sábado, 13 de julho de 2013

Exercício e emagrecimento

Volto novamente a este tema pois o prof. Felipe Piacesi, Educador Físico, me mandou um texto SENSACIONAL. Nunca li nada tão bom em português.

O texto é do site 

Reproduzo o texto, abaixo. Eventuais perguntas deverão ser dirigidas ao Felipe, que é um dos moderadores aqui do Blog.


Perda de gordura: aeróbios, anaeróbios, musculação, mitos e comprovações científicas
Felipe Nassau, Vinícius de Paula e Felipe Nóbrega - Currículo e contato
Abril / 2013

                                                                                  

            Nossa sociedade caminha, cada vez mais, para o sobrepeso e obesidade. Independente da motivação, muitos buscam diversas estratégias para reduzir gordura corporal, desde exercícios e dietas, até suplementos e medicamentos. Perceptivelmente, parece haver falhas nas estratégias, visto que as estatísticas de obesidade e sobrepeso são cada vez maiores (WHO, 1997). Uma boa explicação para esse fato, além da falta de sustentabilidade da grande maioria das estratégias, é a inadequação delas.

Exercícios aeróbios e gordura
            A estratégia mais comum para tentar a perda de gordura por meio de exercícios tem sido o uso dos aeróbios. Estes são caracterizados por apresentar intensidade leve a moderada, onde possam ocorrer por longa duração. A explicação para o uso desses exercícios é a quantidade de energia gasta e de onde vem sua fonte principal. Realmente é um fato: eles demandam um gasto elevado de calorias e boa parte dessa energia é gerada através do uso de gorduras. Tais modalidades costumam ser recomendadas por professores, médicos e até órgãos importantes de saúde, porém, o resultado não tem sido favorável, visto que nenhum dado epidemiológico tem mudado. Partindo desse pressuposto, pesquisadores buscam há muitos anos descobrir qual é a intensidade e o tempo ideal para a execução de aeróbios e deste modo determinar qual a melhor faixa de esforço para seu uso, também conhecida como zona de queima de gordura ou fatmax. Nesse ponto, há maior eficácia no gasto de gordura em relação ao gasto de calorias, lembrando que quanto menos intenso é o exercício, menos calorias são gastas, porém, com maior percentual advindo da gordura. Em contra partida, quanto mais intenso, mais carboidratos e proteínas são utilizados, mas com maior gasto de calorias. O estudo de Romijn (1993), mostrou que próximo a 65% da capacidade máxima de esforço aeróbio (VO2máx) seria o melhor quociente entre gasto de energia e gasto de gordura. Outra pesquisa mostrou que isso é variável em relação ao sexo e nível de treinamento (VENABLES, 2005). Sabe-se também que quanto maior a duração do exercício, maior será a participação das gorduras no fornecimento de energia (VAN LOON et al.,2001).
            Todavia, estudos onde pessoas foram acompanhadas por certo período de tempo (longitudinais) não verificaram real efeito dos exercícios aeróbios para promover perda de gordura, quando executados na famosa zona alvo, progredindo tempo e intensidade (JAKICIK et al.,1999), feitos de forma contínua ou dividindo a sessão em várias vezes ao dia (SCHMIDT, et al. 2001), sem falar que não parecem potencializar a perda de gordura induzida por dietas restritivas (BALLOR et al. 1990). O mesmo fracasso também é percebido quando são induzidos altíssimos gastos calóricos (ROSS e JANSEN, 2001).
            A comprovação da ineficácia dos aeróbios em promover o emagrecimento é atestada por gigantesca meta-análise - estudo onde se analisa estatisticamente um grande volume de publicações relativas a um tema. Garrow e Summerbell (1995), ao analisarem 27 anos de ciência, mostraram que exercícios aeróbios são capazes de promover perda em torno de 3kg de peso corporal em 30 semanas (7 meses), o que é muito pouco para obesos, e isso é ainda menor em mulheres. Em 1997, Miller e seus colaboradores analisaram nada menos que 493 trabalhos, que foram quase todos os trabalhos publicados em 25 anos sobre perda de gordura e exercícios aeróbios e dietas, concluindo que o exercício aeróbio é insignificante no emagrecimento (tabela abaixo).
Estudo - Miller et al., 1997
Dieta
Aeróbios
Dieta+ aeróbios
Perda de peso em 21 semanas - média
6,8 kg
2,9 kg
7,1 kg



Há trabalhos demonstrando que aeróbios também não melhoram resultados de dietas e não auxiliam na manutenção do peso perdido (CURIONI et al., 2005). Tais trabalhos influenciaram no posicionamento do National Institute of Health (1998), um dos órgãos de saúde mais importantes do mundo, onde relatam a prática de exercícios aeróbios como estratégia inefetiva para combate a obesidade e sobrepeso.  
Concluindo: Apesar do gasto calórico e do gasto de gordura em exercício, desde 1997 é totalmente comprovada a ineficácia dos exercícios aeróbios para a perda de gordura, mas, infelizmente, continua-se acreditando nesse mito. E pior, profissionais continuam desatualizados (e muito), colocando em risco o resultado e a saúde de seus alunos. Isso inclui médicos, nutricionistas, treinadores e outros, ao aconselhar modalidades de exercício de modo equivocado.

Mecanismo 1: Gasto energético de repouso ou Taxa metabólica de repouso (TMR)
            Indivíduos ex-obesos possuem menor gasto de energia em repouso, o que dificulta a manutenção do peso perdido (ASTRUPP, et al, 1999). Independente de isso ser um fator genético ou adaptado, não é consensual sobre o efeito dos aeróbios na TMR. Há trabalhos que mostram que o exercício aeróbio pode aumentar de modo discreto a TMR (BALLOR e POEHLMAN, 1992; SJODIN, et al., 1996). Porém, a prática prolongada e sistemática de aeróbios é capaz de reduzir o gasto energético em repouso e em exercício, como visto em vários trabalhos que provam que atletas de endurance apresentam menor gasto de energia que sedentários, corrigido pela massa magra (ROY et al., 1998; SCHRAUWEN e HESSELINK, 2003). Sabe-se que a termogênese induzida pelo alimento - gasto de energia para metabolizar alimentos - é menor em praticantes de exercícios aeróbios (LE BLANC, 1984). É fato também, que a prática de exercícios aeróbios é capaz de reduzir taxas de hormônios importantes para o gasto de energia e queima de gordura (lipólise e beta-oxidação) como T3 e T4 (hormônios tireoidianos) e de noradrenalina (ou norepinefrina) (ANTUNES et al., 2005).
Concluindo: Fica claro que o impacto do exercício aeróbio no gasto de energia é negativo, induzindo a queda do metabolismo e da capacidade de perda de gordura.

Mecanismo 2: Metabolismo do gasto gorduras e carboidratos
Para uma boa compreensão desses mecanismos é importante entender a função de algumas enzimas e vias bioquímicas.

·         CS à Citrato-Sintase: enzima que regula a entrada de substrato energético (combustível) no ciclo de Krebs, para formar coenzimas utilizadas na fosforilação oxidativa (metabolismo aeróbio)
·         HADH à 3-Hidroxiacil-CoA-desidrogenase: enzima ponto de controle da oxidação de gorduras.
·         HK à Hexocinase: Enzima que aprisiona a glicose dentro da célula. Primeira enzima do metabolismo dos carboidratos.
·         PFK-1 à Fosfotrutocinase-1: Enzima ponto de controle do gasto da glicose e reguladora do metabolismo anaeróbio.

Há algum tempo, sabemos que existe correlação entre trabalhos de enzimas (PFK-1) do metabolismo glicolítico anaeróbio - uso de glicose para fornecimento de energia, ex: exercícios intensos -, enzimas relativas ao metabolismo energético (CS) e enzimas do gasto de gorduras (HADH). É fato que baixos níveis de CS estão relacionados com a resistência à insulina - metabolismo inefetivo dos carboidratos - (ZURLO et al., 1994), enquanto altos níveis de CS estão relacionados com alto gasto energético (DOUCET, 2003). Outro fator importante a ser considerado é que o emagrecimento através de dieta induz quedas nas taxas de PFK-1, CS e HADH, o que explica dietas funcionarem no início e perderem efetividade com o tempo.
Nesse sentido, aplicar treinamentos que priorizem o uso da via energética anaeróbia, visando aumentar a expressão de PFK-1 parece ser uma boa estratégia para manter os níveis de CS e HADH.
estudo
Método de treinamento
HK
PFK1
CS
HADH
Perda de gordura
(Tremblay et al., 94)
longitudinal
Aeróbio na zona alvo de queima de gordura
-13%
-9%
--
+ 18%
- 2%
Intervalado intensivo
+31%
+18%
--
+60%
- 8%
MacDougall et al., 98
longitudinal
Intervalado intensivo
--
--
+48%
+62%
--
  
            Esses trabalhos mostraram que treinamentos anaeróbios intensos (sprints), como já era esperado, foram capazes de aumentar o metabolismo dos carboidratos e também comprovaram que treinos que priorizem essa via metabólica são capazes de aumentar a capacidade de gastar energia (CS),  a capacidade de gastar gordura (HADH) e, principalmente, induzir perda real de gordura corporal e ganho de massa muscular, o que aumenta a segurança do treinamento, mesmo com gasto calórico bem inferior aos exercícios aeróbios (TREMBLAY et al., 1994). E isso corrobora estudos investigativos que mostram que pessoas que se exercitam em alta intensidade possuem menos gordura. (TREMBLAY et a., 1990; YOSHIOKA et al., 2001). Além de promover melhoras metabólicas, os treinos anaeróbios intensos também são bem tolerados por pessoas acometidas por perturbações metabólicas, mesmo em alta intensidade (HARMER et al., 2008).
            Há pesquisadores que explicam esse processo em função do aumento do consumo de oxigênio (EPOC) que ocorre após o treino. Contudo, essa essa crença não procede, pois o aumento do metabolismo em função do EPOC se mostra insignificante em termos absolutos, não justificando perdas de gordura expressivas (LAFORGIA et al., 1997). O modelo mais aceito é o da melhora qualitativa do metabolismo das gorduras, mesmo com baixo gasto de gordura durante o exercício. Deste modo, as adaptações a períodos de treino são fundamentais para o resultado, visto que adaptações em enzimas são crônicas. Isso justifica a necessidade de não interromper o treinamento em fases da vida que muitos costumam deixar os exercícios de lado, como estudos e férias, por exemplo.
Uma outra explicação para esse fenômeno é que a reposição e reparação (ressíntese) do glicogênio muscular (reserva de carboidratos) e a síntese de proteínas danificadas durante treinos intensos ocorrem em repouso e às custas da queima (oxidação) de gorduras circulantes ou ácidos graxos livres (KIMBER et al., 2003). Esse gasto acentuado de gordura tende a durar cerca de 30 horas após a sessão de treino (KIENS e RICHTER, 1998) e continua a ocorrer mesmo após o consumo de carboidratos e liberação de insulina, mostrando que restringir carboidratos após a sessão de treino, além de possivelmente comprometer a recuperação muscular, pode não ajudar na perda de gordura (KIMBER et al., 2003). Tal fato merece importância, pois treinos intensos causam severos danos às fibras musculares e um mal estado de recuperação (sobretreinamento / overtraining) prejudica fatalmente o emagrecimento em função da desregulação de hormônios importantes como o cortisol, que induz ganho de gordura.
Concluindo: Treinos intensos, mesmo com baixo gasto de gordura e baixo gasto de energia, são capazes de promover emagrecimento, pois melhoram qualitativamente o gasto de gordura e de energia em repouso durante a recuperação do organismo para o próximo treino e isso ocorre em função da adaptação da enzimas do metabolismo


Mecanismo 3. Metabolismo da produção (síntese) de gorduras.
·         ACC à Acil-CoA-carboxilase: Enzima que forma malonil-CoA.
·         MCA à Malonil-Coa: substância do ponto de controle da produção de gorduras. Uma vez formado, será direcionado inevitavelmente para a formação de gorduras. Também é um potente inibidor do transporte e gasto de gorduras dentro da célula.
·         FAS à Ácido-graxo-sintase: enzima que promove condensação de acetil-CoA e malonil-Coa em gorduras de cadeia longa, relacionada com ganhos de gordura.
·         FATP-1 à facilita o transporte de gorduras, aumentando sua absorção.
·         PGC-1α à estimula a biogênese de mitocôndrias e genes relacionados à fosforilação oxidativa, promovendo maior gasto de gordura.
Enquanto aeróbios não são capazes de reduzir a formação de MCA (RUDERMAN et al., 1999), os exercícios anaeróbios intensos o fazem com extrema relevância (DEAN et al, 2000). Treinos intervalados intensos, realizados acima da capacidade aeróbia máxima, foram capazes de aumentar em 138% a quantidade de PGC-1α e reduzir cerca de 340% a quantidade de FATP-1, enquanto os aeróbios não provocaram mudanças. Além disso, os exercícios intensos foram capazes de reduzir FAS, indicando menor formação de gordura – lipogênese - (TJONNA et al., 2008). Treinos metabólicos e treinos voltados à potência na musculação também são capazes de aumentar a expressão de PGC-1α (ITEM et al., 2013; COFFEY et al., 2009)

Mecanismo 4: termogeninas (UCP3), resistência à insulina,  estresse oxidativo
·         UCP3 à Proteína desacopladora da fosforilação, conhecida também como termogenina. Proteína que desvia prótons, reduzindo a formação de ATP (energia) e aumentando a geração de calor.
·         TGIM à triglicerídeo intra-muscular
·         ERO à espécies radicalares de oxigênio / radicais livres. Induzem danos celulares.
·         Glutationa e glutationa redutase à mecanismo principal de combate a radicais livres
·         G6PDH à enzima da via das pentoses que produz NADPH, essencial para as glutationas.

As UCP3 são proteínas localizadas nas mitocôndrias. Quanto maior a quantidade e quanto maior for a sua atividade, mais substrato (combustível – gordura, carboidrato) é gasto para gerar a mesma quantidade de ATP (unidade de energia) e mais calor é produzido. Desse modo, quanto mais UCP3, menos eficiente o organismo é em produzir energia, mais gastador ele se torna e mais calor é gerado (termogênese). Ou seja, quanto mais UCP3, maior será o metabolismo e maior será a perda de gordura. É comprovado que exercícios aeróbios podem reduzir em até 76% a quantidade de UCP3 no músculo, o que pode ocorrer em curto espaço de tempo, como 2 semanas, enquanto exercícios intensos são capazes de aumentar a atividade das UCP3, aumentando o metabolismo (TONKONOGI et al., 2000; SCHRAUWEN et al., 2005; FERNSTRÖM et al., 2004). Sabemos também que o aumento de UCP3 está relacionado com estados de hipóxia (falta de oxigênio), depleção das reservas de glicogênio e contrações excêntricas (CORTRIGHT et al., 1999; PILEGAARD, 2002, BRYNER et al., 2004). Essas são situações comuns em exercícios vigorosos e na musculação.
Outro fator importante relacionado às UCP3, é que elas são responsáveis pelo equilíbrio na produção de radicais livres (ERO). Quanto mais UCP3, menos ERO são formados (NELSON E COX, 2005, SCHRAUWEN E HESSELINK, 2004). Estes são responsáveis por causar danos nas membranas das mitocôndrias, induzindo à disfunção mitocondrial e podendo causar até sua morte programada (apoptose), reduzindo a capacidade de gasto de gordura (β-oxidação), aumentando a diferenciação de adipócitos jovens em adipócitos maduros, mais capazes de armazenar lipídios, facilitando assim o ganho de gordura (TORMOS et al., 2011). Além disso, os EROs induzem alterações em outras membranas, provocando inflamação, o que causa resistência à insulina, provocando perda de massa muscular e ganho de gordura. Eles também estão relacionados com alterações no DNA, sendo importante causa de morte celular e doenças mais graves como as cardiovasculares, diabetes e câncer (HAN E CHEN, 2013; MATHEUS et al., 2013).
O exercício aeróbio também é capaz de induzir hiperinsulinemia crônica e resistência à insulina (CAUZA et al., 2005; DIPIETRO et al., 2008). Estes fatores pró-diabetes são também indutores de maior formação de gordura no fígado (lipogênse). A musculação levada até a fadiga muscular é capaz de melhorar a sensibilidade à insulina, melhorar lipídios sanguíneos e promover ganhos expressivos de massa muscular e perda de gordura 300% maior que os aeróbios (CAUZA et al., 2005).
O mecanismo de aumento da resistência à insulina induzido pelos aeróbios ocorre por alguns caminhos já conhecidos. A redução da expressão da enzima HK (ver mecanismo 2 do texto) induz a uma menor fosforilação da glicose na célula, fazendo com que esta molécula que entrou na célula possa ser capaz de voltar para o meio exterior desta (LEC) e, posteriormente, ao sangue, aumentando a glicemia e insulina, e assim, ocorrendo maior produção de gordura (NELSON E COX, 2005). Além disso, baixos níveis de glicogênio muscular também estão relacionados com resistência à insulina, o que é revertido com treinos anaeróbios (BIENSO et al., 2012). Outro mecanismo importante é que o exercício aeróbio aumenta as reservas de gordura no músculo a partir dos TGIM e das perilipinas, dificultando sua oxidação (SHAW et al., 2013). Quanto mais TGIM houver no músculo, maior será a resistência à insulina e o desequilíbrio do metabolismo dos carboidratos, induzindo maior produção de ERO e inflamação (KEWALRAMANI ET AL., 2010; COEN E GOODPASTER, 2012).
            O mau funcionamento do metabolismo dos carboidratos, que pode induzir ao diabetes, acarreta danos nas células e tecidos em função da glicação, aumentando a inflamação do tecido. A glicação é responsável também por provocar alterações conformacionais na enzima catalase (BAKALA et al., 2012), fundamental ao controle dos radicais livres. Outro mecanismo de combate aos ERO, que é prejudicado pelos aeróbios, é o da glutationa, o principal meio de controle do estresse oxidativo. Para um bom funcionamento da glutationa e da glutationa redutase é fundamental a produção de uma coenzima, o NADPH, produzido na segunda reação da via das pentoses, catalisada pela enzima G6PDH. Sabemos que deficiências no metabolismo dos carboidratos (↓ HK e PFK-1) estão relacionadas às disfunções na via das pentoses e, por consequência, de G6PDH (NELSON E COX, 2005). Alterações nessa enzima reduzem a produção de NADPH, reduzindo a atividade das glutationas e reduzindo o combate aos radicais livres (GUPTE, 2010). Outro ponto importante a ser comentado é que ao reduzir a atividade da via das pentoses, teremos uma menor capacidade de produzir DNA e RNA, implicando numa menor capacidade de renovação das células e das mitocôndrias, além de prejudicar a síntese de proteínas, podendo piorar a recuperação entre sessões de treino, reduzindo ganhos de massa muscular e perda de gordura.
Concluindo: Enquanto exercícios intensos se mostram capazes de promover emagrecimento, aumento do metabolismo e da capacidade de queima de gordura, além de melhorar a resistência à insulina e outros indicadores importantes de saúde, os aeróbios, além de não atingirem efetividade na perda de gordura corporal, comprometem, comprovadamente, o metabolismo dos carboidratos, sendo potencialmente diabetogênicos. Além disso, podem causar desequilíbrio de radicais livres, aumentando exacerbadamente a sua geração e comprometendo a capacidade natural de combatê-los, o que pode conferir risco à saúde humana.

Exercícios efetivos para a perda de gordura. à  1. Treinamento intervalado anaeróbio
            Diante do já exposto, é perceptível a ineficácia dos exercícios aeróbios na promoção da perda de gordura corporal. A ciência reporta que os melhores resultados para o emagrecimento encontram-se na prática sistemática, regular e planejada de treinos intervalados. O treinamento intervalado é utilizado há bastante tempo no esporte, visto sua capacidade de promover melhoras extremas tanto no sistema anaeróbio quanto no aeróbio (VOLKOV, et al., 1995). O treinamento intervalado anaeróbio consiste em promover estímulos intensos próximos à capacidade máxima do organismo, intercalados com períodos de descanso. A alta intensidade pode ser gerada por incrementos de carga (carga na bicicleta, inclinação na corrida) ou incrementos na velocidade. Os descansos podem ser ativos, reduzindo-se a intensidade do exercício, ou podem ser passivos (parado). A escolha da intensidade e da forma de descanso devem ser determinadas de acordo com o estímulo metabólico a ser promovido, condição física atual do aluno, sua vivência motora pregressa e fase do treinamento.
            Em iniciantes, é fundamental uma fase de adaptação, que consiste principalmente em adaptar o sistema locomotor, a fim de evitar lesões. Um bom trabalho de musculação pode ser fundamental nessa fase, visto que a falta de força pode comprometer a segurança e sustentabilidade do programa de treinamento (VAN GENT et al., 2007).
            Ao progredir os treinos para maiores intensidades, é fundamental controlar sua frequência semanal com o intuito de evitar o overtraining, visto que este pode ser responsável por prejudicar a perda de gordura e ganhos de massa muscular, assim, afetando o resultado e a segurança.

Exercícios efetivos para a perda de gordura. à  2. Musculação
            A musculação, feita de modo intenso, também se mostra efetiva para perda de gordura. Isso também é comprovado em mulheres, idosos e pessoas acometidas por perturbações metabólicas, que parecem responder da mesma maneira que homens jovens nos primeiros meses de treinamento (CAUZA et al., 2005, IBANES et al., 2005; LEMMER et al., 2001; PRATLEY et al., 1994). A grande vantagem da musculação é promover ganhos de massa muscular, conjuntamente à perda de gordura. Isso é fundamental à manutenção do gasto calórico basal e à segurança, evitando lesões.
Cauza et al., 2005
Aeróbios
Musculação intensa
Gordura Corporal (KG)
- 2,3kg
-3,8kg
Massa muscular (KG)
+ 1 kg
+ 3,2 kg
Glicose sanguínea (mg/dL)
-1
-57
Insulina plasmática pmol/L
+20
-12,5
LDL colesterol (mg/dL)
-6
-14
HDL colesterol (mg/dL)
+1
+5

            A efetividade da musculação se dá por mecanismos semelhantes aos do treinamento intervalado, visto que ambos utilizam a mesma via metabólica, a anaeróbia. Porém, existem outros meios pelos quais o treinamento com pesos auxilia na perda de gordura. A recuperação dos danos causados nas fibras musculares é altamente dispendioso. O aumento do metabolismo de repouso, após treinos intensos, chega a 480Kcal/dia em 24h após a sessão de treino e se mantém elevado em até 290kcal/dia 48h após o treino. Treinando com frequência de 3 sessões semanais é possível manter o metabolismo elevado por todo o período da semana. Esse fato é devido à recuperação das microlesões e seu fator térmico associado (DOLEZAL et al., 2000). Por esse motivo, é fundamental que os treinos sejam levados até a fadiga para que ocorram tais adaptações. Nesse sentido, deve-se observar a capacidade de recuperação muscular de cada indivíduo, visto que há trabalhos que demonstram não ser possível recuperar-se de um treino máximo em menos de 7 dias (FLORES et al., 2011). Deste modo, torna-se importante um bom planejamento profissional dos treinos.
            Outro mecanismo importante para a perda de gordura é que a miostatina, proteína que limita o aumento muscular, ao inibir a via anabólica do AKT, reduz a oxidação das gorduras (IZUMIYA et al., 2008). Desse modo, o estímulo para a hipertrofia, limitando a produção de miostatina, pode ser também um bom caminho para a perda de gordura.
Concluindo: Protocolos de treino de hipertrofia, seja por altos níveis de microlesão ou alto estresse metabólico, são os melhores caminhos para a perda de gordura através da musculação, o que contraria o senso comum, que sugere trabalhos com elevadas repetições, baixos níveis de esforço e baixas cargas.

Musculação + Treinamento intervalado e outros exercícios.
            A união da musculação e dos treinos intervalados parece ser a combinação perfeita para uma maior e melhor perda de gordura (GENTIL, 2010). Contudo, deve haver um grande cuidado com a recuperação muscular entre os treinos, visto que ao adicionar treinos intervalados, os músculos solicitados neles recuperar-se-ão em maior tempo hábil do que se houvesse praticado apenas a musculação, necessitando de acompanhamento profissional especializado.
            Partindo do conceito dos treinos intervalados e da musculação, é possível promover emagrecimento a partir de várias modalidades esportivas, desde que haja metodologia voltada a esforços anaeróbios e componentes elevados de força. Isso pode ser aplicado em esportes com bola, esportes de luta, aquáticos e até em aulas coletivas de academia como o ciclismo indoor, entre outros. A principal vantagem do treinamento formal (intervalados, musculação) é o controle individual sobre as variáveis de treinamento, evitando o overtraining e com menor risco de lesão por traumas (CHESTER et al., 2000).
           
Considerações Finais
            Sendo o excesso de gordura um problema atual de saúde pública, é fundamental que ocorra maior atualização por parte dos educadores físicos, profissionais de saúde e dos órgãos de promoção a saúde. Treinos intensos, além de mais efetivos, têm menor duração e são realizados com menor frequência semanal. Sendo a falta de tempo um dos maiores motivos para o sedentarismo na atualidade, treinos intensos não só se encaixam como estratégia efetiva ideal para perda de gordura, mas também como estratégia motivacional à maior adesão a programas de exercícios.

Leia também

                                                

Referências
·         ANTUNES, H SANTOS R, BOSCOLO R, BUENO O, MELLO M. Análise da taxa metabólica basal e composição corporal de idosos do sexo masculino antes e seis meses após exercícios de resistência. Ver Bras med do Esporte. 10, 71-75. 2005.
·         ASTRUPP A, GOTZSCHE PC, VAN DE WERKEN K, RANNERIES C, TOUBRO S, RABEN A, BUEMANN B. Meta-analysis of resting metabolic rate formerly obese subjects. Am J Clin Nutr 69. 1117-1122. 1999.
·         BALLOR DL, MCCARTHY JP, WILTERDINK EJ. Exercise intensity does not affect the composition of diet and exercise- induced body mass loss. Am J Clin Nutr 51, 142-146. 1990.
·         BALLOR DL, POEHLMAN ET. Resting metabolic rate and coronary-heart-disease riskfactors in aerobically and resistance-trained women. Am J Clin Nutr 56, 968-974. 1992
·         BAKALA H, HAMELIN M, MARY J, BOROT-LALOI C, FRIGUET B. Catalase, a target of glycation damage in rat liver mitochondria with aging. Biochim Biophys Acta. Jun, 2012.
·         BIENSO RS, RINGHOLM S, KIILERICH K, AACHMANN-ANDERSEN NJ, KROGH-MADSEN R, GUERRA B, PLOMGAARD P, VAN HALL G, TREEBAK JT, SALTIN B, LUNDBY C, CALBET JA, PILEGAARD H, WOJTASZEWSKI JF. GLUT4 and glycogen synthase are key players in bed rest-induced insulin resistance. Diabetes. 61(5):1090-9. 2012.
·         BRYNER RW, DONLEY DA, CUTLIP RG, WIRTH O, ALWAY SE.  Effects of downhill treadmill running on uncoupling protein 3 mRNA expression. Int J Sports Med. 25(6):433-7. 2004.
·         CHESTER, S; JONES, CHRIETENSEN, J. YOUNG, M. Weight Training Injury Trends: A 20-Year Survey THE PHYSICIAN AND SPORTSMEDICINE - VOL 28 - NO. 7 - JULY 2000
·         CORTRIGHT RN, ZHENG D, JONES JP, FLUCKEY JD, DICARLO SE, GRUJIC D, LOWELL BB, DOMN GL. Regulation of skeletal muscle UCP-2 and UCP-3 gene expression by exercise and denervation. Am J Physiol 276, E217-221. 1999.
·         CURIONI CC, LOURECO PM. Long-term weight loss after diet and exercise: a systematic review. Int J Obes (lond) 29,01168-1174. 2005.
·         CAUZA E, HANUSCH-ENSERER U, STRASSER B, LUDVIK B, METZ-SCHIMMERL S, PACINI G, WAGNER O, GEORG P, R, KOSTNER K, DUNKY A, HABER P. The relative benefits of endurance and strength training on the metabolic factors and muscle function of people with type 2 diabetes mellitus. Arch phys med rehabil. 86:1527-33. 2005
·         COEN PM, GOODPASTER BH. Role of intramyocelluar lipids in human health. Trends Endocrinol Metab. 23, 391-8. 2012.
·         COFFEY VG, JEMIOLO B, EDGE J, GARNHAM AP, TRAPPE SW, HAWLEY JA.  Effect of consecutive repeated sprint and resistance exercise bouts on acute adaptive responses in human skeletal muscle. Am J Physiol Regul Integr Comp Physiol. 297(5):R1441-51. 2009.
·         DEAN D. DAUGARD JR, YOUNG ME, SAHA A, VAVVAS D, ASP S, KIENS B, KIM KH, WITTERS L, RICHTER EA, RUDERMAN N. Exercise diminishes the activity of acetyl-CoA-carboxylase in human muscle. Diabetes 49, 1295-1300.
·         DIPIETRO L, YECKEL CW, DZIURAJ .  Progressive Improvement in Glucose Tolerance Following Lower-Intensity Resistance Versus Moderate-Intensity Aerobic Training in Older Women. Journal of Physical Activity and Health 5, 854-869, 2008.
·         DOLEZAL BA, POTTEIGER JA, JACOBSEN DJ, BENEDICT SH. Muscle damage and resting metabolic rate after acute resistance exercise with an eccentric overload. Med Sci Sports Exerc 32, 1202-1207. 2000.
·         DOUCET E, TREMBLEY A, SIMONEAU AJ, JOANISSE DR. Skeletal muscle Enzymes as predictors of 24-h energy metabolism in reduced-obese persons. Am J Clin Nutr 78, 430-435. 2003.
·         FERNSTRÖM M, TONKONOGI M, SAHLIN K. Effects of acute and chronic endurance exercise on mitochondrial uncoupling in human skeletal muscle. J Physiol.  554 (Pt 3):755-63. 2004
·         FLORES DF, GENTIL P, BROWN LE, PINTO RS, CARREGARO RL, BOTTARO M. Dissociated time course of recovery between genders after resistance exercise. Journal of Strength and Conditioning Research. 25, 3039–3044. 2011
·         GARROW JS, SUMMERBELL CD. Meta-analysis: effect of exercise, with or without dieting, on the body composition of overweight subjects. Eur J Clin Nutr 49, 1-10. 1995.
·         GENTIL. P. Emagrecimento. Quebrando mitos e mudando paradigmas. Sprint , rio de janeiro, 2010.
·         GREDIAGIN A; CODY M; RUPP J; BENARDOT D; SHERN R exercise intensity does not effect body composition change in untrained, moderately overfat women. J am diet assoc, 1995 jun, 95:6, 661-5
·         GUPTE SA. Targeting the Pentose Phosphate Pathway in Syndrome X-related Cardiovascular Complications. Drug Dev Res. 2010 May 1;71(3):161-167.
·         HAN Y, CHEN JZ.  Oxidative Stress Induces Mitochondrial DNA Damage and Cytotoxicity through Independent Mechanisms in Human Cancer Cells. Biomed Res Int. 82, 50-65. 2013.
·         HARMER AR, CHISHOLM DJ, MCKENNA MJ, HUNTER SK, RUELL PA, NAYLOR JM, MAXWELL LJ, FLACK JR. Sprint training increases muscle oxidative metabolism during high-intensity exercise in patients with type 1 diabetes. Diabetes Care.;31(11):2097-102. 2008.
·         IBANEZ J, IZQUIERDO M, ARGUELLES I, FORGA L, LARRION JL, GARCIA-UNCITI M, IDOATE F & GOROSTIAGA EM..Twice-weekly progressive resistance training decreases abdominal fat and improves insulin sensitivity in older men with type 2 diabetes. Diabetes Care 28, 662-667. 2005.
·         ITEM F, NOCITO A, THÖNY S, BÄCHLER T, BOUTELLIER U, WENGER RH, TOIGO M. Combined whole-body vibration, resistance exercise, and sustained vascular occlusion increases PGC-1α and VEGF mRNA abundances. Eur J Appl Physiol. 113(4):1081-90. 2013.
·         JAKICIC JM, WINTERS C, LANG W, WING RR. Effects of intermittent exercise and use of home exercise equipment on adherence, weight loss in overweight, sedentary women: a randomized trial. Jama 282, 1554-1560. 1999.
·         KEWALRAMANI G, BILAN PJ, KLIP A. Muscle insulin resistance: assault by lipids, cytokines and local macrophages. Curr Opin Clin Nutr Metab Care. 13, 382-90, 2010
·         KIENS B, RICHTER EA. Utilization of skeletal muscle triacylglycerol during postexercise recovery in humans. Am J Physiol 275, 332-337. 1998.
·         KIMBER NE, HEIGENHAUSER GJM SPRIET LL, DICK DJ. Skeletal muscle fat and carbohydrate metabolism during recovery from glycogen-depleting exercise in humans. J Physiol 548, 919-927. 2003
·         LAFORGIA J, WITHERS RT, SHIPP NJ, GORE CJ. Comparison of energy expenditure elevations after submaximal and supramaximal running. J apll Physiol 82, 661-666. 1997.
·         LEBLANC J, DIAMOND P, COTE J, LABRIE A. Hormonal factors in reduced post-prandial heat production os exercise-trained subjects. J apll Physiol 52, 556-561. 1984.
·         LEMMER JT, IVEY FM, RYAN AS, MARTEL GF, HURLBUT DE, METTER JE, FORZARD JL, FLEG JL, HURLEY BF. Effect of strength training on resting metabolic rate and physical activity: age and gender comparisons, Med Sci Sports Exerc 33, 532-541.
·         MACDOUGALL JD, HICKS AL, MACDONALD JR, MCKELVIE RS, GREEN HJ, SMITH KM. Muscle performance and enzymatic adaptations to sprint interval training. J Apll Physiol 84, 2138-2142. 1998.
·         MATHEUS AS, TANNUS LR, COBAS RA, PALMA CC, NEGRATO CA, GOMES MDE B. Impact of diabetes on cardiovascular disease: an update. Int J Hypertens. 2013
·         MILLER WC, KOCEJA DM, HAMILTON EJ.  A meta-analysis of the past 25 years of weight loss research using diet, exercise or diet plus exercise intervention. International Journal of Obesity, 21, 941-947. 1997.
·         NELSON, D. L.; COX, M. M. Lehninger: Princípios de Bioquímica. 3ª ed., Sarvier, São Paulo 2003
·         NIH. Clinical guidelines on the identification, evaluation and treatment of overweight and obesity in adults. The evidence report. National Institute of health. Obes Res 6 suppl 2 51s-209s. 1998
·         PILEGAARD H, KELLER C, STEENSBERG A, HELGE JW, PEDERSEN BK, SALTIN B, NEUFER PD. Influence of pre-exercise muscle glycogen content on exercise induced transcriptional regulation of metabolic genes,
·         PRATLEY R, NICKLAS B, RUBIN M, MILLER J, SMITH A, HURLEY B, GOLDBERG A. Strength training increases resting metabolic rate and norepinephrinelevels in healthy 50-to-65-yr-old men. J Apll Physiol 76, 133-137. 1994.
·         ROMIJN JA, COYLE EF, SIDOSSIS LS, GASTALDELLI A, HOROWITZ JF, ENDERT E,  WOLFE RR.  Regulation of endogenous fat and carbohydrate metabolism in relation to exercise intensity and duration. Am J Physiol, 265, p. 380-391. 1993.
·         ROY HJ, LOVEJOY JC KEENAN MJ, BRAY GA, WINDHAUSER MM, WILSON JK. Substrate oxidation and energy expenditure in athletes and nonathletes consuming isoenergetic high and low fat diets. Am J Clin Nutr 67, 405-411. 1998
·         RUDERMAN NB, SAHA AK, VAVVAS D, WITTERS LA. Malonyl-CoA, fuel sensing, and insulin resistance. Am J Physiol 276, E1-E18. 1999.
·         SCHMIDT WD, BIWER CJ, KALSCHEUER LK. Effects of long versus short bout exercise on fitness and weight loss in overweight females. J Am Coll Nutr 20, 494-501. 2001.
·         SCHRAUWEN P, HESSELINK MK. The role of uncoupling protein 3 in fatty acid metabolism: protection against lipotoxicity? Proc Nutr Soc.(2):287-92. 2004.
·         SCHRAUWEN P, HESSELINK M. Uncoupling protein 3 and physical activity: the role of uncoupling protein3 in energy metabolism revisited. Proc Nutr Soc 62, 635-643. 2003
·         SCHRAUWEN P, RUSSELL AP, MOONEN-KORNIPS E, BOON N, HESSELINK MK. Effect of 2 weeks of endurance training on uncoupling protein 3 content in untrained human subjects. Acta Physiol Scand. 183(3):273-80. 2005
·         SHAW CS, SHEPHERD SO, WAGENMAKERS AJ, HANSEN D, DENDALE P, VAN LOON LJ. Prolonged exercise training increases intramuscular lipid content and perilipin 2 expression in type I muscle fibers of patients with type 2 diabetes.Am J Physiol Endocrinol Metab. 303, E1158-65. 2012.
·         SJODIN AM, FORSLUND AH, WESTERP KR, ANDERSSON AB, FORSLUND JM, HAMBREUS LM. The influence of physical activity on BMR. Med Si Sports Exerc 28,85-91. 1996.
·         TJONNA AE, LEE SJ, ROGNMO O, STOLEN TO, BYE A, HARAM PM, LOENNECHEN JP, AL-SHARE QY, SKOGVOLL E, SLORDAHL SA, KEMI OJ, NAJJAR SM, WISLOFF U. Aerobic interval training versus continuous moderate exercise as a treatment for the metabolic syndrome: a pilot study. Circulation 118, 346-354. 2008.
·         TONKONOGI M, KROOK A, WALSH B, SAHLIN K. Endurance training increases stimulation of uncoupling of skeletal muscle mitochonfria in humans by non-esterified fatty acids: an uncoupling-protein-mediated effect? Biochem J 351 Pt3,0805-810, 2000.
·         TREMBLAY A,  DESPRES JP LEBLANC C, CRAIG CL, FERRIS B, STEPHENS T, BOUCHARD C. Effect of intensity of physical activity on body fatness and fat distribution. Am J Clin Nutr 51, 153-157. 1990
·         TREMBLAY A, POEHLMAN ET, DESPRES JP, THERIAULT G, DANFORTH E, BOUCHARD C. Endurance training with constant energy intake in identical twins: changes overtime in energy expenditure and relates hormones. Metabolism 46, 499-503. 1997.
·         TREMBLAY A; SIMONEAU JA; BOUCHARD C impact of exercise intensity on body fatness and skeletal muscle metabolism. Metabolism, 1994 jul, 43:7, 814-8
·         TORMOS KV. et al. Mitochondrial complex III ROS regulate adipocyte differentiation. Cell Metab. 14, 537–544. 2011
·         VAN GENT R N, SIEM D, VAN MIDDELKOOP M, VAN OS A G, BIERMA-ZEINSTRA S M A, KOES B W. Incidence and determinants of lower extremity running injuries in long distance runners: a systematic review.Br J Sports Med 41:469-480 2007.
·         VAN LOON LJ, GREENHAFF PL, CONSTANTIN- TEODOSIU D, SARIS WH, WAGEN-MAKERS AJ. The effects of increasing exercise intensity on muscle fuel utilization in humans. J Physiol 536, 295-304. 2001.
·         VENABLES MC, ACHTEN J, JEUKENDRUP AE. Determination of fat oxidation during exercise in healthy men and women: a cross sectional study. J Appl Physiol 98, 160-167. 2005.
·         VOLKOV, NI KARASSEV, AV;  KHOSNI,  M. Teoria e prática do treinamento intervalado. Moscou: Academia Dzenjinski, 1995
·         WHO. Consultation on obesity. Obesity: prevention and managing, the global epidemic. Report of who consultating in obesity, world health organization, geneva, 1997.
·         YOSHIOKA M, DOUCET E, ST-PIERRE S, ALMERAS N, RICHARD D, LABRIE A, DESPRES JP, BOUCHARD C, TREMBLAY A. Impact of high intensity exercise on energy expenditure, lipid oxidation and body fatness. INt J Obes Relat Metab Disord 25, 332-339. 2001.
·         ZURLO F, NEMETH PM, CHOSKI RM, SESODIA S. RAVUSSIn E. Whole body energy metabolism and skeletal muscle biochemical characteristics. Metabolism 43,0481-486. 1994.

278 comentários:

  1. SENSACIONA.....vc é de sampa professor??????????/

    ResponderExcluir
  2. Christiano Moreira13 de julho de 2013 21:27

    Prezado Dr. Souto e Felipe,

    Já postei aqui no blog em um mês tive um resultado fantástico de 12 kilos de 150 para 138, minha glicemia, baixou consideravelmente, para ter uma idéia, minha hemoglobina glicolisada baixou de 6,7% para 5,5% em 30 dias, minha insulina de 60 para 13 (meu médico ficou estupefato lendo os exames), estou muito impressionado e contente com este estilo de vida.

    Todavia gostaria de incluir exercícios na minha rotina e gostaria de fazer exercícios intervalados e musculação, no enfoque dado na matéria. Sou do ABC Paulista, São Paulo, conhecem algum profissional de educação física na região que trabalhe com este enfoque para indicar?

    Desde já agradeço, e parabenizo-os pela iniciativa de trazer tantas informações de boa qualidade para todos.

    ResponderExcluir
  3. Excelente!!!
    Felipe e Dr. Souto (não sei se o felipe vai responder questões também). Gostaria de saber a impressão de vocês a respeito do Crossfit, modalidade de exercício que utiliza movimentos funcionais, constantemente variados e de alta intensidade. Rob Wolf foi adepto e rompeu laços, Mark Sisson recomenda (mas prefere a abordagem dele) J. Baylor ignora. É meio consenso na comunidade (nos EUA) de adeptos ao Crossfit a alimentação Paleo, mas a recíproca nem sempre é verdadeira. Qual a opinião de vocês?

    ResponderExcluir
  4. Acho a chance de se machucar muito grande. E acho que se machucar é o oposto de saúde.
    Em 13/07/2013 22:24, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  5. Dr. Souto entendo que pode assustar um pouco e talvez não seja o início ideal junto com a alimentação paleo (aliás acho que exercícios realmente sejam importantes num segundo momento). Os exercícos são completamente "escalonáveis" e (experiência própria) é absolutamente viciante. Por curiosidade segue o link
    http://www.youtube.com/watch?v=oH6moN9GB9k. uma senhora que começou Crossfit aos 60 anos. É claro que é um relato de caso, mas não se pode negar que é um cisne negro em meio a hipótese que é uma modalidade potencialmente danosa de atividade física.

    ResponderExcluir
  6. Felipe, que fantástico! Já vou imprimir e levar pra academia!!!
    Parabéns e muito obrigada.

    ResponderExcluir
  7. Olá Dr Souto!
    Não sei se seus conhecimentos sobre atividade física permitiram me responder a essa pergunta, mas vou arriscar.
    O condicionamento físico de quem já ganhou uma quantidade de massa muscular considerável mas não a perda de gordura corporal tão quanto eficiente ( especificamente nas pernas). Qual seria a melhor maneira de praticar uma atividade física que não aumente consideravelmente o volume muscular mas que vise sistematicamente a perda de gordura. Como foi dito, sei que o treino de alta intensidade é uma ótima ferramente para perda de gordura contínua em contrapartida a um aumento significativo no volume muscular o que gostaria de evitar ao máximo. Pois gostaria de conquistar um físico definido porem mais magro que não destoe das formas naturais femininas, não curto o estilo panicat se é que me entende! kkkkk
    Seguindo a dieta conforme está sendo explicado no site acho que não têm erro. E agradeço a sua capacidade de abrir a mente para novos conhecimentos não se prendendo a conceitos pré definidos e mal estudados, está e irá ajudar muitas pessoas e isso é maravilhoso!
    Parabéns, a e adoro todos os podcasts com sua participação, suas argumentações são infalíveis.

    ResponderExcluir
  8. Camila, não confunda volume muscular com aumento da massa magra. O que tem mais volume, 1k de carne ou 1k de gordura? Os dois tem o mesmo peso mas em termos de volume, a gordura ocupa MUITO mais espaço... A melhor maneira continua sendo HIIT e hipertrofia. E fique tranquila pois, para nós mulheres, é MUITO difícil ficar musculosa. Não temos nem facilidade hormonal pra isso! http://emagrecerdevez.com/mulher-bombada-e-mito

    ResponderExcluir
  9. Boa Noite Dr.!
    já peço desculpas adiantadas por colocar aqui algo que não tem a ver DIRETAMENTE com o post, mas que é essencial no propósito do blog.
    Gostaria de deixar uma sugestão: fazer uma compilação dos argumentos desse site - http://carbsanity.blogspot.com.br/ - e em seguida os contra-argumentos, pois o site refuta vários pontos abordados pela Paleo/Low Carb, então seria válido para todos verem o que está sendo dito do outro lado (não o da ciência dogmática, mas o da que ANALISA os próprios argumentos da low carb). Isso, claro, se for possível, na medida da sua disponibilidade e na de outros colaboradores aqui do site. O contraste das ideias resumidas em um post seria muito interessante! No mais, sempre colocando pontos relevantes e diversificados nas atualizações do blog, continue assim!

    ResponderExcluir
  10. ...e continua desastrosamente errada.


    Pirâmide alimentar é redesenhada para melhorar a dieta dos brasileiros

    http://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/redacao/2013/07/13/piramide-alimentar-e-redesenhada-para-melhorar-a-dieta-dos-brasileiros.htm

    ResponderExcluir
  11. Fantástico! Ficou muito orgulhoso quando vejo que alguns profissionais de educação física fazem pesquisa, não é algo tão comum na área. O artigo está sensacional, imprimindo para enviar ao meu instrutor. :D

    ResponderExcluir
  12. Arthur, eu não pretendo fazer uma postagem específica sobre isso, visto que eu apenas estaria dando visibilidade para a autora do referido blog - já ouvi uma entrevista dela no podcast do Jimmy Moore ano passado, e é uma pessoa muito confusa cujo objetivo na vida é falar contra o Taubes - ou seja, ela tem uma agenda específica, que afeta sua visão de mundo (em verdade, todos temos um pouco...). Alguns argumentos dela têm fundamento, muitos não têm. Vou copiar abaixo uma resposta que dei a outra leitora, que me indicou um site com críticas semelhantes:

    "São questões importantes. E os links que vc indicou apresentam algumas verdades misturadas a outras afirmações mais questionáveis.

    1) Eu concordo que há a necessidade de criar um déficit calórico, apenas considero que PARA A MAIORIA das pessoas, este déficit calórico não precisa ser criado propositalmente - que com o consumo de comida de verdade, low carb, o apetite tende a diminuir sem sofrimento.

    2) Há, de fato, picos de insulina produzidos por proteínas. E as dos laticínios estão entre elas. No entanto, as proteínas tem um efeito térmico maior e uma saciedade maior e, portanto, menor potencial de abuso do que os carboidratos, acabarão sendo consumidas em menor quantidade e produzirão estrago bem menor.

    3) Não tenho dúvidas de que se uma pessoa comer 5000 calorias de gordura pura, haverá estocagem de gordura por meios extra-insulina. Mas ninguém faria isso. Um dos autores que vc cita considera que ninguém comeria 5000 calorias açúcar. Mas eu afirmo que comeriam facilmente 5000 calorias de amido, na forma de massa, pães, praetzes, doughnuts, biscoitos recheados, etc. E, neste caso, haveria a facilitação da insulina para o engorde.

    4) Para algumas pessoas, o apetite é o problema causal. Há distúrbios hipotalâmicos, pouco compreendidos, nos quais o apetite é simplesmente aumentado. Se a insulina elevada não é a causa, reduzi-la não será a solução. Nestes casos, o controle de porções, infelizmente, precisa ser adotado. Não somos todos iguais em nossos metabolismos e em nossas doenças.

    5) Para algumas pessoas, reduzir a gordura pode ser interessante - mas varia. Para mim, por exemplo, são muito saciantes. Há que testar.

    6) Eu sugeriria ler o livro do Brad Pilon (Eat Stop Eat) e fazer o jejum, mesmo que com certo sofrimentos nas primeiras vezes. Com o tempo, vc vai tendo cada vez mais facilidade, e descobre a diferença entre fome real e vontade de comer por outros motivos (hábito, conforto, motivos emocionais).

    7) A vantagem metabólica é real, mas é limitada a umas 300 calorias por dia: http://www.cavemandoctor.com/2012/06/27/new-jama-article-supports-the-metabolic-advantage-of-low-carb-diets/ ou seja, vc pode comer mais fazendo low carb, mas não pode comer enlouquecidamente mais.

    8) A insulina baixa é mais importante para permitir que a gordura seja retirada dos adipócitos do que a insulina alta é importante para estocar gordura. De fato, gordura pode ser estocada pela ASP (http://high-fat-nutrition.blogspot.com.br/2008/05/weight-loss-when-its-hard.html), mas com insulina alta, não há exercício que queime gordura. "Excess weight is the result of a failure of adipocytes to release energy, hunger is needed to supply any shortfall needed for metabolism."

    9) Em resumo, low carb apenas, sem déficit calórico, não irá funcionar; mas é muito mais fácil fazer déficit calórico com menos fome, e low carb diminui a fome; se a pessoa está em equilíbrio, acima do peso mas com peso estável, simplesmente reduzir drasticamente os carbs pode criar um déficit calórico automático de 300 calorias apenas por aumento da taxa metabólica.

    10) Na pior das hipóteses, quando tudo falha, precisa passar fome. Mas a fome ainda assim será menor com low carb.

    ResponderExcluir
  13. Adolfo Neto (UTFPR)15 de julho de 2013 10:34

    Fui atrás de alguns artigos citados no texto e este parece cheio de cherry picking. Eles selecionam até artigos que não tem nada a ver com a afirmação cujo artigo supostamente deveria dar base.

    Um exemplo:

    "O exercício aeróbio também é capaz de induzir hiperinsulinemia crônica e resistência à insulina (CAUZA et al., 2005; DIPIETRO et al., 2008)."

    CAUZA é

    CAUZA E, HANUSCH-ENSERER U, STRASSER B, LUDVIK B, METZ-SCHIMMERL S, PACINI G,
    WAGNER O, GEORG P, R, KOSTNER K, DUNKY A, HABER P. The relative
    benefits of endurance and strength training on the metabolic factors and
    muscle function of people with type 2 diabetes mellitus. Arch phys med rehabil. 86:1527-33. 2005

    Mas (CAUZA et al., 2005) http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/16084803 trata apenas de diabéticos Tipo II. Daí tirar uma afirmação geral? Não li o full paper, mas não está no abstract.

    Já quanto a (DIPIETRO et al., 2008) http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/19164820 se refere a "Healthy, inactive older (74 +/- 5 [SD] years) women".


    Temos que ter cuidado com este tipo de texto. Parece Ciência, ou baseado em Ciência, mas não é!

    ResponderExcluir
  14. Interessante, Adolfo!

    Se vc tiver tempo/paciência de fazer a análise crítica do texto, eu poderia postar aqui, se vc quiser.
    Em 15/07/2013 10:34, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  15. Salmão de cativeiro não contém ômega 3, dizem especialistas
    http://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/redacao/2013/07/15/sabe-a-diferenca-entre-o-salmao-selvagem-e-o-de-cativeiro-para-a-saude.htm

    ResponderExcluir
  16. Boa Luiz. Eu já tinha tuitado e repassado isso no Plus, mas em inglês. Em 15/07/2013 11:50, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  17. Parece que a analogia do "grass fed beef" é válida para peixes também. E agora? De onde obteremos ômega 3? Eu me acabava no sashimi todo sábado achando que estava me entupindo desse ácido graxo.

    ResponderExcluir
  18. Sou educador fisico e adepto de Dieta intermitente conjugada com paleo desde 2009. Sempre busquei informações em sites e livros gringos e estou muito satisfeito por ter encontrado este blog. Moro no interior e detesto redes sociais não sabia que tanta gente no brasil comungava da idéia.

    ResponderExcluir
  19. Nossa que ótimo saber disso, agora posso aliar a prática da capoeira com a dieta Lowcarb e o melhor, sem precisar necessariamente ir para a academia, uma vez que meu objetivo é a perca de % de gordura.

    ResponderExcluir
  20. Prezado Felipe Piacesi,

    - para eu tirar o melhor proveito das aulas de musculação (queima de gordura e definição muscular) devo fazer os movimentos com peso na velocidade mais rápida ou mais lenta possível?
    - dá para transformar uma caminhada em um "Exercício Intervalado de Alta Intensidade"? De que modo?

    - há alguma contra-indicação em fazer esses exercícios (caminhada e musculação) em jejum?


    Abraços e agradeço pela atenção!

    ResponderExcluir
  21. Carlos Salerno Gonçalves15 de julho de 2013 16:32

    Eu tenho uma expressão para quando leio algo realmente bom..."gostaria de ter escrito", ela deve ser usada para esse texto!

    Este artigo fala sobre três pontos importantes do treinamento e saúde: tipo de exercício, volume e intensidade. Estes pontos são abordados de forma equivocada por uma série de profissionais (educação física e medicina) gerando recomendações equivocadas como acontece com a alimentação.

    Se olharmos com atenção as conclusões do texto veremos que essa forma de fazer exercício apresenta um abordagem evolutiva do condicionamento físico e saúde...caso alguém esteja em ler sobre isso sugiro: www.carlinhostreinamento.blogspot.com.br

    Parabéns aos Felipe pela descoberta deste texto, o que demonstra que ele possui conceitos sobre treinamento e saúde com os quais eu concordo.

    Abraços

    ResponderExcluir
  22. No churrasco. Nosso beef é Grass Fed
    Em 15/07/2013 12:33, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  23. Bom dia, Dr!

    Li grande parte do seu blog durante os 2 últimos dias, e estou tentadíssima a fazer a dieta paleo. Porém, tenho algumas dúvidas, vou resumir minha "história", e caso o sr. possa respondê-las, eu agradeceria imensamente! Bom, tenho 20 anos, e num tempo de 1 ano e meio/2 anos, emagreci quase 70 kg, pesava por volta de 130 kg, e hoje oscilo entre 75/73 kg, o que para a minha estatura de 1,68, considero ainda um pouco acima do que desejo. Emagreci todo esse peso fazendo uma dieta hipocalórica, comia apenas 1 vez por dia, mas numa quantidade razoável, e às vezes fazia jejum quando exagerava nas calorias. O problema, é que estacionei nesse peso, e sinceramente, cansei de passar fome e contar calorias. O sr acha que consigo emagrecer mais uns 15/20 kg fazendo a dieta paleo, ou devo me conformar com o peso que estou? Outra dúvida que tenho, é que devido a grande perda de peso, fiquei bastante flácida, nunca pratiquei exercício algum, e penso em fazer muay thai, o que sr acha? Com esse exercício, juntamente com a dieta, posso um dia alcançar minha meta de ter um corpo definido? Não quero somente emagrecer, e sim ficar "gostosa", durinha e definida rs. Musculação seria mais indicado ou o muay daria conta? Desculpe pelo comentário gigantesco, mas senti extrema confiança em ti, espero que possa me ajudar. Obrigada desde já!

    ResponderExcluir
  24. Dr, já faço a dieta há 11 meses com sucesso. Há 1 mês e meio entrei na musculação (3x na semana, 1 dia de treino pesado, 1 dia de corrida, 1 dia treino de alta intensidade "circuito"). E jogo tênis (30 min.) 2x na semana. Nesse período da musculação já ganhei 1,8kg, minha primeira avaliação será daqui a 1 mês ainda. Como lidar com isso? Será ganho de massa magra realmente? Nos com esse tipo de alimentação com comida de verdade, fazendo exercícos, e ver a balança subir é muito desanimador. Minha alimentação é a base de ovos, bacon, manteiga, verduras, creme de leite, abacate, morangos, azeite, castanhas, vinho, chocolate 85% cacau ou 99% cacau. Será exagero de exercícios? Meu menor peso até agora foi 62,3kg (tenho 1,74 cm, 24 anos), ele mantinha entre 62,5 e 63,5, no momento estou com 64,8kg. Não gosto do que
    vejo na balança, mas gosto do que vejo no espelho. Me ajude! Mantenho minha alimentação dessa forma? Mantenho essa rotina de exercícios? Obrigada Dr. T.M.F.D.

    ResponderExcluir
  25. Para mim parece óbvio que é músculo. As calças estão servindo igual (ou melhor)? Se sim, esqueça a balança. Exercício pode até não emagrecer muito, mas com certeza não engorda nem faz mal, pelo contrário.
    Em 16/07/2013 08:09, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  26. Obrigada Dr. Vou monitorando pelas roupas e espelho! Abraços T.M.F.D.

    ResponderExcluir
  27. Este blog não é saudável. Conheci outro dia e estou viciado. Se carbo vicia, este blog também.

    ResponderExcluir
  28. Ola Dr Souto tudo bem??
    acompanho o seu blog e está de parabens !!!
    gostaria de saber porque comecou a nascer espinhas em meu rosto
    apos eu adotar a dieta paleolitica?? Até pensei que fosse as nozes
    mas cortei elas por 3 dias e mesmo assim todo dia nasce umas 3 espinhas
    no meu rosto. o que pode ser???
    Descontrole Hormonal??


    Desde já, Obrigado

    ResponderExcluir
  29. kkkkkkk! esse vício é dos bãos!!

    ResponderExcluir
  30. Olá João Antônio.

    Normalmente LCHF/ páleo é tratamento para espinhas. Pode ser intolerância a algum alimento. 3 dias somente não vão responder se o problema de espinhas é das nozes. Vc tem comido amendoim? Iogurte, leite e queijos são diferentes. As vezes quem tem intolerancia a lactose tolera bem os queijos.

    O Dr. Souto já falou sobre isso aqui. "É possível que ela não tolere direito ovos ou laticínios, por exemplo, e ao aumentar drasticamente o consumo de queijo e ovos passe a apresentar retenção hídrica, espinhas, etc. Eu tentaria retirar estes dois grupos de alimentos (por que são os que mais comumente provocam intolerância) por 3 semanas, e depois reintroduziria um a um, para descobrir qual é o culpado. "

    Outro comentário: "O Dr. Cordain, um dos pioneiros de dieta paleolítica, conduziu um estudo sobre low carb e espinhas e comprovou que é extremamente eficaz. A insulina, através do IGF-1, estimula as espinhas. Ele fez este estudo após constatar que adolescentes de populações de estilo de vida tradicional (índios, esquimós, aborígenes, etc), não sabem o que são espinhas."

    ResponderExcluir
  31. Ola patricia tudo bem?
    obrigado pela resposta !!
    entao, basicamente eu cortei os laticinios e seus derivados ja faz quase 2 meses. Porem eu consumo 4 ovos diario fritos com a gordura do bacon ou com oleo de coco.
    Nao como amendoim, porem como 1 castanha do para, umas 4 nozes e umas 6 amendoas todo dia.
    Utilizo para fritar minhas carnas, a banha de porco refinada da sadia. Nao sei qual destes alimentos podem estar me fazendo ter espinhas.

    ResponderExcluir
  32. Estás bebendo água suficiente?


    A 'sujeira' do corpo sai de várias formas, mas precisa de MEIO para sair.

    ResponderExcluir
  33. Estou consumindo cerca de 1,5 litro de agua ibira por dia. Acredito que seja suficiente essa quantidade, ja que nao tomo refrigerantes e nem sucos. somente agua.

    ResponderExcluir
  34. Duvido muito que sejam os ovos. Mas tente eliminar essas castanhas e nozes por um período maior. Como disse, 3 dias é pouco pra saber se a intolerância são elas ou não. Vc toma whey? tem relatos aqui no blog de pessoas que tem espinhas por whey. Não sei se pode ser hormonal ou não, mas vale a pena verificar! E a dica da Ada é das boas, beba água!

    ResponderExcluir
  35. Olá Gabrielle.


    Não existe garantia de que irá emagrecer, mas lendo o blog vc já deve ter percebido que a chance disso acontecer é grande né? ;) !!
    Eu sou adepta da musculação, e não existe outra modalidade que te faz ficar tão definida e durinha. Também não sei o nível de flacidez que vc tem, não sou capaz de avaliar se vc vai conseguir o que quer. O que te digo é: TENTE! Faça musculação PESADA. Fale com o instrutor que vc quer poucas repetições (máximo 8) e muuuita carga.
    Mesmo que vc não emagreça, vai ganhar lindos músculos!

    ResponderExcluir
  36. Nao tomo whey ja faz uns 6 meses. No momento nao estou fazendo academia, mas emagreci uns 11 kg (de 89 kg fui para 78) apenas adotando a dieta paleolitica.
    Na minha adolescencia eu tive problemas com acnes e até tive que tomar roacutan, talvez seja o leite que ocacionara pois tomava cerca de 500 ml de leite todos os dias, porem as espinhas q tenho agora sao diferentes das que eu tinha anteriomente.

    ResponderExcluir
  37. Garanta se expor à luz do sol por 15 min por dia. O sol ajuda a eliminar espinhas. Não precisa ser banho de sol, apenas sair à rua, caminhar, ir à padaria ou ao mercado, etc.
    Eu eliminaria as nozes/castanhas e iria adicionando-as de volta à dieta gradualmente caso as espinhas eventualmente sumam.

    ResponderExcluir
  38. Quando descobri este blog, passei noites acordados lendo e assistindo aos vídeos. Descobrir que é possível comer gordura saturada à vontade é como descobrir um super poder, ou que ganhou na mega sena ou recebeu uma bolada de herança inesperadamente.

    ResponderExcluir
  39. Eu mudei minha alimentação para paleo/lowcarb há pouco mais de 2 meses e não vejo o peso descer muito (eliminei só 1 quilo nesse tempo), mas as medidas (principalmente no quadril e cintura) e a porcentagem de gordura caíram bastante (7% a menos).
    Venho de uma dieta com restrição calórica e de glúten em que eliminei 20 quilos em 9 meses e tinha chegado ao meu plateau, pois não eliminei nada por 2 meses seguidos. Ainda queria eliminar mais 5 quilos e aí conheci esse novo modo de me alimentar que me encantou.


    Por isso, tenho duas perguntas: Não faço musculação por conta de uma hérnia de disco que estou tratando com fisioterapia. Pretendo começar assim que meu ortopedista liberar, portanto estou focando só na alimentação correta sem grãos e açúcar e incluindo gordura. É possível a troca de massa gorda por massa magra mesmo sem musculação?


    Cheguei ao meu set point aparentemente, mas queria reduzir o peso um pouco mais. Estou tentando o jejum (16 horas 2x por semana), mas não vi mudanças na balança. A musculação é útil para quebrar esse plateau?
    Obrigada.

    ResponderExcluir
  40. Excelente artigo!!!

    Tenho uma dúvida e não encontrei a informação no site: a utilização de café (cafeína) promove alta de cortisol no organismo? E em caso afirmativo, de que modo pode afetar o controle glicêmico e/ou a inibição da testosterona (que tem papel essencial na construção da massa magra, além de outras funções importantes), assim como de outras reações bioquímicas? E quanto a paciente hipertensos, há contraindicação?

    Evidentemente, cada caso é um caso, cada metabolismo responde de maneira individual, mas como encontrei muita informação que se contradiz pesquisando na net (inclusive em artigos acadêmicos), tanto na área de nutrição como na área de condicionamento físico e musculação, lanço a questão aos especialistas!

    No mais, fantástico o blog, parabéns a todos!!!!!

    Att. Leo

    ResponderExcluir
  41. :-)
    Em 16/07/2013 11:00, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  42. Laticínios
    Em 16/07/2013 12:35, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  43. João Antônio, talvez precisemos de um dermatologista no seu caso...
    Em 16/07/2013 13:31, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  44. Sim, e sim. Pode sim haver ganhos modestos de massa magra apenas com dieta, e exercício de alta intensidade pode quebrar platô, assim como jejum Em 16/07/2013 15:43, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  45. Carlinhos, como já mencionei no FB, sou fã do teu blog. Gosto da tecnicidade com que é tratado o assunto, infinitamente mais claro que os superficiais portais por aí.

    Sugiro a você e ao Felipe um post, dentro desta proposta que no blog é abordado pelo Dr. Souto, com os pilares DESCANSO/ALIMENTAÇÃO/EXERCICIO para quem está na transição de um esquema alimentar anterior ao novo e faz exercicios.

    Eu, por exemplo, senti um pouco de fraqueza, que é decorrente da mudança alimentar. Mas além do livro DIETA TNT, que tem um guia de exercícios multimuscular, me sinto confusa de como conduzir o treino. Principalmente porque a maioria dos instrutores não dão bola pra nossa mudança de comportamento.

    É muito comum, pelo que percebi, as pessoas ficarem empolgadas e partirem direto pra um excesso de AF, ou puxar mais na musculação, ou fazer HIIT sem ao menos estar adaptado. Daí desistem e cedem na alimentação ou na AF. Nem todos tem ajuda disponível, ou como no meu caso, um instrutor bem disposto a ceder aos pedidos e sem preguiça de ler este blog ou qualquer outro material que vá CONTRA ao aprendido em faculdade. hahaha

    Se vocês puderem ajudar aos iniciantes com a experiência que tem, agradeço e peço desculpas pelo atrevimento do pedido.

    Aos novos por aqui, sugiro que leiam: http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2013/06/prezado-dr-souto-exercicio-sem.html

    ResponderExcluir
  46. Obrigado, Leo.

    Cafeína não prejudica a perda de peso. Stress sim. Se a pessoa tiver fadiga adrenal por excesso de stress, a redução do stress físico e emocional, além de eliminar o café, ajudam. Mas simplesmente tomar café não prejudica. Em 16/07/2013 15:52, "Disqus" escreveu:

    **
    [image: Disqus] Settings
    A new comment was posted on Dieta Low-Carb e Paleolítica ------------------------------ *Leo Alvarez*
    Excelente artigo!!!

    Tenho uma dúvida e não encontrei a informação no site: a utilização de café (cafeína) promove alta de cortisol no organismo? E em caso afirmativo, de que modo pode afetar o controle glicêmico e/ou a inibição da testosterona (que tem papel essencial na construção da massa magra, além de outras funções importantes), assim como de outras reações bioquímicas? E quanto a paciente hipertensos, há contraindicação?

    Evidentemente, cada caso é um caso, cada metabolismo responde de maneira individual, mas como encontrei muita informação que se contradiz pesquisando na net (inclusive em artigos acadêmicos), tanto na área de nutrição como na área de condicionamento físico e musculação, lanço a questão aos especialistas!

    No mais, fantástico o blog, parabéns a todos!!!!!

    Att. Leo

    2:52 p.m., Tuesday July 16
    * Reply to Leo Alvarez *
    Moderate this comment by email

    Email address: *leone_alvarez@hotmail.com* | IP address: 200.207.149.64

    Reply to this email with “Delete”, “Approve”, or “Spam”, or moderate from the *Disqus moderation panel*.


    ------------------------------

    You're receiving this message because you're signed up to receive notifications about activity on threads authored by jcsouto.

    You can unsubscribe from emails about activity on threads authored by jcsouto by replying to this email with "unsubscribe" or reduce the rate with which these emails are sent by adjusting your notification settings.

    [image: Disqus]

    ResponderExcluir
  47. Já tinha saído do salmão (a cor "saudável" dele também vem de corantes).
    Fui para o atum, mas http://www.scientificcircle.com/pt/93114/niveis-mercurio-atum-solido-enlatado-comercializado-cidade/.
    Agora estou na sardinha e cação (até encontrar alguma coisa...).

    ResponderExcluir
  48. Eu vou continuar no sashimi de salmão por causa da proteína e das outras gorduras. Mas vou comer mais carne vermelha ainda.

    ResponderExcluir
  49. Bem eu realmente acho então que eu não estou confundindo, pois já observei o grande crescimento muscular (de massa magra) em minhas pernas o que não me agradou muito no sentido estético. Existe ainda uma boa quantidade de gordura a eliminar, e é esse o foco que eu quero dar a elas como todo o restante do meu corpo. Mas a minha dúvida do Hit é exatamente esta: o aumento considerável da musculatura dando o aspecto de pernas muito grossas o que não esta me agradando.Fazendo o Hit com pesos menores faria alguma diferença?, lembrando que eu quero definição sem muito volume com o desenvolvimento muscular.
    Obrigada pela atenção!

    ResponderExcluir
  50. Eu acho que o volume não é do músculo e sim da gordura a eliminar. Não acho que menos peso vai ajudar, pelo contrário.

    ResponderExcluir
  51. Patrícia, concordo contigo. Mas, já que a Camila está muito preocupada com isso, será que corridas de exaustão intercaladas com os dias de musculação a deixariam mais tranquila?
    Deixaria as pernas definidas, mas sem aumentar o volume.
    Seria recomendável?

    ResponderExcluir
  52. Ada, infelizmente a maioria das pessoas é muito imediatista. Depois de anos de péssimos hábitos alimentares, noites em claro, as vezes ingerindo doses e mais doses de bebidas alcoólicas e sedentarismo, nem as melhores combinações de dieta, exercício e descanso podem resolver por imediatamente os problemas adquiridos ao longo dos anos.

    ResponderExcluir
  53. Olá Ana Claudia.

    Poderia sim ser feito com movimentos rápidos e cargas elevadas, entretanto, quanto mais rápido é um movimento e mais elevada é a carga, maior o risco de lesão e maior o estresse articular, portanto, mais arriscado é. Então para o emagrecimento, prefiro fazer movimentos cadenciados na musculação, cerca de dois segundos para cada fase e uma ergometria num equipamento seguro como um elíptico e bicicleta ou mesmo esteira (a partir de um certo nível). Reforço que o treino deve ser composto prioritariamente por exercícios complexos como agachamentos, supinos e puxadas ou remadas. Baixo número de séries e estas levadas à falha concêntrica. Ou seja, máxima carga para uma margem de repetições que deve variar entre 8-15 (inclusive nos membros superiores, MENINAS!). Veja no vídeo o que é uma série máxima. http://www.youtube.com/watch?v=CC4lTYEE6RI

    Uma caminhada pode ser HIIT se a pessoa tiver obesidade grau II ou III e/ou for mal condicionada fisicamente.

    Pelo os relatos das pessoas que fazem dieta low-carb, não há qualquer problema. Entretanto para um melhor rendimento, aparentemente carboidratos pré-treino podem ajudar. Você já viu esta postagem? http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2013/06/prezado-dr-souto-exercicio-sem.html



    Abraços.
    Felipe

    ResponderExcluir
  54. Olá Camila!
    Muitas mulheres se preocupam com um aumento exagerado da musculatura, sobretudo nos MMSS. Para tanto, criei um e-mail com fotos de diversas atletas de nível olímpico de diversas modalidades com seus corpos delgados e atléticos. Questiono: mulheres com uma genética privilegiada a ponto de competirem em nível olímpico, que realizam treinamentos levados ao máximo de suas capacidades, seguem dietas bem construídas, repousam na medida certa não atingem hipertrofia muscular exagerada, porque "as mortais" atingiriam? Mesmo que elas já não tivessem declarado, alguém é capaz de acreditar que as formas masculinas das "panicats" não se deve esteroides anabolizantes como o famoso Stanozolol? Existe um blog de uma moça que está muito em alta atualmente e tenho certeza que ela não é "pura". Porque treinando mal e se alimentando de forma errada para o objetivo ela conseguiu tamanha perda de peso e hipertrofia muscular? Então ela mostra um treino e dietas ruins e atribui a estes fatores seus resultados, enganando milhares de mulheres. E não é nutricionista, professora de educação física ou médica para falar de exercício e dieta...
    Enfim, partindo do pressuposto que o volume de seus MMII são advindos de massa muscular e você queira continuar emagrecendo sem aumentar a massa muscular, continue investindo em HIIT, reduza a intensidade na musculação e faça uma dieta que sinalize menos para o aumento da massa muscular. Mas cuide de seu cortisol, que apesar de ser inibidor da hipertrofia, anaboliza o tecido adiposo, sobretudo o abdominal.
    Abraços

    Felipe

    ResponderExcluir
  55. Olá Christiano!

    Que bom que gostou. Talvez se você procurar o Dr. Carlos Ugrinowitsch ou o pessoal do grupo de estudos dele, na USP, eles te indiquem alguém que tenha conhecimento nesta área, na sua região. Abraços

    ResponderExcluir
  56. Somos de Brasília. Tanto o autor do artigo, Felipe Nassau, quanto eu.
    Abraços

    ResponderExcluir
  57. Se refere à GP, cujo marido também é personal?

    ResponderExcluir
  58. Felipe, eu já faço UM treino de HIIT na semana (tiros de corrida de uns 10'' + descanso) - sigo o protocolo de frequencia de exercício do Mark Sisson - , dois treinos com pesos, aula em circuito, que consistem em estações de 1 minuto de duração com prancha no bosu, flexao, kettlebell, suspensão, abdominal etc., e no resto do tempo, a medida que dá, hidroginástica, ou natação, ou yoga, ou essas aulas comuns em toda academia, por diversão.

    Quero aumentar um treino. Aí é melhor corrida+descanso HIIT ou Spinning, que é HIT?


    E em quantos dias devo espaçar cada treino? P.e., levo 72h pra me recuperar dessas aulas com peso, e não sei que metabolicamente, devo fazer HIIT alternadamente. Tenho ainda um alto BF, cerca de 30%

    ResponderExcluir
  59. Uma matéria interessante:
    http://revistapesquisa.fapesp.br/2013/07/12/grandes-ganhos-com-pequena-perda-de-peso/

    ResponderExcluir
  60. Muito obrigada pelos esclarecimentos Felipe! Ajudou bastante.
    Surgiram mais duas dúvidas:
    - quanto tempo devo deixar passar entre uma série e outra na musculação (30 segundos, um minuto...) objetivando a perda de gordura e definição muscular?
    - fazer uma caminhada intensa durante uns 20 minutos após a musculação prejudica a perda de gordura e a definição muscular? Seria melhora fazer antes ou não fazer?


    Obrigada novamente pela atenção!

    ResponderExcluir
  61. Carlos Salerno Gonçalves17 de julho de 2013 14:49

    Ada...primeiramente agradeço pelos elogios! Gostei sim da sua sugestão e vou bolar uma postagem sobre esse tema...porém não posso prometer que estará no ar imediatamente pois acredito que precise falar uma ou outra coisa sobre alimentação antes de falar sobre esse tema! Caso tu precise de alguma dica imediata por favor escreva para treinamentocarlinhos@gmail.com..abraços

    ResponderExcluir
  62. "Uma caminhada pode ser HIIT se a pessoa tiver obesidade grau II ou III e/ou for mal condicionada fisicamente." - FANTÁSTICO!!!!! obrigada Felipe, suas respostas são muuuuuito boas!!!

    ResponderExcluir
  63. Li aquela postagem sobre os chocolates falsos e gostaria de compartilhar aqui um video onde algumas marcas de whey protein foram analisadas quanto ao seu conteúdo de carb e proteína e os resultados foram bastante surpreendentes. Whey com 15 vezes mais carb do que a alegado no rótulo.

    http://www.youtube.com/watch?v=tmHM7dnbHnU

    Apenas um alerta para aqueles como eu que adoram um creme de leite batido com whey ;-), no mais parabéns pelos exelentes posts.

    ResponderExcluir
  64. Estou de férias em um local com internet 2G (para vídeos, não dá!). Mas vou assistir semana que vem.
    Em 18/07/2013 00:31, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  65. Teresa Cavalcanti18 de julho de 2013 09:54

    Isso é muito problemático para mim! Eu não consigo consumir carne de jeito nenhum e nem frango e dentre os peixes, não consigo consumir quase nenhum (acho a maioria, especialmente sardinha, com sabor muito forte de "carne").


    Os poucos peixes que gosto e que vendem o filé no supermercado são tilápia e salmão. Também gosto de robalo e anchova, mas esses só consumo quando vou em restaurante japonês, não acho para vender o filé.
    Fica difícil evitar o consumo =/

    ResponderExcluir
  66. Teresa Cavalcanti18 de julho de 2013 09:58

    Nos ovos da marca Ikeda diz "alto teor de ômega 3". Não sei o quanto isso é verdade, mas são os ovos que consumo.


    Se não tem ômega 3 no salmão de cativeiro e eu não consumo carne, que outra alternativa me resta? =(

    ResponderExcluir
  67. "O conhecimento liberta, a ignorância escraviza"

    ResponderExcluir
  68. "Carinhos" seu blog é muito legal, visitei-o hoje e já li muita coisa. Como disseram aí, esse assunto é viciante! ehehe.

    ResponderExcluir
  69. Carlinhos Gonçalves18 de julho de 2013 12:06

    Obrigado Márcio...espero continuar colocando postagens legais...abraço

    ResponderExcluir
  70. Dr. Souto mais uma vez estou aqui te pedindo pra continuar fazendo o seu bom trabalho! a gente agradece! e ótimo esse ultimo artigo!
    Dr. Souto eu gostaria de saber se o feijão entra na lista de alimentos de verdade? e o porque?
    muito obrigado!

    ResponderExcluir
  71. Eu sou uma onça... AMO carne de paixão! Acho inconcebível alguém que não come carne!!!

    ResponderExcluir
  72. Olá Pedro.

    Feijões, vagens, leguminosas, são complicados. Tem pessoas que toleram bem. Eu tenho sérias restrições aos tais feijões. Não é só a soja que é problemática. Como já dizia Hipócrates " feijões são tão ricos em nutrientes que poderíamos viver só deles.... se não fossem tão tóxicos". Ele proibia feijões para pessoas doentes, ou seja, quem busca emagrecimento precisa estar atento. Cada tipo de feijão (soja, preto, grão de bico, lentilha, azuki, etc) tem um tempo de preparo, mas no geral precisam de 48 a 72 horas de molho, trocando água, para ficar prontos para consumo humano. Somente em forma "germinativa" eles não apresentam anti nutrientes nem inibidores enzimáticos (Anti nutrientes atrapalham a absorção de nutrientes e levam a carência de minerais. Inibidores enzimáticos bloqueiam enzimas muito importantes, inclusive as que ajudam na digestão das proteínas).
    O Sr. Souto diz que "É mais importante fugir do amendoim (e soja, e feijão, e lentilha) para quem tem problemas auto-imunes e/ou digestivos."
    "Quanto ao feijão, bem, embora tenham proteínas, são 3/4 carboidratos e, como toda a leguminosa (incluindo soja e amendoim), contém lecitinas que alteram a permeabilidade intestinal (não tanto quanto o glúten). Assim, também sugiro o uso apenas esporádico, se fizer questão de consumir."

    ResponderExcluir
  73. Bem lembrado. Acho que vou dar preferência aos ovos de galinha caipira enquanto eu procuro algum estudo sobre a correlação entre ovos de granja e de galinha caipira e os nutrientes encontrados e cada um deles. Vai que a lógica do salmão de cativeiro e do gado alimentado com grãos é válida para os ovos.

    ResponderExcluir
  74. Por essas e outras tenho consumido cada vez menos whey e cada vez mais carne e ovos. A vaca e a galinha não usam rótulo com informações nutricionais.

    ResponderExcluir
  75. Teresa Cavalcanti18 de julho de 2013 17:24

    Ahahaha eu nunca gostei, desde criança! Comia muito pouco e aos 11 parei de vez! Sempre achei o gosto forte demais! Galinha, porco e frutos do mar mesma coisa. Só curto um peixezinho (:

    ResponderExcluir
  76. Ops...CarLinhos..eheh

    ResponderExcluir
  77. Olá Dr. Souto! Venho acompanhando o blog já faz alguns meses e, como a maioria, me empolguei muito com esse novo estilo de vida apresentado aqui. Meus parabéns pelo blog e pela dedicação do Sr. em mantê-lo sempre atualizado. Bom, lá pelo mês de março desse ano, resolvi implementar o conhecimento que eu adquiri lendo o blog e comecei a dieta paleolítica. Comia ovos (de galinha caipira), carnes com gordura, bacon, queijo, manteiga e MUITOS vegetais e legumes (todo dia, 2x ao dia, em grande quantidade). Cabe esclarecer aqui que antes da dieta paleo eu comia todo santo dia, religiosamente, cereal matinal all bran (15g de fibra por porção) e meu intestino funcionava maravilhosamente bem. Após o início da dieta paleo, obviamente, cortei o consumo desse cereal (trigo) e meu intestino começou a ficar muito preso, por mais que eu tentasse comer um número grande de verduras e legumes. Em decorrência dessa constipação constante e da enorme dificuldade ao evacuar (de 3 em 3 dias em média), abandonei a dieta paleo após dois meses. Tinha perdido pouco peso, mas a dieta compensava pelo bem estar que me proporcionava e por ter cessado totalmente minhas compulsões alimentares, as quais sempre foram muito fortes. Voltei a minha dieta convencional com carbs (inclusive o all bran) e meu intestino voltou a funcionar perfeitamente, PORÉM voltaram também as compulsões alimentares e meu humor piorou. Esse mês de julho, tentei novamente fazer a dieta paleo, adicionando abacate à dieta e linhaça também (e muitos vegetais e legumes, claro), para ver se o problema do intestino preso se resolvia, mas não deu certo. Novamente, a constipação é muito grande e a dificuldade para evacuar é IMENSA. Não sei mais o que eu faço Dr, estou numa sinuca de bico! por um lado, amo fazer a dieta paleo, me sinto ótimo e minhas compulsões alimentares tão fortes simplesmente desaparecem! além do mais, não sinto fome e posso comer coisas gostosas! Porém, em contrapartida, meu intestino fica PÉSSIMO. Não sei mais o que eu posso fazer...alguma dica??? Agradeço desde já!

    ResponderExcluir
  78. Olá viihess.

    No começo eu também fiquei assim. O que resolveu foram as gorduras boas. Eu tentaria acrescentar óleo de coco e caprichar mesmo nas boas gorduras (manteiga, banha, azeite, óleo de coco).

    ResponderExcluir
  79. Regar a salada com bastante azeite e usar óleo de côco como molho para salada, duvido que não resolva o problema.
    E, por via das dúvidas, cortaria o queijo por uns 3 dias.

    ResponderExcluir
  80. O que precisa mudar é a flora intestinal (acostumada com açúcar, fica escassa quando muda a dieta)

    Minha sugestão é, além do que disse a Patrícia:

    Iogurte natural feito em casa (pois tem lactobacilos vivos)
    Linhaça moída na hora (compre um moedor de café, e moa um belo punhado de cada vez)
    Um bom probiótico (tipo Probiatop)
    Misture tudo, 2x ao dia, até regularizar, e depois 1x ao dia por 1 mês.
    Se precisar de um laxante em algum momento, use a lactulona, que é pré-biótica (serve de alimento aos probióticos)
    Em 18/07/2013 19:20, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  81. http://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2013/07/18/comercial-da-coca-cola-e-proibido-do-reino-unido.htm

    ResponderExcluir
  82. Ana, como o Felipe ainda não respondeu, vou me meter um pouquinho hehe

    A definição muscular é dada com a hipertrofia muscular + a redução de gordura corporal. Portanto, não adianta pensar muito em "definição muscular" isolada de hipertrofia, como se fosse um componente apenas da redução de gordura. Sabe-se que, durante os períodos de descanso, o corpo libera hormônios como GH e testosterona, que aumentam a queima de gordura e o anabolismo, respectivamente. Tem estudos que mostram que a via de liberação de GH é priorizada com 1min de descanso, mais ou menos, e a de testosterona é priorizada com cerca de 2min.
    Como disse, as vias são PRIORIZADAS. Sendo assim, a liberação dos hormônios existe nos dois períodos de descanso.

    O meu objetivo, por exemplo, é de definir. Então o Felipe (que monta meu treino) dividiu da seguinte forma: nos dias de membros superiores, meu período de descanso é de 1 minuto. Nos dias de membros inferiores, o período de descanso é entre 1 e 2 minutos (consigo recuperar, normalmente, em 1,5min). Nos dias de membros inferiores, você pode perceber que o seu corpo pede um descanso maior. Os exercícios como agachamento e leg press exigem muuuito!

    Mas acho que o Felipe pode falar melhor sobre a segunda pergunta e me corrigir, caso tenha falado alguma besteira anteriormente.
    Acho este assunto ainda controverso (o do aeróbio antes ou depois) heheh

    Espero que possa ter ajudado em algo :)

    ResponderExcluir
  83. Adolfo, que legal que você tenha dado uma olhada nos artigos originais.

    Será que poderia, realmente, dar seguimento à sugestão do Dr. Souto?? Fiquei curiosa! hehe

    ResponderExcluir
  84. Não, Ada. Não é a ela.

    A GP faz os treinos do marido dela e dá as dicas de nutrição, mas sem entrar tanto no lado da outra moça de um blog famoso.
    O corpo da GP, na verdade, é tranquilo, feminino, possível de se conseguir com sua dieta e seus treinos. E ela mesma assumiu, semana passada, que seu resultado foi conseguido aos poucos.

    A outra blogueira é fisioterapeuta (nada contra fisioterapeutas, que fique claro! Eu também estou quase lá) e emagreceu sei lá quantos kgs. Na verdade, não acredito que ela faça na maldade certas coisas. Mas vc pode ver que alguns posts tem uns comentários que não são baseados cientificante.

    ResponderExcluir
  85. Eu deletei a GP do IG e do meu roll de blogs pq ela publica 'dicas' de alimentação totalmente ERRADAS e vendidas. É muita desinformação, pq viver a base do que ela come pode ajuda-la, mas não quem precisa emagrecer, além de aumentar as VENDAS das empresas.

    Enfim, tirei todo e qualquer tipo de leitura ruim sobre emagrecimento e estou focando no que procede!!!

    Agora que me liguei que é a pessoa hahahahah. Olha, eu não duvido do fator 'força de vontade, sério. E para isso, ela mesmo conta, ajuda psicológica foi fator importante.

    Agora.... dizer isso: "Dedico o dia inteiro ao blog. Para cada texto, eu pesquiso como se fosse um artigo científico", é meio presunçoso não?

    Acho que a história dela é incrível, mas como sabido, maiores detalhes da PERDA de peso não foram revelados, além de como ela ganhou todos aqueles músculos comendo quinoa, só proteína magra....



    Apenas minha opinião.

    ResponderExcluir
  86. Concordo com tudo o que você falou! Na verdade, ela conseguiu muitos seguidores pelo senso comum, né?

    Se você for perceber, ela treina TODOS os dias, dá dicas de alimentação baseadas em certos produtos ou no que ela faz para ela (que, logicamente, não serve para todos).

    Acho até preocupante o fato de tantas meninas seguirem a forma de vida dela, sem se atentarem ao que estão fazendo, de fato.

    É muito bonito, falar hoje em dia, de treinamento e nutrição funcional, né? Muita gente acha um espetáculo! Legal, mas preocupante...a maioria das pessoas é "alienada". Ainda sigo o IG dela, mas nem perco tempo lendo o blog, com as dicas de treino e de dieta hahaha


    Sobre "a outra" (kkk), com certeza tem a força de vontade, ajuda psicológica, etc. Mas realmente é esquisito o resultado final...
    Sem contar, que muitas mulheres utilizam testosterona para outros motivos e não contam, né? Enfim...


    Esses blogs, apesar de serem importantes ao estímulo daqueles que querem emagrecer, ainda são preocupantes, no meu ponto de vista. Acho que um dia ainda farei um! Mas vai ser chato pra caramba! hahaha

    ResponderExcluir
  87. Lendo este post e os comentários, pergunto à vocês, podemos considerar a prática da Capoeira, um exercício HIIT? digo isso pq, quando estou "jogando" Capoeira, fico uns 45s realizando golpes rápidos e, quando saio da roda, estou morto de cansado, descanço 1 min e volto a "jogar" novamente, faço isso umas 10x em cada treino. Os treinos ocorrem 4x por semana.

    ResponderExcluir
  88. Lendo este post e os comentários, pergunto à vocês, podemos considerar a
    prática da Capoeira, um exercício HIIT? digo isso pq, quando estou
    "jogando" Capoeira, fico uns 45s movimentando todo o corpo com velocidade e rapidez, descanço 1min e volto a "jogar", faço isso umas 8x por cada treino e os treinos ocorrem 4x por semana.

    ResponderExcluir
  89. Ajudou sim, Beatriz! Obrigada pela atenção!

    ResponderExcluir
  90. Dr... Parabéns pelo blog... mto bom.

    Participo de um grupo no facebook que segue a dieta Atkins... sigo a dieta há mais de 1 mes e obtive resultado mto satisfatório... mas essa semana passei por um epsodio e fui bombardeada lá...

    Tomei chá de sene e relatei que o odor do chá estava saindo no cocô da minha filha de 1 ano e 3 meses... ou seja, eu amamento!!!

    Minha dúvida é... posso amamentar estando em cetose??

    Se puder me dar um parecer sobre esse assunto, ficarei mto grata.

    Me responda por email, por favor. elianevargas2@hotmail.com

    Obrigada!!!

    Eliane Vargas

    ResponderExcluir
  91. Eliane, pode sim, sem problemas. A especie humana fez isso por centenas de milhares de anos, e estamos aqui tendo essa conversa, não é mesmo?


    Em 19 de julho de 2013 12:46, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  92. Muito obrigado pela resposta!

    ResponderExcluir
  93. Rafael Martinelli20 de julho de 2013 01:43

    Boa noite dr!!!
    há um tempo entrei contato com o senhor perguntando a sua opinião sobre combinar diferentes protocolos de dietas.
    estou fazendo o INTERMITTENT FASTING junto com o CARB BACKLOADING.
    Ou seja, estou ingerindo poucos carboidratos a semana toda, com excessao do domingo, quando faço o "dia do lixo" permitido pelo CARB BACKLOADING isso tudo respeitando 16 horas de jejum diárias.
    lendo esta matéria acima postada surgiram algumas dúvidas.

    estou ingerindo muito carboidrato??? A maior parte dos carbos que ingiro sao carbos de baixo IG, no entanto o whey que estou usando (CARNIVOR) possui um pouco de malto. Isso pode ser prejudicial???

    Eu estou fazendo um programa de treino voltado para hipertrofia.
    Sou praticante de lutas tambem. No meu programa de treino atual estou intercalando um dia de musculação com um dia de treino de MMA. Atualmente estou com BF de aproximademente 13%. quero chegar em um BF de aproximademente 8%. O que voce acha deste tipo de treinamento??? vai funcionar na queima de gordura???

    mais uma vez agradeco

    E parabéns pelo blog

    grande abraço

    ResponderExcluir
  94. Uma ótima impressão. Exercícios complexos e intensos. Não é tão seguro quanto musculação cadenciada e HIIT em uma esteira, por exemplo, mas com certeza é mais seguro que handebol, futebol basquete e afins. E por ser intenso e consequentemente curto, muito menos estressante que uma meia maratona, por exemplo.

    ResponderExcluir
  95. Boa tarde Dr josé Carlos, agradeço-lhe pela resposta na pergunta anterior à esta. Quando tiver um tempinho leia este e socorra-me (rsrsr...) novamente. Estava c/ 88,7 kg p/ 1.65 m em 2011, tenho 34 anos,descobri alegia ao gluten, e em 1 mês de retirada do tal fui p/ 85, sem dieta só eliminado-o( fora os sintomas, vomito, dor de barriga/prisão de ventre, enjoos, urticária, enxaqueca, inchaço q diminuiu um pouquinho, sonolencia exagerada pela manhã,etc). Então em maio de 2013 conheci Dukan e antes de começá-la fiz uma "despedida de guloseimas" de 15 dias e... emagreci 2,5kg comi muita bobagem (s/ gluten). Comecei Dukan (lí o livro) em 01/06 e em 15 dias 2,5kg só, entendi q era uma dieta de baixo carboidrato e dei um "googleada" e achei Atkins, comprei livro e em 01/07 iniciei a dieta, mas ate agora só 2 kg.Senti muita fraqueza, tontura, tristesa,muito xixi... c/ dukan, mas não dá p/ ficar sem fruta e castanhas, azeite q sei q fazem bem.C/ Atkins me dei melhor mas não gosto de carnes gordas, senti fraqueza, caimbras, dores musculares, fadiga, boca amrga, muia sede,menos volume de xixi... Já é a 6ª dieta q faço, na melhor delas q diminuia o carbo (c/ nutricionista) emagreci 3 kg em 4 semanas sem exercícios, em outra 12 kg em 12 meses c/ sibutramina, exercícios e mais ou menos dieta (restrição calórica). Bom, comparar comigo mesma estou tendo sucesso, mas ao me comparar c/ todos os depoimentos, fatos e fotos eu sou um fracasso, eu ainda quero jogar fora 20 kg de banha, estou desesperada e triste (d novo + uma q ñ dá certo!!!) pq acho q não vou conseguir. Estou pesando os alimentos, comparando na tabela de carbos, me exercitando pouco, devagar, pq estou enferrujada (4 anos sem malhar) Estou tomando polivitaminicos c/ potássio... Pq não estou emagrecendo como a maioria das pessoas ? Há explicação p/ isto ? Colesterol (triglicerides, hdl...), glicemia, eas, td normal (jan 2012) alguns hormonios inferiores ao esperado (incluindo t4. t3 etc), esteatose, ovarios policisticos, enzimas do figado tbém alteradas( inflamação cronica). Ufa !!! Muito Obrigada mais uma vez. Att, Benigna

    ResponderExcluir
  96. Doutor,


    Preciso de uma orientação.
    Pretendo começar esta semana a mudança de vida LCHF.
    Porém, tenho algumas dúvidas: tomo alguns medicamentos (Puran T4 - 50mg - para hipotireoidismo e Prednisona - 5 mg - para controlar hisurtismo) diariamente. Com eles, minhas taxas hormonais se mantêm controladas. O que acontecerá quando eu começar a dieta LCHF? Esses hormônios vão sofrer algum tipo de alteração?
    Também tenho miomas (grandinhos, devo me operar deles no fim do ano). A dieta influenciará no crescimento deles negativamente?
    Agradeço se puder tirar essas dúvidas o quanto antes.

    ResponderExcluir
  97. Legal, bom saber!! Obrigado pelo feedback.

    ResponderExcluir
  98. Karyna, acho q vc não leu muito do blog. Pq se tivesse lido, teria visto que as coisas melhoram com este estilo de vida, não pioram. É garantido que vc poderá largar a prednisona (aos poucos e sob supervisão e com concordância de seu médico) e resolver o hirsutismo. Se o hipotireoidismo for por Hashimoto, há alta probabilidade de resolução também.

    Continue lendo e estudando. Compre o livro barriga de trigo.
    Em 21/07/2013 01:38, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  99. Doutor,


    Li algumas coisas, mas ainda poucas, bem sei. Mas sei que melhora a saúde de forma geral. Aliás, meu noivo e minha sogra estão fazendo a LCHF (ele, Crisógenes, um entusiasta maravilhoso da dieta e da mudança de estilo de vida, está há quase 2 meses nela; ela, Cristina, completando 2 semanas amanhã) e estamos maravilhados com os resultados na saúde, na pressão arterial, na pele, na disposição em geral para tudo.
    Mesmo assim, achei que deveria lhe perguntar sobre minhas peculiaridades, já que temos tão poucos médicos (infelizmente) que nos orientem a respeito da LCHF no país.
    Obrigada pela resposta!

    ResponderExcluir
  100. Ok, Karyna. Dito de outra forma: por todos os motivos já expostos neste blog, trata-se de um estilo de vida mais saudável do que a dieta ocidental padrão. Ter receio em relação a LCHF seria como ter receio de que ar puro ou água mineral possam fazer mal para a doença X ou Y.
    Em 21/07/2013 12:15, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  101. Dr. Souto, venho acompanhando o blog desde que conheci há cerca de 30 dias. São muitos artigos interessantes e que nos traz verdadeiras informações sobre nossa alimentação. Venho seguindo o estilo de alimentação LC há cerca de 19 dias e senti a perda de 4kg no furo do meu cinto da calça. É muito interessante perder peso sem sentir fome. Me preocupo apenas se a alimentação desta forma pode sobrecarregar os rins ou outros órgãos. É sugerido alguma suplementação? Outra pergunta que tenho; as pessoas falam que os homens pré agricultura viviam em média 30 anos, a informação procede? Qual a fonte de Ferro em LC/Páleo?



    meu peso era 90kg, estou com 86kg. Minha meta é retornar para o meu peso normal 75kg.

    ResponderExcluir
  102. http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2012/05/dieta-e-perigosa-para-os-rins.html
    http://primalbrasil.com.br/expectativa-de-vida-dos-nossos-ancestrais/

    Fonte de ferro: carne
    Em 21/07/2013 17:18, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  103. Obrigado Dr. pela velocidade de resposta! É incrível como as pessoas ao redor querem sempre te colocar para baixo dizendo que não vai dar certo... às vezes gosto de não comentar nada para ninguém mas é inevitável as pessoas querer saber como estou perdendo peso. Dia desses um cidadão me disse que o meu corpo entraria em catabolismo constante, que a longo prazo o meu organismo iria sentir o impacto da violência desta forma de nutrição. Hoje em minha cidade saiu uma reportagem no jornal falando que a nova pirâmide alimentar brasileira foi refeita... a base continua do mesmo jeito, é impressionante o depoimento de uma nutricionista "especialista" falando que carbos são indispensáveis em uma dieta, simplesmente não acredito mais neles, em nenhum. Já passei muita fome fazendo dieta.

    ResponderExcluir
  104. Obrigada Felipe. A minha dúvida era mesmo saber se o treino HITT poderia alterar de forma exagerada o volume muscular o que não me agradaria visualmente. Como já disse curto um físico mais magro (mantendo as formas naturais femininas) e definido.E Quando você falou para que eu invista no HIIT mas reduza a intensidade na musculação, você quis dizer na quantidade de peso?, enfim pelo que eu conheço do HITT sendo um circuito intenso de séries, onde você busca realizar tanto as atividades aeróbicas e anaeróbicas na sua frequência cardíaca máxima na quantidade de aparelhos e séries estipuladas, não é isso?
    E só mais uma pergunta, com a dieta low-carb associada a este tipo de treinamento que exige muita energia e um bom condicionamento físico, você acha que eu alcançaria o meu objetivo de definição?
    Obrigada pela atenção, e eu consigo imaginar de quem você esteja falando e compartilho de sua opinião. Infelizmente as pessoas pegam as verdades de alguns sem o mínimo de critérios de seleção e pesquisa e transformam em suas verdades o que transforma em generalizações - dieta da lua, faça isso, faça aquilo - enfim. abraços.

    ResponderExcluir
  105. HIIT é High Intensity Interval Training, são os tiros de alta intensidade intervalados numa esteira, por exemplo, e HIT é High Intensity Training. Definição é a combinação de hipertrofia com baixo percentual de gordura. Não é minha área, mas aumentos na insulina causados pela ingestão de carbs nos momentos certos, anabolizam a massa muscular, então pode ser interessante, mas apenas nutricionistas podem esquematizar adequadamente isso.

    ResponderExcluir
  106. Doutor, parabéns pelo blog!

    O senhor teria alguma recomendação de livro sobre musculação para hipertrofia muscular coerente com a alimentação paleo/low carb? Pode ser em ingles.

    Obrigado!

    ResponderExcluir
  107. Emagreci 19kg sem fazer qualquer exercício "aeróbico", ingerindo entre 2800-3000 kcal, comendo até estar de fato satisfeito e tenho mantido meu peso há mais de 3 anos com paleo+IF. Me sinto melhor do que nunca e a única coisa chata é ouvir de várias pessoas que certamente não gozam da mesma saúde que eu que minha dieta é maluca. As pessoas se enchem de todo tipo de ração (comida que vem em pacote em minha casa quem come é minha cachorrinha) e acham que alguém que come o que a humanidade come a 200000 anos, vegetais e carnes, é quem come de forma estranha.

    Quando ponho um belo pedaço de carne no prato sei exatamente o que estou comendo, mas me digam o que tem em um nugget por exemplo. Se tiver papel triturado com sazon ali as pessoas vão comer sem se dar conta. Papel com sazon não é estrano, mas ovos na manteiga sim.

    ResponderExcluir
  108. Dieta TNT


    2013/7/22 Disqus

    ResponderExcluir
  109. É isso aí, Tiago!


    Em 22 de julho de 2013 09:24, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  110. Olá doutor,primeiramente quero agradecer pelo blog fantastico do Senhor e dizer que aprendi em dois dias o que nao aprendi em 25 anos rsrs...ha uma semana aderi a low carb e perdi 2,400 ,nossa estou mto feliz porque fazendo reeducaão alimentar nao conseguia perder nennhum quilo completo ,alem de passar mta fome......Doutor por gentileza me tire uma duvida..


    Agora que sou adepta a Low carb estou usando para fazer frituras e azeita extra virgem,ou manteiga ou banha de porco.Porem meu esposo tem gastrite e o endocrino disse pra ele nem ver frituras de nenhum tipo.Ou seja ele pode comer as carnes que faço com azeite ou banha ou manteiga ?
    Estou perguntando porque qnto mais leio e me informo fico impressionada como na verdade não sabemos de nada!
    Desde já agradeço ,e quero agradecer mais uma veez por compartilhar seu conhecimento conosco,pois em dois dias que conheci esse blog e ja li tudooo rsrs e estou cda vez mais facinada por esse estilo de alimentação,sendo que agora mta coisa faz sentido.

    ResponderExcluir
  111. Na minha opinião e experiência, o que irá melhorar a gastrite é a retirada total do trigo (aliás, vc já comprou o livro Barriga de Trigo?), não tem NADA a ver com gordura.
    Em 22/07/2013 13:18, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  112. doutor souto seus textos sao excelentes,se possivel,gostaria apenas um esclarecimento sobre o ph dos alimentos,pois ultimamente esta divulgando bastante sobre alimentos acidificantes ou alcalinazantes,em que quanto mais acido o sangue,pior seria a saude...e algo a ser levado em conta ou so mais hipoteses sem embasamento cientifico..
    obrigado

    ResponderExcluir
  113. A única situação em que isso parece ser importante é para cálculos renais. E, como páleo é REPLETO de vegetais (às vezes as pessoas esquecem disso), não acidifica a urina (diferente de Atkins). Já as bobagens que se escreve sobre função renal e osteoporose são apenas isso, bobagens:
    http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2012/09/low-carb-e-osteoporose.html http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2012/05/dieta-e-perigosa-para-os-rins.html Em 22/07/2013 13:27, "Disqus" escreveu:

    **
    [image: Disqus] Settings
    A new comment was posted on Dieta Low-Carb e Paleolítica ------------------------------ *matheus*
    doutor souto seus textos sao excelentes,se possivel,gostaria apenas um esclarecimento sobre o ph dos alimentos,pois ultimamente esta divulgando bastante sobre alimentos acidificantes ou alcalinazantes,em que quanto mais acido o sangue,pior seria a saude...e algo a ser levado em conta ou so mais hipoteses sem embasamento cientifico..
    obrigado

    12:27 p.m., Monday July 22
    * Reply to matheus *
    Moderate this comment by email

    Email address: *matheus_cpx@hotmail.com* | IP address: 187.20.254.150

    Reply to this email with “Delete”, “Approve”, or “Spam”, or moderate from the *Disqus moderation panel*.


    ------------------------------

    You're receiving this message because you're signed up to receive notifications about activity on threads authored by jcsouto.

    You can unsubscribe from emails about activity on threads authored by jcsouto by replying to this email with "unsubscribe" or reduce the rate with which these emails are sent by adjusting your notification settings.

    [image: Disqus]

    ResponderExcluir
  114. Aproveitando o ensejo, tenho notado a urina com alguma 'camada' de gordura, ou algo 'turvo', já há algumas semanas. É normal?

    ResponderExcluir
  115. Nos últimos pacientes que me disseram isso, eu fiz exame de urina e não era nada. Minha conclusão é que as pessoa têm tanto medo que começam a olhar a sua urina e outras coisa que nunca olharam antes.


    Em 22 de julho de 2013 13:59, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  116. OK. Não acreditava que pudesse ser igual, porque me sinto muito bem. Mas não deixei de notar.

    ResponderExcluir
  117. A minha melhorou como mágica. A gastro queria me operar.
    Caso ele ainda sinta azia com low carb, restrinja o queijo.

    ResponderExcluir
  118. Dr. Souto, na linha da resistência insulínica provocada por excesso de carbos, achei esta notícia.
    http://ultimosegundo.ig.com.br/colunistas/ciencia-em-foco/2013-07-23/medico-americano-questiona-a-relacao-entre-obesidade-e-diabetes-tipo-2.html

    ResponderExcluir
  119. viihess, comigo aconteceu o mesmo, eu estava ficando apavorada. O que eu faço ? Tomo iogurte natural em jejum e o problema está se resolvendo. Boa sorte !

    ResponderExcluir
  120. Felipe, e quanto à natação ? Faço 2x por semana, num ritmo mais puxado pro forte, por 1 hora. Faz diferença ?

    ResponderExcluir
  121. Minha opinião sobre natação é que é pra quem gosta de fazer. Natação não oferece resistência muscular adequada para o desenvolvimento muscular.

    ResponderExcluir
  122. Boa, eu gosto muito do Peter Attia (leio sempre o blog dele), e é bom ver reportagens como essa serem publicadas.


    2013/7/23 Disqus

    ResponderExcluir
  123. Ou você trabalha com alta intensidade ou você trabalha com volume alto. Volume alto = intensidade baixa. Você está fazendo uma atividade (aeróbia) que comprovadamente traz pouquíssimo resultado para o emagrecimento. 4 a 6 tiros de 50 metros na piscina na maior velocidade possível, descansando uns 3 minutos entre eles (dependendo do seu condicionamento) seria bem melhor.
    Abraços

    ResponderExcluir
  124. Estou como a Kel disse aí. Vinha numa penosa dieta de restrição calórica, já sem saco para a academia. Pouco aeróbico (mountain bike como recreação).
    Desde 25 de março estou na Low Carb.
    Fiz um exame de sangue para conferir os parâmetros. Estou bastante animado, porém ainda sem uma opinião médica sobre os valores.
    Quem sabe aqui o Dr. Souto ou alguém também gabaritado possa comentar:


    https://docs.google.com/spreadsheet/ccc?key=0AvMfXkFECydGdHI3NjBiMG1ObV8xLV8tOExubG4tdkE&usp=sharing

    ResponderExcluir
  125. Eu não sou médica nem da área da saúde. Mas depois de ver seus exames não tem nem o que falar né André! Tudo melhorou demais! Uai sô, que comentário vc quer? Ah, Parabéns! hehehe

    E continue assim!

    ResponderExcluir
  126. mto obrigada pela resposta Dr.......estou encantada com esse blog...e encantada com meu novo estilo de vida paleo,migrei da atkins para paleo e estou amandoooo..

    Dr o unico problema é que meu intestino de preguiçoso agora adormeceu de vez rsrs.....COMI abacate domingo ,nao estou comendo todos os dias porq tenho medo que trave a perda de peso....enfim tem 8 dias que nao vou ao banheiro,de certa forma fico preocupada..o SENHOR ME INDICA ALgo DOUTOR.....OBRIGADA

    ResponderExcluir
  127. Obrigada Luiz............mais acho meio dificil ele fazer low carb porque ele é seco sabe rsr nao engorda por nada.....mais valeu a dica..

    ResponderExcluir
  128. Pode comer abacate todos os dias.

    Além disso, compre um bom probiótico (p.ex. Probiatop), misture com iogurte natural feito em casa ou batavo integral natural e umas 3 ou 4 colheres de sopa de linhaça moída, por 1 mês.
    Em 30/07/2013 22:37, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  129. Oi Wellida. A restrição de grãos e açúcar é benéfica mesmo para pessoas que não possuem problemas de peso. Muitos problemas de saúde simplesmente somem ao retirar grãos e açúcar da dieta: azia, gastrite, má digestão, cólicas, gases e enxaquecas são os mais comuns. Mas há dezenas de outros problemas que somem e vamos descobrindo com o tempo.

    ResponderExcluir
  130. Teresa Cavalcanti31 de julho de 2013 01:03

    Dr. Souto, que marca de whey utiliza?

    O Rodrigo, do emagrecerdevez, recomenda esse:

    https://powersupplements.websiteseguro.com/produto_detalhes/p/TWprNA==/POWER+WHEY+PROTEIN+-+Frete+Grátis



    O que acha?

    ResponderExcluir
  131. Teresa, leia aqui!

    http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2012/12/whey.html

    ResponderExcluir
  132. é verdaade,ele tem mesmo azia e estes outros sintomas que vc sitou mesmo...Andei conversando com ele sobre a paleo ,ele anda mto satisfeito com meus resultados e aos poucos vou introduzindo esse estilo paleo pra minha familia.....mais uma vez obrigada vcs sao todos mto atenciosos.

    ResponderExcluir
  133. Obrigada Doutor,já tenho linhaça e o yogurt ,vou providenciar o probiotico.
    mais uma vez obrigada pela atenção.

    ResponderExcluir
  134. Teresa Cavalcanti31 de julho de 2013 11:25

    Oi, Patrícia! Eu já tinha visto este post, eu achei que ele tinha colocado imagens aleatórias do google =P Mas também queria saber se a marca sugerida pelo Rodrigo é boa, pois é a que tenho aqui (;

    ResponderExcluir
  135. Compro o Biowhey Performance nutrition pois é zero carb e o mais barato que encontro no meu bairro.


    2013/7/31 Disqus

    ResponderExcluir
  136. Teresa Cavalcanti31 de julho de 2013 23:56

    Dr. Souto, achei esse na internet. Tem 0g de carboidrato e 27g de proteína para 30g do produto. Sem glúten, sem lactose, sem conservante, parece bom demais… será?

    Especificações:
    Livre de Aromatizantes Artificiais?Sim
    Livre de Conservantes?Sim
    Livre de Corantes Artificiais?Sim
    Livre de Adoçantes Artificiais?Não
    Sem Açúcar?Sim
    Sem Glúten?Sim
    Sem Lactose?Sim

    http://www.natue.com.br/isofort-neutro-900g-vitafor-15141.html#tabs-1241101281

    ResponderExcluir
  137. Parece ótimo
    Em 31/07/2013 23:56, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  138. Dr., o Germano Lima, lá da nossa comunidade no FB, está divulgando os resultados de análises de Whey de uma outra comunidade, pois estes não contém tanta proteína, tal qual no rótulo expresso, além de conter ALGUM ou MUITOS CARBOS, inclusive nos que declaram não haver na composição. É um tanto assustador.

    Vou pedir a ele que se manifeste aqui.

    ResponderExcluir
  139. Bom dia J.C,
    Tenho 40a, meu peso inicial era 73kg 1,75m, sou corredor amador em provas de 10 e 21km, mas competitivo, querendo sempre melhorar meu tempo pessoal.
    Iniciei a dieta lowcarb highfat após ler o livro Drs Volek/Phinney The Art and Science Performance, com o objetivo de perder uns 6kg para enxugar um pouco a gordura abdominal que ainda carrego, e ficar mais efieciente nas corridas, e tambem seduzido pela idéia de correr movido a gorduras,
    Após 3 semanas de dieta e 3kg perdido, comecei a me sentir melhor correndo, os níveis de cetona estão mais altos, estou aferindo com um monitor portátil (fica entre 0,7 mmol pela manhã ao acordar) e as vezes bate 3,0 a tarde e sobe muito mais após as corridas).
    Minha dúvida é a seguinte: para me manter com a cetonemia alta, portanto não correr o risco de peder a cetoadaptação, tenho que me manter intermitentemente afastado dos carbs?!?!
    Estou achando que a vida sem carbs apesar de extremamente saudável, ser também muito chata, principalmente socialmente, uma festa, um bolo, uma pizza, uma cerveja, muitos pratos a ser evitados, jantar em família com amigos, etc

    ResponderExcluir
  140. Bom dia J.C,
    Tenho 40a, meu peso inicial era 73kg 1,75m, sou corredor amador em provas de 10 e 21km, mas competitivo, querendo sempre melhorar meu tempo pessoal.
    Iniciei a dieta lowcarb highfat após ler o livro Drs Volek/Phinney The Art and Science Performance, com o objetivo de perder uns 6kg para enxugar um pouco a gordura abdominal que ainda carrego, e ficar mais efieciente nas corridas, e tambem seduzido pela idéia de correr movido a gorduras,
    Após 3 semanas de dieta e 3kg perdido, comecei a me sentir melhor correndo, os níveis de cetona estão mais altos, estou aferindo com um monitor portátil (fica entre 0,7 mmol pela manhã ao acordar) e as vezes bate 3,0 a tarde e sobe muito mais após as corridas).
    Minha dúvida é a seguinte: para me manter com a cetonemia alta, portanto não correr o risco de peder a cetoadaptação, tenho que me manter intermitentemente afastado dos carbs?!?!
    Estou achando que a vida sem carbs apesar de extremamente saudável, ser também muito chata, principalmente socialmente, uma festa, um bolo, uma pizza, uma cerveja, muitos pratos a ser evitados, jantar em família com amigos, etc.

    ResponderExcluir
  141. Estêvão, algo tem que ceder. Vc tem q decidir o que tem mais valor para vc. Dito isso, eu acho q vc não precisa estar em cetose. Pode comer carbs páleo e ser feliz.
    Em 03/08/2013 16:26, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  142. Mas, para a prática de uma atividade física intensa, não é necessário estar em cetose?!?
    Até quanto de carbs posso ingerir por dia e ainda conseguir correr!? Tenho ingerido <50g/dia de carbs.
    Pelo livro de Volek/Phinney achei que fosse importante manter uma cetonemia alta.
    Eu gostaria de poder ingerir esporadicamente uma pizza, um bolo, etc. Mas tenho medo de sair da cetoadaptação e depois demorar a reconquistá-la e me sentir como nas primeiras semanas de lowcarb correndo, com frequência cardíaca elevada e sem energia.
    Grato.

    ResponderExcluir
  143. Não.

    O fato de ser POSSÍVEL fazer exercício de endurance em cetose não significa que seja necessário. E se a atividade for intensa (triathlon, por exemplo) é provavelmente impossível manter a performance pois é necessário uma quantidade de glicogênio grande para a parte anaeróbica dos exercícios. Se vc quiser ficar em cetose, não pode comer essas coisas esporadicamente - vai sair da cetose e provavelmente levar dias para voltar. A questão é, pra que vc quer isso? Se é para emagrecer, não precisa uma restrição tão severa e nem de cetose - mantendo os carbs abaixo de 100g provavelmente seja suficiente. Agora, se é pq vc se sente bem em cetose e preza pela sua saúde, então comer pizza e bolo não dá (estou mais preocupado com o glúten desses coisas do que com os carbs). Ou vc poderia simplesmente comer páleo não cetogênico e de vez em quando comer pizza e bolo. Depende de seus objetivos.


    Em 3 de agosto de 2013 17:19, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  144. Sim, o objetivo inicial, é o emagrecimento, apesar de precisar perder pouco. Fiquei seduzido pela idéia de perder massa gorda e ganhar massa magra. A corrida é um exercício/atividade tão intensa quanto o triathlon. Mas pelo que entendi nos livros de Volek/Phinney, desde que em cetose, não precisaria de carbos como fonte de energia. As cetonas supririam toda energia, através desse metabolismo alterado, mesmo para as atividades anaeróbias como treinos intervalados, ou de altíssima intensidade. Atualmente vemos muitos ultramaratonistas utilizando ( ver blog RunKeto.com ) .
    Mas é isso que eu queria, seguir uma dieta lowcarb, na maioria dos dias, comer minhas frutinhas berrys, e esporadicamente, em uma festa, um encontro, um jantar poder dar uma escorregadinha. Gosto de tomar UMA única cerveja uma vez por mês por exemplo!!!
    Mas estava bitolado com essa idéia de perder a cetoadaptação. Volek/Phinney deixam claro em seu livro Performance que é importante mantê-la para poder manter eficiencia na corrida.

    ResponderExcluir
  145. Vocês por exemplo, que seguem a dieta paleo/lowcarb há muitos anos, talvez, costumam manter-se em cetose!?! Ou entram esporadicamente!?
    As vezes dão uma escorregadinha na dieta!?
    Como fica a vida social !?
    E as festas? Casamentos, jantar em família,, aniversários, etc..

    Minha idéia inicialmente era atingir o peso alvo e depois aumentar a ingesta de gordura para manter o peso, mantendo a quantidade de carbos e prot.
    Caso sentisse bem correndo manter a dieta por mais tempo, pois é sedutora a idéia de não precisar me entupir de carbohidrato antes de uma Meia Maratona ou durante os treinos longos se entupir de géis de carbo, etc.
    Grato!

    ResponderExcluir
  146. Fiz essa mesma questão diretamente ao Steve Phinney que me respondeu por email, gostaria de compartilhar com o Dr:

    Dr. Volek and I have shown that when the focus is on a well-formulated low carb diet, accelerated fat mobilization occurs independent of exercise volume or intensity. Thus, given 3-6 weeks to allow the body to undergo keto-adaptation, you are then 'free to move around the exercise spectrum'. In other words, given adequate carb restriction to achieve nutritional ketosis. After become keto-adapted, you should feel free to explore whatever level of exercise intensity your body tolerates.

    That said, if you are monitoring heart rate, be sure to get in adequate sodium on the day of exercise and then maintain adequate hydration during exercise.

    Hope this helps,

    Steve

    ResponderExcluir
  147. http://www.amazon.com/Low-Carbohydrate-Diet-Triathletes-ebook/dp/B0061D9G9G

    Em 3 de agosto de 2013 18:09, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  148. Tu é foda, hein Estevao! :-))


    2013/8/3 Disqus

    ResponderExcluir
  149. http://robbwolf.com/2012/12/19/carb-paleo-thoughts-part-1/ http://robbwolf.com/2013/01/02/thoughts-carb-paleo-part-deux/ http://robbwolf.com/2013/01/09/thoughts-carb-paleo-episode-3-hope/



    2013/8/3 Disqus

    ResponderExcluir
  150. Porque Dr??
    Minha dúvida é legítima, estou pensando em abandonar esse negócio de lowcarb, vi o livro da amazon que o sr está recomendando e esse desconhecia parece ser interessante, se ele apresentar uma proposta mais flexível que eu possa seguir....
    Estou achando difícil me manter na dieta, e tenho medo de perder a cetoadaptação, e perder o gás na corrida!!!!

    ResponderExcluir
  151. Porque tu escreveste pro cara, e ele respondeu!! Sensacional!!


    Em 3 de agosto de 2013 18:48, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  152. Hahaha!
    Sim, sim, Sensacional!!! Ele respondeu rápido até, em algumas horas. Mas o senhor tambem é sensacional, abrindo essa caixa de diálogo e recomendando essa literatura. Não conhecia Rob, vou dar uma lida geral no blog dele e em livros Paleo.
    Hoje estou na terceira semana de lowcarb, teoricamente minha cetoadaptação está ok, chequei minha cetonas 1.0mmol antes de sair para uma corrida de 15km. O problema é que após correr apenas 2km minha frequencia cardíaca subiu muito, e tive que parar por volta dos 4km, ou seja, já na terceira semana e ainda não consigo correr como antes. E voltei para casa pensando em parar com essa dieta e voltar a comer mais carbos, ou pensando em migrar para uma Paleo voltada para atletas. Estou achando que a recomendação de Volek/Phinney para mim não está servindo. Os ultramaratonistas do blog RunKeto.com parece que se dão bem com ela, pois são corredores rápidos, eficientes e estão pemanentemente em cetose, alguns há mais de um ano.
    Mas antes de abandonar completamente essa idéia lowcarb, vou experimentar talvez acrescentar um pouco mais de carbos, legumes e frutas que não estou consumindo, pois fiquei muito temeroso em sair da cetose, pois segui estritamente as orientações do livro 'Performance' de Volek/Phinney e, para eles como entendido por mim, é extremamente importante manter-se em cetonemia elevada para poder usufruir desse fluxo ininterrupto de energia, e assim, o atleta poderá treinar e competir utilizando como combustível a queima de gordura de maneira eficiente, exercitar-se tanto em relação a intensidade como volume de treino, de maneira igual, ou melhor do que utilizando glicogênio(carbos) como fonte de energia.
    Mas parece que é isso que Rob discorda, então, acho que vou dar uma adaptada na dieta, antes de abandoná-la de vez.
    Por isso questionei vcs, se todos mantem um estado de cetose? Qtos carbos consomem por dia!? Se assim terei energia para correr, treinar e competir!?

    ResponderExcluir
  153. Estêvão, é que eu já estive lá. Comecei por onde vc começou (fã de carteirinha de dieta cetogênica), e hoje penso mais como o Robb Wolf. Mas eu levei 2 anos nessa trajetória. O grande valor do trabalho do Volek/Phiney é demostrar q cetose não faz mal e é inclusive compatível com esporte. Isso não significa que seja o estado preferencial da humanidade, nem mesmo a melhor forma de atingir performance. É ótimo para perder peso. É imbatível para tratar diabéticos tipo 2. Mas eu, que estou magro e saudável, acabei de chegar da academia onde fiz musculação e vou bater uma banana com whey no liquidificador, pois minha ênfase no momento é hipertrofia. Mas é o único momento em q faço isso. No resto da semana, fico em dieta cetogênica. Se estou em cetose? Não sei, não meço e não me importo. Meus critérios são meu espelho e como me sinto. Estou satisfeito com ambos.
    Em 04/08/2013 09:37, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  154. Muito obrigado J.C.!!!
    Agora vou dar uma estudada aqui como vou adaptar essa dieta, vou ler esse material do Robb, tentar uns livros mais paleo orientados, e ver como me sinto!!
    Não queria abandonar essa idéia de comida de verdade, REAL FOOD!!!!
    Cheguei no seu blog há dois dias após ler a entrevista no CORRIDA NO AR, desconhecia toda essa quantidade de informação em portugues.
    Parabéns pelo excelente trabalho!!

    ResponderExcluir
  155. 2 anos versus 2 dias, vai com calma! Compra o Paleo Solution.
    Em 04/08/2013 10:26, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  156. Acabei de comprar!!!
    Essa facilidade do Kindle é demais, não???
    Recomenda mais algum???

    ResponderExcluir
  157. Mata esse primeiro, depois fala comigo pelo soutopaleo@gmail.com
    Em 04/08/2013 11:04, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  158. Ok!
    Vou 'matar' esse Robb primeiro, depois terei liberdade de enviar esse email.
    Como curiosidade, partilhando, acabou de chegar:


    Message Body:
    Dear Volek/Phinney,
    Today it has been three weeks that i'm in low carb diet after reading 'Performance' book. I have a hand monitor to check my ketonas and Its high, in the morning is usually 1.0mmol or even higher, and in the afternoon 2.0 or as higher as 3.0mmol.
    I started to check the ketonas in the last ten days, and I think I can say I'm Ketoadapted.
    The problem is my running is terrible, today i went out for a long run, usually 10-12 miles, and after running a couple of miles my heart beat went to 200-220, i never was above 176-178 doing interval trainning, and today was a much lower intensity. In this long run I usually stay at 155 beats.
    So I'm thinking its not working for me, I chech the Ketona before the run and was 1.0mmol. Im thinking I will have give up this Keto thing. Or maybe try put a few carbs more?? I usually staying under 50g/day. What do you think about it?!
    Is has been three weeks now, my ketonas level is good I think.
    Thanks for all.

    Hi Estevao -

    I am sorry that you are still feeling impaired after 3 weeks. Here are a few points to consider:
    Your blood ketone level does not in and of itself indicate keto-adaptation. This takes a combination of having ketones in the range you report plus time.
    The time needed to become fully adapted varies from 3 weeks up to 6 weeks, depending on the individual.
    Because nutritional ketosis causes the kidneys to increase salt excretion, one needs to prime the circulation for exercise by consuming a gram of sodium as broth or bouillon within an hour before exercise. This is particularly important when exercising in the heat.
    You may be correct that nutritional ketosis does not work for you, or you may be just a week or two away from becoming fully adapted. If you have not done so, try a cup of bouillon about 30 minutes before your next run. Here in the US we have a brand called 'Herbox', and each cube of the regular version ( not the low sodium kind) contains between 9800 and 1100 mg of sodium, depending on the flavor (beef or chicken).

    Hope this helps,
    Steve


    Abraços!!!!!

    ResponderExcluir
  159. Boa :-)
    Em 04/08/2013 14:08, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  160. http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2012/12/livros.html
    Em 04/08/2013 14:08, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  161. Estevao: http://www.nutritionandmetabolism.com/content/1/1/2 "Therapeutic use of ketogenic diets should not require constraint of most forms of physical labor or recreational activity, with the one caveat that anaerobic (ie, weight lifting or sprint) performance is limited by the low muscle glycogen levels induced by a ketogenic diet, and this would strongly discourage its use under most conditions of competitive athletics." Autor: Stephen D Phinney


    Em 3 de agosto de 2013 18:48, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  162. Olá,
    Estou com uma dúvida: o uso do "whey protein" é benéfico para auxiliar na queima de gordura, ou seja, para "secar"? Pergunto isso pois durante muito tempo acreditei que ele somente era indicado para aqueles que almejavam ganho de massa muscular. Caso ele seja indicado para a queima de gordura tenho uma segunda dúvida: Ele só deve ser utilizado por aqueles que fazem musculação? Ou podem ser utilizados juntamente com exercícios como o indicado pelo Sr. nesse post (pedalar em bicicleta ergométrica com tiros intensos e intervalos de descanso)?
    Agradeço desde já pela colaboração.

    ResponderExcluir
  163. O que ajuda a secar é low carb e HIIT e musculação com poucas repetições e alta carga. Whey é uma proteína prática, apenas para não ter que levar um bife com ovo para academia.


    Em 7 de agosto de 2013 14:54, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  164. Olá Dr. Souto. Li e já tinha concordado que os aeróbicos não emagrecem e tudo mais. Sigo um estilo de vida paleo, e no último mês resolvi fazer cetogênica paleo, para dá uma acelerada no emagrecimento, e sair da casa dos três dígitos. Enfim, eis minha dúvida,


    Em geral esses estudos são feitos em cima de pessoas que fazem dieta com alto teor de carboidrato. no caso do lowcarb isso também vale? Falo isso, pq depois de correr ontem, e pedalar hoje por 4 horas (passeio mesmo) minhas cetonas sairam de 0,7 para 2,8. No caso estou achando que o aeróbico pode acelerar a queima de gordura em uma dieta lowcarb.


    Ah, também faço musculação, para ativar o metabolismo. Uma outra hipótese pode ser que a mudança de rotina também tenha influencia positivamente no metabolismo. não sei, mas achei intrigante.


    Grato.

    ResponderExcluir
  165. Agora é a vez do Professor Felipe!

    Depois daquela matéria na revista O2 sobre a "nossa dieta", que movimentou o blog, acabo de ver a nova edição da revista Veja, trazendo na capa a "A revolução dos músculos".

    "O menos que é mais

    Estudos demonstram: os músculos influem mais do que se sabia no metabolismo e no equilíbrio de várias funções corporais. Para ativá-los e aumentar sua massa, exercícios intensos e curtos – que podem durar não mais do que dois minutos – têm eficiência comprovada. VEJA desta semana explica a revolução que está em andamento nas academias."

    Ainda não vi o conteúdo:

    http://veja.abril.com.br/?gclid=CLSvkomW87gCFRRk7AodBGEA0g#

    ResponderExcluir
  166. Oba!
    Em 10/08/2013 12:26, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  167. Oi Clarissa!

    Minha namorada, Beatriz Mesquita, fisioterapeuta e que as vezes comenta aqui também, havia me alertado e ontem publiquei o seguinte no facebook: "Capa de Veja que será publicada amanhã. Espero que isso atraia as pessoas que não fazem exercício por acreditarem que isso irá demandar algumas horas do seu dia. A falta de tempo é a principal desculpa para não se exercitar. Espero também que as pessoas que ficam duas horas (ou mais!) na academia, enfim entendam o quão ineficiente/prejudicial isto é."

    Estou otimista com o conteúdo. Sou assinante, assim que ler volto aqui para comentar. Se conseguirmos a matéria, o Dr. Souto poderia postar e eu iria respondendo as dúvidas de vocês.
    Abraços

    ResponderExcluir
  168. Adolfo, quais são as divergências entre o que está nos artigos e o que foi escrito na "matéria"?

    ResponderExcluir
  169. Isso mesmo!
    Para mim, o grande mérito dessas reportagens serem veiculadas na considerada "grande mídia" é deixar, ao menos, a "sementinha" do questionamento na cabeça do "grande público". As idéias circulam, os ares se renovam...
    Ficamos no aguardo de seus comentários, e obrigada pela disponibilidade em nos auxiliar em nossas dúvidas.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  170. Prezado Dr. Souto.
    Tenho um parente de 46 anos, atleta de corrida amador dedicado há 30 anos e faz dieta paleo há 6 meses. Ele está com IMC 25 e percentual de gordura de 11%. Ele apresentou quadro de hematuria somente no primeiro jato no pós-treino. Ele reduziu a ingestão de gordura e afirma que a hematuria desapareceu com esta redução. Gostaria de saber se há estudos que relacionam a hematuria à dieta paleo.
    Agradeço imensamente pela resposta.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  171. Não há nenhuma relação, e ele precisa investigar isso com um urologista. Em 16/08/2013 16:27, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  172. Muito obrigada, Dr. Souto!
    Um forte abraço.

    ResponderExcluir
  173. eduardo karpinski filho17 de agosto de 2013 13:56

    Caro souto
    tenho 184 de altura e pesava 84k (Hoje 78k)
    como me interessei por corrida de rua para melhorar minha qualidade de vida ,iniciei os treinos,cortei carboidratos e quase zerei o açúcar
    como tenho carrencia de força física comecei uma trabalho de preparação física em academia(para melhorar minha performance)


    Pergunto uma dieta de 70g de proteínas e suficiente para um trabalho de ganho de massa muscular

    ResponderExcluir
  174. No mínimo o dobro disso
    Em 17/08/2013 13:56, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  175. Carlos li seu blog agora, você esta de parabéns muito bom!!!

    ResponderExcluir
  176. Carlinhos Gonçalves21 de agosto de 2013 18:54

    Obrigado..espero poder continuar agradando os leitores...abraços!

    ResponderExcluir
  177. Prezado Dr. Souto,
    Tenho 21 anos, 1.78 e sou homem. no começo deste mês tinha 120kg, fui a um endócrino e estou com os exames e pressão em ordem.
    Ele me passou sibutramina e xenical e sugeriu uma dieta 1200 calorias convencional.
    Depois de uma semana com essa dieta procurei uma nova, pois vi que passaria fome sem a sibutramina.
    Até que achei as dietas cetonica e o seu santo site, que aliás está de parabéns Dr., é o mais completo e científico site de dietas que já vi em português, precisamos de mais médicos como o sr.
    Desde que comecei sua dieta parei com o xenical pois entendi a proposta, porém ainda continuo com a sibutramina pois me adaptei bem a ela, o único colateral que tenho é a boca amarga e seca, mas já acostumei e ela tem me ajudado muito principalmente no começo da dieta cetonica paleo, pois não me deixa com vontade de comer doces e pães o que me ajuda muito . Tenho feito a risca todos os conselhos paleo, e não furei uma vez sequer desde que comecei, estou realmente determinado, e já perdi 11kg desde o começo deste mês e estou com incríveis 109kg, sem fraqueza, sem fome e amo essa dieta, nunca me senti tão bem.
    Pretendo começar uma academia esse mês, essas de bairro, já frequentei por um ano, a dois anos atrás.
    Quando o sr. diz exercios intensos e com poucas repetições, no que se refere exatamente? , já vi que o sr. Em outros comentários faz academia também, vou dar um exemplo :
    Eu consigo levantar 30kgs em determinada máquina fazendo 3 séries de 10, sendo que na última repetição faço sempre com bastante esforço, seria isso o exercício intenso? Qual o número de séries que o sr. Recomendaria, 3 está bom? Pode ser melhor? Devo talvez fazer aumentando o peso conforme as séries? O melhor é ir todos os dias na academia, ou dia sim dia não?
    Desculpe por tantas perguntas, mas realmente preciso de ajuda e provavelmente o sr. não tenha idéia como seus comentarios podem mudar a vida dos seus leitores.
    Apenas uma última, o que posso tomar para que fique que com o mínimo de flacidez, me falaram sobre pílulas de colageno, tem algo melhor, tem algum laboratório bom?
    Espero de verdade as suas respostas e sei o quanto deve ser ocupado , mas saiba que está mudando várias vidas com ela , tenha certeza
    Humildemente, Mário.

    ResponderExcluir
  178. Moro em cidade pequena e a academia não é das melhores... Posso pedir pra montar um treino intenso, mas gostaria de saber quantas vezes por semana faço a atividade intercalada e quantas vezes faço a musculação. E se peço 2 treinos diferentes, assim cada dia trabalho uma área muscular. Obrigada!

    ResponderExcluir
  179. Olá, Priscila! O que faz mesmo a diferença numa academia é um professor de educação física que estude e saiba aplicar os conhecimentos na prática. O limiar de adaptação de um iniciante é baixo, ou seja, poucas séries são necessárias para atingir os objetivos. Segundo revisões feitas por KRAEMER 2002,POLLOCK 1998, WOLFE 2004, uma série por grupamento muscular seria eficiente até o terceiro mês de treinamento. Sendo assim, meus treinos para iniciantes têm a frequência de 3x por semana em sessões nas quais todo o corpo é treinado.

    ResponderExcluir
  180. Muito obrigada! Irei fazer uma reavaliação dia 18 (ñ espero bons resultados... viajei uma semana e ganhei 3 Kg) e vou pedir para ela isso. Tenho feito 3 séries de 8 e 3 de 12 para pernas e braços respectivamente. Vc acha q está bom? E para mim, que desejo perder peso, seria melhor 2x musculação e 2x hiit ou só 3x musculação? Muito obrigada msm.

    ResponderExcluir
  181. Eu nunca entendo qm usa whey... msm qm ñ faz low carb. Porque está deixando de comer qq coisa deliciosa pra tomar um suco de xixi...

    ResponderExcluir
  182. Olá, não sei se o Sr. viu a pergunta mas estou realmente precisando de uma resposta, ainda mais por estar usando sibutramina


    Atenciosamente,
    Mario

    ResponderExcluir
  183. Sou contra sibutramina ou qualquer inibidor de apetite.
    Parabéns pelos seus resultados até agora
    A pessoa correta para lhe prescrever exercícios é o preparador físico - apenas enfatize que seu objetivo é hipertrofia e que gostaria de fazê-lo com poucas repetições e cargas crescentes, "buscando a falha", isto é, praticamente não conseguindo fazer a última repetição.
    Não há suplementos que evitem a flacidez - o máximo que dá para fazer é preencher o espaço com músculos.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  184. Esclarecedor Dr. , muito obrigado.
    Com a sua resposta , já tenho uma diretriz de que caminho seguir.
    Quanto a flacidez, uma frase que você costuma usar, dizendo que o ótimo não pode ser inimigo do bom , junto com os exercícios de alta intensidade, não existe nenhum medicamento, componente, manipulado, comercial, enfim algo que seja relativamente eficaz para ajudar a se ter menos flacidez !?
    Andei pesquisando porem em todas as fontes de pesquisa, são mero 'achismos' , opiniões pessoais e do senso comum e tenho duvidas de o quão eficazes seriam sem uma fonte em si.


    Agradecidamente, Mario

    ResponderExcluir
  185. Esclarecedor Dr. , muito obrigado.
    Com a sua resposta , já tenho uma diretriz de que caminho seguir.
    Quanto a flacidez, uma frase que você costuma usar, dizendo que o ótimo não pode ser inimigo do bom , junto com os exercícios de alta intensidade, não existe nenhum medicamento, componente, manipulado, comercial, enfim algo que seja relativamente eficaz para ajudar a se ter menos flacidez !?
    Andei pesquisando porem em todas as fontes de pesquisa, são mero 'achismos' , opiniões pessoais e do senso comum e tenho duvidas de o quão eficazes seriam sem uma fonte em si.

    Agradecidamente, Mario.

    ResponderExcluir
  186. Pois é, Mario, eu sou cético...

    Em 05/09/13, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  187. Eu também, por isso a opinião de um cético para lá de curioso tem tanto valor para mim , ainda mais que não deve ser a primeira pessoa que lhe deve perguntar isso e pela experiencia em clinica e me paro para pensar como nunca me questionei sobre o método tradicional de se alimentar, talvez , paradoxos são confortáveis e aceitáveis até na mente dos mais céticos.

    ResponderExcluir
  188. Priscila, para contabilizar as séries e te ajudar melhor, você precisa fazer assim: 2 séries de leg press, 2 de cadeira flexora, 2 de flexão plantar - o total desse treino de MMII seriam 6 séries. Assim deve ser feito com cada exercício de MMSS. Acho, pois não conheço seu histórico e sua condição atual, que 3 x de musculação e 2 x de HIIT, uma boa dosagem semanal. Disponha.

    ResponderExcluir
  189. Muito obrigada! Depois conto os resultados.

    ResponderExcluir
  190. Ah, abusando da sua boa vontade, os intervalos entre as series seria oq? ou é melhor fazer intercalado uma MMII e uma MMSS sem intervalo? Obrigada mais uma vez.

    ResponderExcluir
  191. Olá, Priscila! Na verdade você me entendeu mal... Não prescrevi um treino para você, apenas dei um exemplo de como contabilizar o número de séries totais de seu treino atual para que eu possa emitir uma opinião. A prescrição de treino vai muito além da escolha dos exercícios e número de séries. Não faço isso aqui nos posts do blog. Nem uma breve anamnese fiz com você para ter suporte para a prescrição! hehe Se tiver interesse numa prescrição de verdade, entre em contato pelo e-mail piacesi85@gmail.com

    Abçs.

    ResponderExcluir
  192. Boa noite dr Souto, algumas perguntas:
    1) sobre cerveja, o que significa cerveja light? Menor teor alcoolico ou menos maltose?
    2) sobre vinho, vinho branco tipo lambrusco pode 1x na semana?
    3) se eu tiver que medir algo, é melhor comprar um medidor de açúcar no sangue do que um medidor de cetose?
    4) Porque, depois de mais de 1 mês na dieta, ainda sinto muita falta do pão?
    Obrigada!

    ResponderExcluir
  193. 1) Menos maltose
    2) vinho seco pode
    3) Boa pergunta: acho que de glicose é mais útil - vc pode testar 1h após comer e ver se o que vc está comendo aumenta sua glicemia. Tente ficar abaixo de 100 para perder peso.; agora, se vc quer fazer dieta cetogênica, o melhor é o optium excel que mede as duas coisas (com fitas diferentes). Cetose deve ficar entre 0,5 e 5.
    4) porque vicia. É só persistir.

    ResponderExcluir
  194. Thanks!
    Mais uma.... 5) É saudável tomar cápsulas de óleo de coco diariamente pela manhã? Por ser gordura, posso usar no jejum intermitente?
    Obrigada de novo!

    ResponderExcluir
  195. É bom sim, mas prefiro ter um pote e misturar no café


    Em 15 de setembro de 2013 21:47, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  196. :-) Vou aproveitar que está logado e fazer a ultima pergunta do dia:
    6) Quem engordou por ter usado corticoides e ciclosporina por 2 anos pode se beneficiar da dieta LCHF para perder peso ou terá dificuldade para perder peso com qq dieta? O que seria mais indicado para esta pessoa?

    ResponderExcluir
  197. Nenhuma dieta é melhor do que LCHF para emagrecer

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 15/09/2013 21:59, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir