro...

    Belas dicas. Como sempre, mais ou menos uma ideia de como prosseguir graças a seu blog.

    ResponderExcluir
  43. O trabalho da Cláudia é notável, no entanto, é complicado usá-la como exemplo para nós mortais que não somos fisiculturistas. Ela realmente é zero-carb e tem resultados impressionantes. Como pratos semelhantes aos dela duas vezes por semana e é impressionante como não se sente falta dos carbs dispensados. No entanto, sempre concordei que eles não são exemplos de saúde também; quando eles chegam no limite do mortal comum a gente sabe que eles partem para intervenções que podem nos trazer efeitos diversos e péssimas consequências se seguirmos o que eles "verdadeiramente" fazem. Bem pensado, Doc.

    ResponderExcluir
  44. Fatima Aparecida Rocha Guimara10 de março de 2013 21:15

    Obrigada Patricia...

    Fui ler a postagem agora.

    Eu usava o ciclamato, mas a Sucralose é mais gostosa..rsrsrs
    Ainda não consigo viver sem um docinho...quem sabe um dia chego lá....mas já diminuiu muito a minha fissura por doces.
    Obrigada, vou abrir mão da sucralose agora.
    Bjuss

    ResponderExcluir
  45. Fátima não é só vc que não vive sem um docinho! Eu tbm sou uma formiga! Mas percebo que, pra mim, quando capricho mais na gordura, principalmente na manteiga, fico menos fissurada por doces.
    bjim

    ResponderExcluir
  46. Entendido, Dr! Obrigada!

    ResponderExcluir
  47. gostaria de fazer mas nao sei como começar sou compulsiva quando começo ,ai ai...estou ate meio depre....estou com 12 quilos a mais do que queria estar,tenho 1,58 e peso 71 kl nossa a ultima vez que pesei isso estava gravida de nove meses,socorroooo.Gelatina diet pode??

    ResponderExcluir
  48. Fatima Aparecida Rocha Guimara14 de abril de 2013 18:35

    Dr. José
    Uma pessoa com diabetes tipo 2, mas que emagrceu muito já devido à doença...pode também fazer essa dieta lowcarb??...da mesma forma??...ou tem alguma restrição ou adição de alimentos já que ela já se encontra muito magra....

    ResponderExcluir
  49. Low carb é ideal para qualquer pessoa diabética - com acompanhamento médico, é claro. Quem é magro não emagrece com low carb, pois low carb não é dieta de restrição calórica.

    Sent from Galaxy S3
    Em 14/04/2013 18:35, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  50. Fatima Aparecida Rocha Guimara14 de abril de 2013 22:16

    Obrigada...voce é sempre muito gentil :)

    ResponderExcluir
  51. olá.. estou nessa dúvida sobre utilizar dextrose apenas após a musculação junto ao whey. durante o dia não ingiro carbs. qual foi o seu resultado? modificou o quê no pós treino?

    ResponderExcluir