sábado, 5 de outubro de 2013

Camundongos com pouca insulina simplesmente não conseguem engordar

Quando li o artigo abaixo, tive que sorrir. Tive que sorrir por causa da surpresa de seus autores com seus próprios resultados; um resultado que deveria ser óbvio para qualquer um que já estudou fisiologia ou bioquímica nos últimos 50 anos.

http://www.medicalnewstoday.com/articles/253713.php

Altos Níveis de Insulina Podem Levar à Obesidade


Data: 06/12/2012

Uma descoberta inesperada mostrou que crenças disseminadas sobre hábitos saudáveis de alimentação podem ser falsos, e em verdade podem fazer com que as pessoas engordem

O achado veio de um pesquisador da University of British Columbia e foi publicado na revista Cell Metabolism.

O estudo começou com o objetivo de estudar a insulina, que é o hormônio empregado pelo corpo para estocar o açúcar, de modo a poder usá-lo mais tarde como fonte de energia. Uma falta de insulina causa o diabetes tipo 1 e, de acordo com outro estudo publicado no mesmo periódico, uma atividade cerebral prejudicada da insulina pode ser causa de lipólise excessiva que piora o diabetes tipo 2.

Depois de analisar o papel da insulina em animais, James Johnson, um professor associado de ciências celulares e fisiologia, descobriu que insulina demais pode ser ruim.

Johnson separou os camundongos em dois grupos, e alimentou ambos com uma dieta de alta gordura (nota do tradutor: gordura essa obtida de óleos de sementes o que leva à inflamação e resistência à insulina em roedores - e uma dieta com carboidratos também, além da gordura). Um grupo, o grupo controle, consistiu de camundongos normais e o outro consistiu em camundongos que foram modificados para produzir  apenas metade da quantidade normal de insulina.

Os resultados mostraram que os camundongos normais ficaram com sobrepeso, como se imaginava. Entretanto, os camundongos que tinham baixos níveis de insulina não engordavam devido ao fato de que suas células gordurosas queimavam mais energia e armazenavam menos. Os camundongos que permaneceram magros tinham menos edema e seus fígados estavam mais saudáveis.

Isto significava, de acordo com Johnson, que a obesidade era resultante da insulina excessiva que era produzida pelos camundongos normais expostos à dieta de alta gordura (nota do tradutor: gordura essa obtida de óleos de sementes o que leva à inflamação e resistência à insulina em roedores - e uma dieta com carboidratos também, além da gordura). Em outras palavras, camundongos, assim como humanos, podem produzir mais insulina do que o necessário.

A pesquisa indica que as pessoas podem manter um peso saudável ao constantemente trazer os níveis de insulina para um mínimo saudável. Isto pode ser feito aumentando o intervalo entre as refeições, eliminando lanches, sem comer demais na hora das refeições (nota do tradutor: esqueceram apenas de citar o método mais óbvio de todos para reduzir a secreção de insulina - restringir carboidratos!).

A crença generalizada de que as pessoas deveriam comer pequenas quantidades de comida durante todo o dia para manter-se magras demonstrou-se ineficaz neste estudo.

Johnson concluiu:


"Embora a insulina seja crucial para regular o açúcar no sangue, o excesso de uma coisa boa pode acabar sendo ruim. Se pudéssemos manter a insulina em um valor ideal, poderíamos reverter a epidemia de obesidade que é um fator de risco para tantos outros problemas - diabetes, doença cardíaca e câncer".

A surpreendente relação entre insulina e obesidade

Considerando-se que Johnson, um membro do Instituto de Ciências da Vida da UBC, não conduziu esta pesquisa para examinar obesidade, ele ficou um tanto surpreso pelo que encontrou. Originalmente, ele queria determinar se as células beta do pâncreas - que produzem insulina - seriam encorajadas a aumentar pela sua própria secreção de insulina.

Ambas descobertas de Johnson foram não-antecipadas:

 - camundongos com baixa insulina eram incapazes de engordar
 - a maioria destes camundongos, mesmo com níveis significativamente reduzidos de insulina, não desenvolveram diabetes.

De acordo com dados de altura e peso de 2007 a 2009, 1 em cada 4 canadenses luta contra a obesidade. As taxas de obesidade dobraram entre 1981 e 2007-2009.


****

O grau de bloqueio mental que tomou conta da mente dos médicos, nutricionistas e pesquisadores no que tange ao controle metabólico da obesidade é algo sem paralelo em toda a pesquisa biomédica.

 Se os pesquisadores produzissem camundongos com pouco hormônio do crescimento, eles seriam camundongos-anões, e isso seria óbvio, e não uma surpresa!! Mas o fato de que camundongos que secretassem menos insulina não engordariam TAMBÉM É ÓBVIO!! Por que então foi recebido como uma surpresa? Porque, quando se fala de obesidade, o paradigma vigente de que trata-se apenas de um problema de balanço calórico é capaz de cegar os pesquisadores mais eminentes para questões de bioquímica absolutamente BÁSICAS - no caso, o fato de que a insulina é o principal hormônio que atua favorecendo a lipogênese.

Quem leu Good Calories, Bad Calories sabe que, até meados do século passado, o papel fundamental da insulina para o ganho de peso era conhecimento corrente de TODOS os médicos.

Há 42 anos, em 1972, este que vos escreve estava com apenas 1 ano de idade, e o Dr. Atkins já escrevia: "Nos últimos dez a quinze anos, a origem do distúrbio metabólico da obesidade foi bem esclarecida pelos cientistas. A causa nada tem a ver com o metabolismo da gordura que você ingere, mas com o hiperinsulinismo e a resistência à insulina. O hormônio insulina e o efeito que o mesmo produz sobre seus níveis de açúcar no sangue (que sobem e descem constantemente como resposta ao alimento que você come) relacionam-se muito mais diretamente com seu estado geral de saúde e com a probabilidade de você ser vitimada por assassinos tais como ataque cardíaco e derrame cerebral do que se suspeitava no passado. E é também o determinante isolado mais importante de seu peso. Este é o motivo por que, na quinta década de vida, 85% de diabéticos do Tipo II são obesos. Esse defeito metabólico ligado à insulina pode ser evitado mediante restrição à ingestão de carboidratos."

Ou seja, a grande DESCOBERTA dos autores do estudo acima, já estava no livro do Dr. Atkins 40 anos atrás!!

É incrível mesmo. Todos nós, médicos, já estudamos bioquímica. Fui olhar no meu livro de bioquímica, e o livro não deixa nenhuma dúvida; está lá, na página no. 821:




Este livro é de 2008. Acham muito novo??

Quem sabe este aqui:

É de 1975, e era o livro adotado lá na UFRGS quando eu estudei (embora a minha fosse uma edição mais "moderna", dos anos 1980).

E vejam - SURPRESA!! - em 1975 já se sabia que a gordura era fabricada a partir de glicose sob o efeito da insulina! Uau!


Lutamos aqui contra um paradigma tão forte e tão arraigado - o paradigma do balanço calórico - que é capaz de apagar das mentes mais brilhantes, como a do Dr. Johnson, da University of British Columbia, fatos que ele já estudou quando era mais jovem - o controle hormonal do tecido adiposo. Repito - o que ele "descobriu", produzindo manchetes pelo mundo em 2012 - é algo trivial e que já pega poeira em páginas amareladas de livros há décadas. Que reduzir a insulina é a chave para controlar o peso. Um dia, no futuro, nossos descendentes ainda hão de se referir à nossa era como a grande idade das trevas da ciência da nutrição. E se perguntarão "como é possível que essa gente não se desse conta de algo tão óbvio?". E nos compararão às pessoas que se recusavam a acreditar que a terra era redonda.

91 comentários:

  1. Mto bom artigo Dr.Souto! Sou formada em química e me lembro bem dessa parte metabólica pq sempre gostei de nutrição minha professora sempre trazia questões para discutirmos em sala como doenças relacionadas a questões hormonais e etc. Mto obrigada por sempre dividir conosco informações tão valiosas!!!
    Abraço

    ResponderExcluir
  2. Simplesmente explêndido.."Faça-se a Luz."

    ResponderExcluir
  3. Mais informações esclarecedoras.

    ResponderExcluir
  4. Tive de rir mesmo..."descoberta". Ah, sem comentários!

    Belo post!

    ResponderExcluir
  5. A comparação com a terra redonda é perfeitamente justa. Este tipo de coisa acontece quando a ciência é tratada como ideologia.

    Dr. Souto, pode me tirar uma dúvida?

    Pode me dizer quais alimentos permitidos seriam mais adequados para preparo de colonoscopia? Não é possível seguir a orientação do hospital, que é baseada em pão, bolacha e purê de batatas.

    Pensei em ovos (sem verduras), queijo ou abacate e óleo de coco, mas não se são as melhores opções.
    Obrigada,

    ResponderExcluir
  6. Alimentos sem resíduos, sem fibra (abacate não entra). Jejum também serve (mas com muito líquido e sal).

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 06/10/2013 08:11, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  7. Marcelo, parabéns!


    E adorei o seu post. Super envolvente e ótimo testemunho (mais um, né?) para quem está com pé atrás...


    Esta semana mesmo comecei a tentar convencer a minha mãe sobre iniciar uma LCHF. Já até passei o blog para ela ler e se animar :) hahah

    ResponderExcluir
  8. Atkins será Galileu no mundo. O senhor, provavelmente Galileu no Brasil. Nós seremos os privilegiados de conhecer e acompanhar de perto as pesquisas e verdades. Só espero q a inquisição ñ volte (oq, pela verocidade q alguns agem, tenho até medo.)

    ResponderExcluir
  9. Acho q terei q voar ate o sul para levar minha mae a uma consulta com dr souto. Ela esta irredutivel quando a dieta low carb e agora estou preocupada pois a glicemia deu 101 no ultimo exame de sangue dela. Isso me parece pre diabetes. Mando todos os posts para ela ler, mas ela jah decidiu q naum quer ficar sem pao (totalmente viciada).... Uma pena...

    ResponderExcluir
  10. Olá Dr. Souto, boa noite!!! Tenho uma dúvida: A ansiedade é capaz de aumentar os níveis de insulina no organismo?! Pergunto pq sou extremamente ansiosa e a dieta LCHF - q venho seguindo certinho a cerca de 4 meses - me ajudou DEMAIS nesse sentido!!! Uma diferença realmente gritante!!! Desde o início da dieta só vinha tendo resultados positivos, porém nas ultimas 3 semanas engordei 3kgs (ou seja, 1kg/semana). Nossa, isso ta me arrasando completamente pq não saí da dieta em absolutamente NADA!!! Nesta ultima semana venho quebrando a cabeça pra tentar entender o q mudou pra eu ter começado a engordar (e o pior, numa frequencia q me parece linear)... não tem a ver com período menstrual pq uso anticoncepcional e nas ultimas 3 semanas não menstruei (qnd menstruo percebo alteração no peso, mas não é o caso agora!!!)... Tb não estou tomando nenhuma medicação... (só uso fibra - Psyllium)... Enfim, depois de muito pensar, cheguei a conclusão q poderia ser ansiedade, pois desde q voltei a estudar pra um concurso público (faz 1 mês +/-) minha ansiedade realmente só vem aumentando. Apesar disso, volto a frisar q não mudei nada minha alimentação. Além de ter aumentado de peso notei q tenho sentido fome em horários q não sentia mais, estou mais mal-humorada e frequentemente com mãos e pés frios... Enfim, meio q no desespero, na ultima semana já diminui a alimentação no horario do almoço - horario q mais como -, tb cortei queijo/requeijão/manteiga, abacate, coco e legumes (só comi alface e couve essa ultima semana), mas nada mudou ainda... mas talvez uma semana seja pouco pra notar tb... Enfim, esse "desmantelo" todo pode ser ansiedade?!... Desculpa o texto enorme e, desde já, agradeço!!!

    ResponderExcluir
  11. Daniela, eu também comecei a sentir pés e mãos frios e fome em horários diferentes. Tem vezes em que a fome fica alta e outras simplesmente não sinto fome. Eu notei que era meu corpo pedindo nutrientes quando ELE quer, não quando é hora do almoço ou da janta. Comecei a respeitar isso e acelerei o emagrecimento. Sei que se eu comer mais às 15 horas, depois o corpo saciado nem pede mais nada. Estou obedecendo aos sinais do meu corpo. Acho que o fato de você comer somente alface e couve vai sabotar a dieta, pois será vegetariana e não LCHF. Na minha experiência pessoal, quanto mais gordura animal comi, menos engordei. Não fique preocupada, se acalme, perca o medo das gorduras animais e coma sem culpa, respeitando sua fome. Os dias que tentei baixar meu consumo de gorduras recomendadas a fome piorou, fiquei gelado e fraco. Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  12. Não conheço

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 06/10/2013 19:15, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  13. Olá Daniela


    É preciso entender que o corpo tem o SEU tempo, que na maioria das vezes não é o que a gente quer. Tenha calma, volte aos eixos da LCHF. Ansiedade = libera o cortisol = aumento de peso!
    O Marcelo falou muito bem, o que sacia são as boas gorduras (banha, manteiga, óleo de coco, azeite), delas você não deve abrir mão. Está com fome? Coma gordura, carnes, ovos, queijos até ficar saciada. Essa coisa de só comer alface vai te estressar mais ainda, vai produzir mais cortisol e... já viu né?

    ResponderExcluir
  14. Olá Dr José Carlos, sou leitora do seu blog, mas nunca havia comentado. A dieta low carb me intriga muito, sou diabêtica tipo 1 e engordo com muita facilidade, mesmo tentando segui-la. A única coisa que me mantém magra hoje (já tive sobrepeso) é seguir uma dieta muuuito restritiva em calorias e contá-las em cada alimento. Eu queria muito poder não engordar como o estudo mostrado neste post e toda a abordagem que vc faz. Compreendo os argumentos que vc utiliza, já li todo o blog e acredito que eles fazem sentido, mas não sei o que ocorre comigo, eu como pouco, tomo pouquíssima insulina e ainda assim engordo se não me manter em um cardápio muuuito restrito. Jã cheguei a ficar totalmente sem carbo e não contar calorias por alguns dias e engordei, então desisti. Todas as pessoas que eu conheço emagrecem muito fazendo low carb, me sinto muito frustrada por isso não ocorrer comigo. No mais, minhas glicemias são muito bem controladas, meus exames são excelente e eu não consigo compreender o que há de errado. Se pudesse dar sua opinião sobre o assunto eu ficaria muito grata, sei o quanto vc possui conhecimento sobre o assunto. Boa noite e parabéns pelo blog

    ResponderExcluir
  15. Patricia, obrigada pela resposta!!! :)... Acho q me expressei mal, qnd disse q só estava comendo alface e couve é q cortei legumes pra diminuir a ingestão de carbos!!! Como sempre como meu peixinho ou meu frango (as vezes carne) com alface, couve e bastante azeite!!! Ah, Cortei o abacate e o coco tb!!!... Não saí do LCHF (nem pretendo!), só diminuí os carbos mesmo!!!

    ResponderExcluir
  16. Marcelo, obrigada pela dica!!! :)... Então, me expressei mal no texto, na verdade qnd disse alface e couve me referi aos acompanhamentos da proteina na hora do almoço. E sempre regado a bastante azeite, claro!!!... E esse lance de pés e mãos frios estava ligado a fome é?!... Pq no meu caso não tem a ver com fome... pelo menos não q eu tenha notado... vou prestar mais atenção agora!!!... Mas Marcelo, no meu caso, preciso diminuir algo pq comecei a engordar... 1kg/semana é muito... até pq não perco 1kg/semana... então tenho q controlar logo isso!!! :(

    ResponderExcluir
  17. Dr Souto,excelente análise e reflexão! O excesso de insulina é realmente grave.Sou prova disso.Tinha tonturas frequentes quando estava com 17 anos.Nenhum médico conseguia decifrar o que acontecia.Foi quando encontrei um otoneuro maravilhoso daqui de SP. E ele explicou-me sobre como o metabolismo do açúcar estava me causando sintomas terríveis.Apesar de magra eu me alimentava errado.Com a dieta consegui ficar curada.E agora encontrei seu blog e sou grata por seus ensinamentos.Parabéns!

    ResponderExcluir
  18. É isso ai Patricia!

    ResponderExcluir
  19. Abacate pode comer todos os dias, assim como coco = boas gorduras!

    ResponderExcluir
  20. Oi Pat.... pois é menina, eu sei... e aprendi isso aqui com vcs... comia sempre... mas to meio angustiada por ter engordado sem sair da dieta em absolutamente nada!!! Se eu não vou poder diminuir meu stress até a bendita prova, vou ter q mudar algo até lá p não continuar engordando... E entendi q o melhor seria diminuir ainda mais os carbos. Pensei certo né?!... Obrigada mais uma vez! Bjusss

    ResponderExcluir
  21. Oi Tatiana será que se vc tentar convencê-la com um pão de amêndoas não poderia ser uma possibidade? Pelo menos em uma fase de transição...

    ResponderExcluir
  22. Daniela, que tal uma caminhada no parque pra espairecer um pouco? Não sei se vc faz exercícios mas acredito que possa te ajudar de alguma forma. Vai dar tudo certo! Acredite!

    ResponderExcluir
  23. Olá Dr. Souto. Como sempre, uma grande pancada nos dogmas. :) Bravo.
    Gostaria apenas de lhe chamar a atenção, caso não tenha já visto, ao trabalho de um investigador Norte-americano que se tem posicionado como um dos maiores opositores a Gary Taubes e à "teoria insulino-cêntrica" da obesidade: Stephan Guyenet. Eu tive o privilégio de assistir a uma conferência em Lisboa este fim-de-semana em que ele expôs não só a sua própria teoria da obesidade centrada no cérebro (baseada na "hiperpalatability" das comidas engenheiradas, que viciam os comportamentos) como também uma explicação "cabal" sobre o porquê das ideias de Taubes estarem incorrectas. O mais próximo que encontrei no seu site foi isto:
    http://wholehealthsource.blogspot.pt/2011/08/carbohydrate-hypothesis-of-obesity.html
    Pessoalmente, sigo Paleo Low-Carb há 3 anos por razões metabólicas e estou convencido que é realmente o melhor caminho para mim e para a maior parte da população ocidental "avariada"; no entanto tenho de admitir que alguns dos pontos levantados pelo Dr. Guyenet são de uma lógica incontornável e talvez revelem alguma fragilidade nos raciocínios simplistas avançados por Taubes... penso que há aqui algo a explorar, e se conseguirmos juntar e corrigir os defeitos das duas teorias todos sairemos a ganhar.
    Cumprimentos,
    Vasco Névoa

    ResponderExcluir
  24. Oi Anne.. pois é... acho q essa realmente seria a melhor solução... exercício fisico é bom pra tudo!!! Realmente não estou fazendo nada... passo o dia inteiro sentada no trabalho e a noite idem, estudando... Tenho q dar um jeito nisso!!!... Obrigada pela dica!!! Bjusss

    ResponderExcluir
  25. Conheço bem o Guyenet. E acho mesmo que ele tem razão em alguns pontos. E acho que nem todas as idéias são incompatíveis. Veja: eu realmente penso que há evidências no sentido do particionamento da calorias em direção ao tecido adiposo pelo hiperinsulinismo, e eu realmente acho que a questão do food reward é fundamental (muitas pessoas não têm sucesso com LCHF mesmo com menos de 30g de carbs pois abusam de substitutos hiperpalatáveis com mistura de gordura e adoçante que fazem o bypass dos mecanismos normais de saciedade). Mas acho que não muda muito, pois a SOLUÇÃO é a mesma: comida de verdade, pobre em açúcar, amido, e em produtos artificiais. Se o mecanismo envolvido é a redução do estímulo excessivo dos centros de recompensa no cérebro ou o particionamento seletivo da calorias pela insulina baixa ou mesmo a redução da inflamação ou a mudança da flora intestinal (penso que são TODOS ao mesmo tempo), o importante é acharmos uma estratégia comum de ação.

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 07/10/2013 07:34, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  26. Dr. Souto...como sempre um excelente post...me deixou com mais vontade ainda de rasgar o meu diploma de nutricionista...os livros, tratados e tudo mais nos mostram isso e os próprios professores ensinam de outra forma. Ainda bem que eu tive a oportunidade de enxergar diferente, de realmente ver a luz no fim do túnel ( que não é um trem vindo ao contrário ), tudo isso mudou a minha vida e com certeza está influenciando positivamente os meus pacientes! Grande abraço a todos os envolvidos com essa nova era.

    ResponderExcluir
  27. Souto,

    vou começar a postar sobre alimentação na página da academia hoje e essa matéria tua veio bem a calhar.
    Em 1 semana já consegui passar conceitos pra alguns alunos e aos poucos seremos muitos.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  28. "a SOLUÇÃO é a mesma: comida de verdade, pobre em açúcar, amido, e em produtos artificiais"
    Nem mais. :)
    Já agora, uma outra fonte que pode vir a tornar-se muito interessante:
    http://humanfoodproject.com/
    A questão da flora intestinal tem vindo a intrigar-me cada vez mais... um dos problemas paralelos que é comum encontrar nos obesos e metabolicamente danificados é o sobre-crescimento e alteração da flora intestinal. Parece-me cada vez mais que ela tem uma importância chave em todo o processo, mas infelizmente tem estado simplesmente a ser ignorada pelos "grandes" da obesidade.

    ResponderExcluir
  29. Ganhei meu dia

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 07/10/2013 10:54, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  30. Boa!

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 07/10/2013 11:28, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  31. Olá Dr. Souto, mais uma vez de parabéns. Uma pequena dúvida, meu filho tem 8 anos e cortei o leite pra ele, só estou dando os derivados. Queria saber se por ele ser criança o organismo dele ainda PRECISA de leite para se desenvolver normalmente. Obrigada :)

    ResponderExcluir
  32. Dani, será que esses 3 quilos a mais não é massa magra? Eu não fico me pesando, pois o peso da pessoa oscila às vezes. Óbvio que os homens perdem peso mais facilmente. Pessoalmente, na minha experiência pessoal com LCHF, notei que me dou melhor com alguns alimentos do que com outros. Por exemplo, a banha de porco me ajuda mais do que a manteiga. A carne vermelha e de frango me saciam mais do que peixe. A alface me deixa sonolento, então vou de couve, brócolis, couve-flor, berinjela e abobrinha. Aboli qualquer fruta. Ovo e bacon me ajudam mais do que linguíça e queijo. Eu estou ouvindo meu organismo e vendo quais alimentos se adaptam melhor a ele. Não sou fã do azeite de oliva, mas adoro azeitonas. Veja quais alimentos são melhores. Eu gosto de apostar na abobrinha com bacon, pois para mim, sacia e dá a impressão de que me empanturrei. Sem falar que não precisa ficar descascando, é lavar, cortar e vupt pra panela. Se bate a ansiedade, tenho sempre torresmo. Ponho um na boca e fico chupando que nem bala. Quando vejo, estou sem fome.

    ResponderExcluir
  33. Refogue alguns alimentos com banha. Além do verde não desbotar, parece que a comida fica mais aconchegante. Reconfortante. A banha se integra ao alimento, não fica no fundo da panela como o óleo vegetal. Não é à toa que a banha pode ser descartada na natureza e não polui. Já o maldito óleo de soja destrói o meio ambiente e a nós.

    ResponderExcluir
  34. Penso que não precisa rasgar o diploma, só o livros, rsrsrsr.


    O legal seria vc ajudar seus pacientes, igual ao Dr. Souto, mostrando a verdade sobre alimentação.

    ResponderExcluir
  35. Selma Gomes Ferreira7 de outubro de 2013 14:13

    matéria incrível!parabens dr j c souto.

    ResponderExcluir
  36. kkkkkk Marcelo, adorei sua descrição "aconchegante", "reconfortante"... vou ter q testar isso pq não consegui imaginar!!! rs... Valeu, Bjusss

    ResponderExcluir
  37. Owww Marcelo, quem me dera!!! rs... não é massa magra não, infelizmente!!!... Acho q essa sua dica de "ouvir o organismo" é muito boa!!! Inclusive, já fiz isso meio q inconscientemente, pois notei q no café da manhã qnd comia abacate ou coco antes do meu ovo, sentia fome antes de 12h (acredite se quiser!!!)... daí passei a comer meu ovo puro (2 ovos) com café preto e pronto, fico até 12h sem fome nenhuma!!! Estranho né?! Pois é, Só sei q é assim!!! rs... Sobre os legumes, sempre refogo na manteiga, vou testar na banha tb... Meus ovinhos diários sempre faço no oleo de coco!!!... Vou tentar "ouvir" e entender melhor meu organismo pq com a ansiedade alta é facil confundir fome com vontade de comer... assim posso estar me alimentando certo, mas em excesso!!! Brigadão Marcelo, Bjusss

    ResponderExcluir
  38. Daniela,
    Quando estou ansiosa demais, eu arrumo armários e organizo os livros. Minha filha prefere pular corda e socar um daqueles sacos de treinamento de boxe. Meu marido arranca pragas do canteiro ou planta alguma coisa. Tente descobrir qualquer coisa manual e mecânica que te ajude a relaxar. As vezes a gente pensa demais e estressa. Bjs.

    ResponderExcluir
  39. Dr. José Carlos,
    Sobre o Processo de cetose.
    Estou a algum tempo acompanhando seus relatos e noticias.
    Verifiquei em algum site a informação abaixou.
    O que teria para nos informar sobre o descrito?
    A ingestão de proteína realmente inibe o processo cetogênico, ao ponto de não ser atingido com a finalidade fitness?



    "Mas na verdade, uma dieta baixa em hidratos de carbono não é necessariamente cetogénica e aqui reside o problema das dietas vocacionadas para o culturismo e fitness. Ainda em 1928, Heinbecker [4] verificou que nos Esquimós de Baffin a cetonúria era mínima, mesmo subsistindo com uma dieta exclusivamente à base de foca, rica em gordura e proteína. A explicação óbvia é que a glicose derivada da proteína alimentar era suficiente para prevenir a cetose, o que de facto veio a ser verificado mais tarde. Em pessoas com dietas muito pobres em hidratos de carbono, a cetose varia inversamente com a quantidade de proteína consumida. Isto ocorre porque até 60% dos aminoácidos presentes nos alimentos são gluconeogénicos [5] e por cada 2g de proteína consumida, 1-1.2g é potencialmente convertida em glicose. A noção, correcta diga-se, de que a proteína é essencial para o incremento e manutenção da massa magra leva muitos atletas a consumir quantidades elevadas de proteína que, por mais moderadas que possam parecer, podem inibir consideravelmente a cetogénese. A título de exemplo, de 100g de proteína podem ser derivadas 57g de glicose [5], um valor suficiente para atenuar a produção de corpos cetónicos em diversos ensaios. Uma fórmula eficaz utilizada em quadros clínicos é um consumo de gordura que excede o dobro dos hidratos de carbono mais metade da proteína [6], por exemplo, 300g de gordura, 50g de hidratos de carbono e 100g de proteína. Tendo isto em conta, é transparente a razão porque muitos dos que utilizam as dietas cetogénicas para fins estéticos falham em atingir a cetonúria ideal: demasiada proteína."

    [4] Heinbecker P. (1928). Studies on the metabolism of Eskimos. J Biol Chem. 80:461.
    [5] Jungas RL, et al. (1992). Quantitative analysis of aminoacid oxidation and related gluconeogenesis in humans. Physiol Rev. 72:419.

    ResponderExcluir
  40. Não, só com exame de sangue. E talvez uma dieta de alta proteína provocasse ácido úrico elevado. Por sorte, páleo low carb é de alta gordura, e não alta proteína. E a maior causa de elevação do ácido úrico é o consumo de carboidratos, em especial a frutose.


    2013/10/7 Disqus

    ResponderExcluir
  41. kkkkkkk Nilza.. é... realmente... um saco de box seria óóótimo!!! rs... Valeu, Bjusss

    ResponderExcluir
  42. Ingesta de proteína entre 1 ~ 2g/kg ao dia, com low-carb (20~50g/dia, podendo ser mais as vezes), costuma dar certo pra manter cetose pra maioria das pessoas. Essa variação de proteína vai de pessoa pra pessoa. Um dos "maiores erros" de quem corta carb (buscando cetogênese) e não entra em cetose se deve a dosagem proteica elevada. Lembre que proteínas (um pouco menos) e carbs aumentam insulina, já a gordura quase nada.

    ResponderExcluir
  43. De nada! Estamos aqui para nos ajudarmos! Bjs!

    ResponderExcluir
  44. Olá Dr. Souto, mais uma vez de parabéns. Uma pequena dúvida, meu filho tem 8 anos e cortei o leite pra ele, só estou dando os derivados. Queria saber se por ele ser criança o organismo dele ainda PRECISA de leite para se desenvolver normalmente. Obrigada :)

    ResponderExcluir
  45. Ninguém precisa de leite depois dos 2 anos de idade. Mas não vejo motivos para cortar o leite de uma criança que não tenha intolerância à lactose. Eu apenas regularia a quantidade e, quando usasse, usaria integral.


    Em 7 de outubro de 2013 21:43, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  46. Boa noite Dr. Souto.

    Estou a cerca de 70 dias em Low-Carb Paleo.

    Nesse período baixei de 120kg para 104kg aproximadamente ( tenho 1.80 , 21 anos), sim cerca de 16kg perdidos em 70 dias, resultados incríveis em perca de peso e bem estar.

    Tenho comido menos de 20g por dia de carbs com certeza, minha alimentação se baseia em : cerca de 200g de porção de carne do dia(boi,galinha,porco) + saladas (couve flor, brocolis,pimentão ,agrião, tomate não todos ao mesmo tempo) , e 2~3 ovos caipiras fritos. isso é Alimentação de um dia completo.
    Sendo que evito tomate e pimentão.
    Faço duas refeiçoes ao dia apenas e não sinto fome.

    Em jejum é cerca de metade disso 100g de carne e 1~2 ovos caipiras + a salada.

    Por 40 dias da dieta, fritei os produtos com azeite ou manteiga e abusava um pouco do queijo por alguns dias, não mais de 100g por dia, porem não comia o queijo todos os dias, nem em todas as refeiçoes
    Comia ele derretido nas carnes ou no omelete.
    Não sou intolerante a lactose.

    20 dias antes de fazer o exame comprei oleo de coco extra virgem e substitui completamente a manteiga e o azeita para frituras.

    As vezes finais de semana 'abuso' com uma coca zero, pedacinho de torta, enfim .
    Mas com certeza não passo de 50g~60g de carb e ou outro dia são de jejuns interminantes , cerca de 2 das de jejum por semana.

    Porem , com cerca de 60 dias apos começar a dieta , realizei um exame de sangue

    A maioria dos resultados deram normais e inclusive estou com 85 de glicemia, um verdadeira vitoria já que por parte de pai, tenho grande histórico de diabetes tipo II.

    Porem, nesse exame o acido úrico deu um valor um pouco acima do padrão 9.40

    O LDL deu 144 ,HDL 29, VLDL 25 ,colesterol total 198
    Triglicerios 135
    Glicemia 85,

    O resto deu dentro dos valores esperados com exceção que havia corpos cetônicos na urina (++) o que devia ser esperado na verdade

    Não fugi da dieta nesse período( sem doces , em nenhum dia) , porem meus exames sempre foram normais, mesmo gordo.

    Sugere alguma mudança !?
    2 meses é pouco tempo !?
    Tomei sibutramina 15mg também, não sei se isso interferiria o resultado
    Espero sinceramente uma resposta do Sr. pois tenho consulta dia 09 desse mês,e gostaria de uma opinião sua.

    ResponderExcluir
  47. E a história se repete. O cigarro de ontem...

    ResponderExcluir
  48. E a história se repete, o cigarro de ontem...

    ResponderExcluir
  49. A comida de hoje...

    ResponderExcluir
  50. Caro Dr. Souto, mais uma pergunta que afeta muito os homens.
    Pelas fotos que vi, talvez isso não deve afetar muito o Sr. , já que tem uma linha fronta invejável por assim dizer, porem existe alguma relação entre uma dieta Paleo ( low carb ou não) , com a calvice !?
    Muito se fala sobre ser uma doença auto imune também, será que deixar de consumir trigo pode representar uma mudança !?
    No meu caso, aparentemente os meus ficaram mais fortes e caspa que é um problema que me acompanha desde sempre, se acabaram magicamente , sem deixar resquícios e nem sequer o paliativo shampoo anti caspa , sumiram menos de 10 dias depois de começar a dieta paleo. (obviamente eles devem ter diminuído com o passar dos dias, mas foi tão rápido e junto com a perda de peso acelerada que nem sequer notei)
    tentei procurar no pubmed , porem sou um iniciante e não sei usar as palavras chaves certas, achei apenas essa pesquisa relacionada, porem paga:
    http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/24012088



    Atenciosamente,
    Mario

    ResponderExcluir
  51. Deve ser que a sua dieta e o exercício não estão a dar resultados que deseja tanto e por isso entrou aqui. Independentemente disto, pensa muitas vezes se os comprimidos são eficazes. Em primeiro lugar, se vão ajudar, em segundo se não vão acabar por ser uma perda de dinheiro. http://www.produtos-para-emagrecer.com/cha-verde-e-reducao-de-peso.php

    ResponderExcluir
  52. Mário, é pouco tempo. E seu médico vai querer lhe dar estatinas. Leia as postagens de colesterol de 1 a 8.

    Meus parabéns pelo sucesso

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 08/10/2013 00:38, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  53. Eu resolvi cortar por conta do sobrepeso dele que está no nível de obesidade infantil, porque desde os 2 anos ele toma anticonvulsivante e recentemente descobrimos que ele desenvolveu hipotireoidismo que acredito não ser de Hashimoto porque todos os exames de anticorpos deram normais, mas não levei ainda no endócrino porque falta fazer a ultrasson da tireóide. Depois que comecei paleo low carb pra ele, ele já diminuiu 2 Kg, o que em uma criança e que também ganha peso porque cresce, considero muito peso. Agora de longe o benefício mais notável com o novo estilo de vida foi a diminuição do apetite. O remédio aumenta muito o apetite e era muito difícil pra eu controlá-lo porque ele pedia comida o dia todo, depois de uns 20 dias na paleo ele parou de ficar pedindo comida. :) Foi um alívio. Obrigadinha mais uma vez! Ahh, e parabéns pela sua paciência.

    ResponderExcluir
  54. Neste caso, está certo!


    Em 8 de outubro de 2013 08:08, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  55. Olá Mario, o Dr. William Davis em seu livro Barriga de Trigo traz um relato de caso onde um paciente que é padeiro ficou careca de repente tendo sido diagnosticado como alopécia, mas nenhum médico sabia a causa. Ele havia procurado o Dr. William por causa de doença coronariana e resistiu à retirada do trigo por conta de sua condição profissional. Resolveu aceitar o conselho quando seu cabelo caiu. Em 3 semanas o cabelo já havia começado a crescer e em 2 meses ele havia perdido 5,5 Kg e estava com orgulho da sua cabeleira. Não é estudo científico apenas um relato de caso. Agora minha experiência... apesar de ser muito raro mulheres sofrerem de alopécia, o meu cabelo caía MUUUUUUITO e depois da páleo diminuiu 80%, ou seja, hoje cai o normal que em todo mundo cai. Acredito ser um dos efeitos da "cura" da inflamação crônica e generalizada causada pelo trigo aliada a ingestão de alimentos mais nutritivos como ovos e vegetais, maiores explicações vamos esperar pelo Dr. Souto.

    ResponderExcluir
  56. Doutor, uma dúvida boba, mas só para deixar bem claro: quando o senhor fala frutose que dizer especialmente frutas? Qual seria as fontes de frutose?

    ResponderExcluir
  57. A maior fonte de frutose é o açúcar (a sacarose é 50% frutose). Uma lata de refri equivale a mais frutas do que você conseguiria comer numa sentada. Dito isso, coma frutas com menos açúcar (veja minha postagem sobre frutas).

    Em 8 de outubro de 2013 09:00, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  58. Olá Mario. Tomei a liberdade de responder tua pergunta, não como profissional, mas como adepta do estilo paleo/low-carb a pouco tempo e leitora de tudo que aparece sobre o assunto. Ainda ontem li no livro Barriga de Trigo que o consumo de trigo pode causar a alopecia areata (perda de cabelo em algumas regiões, geralmente do couro cabeludo) e que a "eliminação do trigo e de todas as fontes de glúten resulta em pronta retomada do crescimento capilar". Espero ter contribuído para sua dúvida, mas aguardemos a resposta do Dr. Souto.

    ResponderExcluir
  59. Eu também notei isso em mim. Depois da dieta LCHF, além de parar a queda de cabelo e minhas "entradas" estarem visivelmente menores (após apenas um mês), meu cabelo está crescendo mais rápido. Noto isso porque uso corte à máquina e em duas semanas já cresceu muito. Uso cavanhaque e antes aparava a cada quatro dias. Agora tenho que aparar de dois em dois dias, alguns fios crescem muito, ficando bem aparentes. A barba está crescendo mais rápido. Após 24 horas de feita já começa a despontar. As unhas também aceleraram o crescimento. Não sei o motivo, se testosterona alta ou benefícios da dieta. Mas de qualquer forma, estou impressionado.

    ResponderExcluir
  60. Não entendi seu comentário. ???????????????????????

    ResponderExcluir
  61. Dr. Souto, tenho visto em comunidades pessoas falando que tem começado a comer carne crua. Existe algum benefício para se arriscar a comer carne crua?

    ResponderExcluir
  62. Dr. Souto, estou lendo diversos materiais sobre obesidade/perda de peso, e também li o texto do link citado acima. É interessante a explicação do Guyenet sobre o papel da insulina, contudo ele cita diversos fatores que colocariam a insulina sem muita importância no processo de perda de peso, rebatendo afirmações de Taubes e explicando os porquês. Também contradiz algumas informações postadas aqui no blog.
    Sigo a alimentação LCHF/Paleo devido ao seu blog, Dr. Souto, e estou satisfeito com os resultados, mas penso que seria interessante e importante saber a sua opinião sobre as afirmações feitas por Guyenet.
    Seria possível?
    Eu ficaria muito grato, pois estou estimulando muitas pessoas a aderirem a este estilo de vida e quanto mais informação fundamentada houver melhor para todos.
    Um abraço.
    Christian.

    ResponderExcluir
  63. Eu também tive uma redução de caspa e oleosidade, que me impressionou muito, antes eu lavava o cabelo dia sim, dia não, e no dia de lavar estava muito oleoso, agora já cheguei a ficar 1 semana sem lavar o cabelo, sem oleosidade, sem odor e com brilho. A pele também reduziu a oleosidade.

    ResponderExcluir
  64. Não creio, lembrando que usamos fogo para cozinhar alimentos há bem mais de 100 mil anos


    2013/10/8 Disqus

    ResponderExcluir
  65. Ok - vai ficar na lista. Mas volto a afirmar. Seja pela insulina, seja pela recompensa cerebral, seja pela flora intestinal, seja por evitar a inflamação, seja pela compatibilidade evolutiva, a recomendação muda muito pouco: comida de verdade, sem grãos, sem açúcar, sem óleos de sementes, e de origem natural. O fato de se chegar às mesmas conclusões básicas a partir de teorias distintas apenas reforça a conclusão, não a enfraquece.

    Em 8 de outubro de 2013 16:50, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  66. Agradeço pela atenção. É verdade, o que realmente importa é o ótimo resultado da alimentação LCHF/Paleo, independente dos meandros fisiológicos que levam a tal resultado. No meu caso, são 9,5Kg de emagrecimento em 50 dias!

    ResponderExcluir
  67. Dr., não consegui achar um espaço ideal para minha pergunta, então farei-a aqui no post mais recente mesmo... Qual a opinião do senhor sobre o dia do lixo/refeição do lixo/minifarra? Com que frequência poderia ser feito sem prejudicar a saúde (se houver essa possibilidade)?

    ResponderExcluir
  68. Por acaso ele tem epilepsia? Se sim, interessante a leitura: https://www.epilepsy.com/epilepsy/treatment_ketogenic_diet

    ResponderExcluir
  69. Sim Arthur, ele sofreu hipóxia perinatal e aos dois anos desenvolveu um tipo de epilepsia que não provoca convulsões e sim espasmos musculares, quando faz o eletroencefalograma ele se apresenta como descargas epileptiformes generalizadas, por isso faz uso contínuo do medicamento. Obrigada pela sugestão de leitura, vou ler agorinha mesmo. :)

    ResponderExcluir
  70. http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2012/12/comi-carboidratos-foi-tudo-por-agua.html

    Espero q ajude ;)

    ResponderExcluir
  71. Olá! ñ sei te ajudar, só sei q diabetes do tipo 1 com low carb tem a ter cuidado, para a glicose ñ zerar... ñ entendo mt sobre o assunto, mas te aconselho entrar no face e perguntar lá.

    http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2013/09/dieta-low-carb-e-paleolitica-no-facebook.html

    Boa sorte e procure saúde em primeiro lugar. O emagrecimento vai ser consequencia.

    ResponderExcluir
  72. Aqui em casa sugeri tentarem uma semana. Fiz várias receitas (bolo, tortas...) daí no final da semana, viram os resultados e ñ queriam mais sair xD

    ResponderExcluir
  73. Boa noite, sou novo no blog, creio que seja a terceira vez que escrevo aqui, embora sabendo que vou parecer repetitivo com esse depoimento (em meio a tantos que já li aqui no blog), mesmo assim irei fazê-lo, pois estou orgulhoso e feliz, resumindo "contente como cusco de cozinheira".
    Iniciei a Dieta Lowcarb dia 09/09/13, com os seguintes números: 85kg e 99cm de circunf. abdominal, tenho 1,72 de altura!
    Hoje dia 09/10/13 completei "30 dias de Lowcarb", com 76 kg e 92cm de circunferência abdominal, sem falar que nunca mais tive azia, insônia, e ainda aumentou minha disposição para os exercícios /(HIIT), melhorando meu condicionamento a cada dia.
    Bom, quero singelamente agradecer ao Dr. J. C. Souto, e ao blog, pelas informações esclarecedoras.
    Dr. Obrigado!
    PS: Dr. uma pergunta: Pessoas com Lúpus, podem fazer Lowcarb? Deve-se ter algum cuidado em especial?

    ResponderExcluir
  74. Páleo pode curar lupus (às vezes).

    E parabéns pelos seus resultados!


    Em 9 de outubro de 2013 22:02, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  75. Daniela, fique calma. A Patrícia tem toda razão, ansiedade=cortisol=ganho de peso. Existe tá um exame que mede o nível de cortisol no sangue, mas não acho que vc precise fazer. Tem em mente que LCHF será pra sempre, e que quem vai dizer o peso ideal é o seu corpo, e não você. Eu vivo LCHF há 3 meses, logo no primeiro mês eu emagreci 5 kg, baixando de 87 para 82Kg. Mas depois estacionei, fiquei deprimida, mas nunca pensei em desistir, sempre troquei mensagens com o Dr.Souto, e a Patrícia, e todo o pessoal aqui no blog, e isso me manteve motivada. Depois de 2 meses sem emagrecer 1 g sequer, eis que meu corpo pegou no "tranco", e consegui emagrecer mais 5 kg!!!! Ou seja, em 3 meses, foram 10kg perdidos, e alegria total! Não fiquei pensando o que eu estava fazendo de errado, e tampouco restringi minha alimentação. Apenas mantive o foco, e segui em frente. Ainda estou na batalha, estou disposto a vencer essa guerra contra a obesidade, a diferença é que agora, estou muito bem armada, e comendo muito bem, foi-se o tempo que eu passava fome, e ainda engordava. Não desanime de jeito nenhum. Bola pra frente, e deixe seu corpo fazer o resto!

    ResponderExcluir
  76. Perfeito, Mariana!


    Em 10 de outubro de 2013 13:11, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  77. se liguem nas manchetes da edição deste mês da Scientific American BR: http://imgs.zinio.com/magimages/500650251/2013/416279774_370.jpg


    tsc...tsc...

    ResponderExcluir
  78. Oi Mariana!!! Tb não penso em desistir... Se engordei com LCHF teria engordado muito mais sem ela!!!... Muito obrigada pela injeção de ânimo viu?! Valeu mesmo!!! bjusss

    ResponderExcluir
  79. Eduardo Rasche da Motta11 de outubro de 2013 17:06

    E devo acrescentar: Idade das Luzes para a indústria de "alimentos". A coisa é orquestrada, podem crer. Não no sentido maquiavélico, mas no sentido locupletatório e convenientemente amnéstico em relação ao bem geral.
    Saudações primais;
    Eduardo

    ResponderExcluir
  80. Olá Sérgio,

    Alguns comentários do Dr. Souto sobre o assunto. Digite 'vesícula' na caixa de pesquisas do blog e verá muitos outros!

    "É só começar devagar, que o intestino acostuma à gordura. Há vários leitores do blog que já retiraram a vesícula e fazem LCHF.

    http://lowcarb-paleo.blogspot.com/2013/08/tratamentos-e-causas.html#comment-998111851

    Quem retira a vesícula continua tendo bile, a diferença é que esta bile é liberada de forma menos eficiente durante ingestão de gordura. Basta ir aumentando a gordura na dietanaos poucos, que o corpo se adapta

    http://lowcarb-paleo.blogspot.com/2011/12/afinal-gordura-faz-mal-consideracoes.html#comment-863677141 "

    ResponderExcluir
  81. Desde que ela não tenha mais pedras no colédoco, não há problema. A falta de vesícula pode dificultar um pouco a digestão das gorduras - vá aumentando aos poucos.

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 12/10/2013 12:23, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  82. Quer esconder dinheiro?? bota dentro de um livro de bioquímica. Panfletos de laboratório já viraram bibliografia de dissertação e tese... e são "muito" fáceis de ler e "aprender"

    ResponderExcluir
  83. :-) Zordan, vou biopsiar uma próstata de um paciente teu agora :-)


    2013/10/14 Disqus

    ResponderExcluir
  84. E precisa responder aqui? :-P

    ResponderExcluir
  85. Prá mim, o mais duro é descobrir que se estuda pouco a ciência básica depois que se passa por ela. Clínica é muito interessante, mas a base é fundamental.
    Recentemente escrevi um capítulo de fisiologia renal e, ao buscar literatura, descobri que ninguém mais estuda em livros e periódicos, mas nas apostilas do medcurso, que nada mais é um resumo escrito pelo ponto de vista de alguém, com citações bibliográficas replicadas de outros trabalhos em cascata e, que muitas vezes, os autores originais nunca disseram aquilo. O google está chegando no conhecimento superificial tb na academia. Lamentável.

    ResponderExcluir
  86. É. EXATAMENTE o que acontece no mundo da nutrição. Quando eu descobri que todas as recomendações dietéticas eram baseadas em um frágil castelo de cartas, foi o momento em que eu não consegui mais parar de estudar o assunto - não existe nada mais interessante do que ir nas fontes primárias e ver que elas refutam TUDO o que se diz.


    Em 14 de outubro de 2013 15:44, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  87. Vale a pena reproduzir aqui no blog?


    Em 19 de dezembro de 2013 16:51, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  88. Me surpreendi mais pelo espaço dado ao tema, a matéria em si, para nós, nada traz de novo. Mas tem uma boa explicação para o público "leigo" das diferenças entre a hipótese convencional calorias entram/calorias saem e a hipótese hormonal, inclusive salientando que era a sabedoria vigente no meio científico há 40 anos... termina com o anúncio dos experimentos da NuSi para determinar qual das duas hipóteses está correta.

    No site da Scientific American, a leitura só é possível para quem paga... mas achei um link com o PDF do original em inglês:


    http://www.revereschools.org/cms/lib02/OH01001097/Centricity/Domain/54/Macromolecules%20Article%202013.pdf

    ResponderExcluir
  89. É difícil entender a causa da surpresa. Chego a pensar que o pesquisador estava engajado em uma pesquisa que tinha haver com insulina e nem sequer conhecia algo aparentemente básico sobre ela. Tb pode ter acontecido que ele na verdade sabia de antemão o que aconteceria, mas viu na pesquisa a oportunidade de chamar mais a atenção da mídia. Pois apesar disso ter sido descoberto a tanto tempo atrás, não se tornou super tããão popular a ponto de não ser esquecido. Mas a dieta LCHF não inclui óleos vegetais como a pesquisa com os ratos, portanto ela não nos torna resistentes à insulina, mas como a gordura em geral tem pouco efeito sobre os níveis de insulina, emagrecemos por manter os níveis estáveis, certo?

    ResponderExcluir
  90. Deve ser um robô de comentários, daqueles que mandam SPAM pelo e-mail.

    ResponderExcluir