segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Comida de gente grande.

Quando eu era pequeno, não existiam essas casas de festas que inflacionam os aniversários de nossos filhos. Aniversário de criança era algo que se fazia em casa. Servia-se todo o tipo de guloseima, regada a refrigerante. E todas essas coisas eram vistas como o que eram: guloseimas, para consumo APENAS naquele dia, e naquela circunstância. Afinal, era o aniversário do júnior. E mesmo assim, isso era na mesa das crianças. Porque a mesa dos adultos era diferente, mas sofisticada. Havia água e bebidas alcoólicas, petiscos característicos de um coquetel, torta fria, etc. As pessoas bebiam, fumavam e beliscavam estes petiscos. Era o mundo dos adultos, nos anos 1970.

*****

Algum tempo atrás, registrei o lanche que é servido na sala dos médicos no bloco cirúrgico de um grande hospital da cidade. Vejam: isto é o que é considerado um lanche saudável, em um ambiente frequentado exclusivamente por cirurgiões e anestesistas:



É o pesadelo nutricional. Exclusivamente carboidratos, e dos piores tipos: farinha de trigo refinada, açúcar adicionado, recheios com gordura vegetal hidrogenada (gordura trans) - se os americanos tivessem jogado isso no Vietnam, teriam ganho a guerra.

Não há esperança de que isso mude num futuro próximo, em um ambiente frequentado por centenas de médicos com grande fé na pirâmide alimentar. O segredo é tentarmos influenciar as pessoas uma a uma, em círculos mais restritos (amigos, família, ambientes de trabalho menores). À medida que os resultados tornam-se evidentes, a ideia vai-se espalhando.

Há locais em que podemos exercer uma influência positiva. Locais menores, nos quais o número de colegas é suficientemente pequeno para que possamos produzir uma mudança de hábitos.

A foto abaixo é de uma clínica de diagnóstico na qual trabalho fazendo exames. O lanche dos funcionários era algo semelhante à foto acima. Após uma palestra que dei na semana passada para os colegas interessados, qual não foi minha surpresa com o lanche da tarde de hoje?


O pessoal acabou com esse prato em questão de 15 minutos - e todos ficaram com a maravilhosa sensação de saciedade e paladar que comida de verdade proporciona. E alguns colegas que não haviam participado da palestra também se interessaram - nada como um exemplo prático para despertar a curiosidade.

Comparando as duas fotos, me ocorreu uma coisa: a indústria alimentícia conseguiu dois grandes feitos:

1) conseguiu estabelecer na cabeça das pessoas que crianças podem e devem comer porcarias totais, todos os dias. Biscoitos recheados, por exemplo. Não daríamos isso ao nosso cachorro, por receio de que lhe fizesse mal. Mas damos às crianças. Provavelmente, nossas crianças estariam bem mais seguras comendo a ração do cachorro;

2) conseguiu convencer os ADULTOS a comer comida de criança. Sim, pois quando eu era pequeno, as guloseimas mostradas na primeira foto eram consumidas apenas em festas de aniversário. Ninguém comia isso todos os dias. E foi isso que pensei, quando vi o prato da foto de baixo: "isto é comida de gente grande", poderia ser servida em um coquetel com um bom espumante.

A indústria alimentícia conseguiu transformar a alimentação das crianças em uma eterna festa de aniversário, para em seguida infantilizar a todos nós - todos estão liberados para beber refrigerante todos os dias, comer biscoitos recheados, barras de chocolate e pacotes de balas no ambiente de trabalho sem nenhum constrangimento - isto causaria estranhamento até um passado recente.

Talvez nos falte, no fundo, apenas isso: crescer. Comer comida de adulto, comer como "gente grande" - comida de verdade.

61 comentários:

  1. quando faço qualquer coisa aqui em casa, pra chamar amigos, há muito tempo que meu petisco é tipo esse.. aliás, quando vou na casa de amigos, também levo.... se bem que alguns amigos já sabem da minha alimentação, também fazem petiscos assim.. e não raro, também comem!

    ResponderExcluir
  2. Formidável, Doutor!

    Tenho feito como o senhor, procurando influenciar as pessoas que - percebo - estão "no ponto", ou seja, abertas a tentar algo diferente, sem preconceitos e que querem realmente se livrar da escravidão do mundo dos altos carboidratos e do trash-food em geral.

    Confesso que só falo com quem demonstra certo interesse pela minha dieta, já que os resultados na minha forma física e o desempenho nos treinos se tornam cada vez mais evidentes. Não tenho muita paciência para falar com quem não quer ouvir, também não me agrada a idéia de catequizar ninguém.

    Em casa, já são dois casos de sucesso! Meu filho de 20 anos e meu marido aderiram alegremente às delícias da dieta low-carb. Ovos no café da manhã, carnes, manteiga, azeite, verduras, quilos a menos, roupas ficando largas, cintos no último furo. Isso tudo em poucos dias. No rapaz a acne melhorou bastante, agora longe da inflamação provocada pelo açúcar e pelo leite. Todo mundo com mais disposição e energia, sem fome, e perdendo a barriguinha. Olha que o meu marido nem faz a dieta com tanto rigor e se permite uma ou outra dose de uísque com castanhas ou macadâmias torradas e salgadas e ainda assim está emegrecendo dia após dia.

    No começo, meu filho estranhou e perguntou: "mãe, não é muito ovo? Você sempre dizia que não se deve comer mais do que tantos ovos por semana (isso era eu em outros tempos). Também, tanta gordura não vai me fazer mal?" Eu respondi que o que fazia mal eram as bombas de açúcar-glúten-gordura trans que ele comia todo o santo dia, os sucrilhos, os refrigerantes, os molhos artificiais, os lanches do MacDonald's e seus molhos e queijos misteriosos (aquilo não é queijo, é uma coisa transgênica, sei lá!).

    O Doutor já percebeu que ninguém acha errado comer doce ou bolo de padaria todos os dias, biscoitos, sorvetes, massas, lazanhas de microondas, etc, etc, mas morre de medo das gorduras saturadas, dos ovos e das carnes.

    Parabéns, Doutor Souto, o seu blog está cada vez melhor!

    ResponderExcluir
  3. Como não se render a tanta lógica, verdades e atitudes erradas vistas a olhos nus...Tudo será uma questão de tempo...Low carb paleo, já!

    ResponderExcluir
  4. Que bacana, doutor!
    É muito bom conseguir convencer as pessoas de que nosso estilo de vida faz sentido e torná-los mais saudáveis.
    O senhor não faz ideia da quantidade de pessoas que estão se juntando a nós ou que eram low-carb, aqui em Recife, e não sabíamos!

    ResponderExcluir
  5. Dr. Souto fico contando os dias para ler suas novas postagens. Gosto de todas, pois sempre aprendo algo novo. O Sr. me deu uma grande ideia, na próxima comemoração de aniversariantes da empresa onde trabalho, vou levar um prato de petiscos igual este da foto, pois a cultura la ainda é dos cento de salgados com trigo. E se ninguém se interessar, pelo menos eu vou ter uma opção saudável. Muito obrigado!!

    ResponderExcluir
  6. Dr., por acaso a palestra mencionada no seu post foi filmada? Gostaria muito de ter assistido.
    Se pretende fazer alguma em SP em um futuro próximo, posso filmar para disponibilizar na internet? Tenho um amigo que trabalha com isso.
    Quanto mais material em português, melhor.

    ResponderExcluir
  7. Luiz, foi só um evento interno na empresa, que é uma pequena clínica, com uma plateia de umas 15 pessoas.
    Em 20/08/2013 02:17, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  8. Ótimo!
    Em 20/08/2013 02:05, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  9. Esse é o caminho, convencer de um em um. Primeiro mudei meus hábitos, tive que aprender a cozinhar, e comecei a emagrecer! Minha mãe viu e meu perguntou como é, eu expliquei, ela não acreditou que daria certo para ela, por conta do colesterol alto que ela tem (e o TGL também) mas como estava chegando o casamento de minha irmã, ela acabou cedendo.


    Hoje, 2 meses de dieta depois, ela está 7kg mais magra, o colesterol despencou, o TGL dela que nunca foi abaixo de 170 caiu para 75 e semana passada, MINHA MÃE QUE ERA CONTRA A GORDURA COMPROU BANHA. Confesso que fiquei emocionado.


    Hoje influencio colegas do trabalho, mas um a um, e assim vamos mudar o mundo. :D

    ResponderExcluir
  10. Exato - assim, nosso efeito fica exponencial!


    Em 20 de agosto de 2013 07:52, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  11. Esqueci de falar, hehehe, mas duas amigas de minha mãe já aderiram por conta de minha mãe. e sentem-se maravilhosas. Sinceramente, a mídia não tem chance!! *.*

    ResponderExcluir
  12. Acho que até pra quem não segue nossa alimentação, o prato de petiscos é mais apetitoso. É esse hábito e preguiça das pessoas também que preferem abrir um pacote de biscoito do que preparar alguma coisinha.


    Isso ai, de um em um, cada vez mais pessoas estão seguindo. parabéns!

    ResponderExcluir
  13. O auto exemplo é realmente muito forte e chama atenção dos outros, quanto mais divulgação, palestras, vídeos, blogs, livros, revistas, em português, mais força ganha o movimento, por isso é tão importante esse blog, parabéns mais uma vez Dr. Souto. As forças contra o movimento são e sempre serão muito fortes, mas acho que um dia (não sei quando) acontecerá como com o cigarro. A pessoa (adulto) pode consumir, mas com a certeza que faz mal. Não precisaria de mais nada...

    ResponderExcluir
  14. Discordo de que o caminho seja o um a um. Isso é fundamental. Mas este blog é uma demonstração bastante evidente de que o caminho é, antes de tudo, conceitual. Do conceitual ao político, em acepção de política de estado, a consequência é boa. Aqui, por exemplo, há um bom interlocutor que está buscando lidar diretamente com a merenda escolar da rede estadual: http://www.sul21.com.br/jornal/2013/08/francisco-milanez-podemos-ter-agricultura-organica-de-qualidade-em-grande-escala A imagem da refeição dos médicos é mesmo assombrosa. O fato de que médicos engoliram a pirâmide alimentar revela um problema grave de lavagem cerebral e obscurantismo, nas graduações de medicina. Porque não há outra explicação, já que é totalmente sem amparo lógico mínimo. Por fim, mas não por último, o aumento nos índices de câncer em pets, bem como de alergias, também já é associado ao menos ao trigo e aos transgênicos. A ração que usa cereais não transgênicos é recomendada em casos específicos - inclusive os de câncer e alergias severas e em estados de convalescência. Mas o mais interessante, mesmo, é que há a ração paleo, e é excelente! Os meus cães AMARAM e há mais sabores para os gatos: http://www.farmina.com/?q=pt-br/distributor/farmina-pet-foods-doo

    ResponderExcluir
  15. Katarina: olha este artigo: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3081766/?report=classic

    Até os RATOS que vivem perto dos seres humanos estão engordando!!! E não é porque eles assistem muita TV e não vão na academia.


    Em 20 de agosto de 2013 09:39, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  16. Rá!!! É um espetáculo! Souto, falando sério: é preciso se organizar e get together ações e decisões. Já pensei numa espécie de seminário Paleo orgânico com alta divulgação. Sob absolutamente todos os aspectos isso importa, aqui no RS, de maneira louca de especial (o tipo de rebanho que há aqui, ainda, a grande ocorrência de agricultura familiar orgânica, em relação ao resto do país, a cultura da pequena propriedade, uma medicina em que se pensa - embora possa se pensar muito mais -, bons centros e profissionais tratando câncer e alergia (aqui se tem muita alergia), gente da filosofia, da bio, interessados em discutir, não exatamente alimentação, porque afinal não é somente disso que se trata. Enfim, go ahead e eu tenho meio que convicção de que isso terminará acontecendo.

    ResponderExcluir
  17. Dr. eu vejo como é difícil querer mudar um conceito já determinado pela sociedade. Na minha casa e na casa de muitas pessoas quando se fala em "comemoração", "festa de aniversário" já se pensa no bolo de trigo cheio de glacê e chocolate e salgados de trigo e doces, além do refrigerante... e se há suco sempre é de caixinha. É a praticidade e correria do dia a dia que também ajudou a determinar esse conceito de comemoração entre as famílias, afinal, é mais fácil encomendar tudo do que ter que fazer algo.

    ResponderExcluir
  18. É.Mas é interessante ver a reação das pessoas à comida de verdade, que muitas nem conhecem...


    Em 20 de agosto de 2013 10:22, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  19. Aqui no Shopping vi uma destas lojas de brigadeiro gourmet com uma placa escrito: Emocional Food. Só tinha adultos, comendo brigadeiros e café com adoçante. Crianças preferem McDonalds.
    O tal brigadeiro é bem caro! Virou coisa chique. Realmente, nossos pais e avós faziam brigadeiros apenas para a festa de aniversário. A gente ajudava a enrolar. Ficavam guardados bem alto, para que as crianças não consumissem antes da festa. Não entravam no cardápio nem no final de semana. Adora virou "emocional food" de adultos infantilizados, na forma gourmet, de colher... Vejam nas festas de Buffet Infantil. As crianças brincam e os adultos atacam os docinhos!
    Chega de comida emocional, comportamento emocional, autopiedade... Nós precisamos é de racionalidade, um bocadinho de disciplina e vontade de viver.

    ResponderExcluir
  20. Adorei o post! Me fez lembrar quando era pequena e minha mãe preparava nossa lancheira - sim, crianças levavam seu lanche de casa e não se envergonhavam disso. Eu e meu irmão adorávamos o sanduíche de pasta de amendoim, ou de patê de sardinha, que era feito com manteiga e não com maionese como hoje. Para beber, leite com café ou toddy, que tinha gosto de chocolate e não de açúcar como hoje.
    Nos sábados nossos amigos iam lá em casa à tarde para um lanche que geralmente era maionese caseira de legumes ou salada de kibe, que minha mãe arrumava dentro de tomates e enfeitava parecendo cogumelos. Ficava parecido com as casas dos Smurfs! rsrsrs... Enfeitar a comida assim era moda nos anos 70. Pra beber, chá com limão. Todos amavam.
    Saudade! Saudade de um tempo em que a comida não era um inimigo, em que os legumes não tinham agrotóxicos e as carnes não vinham bombadas com hormônios. Aquilo era comida de verdade!

    ResponderExcluir
  21. Nilza, depois que mulheres adultas começaram a fazer "scrapbook" como hobby achei que o mundo realmente está se perdendo... aquilo é parecido com os diários que as pré adolescentes tanto amam e pra elas tudo bem, mas mulheres adultas cortando e colando borboletinhas e estrelinhas com purpurina pra se divertir beira ao ridículo.
    Parafraseando Caetano "Alguma coisa está fora da ordem. Fora da nova ordem mundial"

    ResponderExcluir
  22. Dr. Douto, também já sou um dos que estão tentando abrir os olhos dos amigos e da família. E eles estão vendo nos meus resultados: em 35 dias, 9 kg a menos e um "eterno ácido úrico alto" despencou para 3,8. Circunferência abdominal menor, muito mais disposição e até alguns músculos já dando o ar da graça já que estou fazendo hipertrofia na academia. Minha única lamentação é o porque não descobri antes esta dieta. Valeu Dr. Souto!

    ResponderExcluir
  23. uau! isso mesmo! As pessoas precisam amadurecer!

    ResponderExcluir
  24. :-)

    2013/8/20, Disqus :

    ResponderExcluir
  25. Dr, acompanho seu blog
    desde Maio, no começo passei madrugadas sem dormir, lendo todo o
    conteúdo, não acreditava naquele novo mundo que se descortinava diante dos meus
    olhos, bateu um nó no peito, um misto de revolta e arrependimento por não ter
    pesquisado sobre este tema antes. Pois
    bem, estava esperando chegar ao meu resultado esperado, antes de postar aqui o
    que houve em minha vida antes de conhecer o seu Blog, saiba que ao entrar na
    internet, as primeiras páginas abertas
    são: Facebook e seu blog, quando tem postagem nova, fico , sem exageros,
    emocionada. Espero não parecer
    cansativa, mas quero contar como tudo ocorreu.

    Tenho 29 anos, até ano passado, nunca na minha existência
    havia tido problemas com a balança, achava um saco ler sobre dietas e essas
    coisas que a maioria dos adultos comentam, sobre suas dietas e etc. Pois aos 18 anos com 1,65 de altura meu peso
    era 48, 49, nunca chegava aos 50 quilos, portanto a única dieta que fiz na vida
    foi aos 25 para ganho de massa muscular, foi muito difícil, sofri muito puxando
    peso, mas consegui o corpo que eu queria
    55, 56 quilos bem distribuídos.

    Minha vida era tranqüila, academia toda manhã,
    trabalhava tarde e noite. Meus pais e minha irmã mais velha sempre
    tiveram aquela “ barriguinha de trigo”, mas eu nem interferia nas escolhas
    alimentares deles, pois ( egoísmo meu)
    comigo estava tudo bem. Fora que o
    trabalho me consumia todo tempo.

    Em 2011 resolvi fazer uma nova faculdade, portanto as minhas manhãs de musculação
    acabaram dando lugar as aulas. No primeiro ano, tudo bem, perdi um pouco de
    massa muscular, mas continuava com o peso que queria. Em 2012 comecei a
    perceber que o ponteiro da balança estava subindo, comecei a me desesperar,
    pois realmente, não havia mais como eu voltar a treinar. Alguns vestidos que antes ficavam perfeitos
    não entravam mais na manga ( engordo muito a barriga e os braços). Quando a balança ultrapassou os 60 quilos,
    comecei a ignorar, parei de me pesar, me sentia inchada de mau humor, mas comecei a “ fingir que não era comigo”.

    Passei Janeiro inteiro na Europa comendo demais, tomando
    muitos daquelas leites do Starbucks,
    cada dia me sentindo mais gorda, o que me salvou era que é inverno.
    Minha irmã caçula que tem corpo de modelo, e nem freqüenta academia e come o
    que quer, me falou, você está engordando, eu falava para todos que não era
    gordura que era inchaço, mas eu sabia no meu intimo que era gordura SIM.

    Esqueci de dizer algo importante, quando sai da academia, fiz a besteira de
    parar de comer carne durante a semana, só comia aos fins de semana, achando que
    emagreceria, ou manteria meu peso.. o resultado foi desastroso.

    No Carnaval deste ano, passamos numa pousada, ao colocar o biquíni,
    vi que deveria tomar uma atitude e voltar a ter meu corpo de volta, pois já
    estava desesperada, eu só daquelas pessoas que só engordam braço e barriga,
    estava horrível.

    Foi depois disso que comecei a pesquisar e achei seu blog,
    nossa rotina familiar mudou, moro com meus pais, portanto eles também entraram
    no meu programa alimentar. Minha mãe também recebeu um ultimato de seu médico
    para emagrecer 10 quilos para parar de ter dor nas pernas. Foi esse o pontapé
    inicial. Nossos hábitos alimentares
    mudaram completamente, o Senhor é famoso
    aqui em casa, quando sai alguma postagem, eu já digo o Dr falou isso, falou
    aquilo. Vou falar dos resultados.

    Eu estou no meu peso ideal:
    56 quilos. Minha mãe já perdeu 10
    quilos, meu pai come muitos doces e não
    obteve resultado, mas pretende seguir algum dia, minha irmã casada perdeu 10
    quilos, já trocou o guarda-roupa, não tirava fotos agora tira, é uma pessoa
    alegre, antes era triste. Indiquei seu
    blog para uma amiga, em um mês ela já perdeu 5 quilos.

    Desculpe a postagem longa, mas queria contar detalhes.

    P.S: Minha mãe tem
    pressão alta, na última visita ao cardiologista ele mediu duas vezes, pois não
    acreditou no resultado, a pressão dela está normalizando, ela também é outra
    pessoa, trocando o guarda roupa e cada
    dia mais alegre.

    ResponderExcluir
  26. Acho bem legal a idéia de discutir novas formas de reunião e discussão do tema (semana passada aconteceu o Ancestral Health Symposium em Atlanta, o encontro mundial anual, talvez algo menor, com gravação e divulgação dos vídeos de apresentações, vários profissionais envolvidos. Também me incomoda esse estratégia de ir aos poucos, mas tenho que concordar que é bem melhor que não fazer nada, pelo contrário, ela é defendida por vários autores que defendem o tema e esse blog é a prova que traz resultados (provavelmente em escala realmente exponencial). Estava vendo o congresso nacional de obesidade esse ano, além de ser patrocinado pela Coca-Cola, nem tocou no assunto low carb. Fico pensando, com tanta evidência científica até quando a comunidade médica vai continuar ignorar o tema. Semana passada baixei do blog do Peter Attia, um quadro em pdf com o resumo de 91 artigos científicos desde o início do século passado que mostram a superioridade da estratégia low carb. Por mais que ainda existam muitas perguntas a serem respondidas, já existem evidências, no mínimo um pouco melhores (ou muito melhores) que as existentes para defender a estratégia low fat. Até quando teremos que discutir o tema no micro sem espaço no macro?

    ResponderExcluir
  27. Eu também como a Claudia,procuro falar pra pessoas que realmente vejo que possue interesse em querer mudar e ter uma alimentação mais saudavel,nada como essas pessoas olharem pra gente e conseguir enxergar os resultados,porque os resultados acabam falando por si só,eu tenho feito pequenas mudanças que com certeza trará bons resultados,tenho consumido muito pouco arroz (quase nada)feijões e outros grãos da mesma forma,óleo segui as orientações do Dr.Souto joguei fora estou usando só a banha,azeite,tenho diminuido bastanta as coisas industrializadas,sei que tenho um longo perìodo a percorrer,mais to reaprendendo a comer coisas certas,treinando meu paladar,e tenho certeza que chego lá,aqui aprendo muito com Dr.Souto e com os comentários que venho lendo,falhas????ainda tenho muitas mais a minha vontade de aprender,ter uma alimentação mais saúdavel é maior que tudo, envelhecer todos nós vamos,mais ninguém merece viver e envelhecer sem qualidade de vida,e acho que já somos vencedores por estar aqui,procurando mais informação e pondo em pratica tudo que estamos aprendendo!!!!

    ResponderExcluir
  28. Semana passada fui a uma festa e levei duas bandejas: uma de palitinhos como esses, mas fiz de tomate, queijo e manjericão, e outro de ovo de codorna, salsicha e azeitona, e outra bandeja com frios: salame, lombinho, copa, queijos e azeitona. TODO MUNDO levou sanduíche de metro e tortas, encomendadas, claro! Pois minhas bandejas sumiram em minutos!!!! Tive que encostar do lado e comer antes que não sobrasse nada pra mim... :-)

    ResponderExcluir
  29. UAU!! Se vc quiser me mandar fotos (soutopaleo@gmail.com), suas e/ou da família, eu posso postar essa sua história. Fiquei muito feliz, MESMO.

    Em 20 de agosto de 2013 18:56, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  30. O espaço Macro está vindo. Meu blog dobrou o número de acessos em poucas semanas. Estou com 125 mil acessos/mês. Já fui entrevistado por alguns jornalistas. É questão de tempo.


    Em 20 de agosto de 2013 18:59, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  31. Sucesso em família! Parabéns (:

    ResponderExcluir
  32. Bem observado Dr. Souto!


    Extrapolando o assunto para a Economia, o senhor pode ser considerado um verdadeiro um verdadeiro terrorista!


    Imagine que essa ideia altamente revolucionária de um "novo" (pior que parece ironia mesmo...) lifestyle alimentar pegue de vez e a humanidade adote isso em peso (desculpe o trocadilho, não resisti...). Como ficariam as indústrias alimentícia, farmacêutica e agrícola?! Até mesmo a indústria da medicina e da odontologia?! Quebraria a economia mundia!


    É melhor ir aos poucos... ;)


    Quem diria: J. C. Souto = Neo (Matrix) = V (V for Vendetta) ....


    _____
    42

    ResponderExcluir
  33. Doutor, eu deveria ter feito fotos de corpo inteiro, antes dessa nova vida, a maioria das fotos é de meio corpo, mas vou procurar com carinho, para ver se acho algumas que evidenciem o antes e o depois. Minha mãe precisa perder mais 10, portanto vou tirar uma foto agora, para lhe enviar mais tarde o antes e depois. Um grande abraço. Sou sua fã. até hoje não acredito que existe um médico assim. É demais.

    ResponderExcluir
  34. Que maravilha!

    ResponderExcluir
  35. Olá, meu nome é Débora e tenho 25 anos. Acompanho o site Emagrecer de vez a algum tempo e lá conheci o seu blog, que leio sempre, mas geralmente não comento nos posts. Vi os vídeos e a cada dia me surpreendo como estamos mergulhados em achismos e teorias infundadas. Sem dúvida, as informações a que tive acesso no site Emagrecer de Vez e aqui já estão mudando minha relação com a comida. Não digo que já coloquei em prática tudo que aprendi com vocês, mas tenho caminhado nesse sentido de aos poucos ir me adaptando com hábitos que fazem toda a diferença a curto e longo prazo.
    Bom, resumindo, minha dúvida é.. uma mulher jovem que se prepara pra engravidar tem alguma contra indicação? Eu estou tentando me tornar saudável antes de engravidar, não só por estética, mas também por saber da responsabilidade de gerar uma vida. Por isso gostaria de confirmar se é aconselhável esse estilo de vida/alimentação quando engravidar também.
    Parabéns pelo blog, estou recomendando aos amigos!
    Desde já obrigada!

    ResponderExcluir
  36. Débora, uma leoa deveria começar a pastar porque vai ficar prenha? E uma vaca deve começar a comer carne antes de engravidar?
    Em 21/08/2013 13:40, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  37. Dr., teu senso de humor é ótimo!

    ResponderExcluir
  38. Realmente faz sentido, obrigada por estender seu conhecimento a nós!

    ResponderExcluir
  39. Muito bom o artigo Dr Souto. Hoje iniciei no posto de saúde uma nova etapa: uma pequena palestra com os pacientes que estavam lá me aguardando para a consulta, a maioria hipertensos e diabéticos. Coloquei alguns alimentos como saudáveis (óleo de coco, manteiga da terra, banha de porco, ovos, abacate) e outros que não são (margarina, óleos vegetais, açucar, adoçantes). Se visse a cara de perplexidade do povo...

    ResponderExcluir
  40. Sensacional
    Em 21/08/2013 17:05, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  41. Na minha infância nos anos 80, alimentos em pacote era algo que somente as classes mais favorecidas tinham acesso e em momentos específicos. Eu e minhas irmãs aguardávamos ansiosamente pela visita da avó e as balas que ela trazia e que nossa mãe logo tomava dizendo que só daria se raspássemos o prato. Fomos criados sem religião, mas dia de São cosme e damião era festa pois era um dos poucos momentos em que comíamos doce e nunca fui pobrezinho.
    A coisa hoje é muito triste. Anos atrás trabalhei em uma escola de zona rural pobre, as crianças andavam com chinelo remendado, roupa rasgada e levavam coca, biscoito tipo cheeps e pacotes de bala diariamente.

    ResponderExcluir
  42. Acho que a ração de cachorro também não é muito segura! hahahah

    Já sigo esse estilo de alimentação a algum tempo e perdi 18Kg, vendo uma matéria semana passada no Primal Brasil resolvi mudar também a alimentação do meu cachorro! Quem tiver interesse, dê uma olhadinha:

    http://primalbrasil.com.br/alimentacao-primal-para-cachorros/

    ResponderExcluir
  43. E como ele está se adaptando?
    Para o meu eu mudei há 2 dias...mudei a ração, comprei uma com poucos grãos e estou dando mais carne crua...quero dar ovos crus também

    ResponderExcluir
  44. As pessoas não têm medo porque são bombardeadas diariamente com propagandas desses produtos! Está em tudo quanto é lugar! Na tv, na internet, nos outdoors! Até o congresso de obesidade e síndrome metabólica não escapou: patrocinado pela coca-cola!

    ResponderExcluir
  45. Dr. Mostrei os exames para meu médico (um neurologista aqui em São Paulo, Dr. Marcelo Annes). Ele disse que ainda não posso atribuir a dieta, mas assumiu que o glúten deve, sempre, ser evitado.
    A regulação da tireóide (Anticorpo peroxidade está em 332) se dá em quanto tempo? Será que em 90 dias já tenho regressão total?

    ResponderExcluir
  46. Pode mesmo levar meses. E acho que ele está certo, para poder atribuir à dieta será necessário mais exames mostrando uma melhora progressiva. LEMBRE-SE que eliminar as leguminosas e os óleos vegetais é igualmente importante. 90 dias seria um bom momento para avaliar o resultado. Mas a remissão completa pode levar mais tempo.


    Em 28 de agosto de 2013 09:37, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  47. Ok, obrigada!
    Existe um problema então: Eu estava colocando margarina no café, já que aqui onde trabalho não tem manteiga. Eu já lí o post sobre margarina, mas achei que a gordura ajudaria a ficar com menos fome. Melhor ficar sem margarina então, certo?

    ResponderExcluir
  48. SIM. Veneno total. Poucas coisas poderiam ser piores.
    Em 28/08/2013 12:03, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  49. Sensacional esse artigo!


    Eu penso o seguinte: O motivo pelo qual eles não aceitam a idéia Atkins, é porque iria desencadear uma teoria do caos para o mercado de alimentos e redes de fast-food. Pondo muitas franquias em crise e por que não até a economia americana? Que consequentemente afetaria o mundo todo.

    ResponderExcluir
  50. Olá Doutor

    Tenho acompanhado seu blog a algum tempo, mas nunca comentei. O universo se encarregou do meu encontro com esse novo estilo de vida e agradeco todos os dias por isso. Essa descoberta ocorreu em um momento que eu estava convencida em me tornar vegan, na verdade já tinha alguns anos que era praticamente vegetariana (praticamente pq algumas vezes eu nao aguentava e comia peixe, carne vermelha a cada 2 ou 3 meses e olha lá) e eu, que sempre fui muito magra, me vi engordando cada vez mais. Nunca cheguei a ficar obesa, mas estava uns 12kg acima do peso, mesmo comendo somente "comidas saudáveis".

    Mudei completamente a minha alimentacao e hoje meu corpo está tomando a melhor forma de toda a minha vida. Estou emagrecendo bastante e moldando o meu corpo com musculacao e yoga.

    Meu filho de 11 anos estava obeso. Ele entrou comigo nesse novo estilo de vida e está emagrecendo bastante também, mas de uma forma mais lenta. Ele está muito feliz pelas mudancas no corpo dele e por nao mais passar fome como antes.

    Eu só tenho uma dúvida, ficaria muito feliz se pudesse me esclarecer. Tenho mais dois filhos pequenos, de 8 e 5 anos. Eles sao muito magros, o de 8 anos quase nem tem carne, como se diz, é só o couro e o osso. Eles praticamente já seguem a dieta, mas comem muitas frutas e as vezes comem corn flakes com leite e alguns carboidratos, sem falar nos doces que comem escondidos de mim. Eu faco vista grossa pq na verdade tenho medo e nao sei se eles podem seguir à risca essa dieta por serem muito magros e criancas ainda.

    Crianca pode fazer essa dieta?

    Ah, o mais magrinho tinha muitas alergias e problemas na pele, foi só eu tirar o trigo diário dele que tudo melhorou e eu já vi resultados na mesma semana.

    Agradeco desde já.

    ResponderExcluir
  51. Olá Polly,

    Nada melhor do que a dieta com a qual evoluímos! Páleo é recomendada para todos: mulheres grávidas, amamentando, crianças e pra qualquer pessoa que busque mais
    saúde. Nada melhor do que comida de verdade!

    http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2013/02/prezado-dr-souto-dieta-e-gravidez.html

    Comentário do Dr. Souto:
    "eu não faria low carb para uma criança normal não obesa. Mas tentaria fazer o mais páleo possível. Ou seja, tentar adoçar o mínimo possível, beber água para matar a sede, evitar sucos de fruta, mas comer frutas sem restrição. Evitar adoçantes artificiais (ninguém sabe seus efeitos no longo prazo). Estévia deve ser mais seguro do que o resto, mas eu acho que ela pode muito bem beber uma laranjada de laranja espremida, diluída com água - ao invés de sucos de caixinha (mais açúcar do que refri) ou mesmo de suco de laranja puro - para não acostumar o paladar ao açúcar - com o tempo ela achará as coisas doces demais, e o próprio paladar controlará as coisas. Maltodextrina É açúcar. O melhor é não adoçar as coisas. Mas, quando for adoçar, adoce pouco. Com açúcar mesmo. Se ela não ficar se entupindo de bolachinhas, pães e biscoitos recheados, ela nunca ficará obesa e nunca precisará restringir tanto os carbs quanto nós que já cometemos os erros no passado. Lembre-se: páleo não é completamente low carb. E low carb é uma intervenção terapêutica para aqueles de nós que, tendo abusado de carbs a vida toda, agora temos que restringi-los para perder peso e tratar nosso metabolismo.

    Eu também não me preocuparia com eventuais escapadas em festinhas. Mas manteria a CASA glúten-free."

    ResponderExcluir
  52. Muito obrigada pela resposta, todas as minhas dúvidas foram esclarecidas.
    Eu nao uso acúcar refinado em casa, quando tenho que adoçar algo para as crianças mais jovens uso uma pequena quantidade de mel ou acucar marrom pq creio que faca menos mal. O mais velho e gordinho nao usa acucar de jeito nenhum e nao sente mais falta. Ele nem come frutas muito doces pq nao gosta do sabor.
    Refrigerante nao entra na minha casa já tem mais de 1 ano e nao sentimos mais falta. Cortei os sucos industrializados tbm, comprei um daqueles processadores que faz o suco natural da fruta e faço de vez enquando pra matar a vontade deles.
    Mais uma vez eu agradeço pela atenção.

    ResponderExcluir
  53. Polly,

    Só pra informar: Mel é açúcar. Qualquer outro açúcar (marrom, demerara, orgânico, refinado, cristal) é açúcar tbm! Vá diminuindo aos poucos. Tente a estévia, pode ser que agrade.

    Quanto aos sucos concentrados, não recomendo pela alta carga de frutose. Dilua com água ou faça limonada. Mas as frutas são bem vindas!

    No mais, olhe estes sites de receitas : nutridaspanelas.blogspot.com.br

    http://maisgorduramenoscarboidratos.com



    no canto direito tem mais sites! Tem muitas receitas legais!

    ResponderExcluir
  54. Eu li em um blog de um dos profissionais que está na lista desse site, que o queijo não é recomendado. De acordo com a postagem que li, o queijo possui muito cálcio, podendo provocar um Litíase Renal. Porém isso contraria a maioria das receitas que vi sobre low carb. O que acha disso, doutor? estou começando agora, tenho pesquisado muito sobre alimentação, mas por vezes me deparo com falas que se contrariam de profissionais ligados a dieta paleo. Se puderes esclarecer, agradeço. Abraços

    ResponderExcluir
  55. Está errado.

    Pode até haver motivos para evitar a caseína (espinhas, ovários policísticos), mas EVITAR cálculos renais é um bom motivo para consumir MAIS lacticínios.

    J Urol. 2013 Oct;190(4):1255-9. doi: 10.1016/j.juro.2013.03.074. Epub 2013 Mar 25.
    Dietary calcium from dairy and nondairy sources, and risk of symptomatic kidney stones.

    Taylor EN, Curhan GC.
    Source

    Channing Division of Network Medicine, Brigham and Women's Hospital, Harvard Medical School, Boston, Massachusetts; Division of Nephrology and Transplantation, Maine Medical Center, Portland, Maine. Electronic address: entaylor@partners.org.

    Abstract
    PURPOSE:
    Because of high correlations between dairy intake and total dietary calcium, previously reported associations between lower calcium intake and increased kidney stone risk represent de facto associations between milk products and risk. We examined associations between dietary calcium from nondairy and dairy sources, and symptomatic nephrolithiasis.

    MATERIALS AND METHODS:
    We performed prospective studies in the Health Professionals Follow-up Study (HPFS) in 30,762 men, and in the Nurses' Health Study (NHS) I and II in 94,164 and 101,701 women, respectively. We excluded men 60 years old or older because we previously reported inverse associations between calcium intake and risk only in men younger than 60 years. Food frequency questionnaires were used to assess calcium intake every 4 years. We used Cox proportional hazards regression to adjust for age, body mass index, supplemental calcium, diet and other factors.

    RESULTS:
    We documented 5,270 incident kidney stones during the combined 56 years of followup. In participants in the highest vs the lowest quintile of nondairy dietary calcium the multivariate relative risk of kidney stones was 0.71 (95% CI 0.56-0.92, p for trend 0.007) in HPFS, 0.82 (95% CI 0.69-0.98, p trend 0.08) in NHS I and 0.74 (95% CI 0.63-0.87, p trend 0.002) in NHS II. When comparing the highest to the lowest quintile of dairy calcium, the multivariate relative risk was 0.77 (95% CI 0.63-0.95, p trend 0.01) for HPFS, 0.83 (95% CI 0.69-0.99, p trend 0.05) for NHS I and 0.76 (95% CI 0.65-0.88, p trend 0.001) for NHS II.

    CONCLUSIONS:
    Higher dietary calcium from nondairy or dairy sources is independently associated with a lower kidney stone risk

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 19/10/2013 19:52, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  56. Boa noite,
    Tenho um filho de 11 anos, e aos poucos tenho conseguido que ele deixe de comer, pão, bolos, bolachas e afins. Com calma e preexistência tenho levado este barco a bom porto( não fossemos nós uma família de marinheiros). A minha duvida é, o que fazer para o lanche da escola.
    O ano passado mandava fatias de queijo,ovo cozido ou mexido, azeitonas, 1 peça de fruta. A escola esta começando ele já me disse que não quer ovo cozido e eu não sei o que fazer. Aceito ideias e sugestões
    Bem haja para todos

    ResponderExcluir
  57. Olá Isabel,


    tem muitas receitas boas: bolinhos, muffins (doces e salgados), enroladinhos de queijo e presunto, torresmo, mix de castanhas, etc. Sugiro acessar os blogs de receitas ao lado (canto direito). Com certeza tem muitas opções boas.

    ResponderExcluir
  58. Obrigado Patricia, vou seguir o seu conselho.

    ResponderExcluir