domingo, 29 de dezembro de 2013

A vesícula

Na postagem anterior, falamos sobre a lenda urbana de que uma dieta pobre em carboidratos ou rica em proteínas pudesse prejudicar o fígado (a totalidade da literatura científica em animais e em humano indica justamente o oposto).

Mas ficou faltando um pequeno adendo: e a vesícula biliar? Para ter uma vesícula saudável, não devemos restringir a gordura na dieta?

Primeiramente, vamos explicar de forma rápida o que é a vesícula e qual a sua função.



O fígado produz continuamente a bile, uma substância cuja função é emulsificar a gorduras da dieta. Como se sabe, gordura e água não se misturam, a não ser que haja um detergente. A bile é isso: um detergente para tornar a gordura da dieta solúvel.

Acontece que a demanda por bile não é contínua, e sim periódica. Passamos várias horas em jejum (quando não precisamos de nenhuma bile), e de repente comemos um churrasco - quando precisamos de GRANDE quantidade de bile. Mas a bile é produzida de forma contínua pelo fígado. Como o corpo resolve esse problema? Entra em cena a vesícula biliar. A bile que é produzida acumula-se na vesícula. A vesícula, por sua vez, é capaz de concentrar a bile (absorvendo a água) cerca de 10 vezes. Ou seja, a vesícula armazena um detergente concentrado. Quando comemos um alimento gorduroso, o intestino detecta a presença de gordura e secreta um hormônio chamado colecistoquinina (CCK), que desencadeia imediatamente a contração e esvaziamento da vesícula biliar, permitindo o correto aproveitamento e digestão da gordura. Todos os animais carnívoros têm vesícula biliar (com exceção das baleias), pois alimentam-se de forma intermitente (e não contínua) e sua dieta contém gordura. Várias espécies de herbívoros já perderam a vesícula. Para uma discussão realmente bizantina sobre o assunto, clique aqui.


Por que as pessoas desenvolvem pedras na vesícula? Bem, primeiramente é preciso avaliar a correção da pergunta: será que todas as pessoas estão sujeitas a este problema?

A resposta é NÃO.

No (sensacional) livro Nutrition and Physical Degeneration, publicado em 1938 por Weston A. Price, um dentista que viajou pelo mundo estudando sociedades primitivas para entender sua ausência de doenças, há algumas citações nesse sentido:

"Among the many items of information of great interest furnished by Dr. Romig were facts that fitted well into the modern picture of association of modern degenerative processes with modernization. He stated that in his thirty-six years of contact with these people he had never seen a case of malignant disease among the truly primitive Eskimos and Indians, although it frequently occurs when they become modernized. He found similarly that the acute surgical problems requiring operation on internal organs such as the gall bladder, kidney, stomach, and appendix do not tend to occur among the primitive, but are very common problems among the modernized Eskimos and Indians. Growing out of his experience, in which he had seen large numbers of the modernized Eskimos and Indians attacked with tuberculosis, which tended to be progressive and ultimately fatal as long as the patients stayed under modernized living conditions, he now sends them back when possible to primitive conditions and to a primitive diet, under which the death rate is very much lower than under modernized conditions. Indeed, he reported that a great majority of the afflicted recover under the primitive type of living and nutrition."
Nesta passagem, comentando sobre esquimós e índios do norte do Canadá, Weston Price comenta sobre a ausência câncer ou da necessidade de cirurgias de vesícula, rins, estômago e apêndice, embora tais problemas fossem muito comuns nas mesmas etnias quando adotam o estilo de vida e dietas "civilizados" (farinha e açúcar). (sobre esse assunto, leia a postagem sobre esquimós).

Nesta outra passagem, agora sobre nativos do Quênia, a ausência de cáries, câncer, apendicite, doenças da vesícula, cistite ou úlcera duodenal é salientada:


"One also wonders why people with such resistance to disease are not able to combat the degenerative diseases of modern civilization. When they adopt modern civilization they then become susceptible to several of our modern degenerative processes, including tooth decay.

Dr. Anderson who is in charge of a splendid government hospital in Kenya, assured me that in several years of service among the primitive people of that district he had observed that they did not suffer from appendicitis, gall bladder trouble, cystitis and duodenal ulcer. Malignancy was also very rare among the primitives."
Também se pergunta o porquê desta resistência às doenças não ser capaz de combater as doenças degenerativas do mundo moderno. Quando eles adotam hábitos das sociedades modernas, ficam suscetíveis a vários processos degenerativos, como cáries por exemplo.O Dr. Anderson, responsável por um hospital esplêndido no Quênia, me assegurou que nos vários anos em que vem trabalhando com pessoas de tribos primitivas daquele distrito, observou que eles não sofriam de apendicite, problemas na vesícula biliar, cistite e úlcera do duodeno e que tumores malignos também eram raros nestas pessoas (Tradução de Danilo Ferreira)"

Outros autores desta época em que (até por falta de opção) os médicos prescreviam menos e observavam mais, chegaram às mesmas conclusões. Foi o caso de
Thomas L. Cleave, sobre quem já escrevi, médico da Marinha Real Britânica que escreveu nas décadas de 1950-60 sobre suas experiências entre os "primitivos" na áfrica

"(...)epidemiological evidence includes the rarity of this condition [pedras na vesícula] in populations still living on unrefined carbohydrates, as already shown in tribal Africans, but the rapid appearance of the condition when such Africans replace these carbohydrates by refined ones, on taking to the towns. (...) It is also remarkable that in the outbreak of the saccharine disease now taking place, as described earlier, amongst the Canadian Eskimoes, consequent on their sugar consumption rising to over 100 lb. per head per year, as they forsake their nomadic way of life and take to the new townships, gall-stones have suddenly become so prominent that surgical operations for their removal now exceed in these people any other operation of importance. And similar, if less striking, evidence is available from amongst the professional classes in Japan; [19] and from amongst the American Indians [20] who, with a high consumption of sugar, now have the highest incidence of gall-stones of any community in the world.
(...)
K. W. Heaton [17] in his published work has also shown that experimental evidence, with laboratory animals, strongly supports gall-stones as being a saccharine manifestation. Thus, 'all diets which have been successful in producing gall-stones in such animals have contained a high proportion of refined sugar or refined starch'.

Finally, as regards the clinical associations [22] of gall-stones, such as obesity, diabetes, and coronary thrombosis, which the author holds to be so revealing [todas coisas causadas por muitos carboidratos]."

“(…) evidências epidemiológicas incluem a ocorrência rara de pedras na vesícula em populações que ainda vivem de carboidratos não refinados, como já mostrado em tribos na África, e também o rápido aparecimento desta doença quando tais africanos se mudam para as cidades e começam a ingerir carboidratos refinados. (...) Também é digno de nota o surto atual de doenças relacionadas a ingesta de carboidratos refinados, como descrito anteriormente, entre os esquimós canadenses, consequência do aumento da ingesta de açúcar para mais de 100 libras (45 kg) por pessoa por ano, que ocorreu quando eles abandonaram seu estilo de vida nômade pela vida urbana, e pedras na vesícula se tornaram tão comuns que atualmente o número de procedimentos cirúrgicos para sua retirada excede o de qualquer outro tipo de operação. Similarmente, apesar de menos chocante, há evidências no Japão e [19] entre os índios americanos, entre os quais há um alto consumo de açúcar, que tem a incidência mais alta de pedra na vesícula entre as comunidades no mundo. (...) K. W. Heaton [17] também publicou evidências experimentais com animais de laboratório, dando suporte à tese de que pedras na vesícula tem relação com o consumo de sacarose. Ele conclui quetodas dietas que conseguiram produzir pedras na vesícula em tais animais, contém uma quantidade substancial de açúcar e/ou amido refinado.Finalmente, o autor acredita que as associações clínicas [22] de pedras na vesícula (tais como obesidade, diabetes e trombose coronária) são bastante reveladoras desta relação com o consumo de carboidratos refinados(Tradução de Danilo Ferreira)  

Em resumo, o Dr. Cleave explica o quão raro eram os problemas de vesícula nos nativos com suas dietas pobres em carboidratos refinados, e o quão comum eles se tornam à medida que esses povos adotam uma dieta rica em açúcar e farináceos.

Mas o que acontece quando vesícula fica com pouco uso, não por algumas horas, nem por alguns dias, mas por ANOS? É justamente o que acontece quando se adota uma dieta de baixa gordura.

Isso provoca uma "estase" da bile na vesícula, isto é, a bile fica parada, acumulando-se na vesícula em velocidade mais alta do que é usada. E a vesícula faz a sua tarefa de concentrar essa bile cada vez mais. A bile super-concentrada acaba levando à precipitação dos sais biliares (o chamado "barro biliar") e, por fim, à formação de cálculos biliares.

É sabido desde sempre que síndrome metabólica, diabetes e obesidade estão associados à pedras na vesícula. É impossível não ponderar sobre o fato de que todas essas doenças são causadas por excesso de carboidratos refinados! Basta pensar por poucos minutos para concluir que são diferentes manifestações clínicas de uma mesma disfunção - por isso estão "associadas"

Mas, e as evidências científicas modernas, o que dizem?

Em uma revisão de 150 estudos publicados entre 1965 e 2006, a principal associação entre dieta e pedras na vesícula foi o consumo de açúcar (Méndez-Sánchez, Nahum, Daniel Zamora-Valdés, Norberto C Chávez-Tapia, e Misael Uribe. “Role of Diet in Cholesterol Gallstone Formation”. Clinica Chimica Acta; International Journal of Clinical Chemistry 376, no 1–2 (fevereiro de 2007): 1–8. doi:10.1016/j.cca.2006.08.036.)

Neste outro importante estudo publicado pela escola de saúde pública de Harvard, foi avaliada uma coorte prospectiva de 44.525 pessoas por 12 anos:



Os grandes fatores de risco para pedras na vesícula sintomáticas foram: consumo total de carboidratos, índice glicêmico e carga glicêmica da dieta, consumo de amido, de sacarose e de frutose.

A discussão do artigo é primorosa - não tenho tempo para traduzi-la toda, mas deixo-a aqui porque é BOA DEMAIS: "High intake of carbohydrate stimulates hepatic synthesis of VLDL cholesterol, raises plasma triglycerides, and reduces HDL cholesterol.6,7 In a prospective, randomised, long term outpatient study in free living subjects lasting up to two years,34 a diet with high carbohydrate and low fat content was associated with an increase in plasma triglyceride level and a reduction in HDL cholesterol level. Low plasma HDL cholesterol and high triglyceride were found to be associated with an increased risk of gall stone disease.5,35 In addition, a low fat, high carbohydrate diet may increase the incidence of glucose intolerance, type 2 diabetes mellitus, hyperinsulinaemia, and insulin resistance, and thereby may facilitate gall stone formation.14,15 In metabolic trials, low fat, high carbohydrate diets decreased insulin sensitivity in subjects.36,37 In subjects who were prone to insulin resistance, these diets further worsened dyslipidaemia.38 Moreover, diets with high glycaemic index and glycaemic load diets have been reported to increase postprandial glucose and insulin responses, derange lipid profiles, and decrease insulin sensitivity,12,39,40 which may increase the risk of gall stones."

Tradução de Danilo Ferreira: "O alto consumo de carboidratos estimula a produção de VLDL contendo colesterol no fígado, aumenta o nível de triglicérides no sangue e reduz o nível de HDL. Num estudo prospectivo e randomizado que durou até 2 anos [34], uma dieta com alto teor de carboidratos e baixo teor de gorduras se mostrou associada com o aumento de triglicérides e redução de colesterol HDL no sangue. Estes dois fatores se mostraram associados a um risco maior de desenvolvimento de pedras na vesícula [5, 35]. Além do mais, uma dieta rica em carboidratos e pobre em gorduras pode levar à intolerância à glicose, diabete tipo 2, hiperinsulinismo e resistência à insulina, e portanto facilitar a formação de pedras na vesícula [14, 15]. Em testes relacionados ao metabolismo, tais dietas diminuíram a sensibilidade à insulina nas pessoas participantes. [36, 37] Em pessoas com propensão à resistência à insulina, tais dietas pioraram a dislepdemia. [38] Além disso, existem relatos dizendo que dietas com índice e carga glicêmicas altas aumentam as respostas pós prandiais à glicose e insulina, pioram o perfil lipídico e diminuem a sensibilidade à insulina [12, 39, 40], fatores que podem levar ao aumento do risco de pedras na vesícula.”

A conclusão do artigo é a seguinte: "Nossos achados sugerem que uma ingestão elevada de carboidratos, carga glicêmica, e índice glicêmico aumentam o risco de pedras de vesícula em homens. Estes resultados AUMENTAM a preocupação de que as dietas de baixa gordura e alta carboidrato possam não ser uma recomendação dietética ótima". :-)
"Tsai, C.-J., M. F. Leitzmann, W. C. Willett, and E. L. Giovannucci. “Dietary Carbohydrates and Glycaemic Load and the Incidence of Symptomatic Gall Stone Disease in Men.” Gut 54, no. 6 (6–1, 2005): 823–828. doi:10.1136/gut.2003.031435."

Mas é este artigo que mais impressiona:


 
Nesta metanálise de estudos clínicos randomizados (nível de evidência 1), o TÍTULO já diz tudo: dietas de ALTA GORDURA previnem cálculos biliares durante a perda de peso (Stokes, Caroline S., Lise Lotte Gluud, Markus Casper, and Frank Lammert. “Ursodeoxycholic Acid and High-fat Diets Prevent Gallbladder Stones During Weight Loss: a Meta-analysis of Randomized Controlled Trials.” Clinical Gastroenterology and Hepatology. Accessed December 29, 2013. doi:10.1016/j.cgh.2013.11.031.)

A respeito desse artigo, o site MedPageToday publicou uma notícia, que transcrevo a seguir:


Dieta de alta gordura ligada a menos pedras de vesícula


Published: Dec 17, 2013 | Updated: Dec 17, 2013

153 comentários:

  1. Você se supera a cada novo post/artigo! Coincidentemente, planejei começar a ler o livro de price hoje. Vou baixar os artigos citados pra ler também. Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Obrigado. Me prepare-se para o racismo e o preconceito (o livro, afinal, é da década de 30).

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 29/12/2013 18:28, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  3. Sem dúvida, tem que contextualizar.

    ResponderExcluir
  4. Em 2009 retirei a vesícula pois tive pancreatite. Queria apenas entender, agora com dieta alta em gordura, como funciona minha ausência da vesicula? Eu não sinto má digestão, mas pelo que li entendo que quando ingerimos muita gordura a vesicula libera a bile, como fica o meu caso?

    ResponderExcluir
  5. Vc leu até o fim?

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 29/12/2013 19:56, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  6. Devido à uma dieta low fat desde a pré-adolescência, acabei caindo no caso da bile parada (o cirurgião que me atendeu falou isso apesar de não relacionar ao low fat) e desenvolvi um cálculo que me fez retirar a vesícula de emergência depois de uma crise. Por sorte, nunca tive problemas como o LCHF, mesmo começando já sem vesícula. :)

    Ótimo post, Dr. Souto!

    ResponderExcluir
  7. Eu acho simplesmente delicioso ler esses posts!!!!

    ResponderExcluir
  8. Claro. Mas você diz se tiver cálculos consulte seu endócrino. Não possuo mais vesícula, e não possuo mal estar. então só queria saber como funciona a questão da bile para uma pessoa sem vesícula. Mas se não puder responder OK!

    ResponderExcluir
  9. Amei o post!! Eu, como a grande maioria, tinha minha alimentação baseada na pirâmide alimentar. Fugia da gordura, como o diabo da cruz :(
    Tive pancreatite e colecistite e fiz colecistectomia dois meses depois da cirurgia comecei a dieta low carb paleo. Não sinto nenhum mal estar, desconforto ou algo do tipo. Dr Souto, vc faz um bem danado para as pessoas divulgando a dieta. Parabéns!

    ResponderExcluir
  10. Olá Sandra,
    veja no texto: "Ok, mas o que fazer se você acreditou nas diretrizes e vem se alimentado há anos de acordo com a pirâmide alimentar (60% de carboidratos ou mais), e em função disso já teve de retirar a vesícula?
    Como explicado acima, seu fígado continua fabricando bile, a diferença é que você não pode dispor de uma grande quantidade de bile concentrada para digerir uma grande quantidade de gordura de uma só vez. Qual a solução? Fracionar a gordura em pequenas quantidades durante o dia, e aumentar a gordura na dieta os poucos, a fim de que seu intestino se acostume."

    ResponderExcluir
  11. Dr. Souto, mais uma vez um post esclarecedor, parabéns. Gostaria de sugerir que o Sr. postasse alguma coisa sobre apendicite.

    ResponderExcluir
  12. Desde que comecei a dieta tenho sentido o corpo produzindo muito mais calor. Literalmente, há momentos de picos que eu sinto as costas e os braços se aquecendo de forma bem pontual.

    Isso é um indicativo de que estou em cetose ou alguma outra coisa?
    Meu rigor com carboidratos não é tão rigoroso, eventualmente eu como tapioca/mandioca ou iogurte natural, mas não mais que 100g por dia.

    ResponderExcluir
  13. Mas eu expliquei!

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 29/12/2013 20:51, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  14. Cetose é irrelevante. Isso é sinal que a energia está sendo queimada, já que não pode mais ser armazenada por causa da insulina baixa.

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 29/12/2013 21:58, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  15. Dr, os carbs sao transformados em gordura qdo ingeridos em excesso, certo? A vesicula e a bile "tratam" essa gordura proveniente dos carbs ou nao?!

    ResponderExcluir
  16. A vesícula emulsifica a gordura da DIETA

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 29/12/2013 22:23, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  17. Dr. Souto, uma curiosidade: por que antigamente era comum os médicos, quando faziam cirurgia bariátrica ("cirurgia de redução do estômago"), retirarem a vesícula biliar dos seus pacientes na mesma intervenção cirúrgica?

    ResponderExcluir
  18. Acho que justamente por causa do risco de litíase, já que mandavam comer pão preto e suco de laranja depois...

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 30/12/2013 00:02, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  19. Dr. Souto Obrigado!! Ficou uma duvida\curiosidade: qual seria o motivo do fígado produzir a bile continuamente se a demanda é periódica? teria alguma outra utilidade ou foi um "erro de engenharia"? caso seja complexo esclarecer aqui pode indicar material\link sobre, agradeço!!

    ResponderExcluir
  20. Dr Souto, seus últimos posts vieram bem a calhar, pois remeteram às duas últimas pessoas a quem apresentei a dieta: minha prima, que estava temendo por causa de ter o fígado gorduroso, e minha mãe, uma mulher de 61 anos, que justamente teve uma pancreatite causada por cálculos na vesícula, a qual teve de retirar, há cerca de dez anos. Ela (minha mãe) começou a dieta há duas semanas, reduzindo os carbos mas não comendo muita gordura - segundo ela, porque sem a vesícula e o pâncreas que havia sido debilitado, a digestão de gordura para ela seria mais difícil, e pelo que li aqui, realmente faz sentido. Ontem ela se queixou de barriga inchada demais e uma queimação no estômago, o que a fez voltar a cozinhar arroz para comer hoje - segundo ela, os sintomas passaram. Mas, além de frutas ocasionalmente e vegetais, são os únicos carbos ou comidas não-páleo que ela está consumindo. Este caminho estaria certo? Completando, ela toma estatinas (rosuvastatina, princípio ativo do Crestor), segundo ela, prescritas por este mesmo problema, evitar o aumento de gordura/colesterol no sangue, uma vez que não seria bem digerido... acredito que ESTE caminho não está certo, mas ela prefere a opinião dos médicos nesse caso específico...

    ResponderExcluir
  21. Uma duvida Dr. Souto.


    Peguei uma gripe antes do natal e ainda não me recuperei totalmente dela. Posso iniciar a dieta mesmo assim, ou devo esperar?

    ResponderExcluir
  22. É que engenharia pressupõe planejamento. Não é o que acontece em biologia. À medida que a evolução transcorre, as coisas vão se adaptando. Exemplo clássico é o cruzamento da laringe e da faringe, que faz com que não possamos beber água respirar ao mesmo tempo - se fosse algo planejado, JAMAIS seria assim. Dito isso, a solução da natureza é perfeita, não é mesmo? Produz o tempo todo, armazena na vesícula, e a vesícula libera no momento necessário.


    Em 30 de dezembro de 2013 00:36, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  23. Se uma ovelha estivesse gripada, ela deveria comer carne ao invés de grama para poder melhorar mais rápido?


    2013/12/30 Disqus

    ResponderExcluir
  24. Meu pensamento: pode comer gordura, apenas fracionar durante o dia em mais refeições. Qualquer mudança de dieta pode se associar a mal estar nos primeiros 7 a 14 dias - precisa ter paciência. O pâncreas dela com certeza não está mais debilitado (uma pancreatite biliar é uma coisa aguda, não é como a pancreatite crônica do alcoolismo).

    Nenhuma mulher que nunca teve um evento coronariano prévio deveria usar estatinas (com exceção, talvez, de casos de hipercolesterolemia familiar grave).


    Em 30 de dezembro de 2013 03:24, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  25. hehehehe. Gostei da resposta, vou so fazer uns exames de sangue para ter um histórico e iniciar a dieta.

    ResponderExcluir
  26. Bom dia Dr Souto!

    Em 29/09/13 entrei no consultório de cardiologia com a pressão 18x12 e batimentos cardíacos 120(tenho 33 anos)! Quase que morrendo literalmente, horrível a sensação...
    Causa: uma “fórmula milagrosa” que prometia “secar” em 15 dias...a composição não tenho idéia...burrice total eu já sabia, mas desespero, achava que fazia tudo certinho, comia arroz, macarrão e pão integrais, MUITAS frutas, sucos, 40 minutos de simulador de caminhada, e NADA!
    Aquilo que agora eu SEI AINDA BEM que não me levaria a nada em termos de emagrecimento e boa saúde...
    Pois bem, para minha SORTE, achei um cardiologista que acreditou em mim quando disse que “comia tudo certinho, fazia exercícios, que só dava uma escorregadinha no fds com umas cervejinhas” e tal...nesse dia
    aconteceu minha libertação!! rs
    Ele perguntou se eu conhecia a Dieta do Dr Atkins, respondi que já tinha ouvido falar,mas que não curtia comer muita carne (dó dos bichinhos rs),
    gordura...então ele disse, “mas você não come ovos, queijos amarelos etc ?”
    Pediu para fazer exames de rotina, estava tudo dentro dos “padrões” exceto triglicerídeos (novidade rs), retornei ao consultório estava“liberada” rs, e ainda ouvi, “olha caso o colesterol der uma aumentadinha, nada de desespero!”
    Pronto, fui pra casa baixei o livro e “devorei” no mesmo dia!
    Na manhã seguinte comecei receosa, o que seria de mim sem arroz, frutas, BATATA E CERVEJA minhas paixões rs....mas para minha surpresa já na primeira semana estava tranquila, sem fome absurda, sem compulsão pela amada “cervinha” e Doritos rs.
    Lendo tudo quanto era possível sobre esse novo estilo de vida, achei o sr e esse blog maravilhoso, “devorei” também, e agora estou me adaptando sem ficar tão “presa” ao livro do Atkins....resultado:
    Mais magra em 3 meses (minha vizinha no dia de Natal nem me reconheceu rs), pressão regulada sem restringir o sal, disposição à mil por hora (comprei uma estação de muscalação até rs e abandonei o simulador de caminhada chatooooo rs), e assim, sem NEURA, desde o início optei por não subir na balança e nem tirar medidas....eu queria um estilo de vida, e sabia que não podia basear-me somente nos casos de
    sucesso relatados no livro do Atkins...passei então semanalmente a
    experimentar roupas antigas...e a cada semana calças que não
    passavam no “maldito culote” estavam entrando e agora cada vez
    mais folgadas, aos poucos estou voltando ao meu corpo normal e isso
    é....LINDO, MARAVILHOSO!! hahaha. Sem sacrifício (ainda sinto falta
    da “cervinha” confesso, mas nada absurdo, troco eventualmente por
    uma tacinha de vinho seco branco), sem chateação, feliz, disposta!!
    Em relação à ingestão de gordura percebia que eu tinha uma certa dificuldade, achava que era “coisa da minha cabeça” e agora com esta
    postagem, lembrei que não tenho mais vesícula, operei em 2006 por
    conta de uma pancreatite, não fazia ideia que tinha uma pedra GIGANTE...operação às pressas, visto que já estava tudo necrosando “lá dentro”...enfim...mas como o sr recomendou estou
    indo aos poucos, e vou conseguir!!
    Desculpe o texto longo, é que minha felicidade é tanta que precisava dividir rs, até meu marido que de início (normal) “torceu o nariz” com esta “dieta” está se rendendo, e mesmo sem “dar o braço a torcer” já está
    começando a seguir-me neste maravilhoso estilo de vida!!
    Gostaria por favor se possível da opinião do sr em duas questões:
    O ciclo menstrual altera-se com esta nova alimentação? E também quanto a esta fórmula manipulada por meu cardiologista: Mg 160, Co 150 e
    selegiline 0,5, 2 cápsulas ao dia.
    No mais, MUITO OBRIGADA Dr!! Espetacular teus ensinamentos, não tenho nem como agradecer!!
    Abraços !!

    ResponderExcluir
  27. Parabéns!! O ciclo menstrual, se alterar, é no sentido de normalizar, não de piorar.

    QUEM É ESSE CARDIOLOGISTA ILUMINADO????

    Mostre o blog pra ele, e peça para ele entrar em contato comigo para eu divulgar o nome dele na lista de profissionais.


    Em 30 de dezembro de 2013 11:12, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  28. Obrigada! Pois é, sempre tive um ciclo menstrual regulado e agora estou com todos os sintomas da menstruação, porém com ausência de sangramento...mas estou com exames marcados...vamos ver....

    Desculpe insistir Dr, mas qual é a opinião do sr quanto esta fórmula que descrevi?

    Dr Paulo Flores Jr, ele atua em São Paulo - Capital, além de ILUMINADO realmente, ainda tem excelente gosto musical, toca baixo em uma banda de rock n' roll setentista! rs.

    Falarei com ele, tenho um retorno marcado para o início de Fevereiro, acho que vamos retirar totalmente o remédio para pressão!! Eba!!

    ResponderExcluir
  29. Quanto à fórmula, Mg Ok, Co não sei o que é - não seria CoQ10?; Slegiline não conheço


    Em 30 de dezembro de 2013 11:26, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  30. Perdão Dr, isso mesmo CoQ10!
    Muito obrigada pela rápida resposta!

    ResponderExcluir
  31. CoQ10 = bom


    2013/12/30 Disqus

    ResponderExcluir
  32. Ok!! Mais uma vez obrigada pela atenção e excelente novo ano!!

    ResponderExcluir
  33. Doutor,

    Maravilhosos os textos sobre o fígado e sobre a vesícula. Gostaria, no entanto, de tirar uma dúvida: tenho uma amiga queridíssima que fez cirurgia bariátrica, devido à obesidade, e, alguns meses depois, teve de retirar a vesícula.

    Caso ela quisesse entrar no estilo de vida páleo, bastaria fazer o que o senhor fala na última parte do texto ("Como explicado acima, seu fígado continua fabricando bile, a diferença é que você não pode dispor de uma grande quantidade de bile concentrada para digerir uma grande quantidade de gordura de uma só vez. Qual a solução? Fracionar a gordura em pequenas quantidades durante o dia, e aumentar a gordura na dieta os poucos, a fim de que seu intestino se acostume") ou há alguma especificidade, devido ao fato de ter feito a cirurgia de redução de estômago?

    ResponderExcluir
  34. Basta fracionar

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 30/12/2013 12:33, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  35. Obrigada! Boas festas!:)

    ResponderExcluir
  36. É verdade. Fomos feitos para comer gordura de fato, ir contra isto é ir contra nossa natureza!!

    ResponderExcluir
  37. Erika, quem é esse cardio?? Moro em SP!

    ResponderExcluir
  38. Olá Patrícia,
    Em primeiro lugar, obrigada, aprendi muito com você lendo seus comentários!!
    Mande-me um e-mail villani.erikadaniela@gmail.com, passo as informações, gostaria de primeiro pedir permissão para ele antes de divulgar...

    ResponderExcluir
  39. Meu depoimento pessoal sobre a vesícula: passei anos comendo apenas carboidratos (basicamente aveia e algumas frutas e folhas). Resultado: cálculos, inflamação e remoção da vesícula.

    ResponderExcluir
  40. Karyna, não tenho vesícula e faço paleo sem problemas.

    ResponderExcluir
  41. Se ele autorizar, compartilhe mesmo! :)

    ResponderExcluir
  42. Eu tbem nao tenho...iria realizar a mesma pergunta....vc faz normalmente?

    ResponderExcluir
  43. Dr. Souto, estou atraves do Jorge Ponce iniciando o modo Paleo...quero levar mais pessoas comigo...Uma duvida: minha mae esta com 110 de glicemia, os medicos disseram pre-diabetes e falta de calcio, ela pode fazer?

    ResponderExcluir
  44. Deve

    http://lowcarb-paleo.blogspot.com/2013/07/low-carb-e-diabetes.html

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 30/12/2013 17:05, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  45. Valeu pela resposta Dr.
    Uma outra dúvida que tenho (desculpe não ter a ver com a postagem) é sobre o limite de proteínas consumidas em uma única refeição. A regra que eu vejo por aí são 30g no máximo, sendo o excedente eliminado. Desconfio muito desta ideia...
    Imagino que a recomendação da dieta é comer até estar saciado, mas eu vou precisar de uma quantidade alta de proteínas por dia para hipertrofia e ficaria muito mais confortável comer 60g ou até 70g em uma única refeição duas vezes ao dia,
    O que você me diz?

    ResponderExcluir
  46. É mais importante tentar ficar ainda de 1,5g/Kg de peso ideal/dia do que quanto em cada refeição.

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 30/12/2013 18:27, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  47. Muito obrigado, Dr. Souto! Outra coisa que esqueci de citar, ela tb tem hipotireoidismo que regula com remédios - e este, induzido após tratamento com iodo radioativo para curar um hipertireoidismo. Me justificou o uso das estatinas tb por isso, mas, pelo que eu já li em outras respostas suas por aqui, tb não seria motivo, mas tudo bem... está pra chegar um post específico sobre a tireóide? :)

    ResponderExcluir
  48. Ok, muito material bom... vou devorar e traduzir para ela, hehe. Thanks, Dr!

    ResponderExcluir
  49. Krisnamourt Correia30 de dezembro de 2013 21:40

    Dr. Souto,
    Na minha opinião, seu blog é a maior referência , não só sobre Low Carb, mas diversos outros assuntos sobre saúde e nutrição. Eu conheci seu Blog através do Rodrigo do emagrecerdevez, e se tenho um vício novo hoje, é de ler sempre as suas postagens.
    No meu caso, tenho 43 anos e 1,84 e por duas vezes desde 2008, bati os 120 Kg. Na primeira consegui reverte aos 102 Kg naquela receita de Low Fat, contagem de calorias e exercícios, mas com algumas mudanças de estilo de vida recentemente, em especial a vinda para São Paulo e umas 16 horas de trabalho por dia, me tornaram mais fraco para conseguir novamente baixar de peso. Estou a pouco mais de 1 mês na dieta Low Carb e já perdi 7 Kg. Minha esposa aos poucos também aderiu e já perdeu uns 3Kg também. Vejo nas livrarias livros e livros sobre emagrecimento, mas muitos deles são receitas e métodos complicados, como é o caso da Dieta Dukan. Atrevo-me a fazer uma pergunta: Não estaria na hora do senhor lançar um livro com a coletânea dos diversos artigos e esclarecimentos sobre nutrição e saúde ? Eu teria o maior prazer de ter uma dedicatória neste seu livro, onde quer que fosse o lançamento dele...e acredito que mais de 1 milhão de leitores do seu blog corroboram comigo!
    Um abraço!
    Krisnamourt

    ResponderExcluir
  50. Quem sabe?

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 30/12/2013 21:40, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  51. Sr. Souto, este post é basicamente o meu comportamento alimentar até conhecer a dieta paleo, "carbs e mais carbs e açucar pra adoçar, é claro". Meu pai extraiu a vesícula e eu estava no mesmo caminho. Tenho 36 anos e cresci sendo bombardeado pelo terrorismo low-fat.
    Bom, eu gostaria de compartilhar minha experiência quanto a extração do barro biliar.
    Desde criança eu sempre fui intolerante à gordura. Fui educado a fugir dela, de todas as formas, isto me tornou fraco para ela, por diversas vezes passei mal por ingeri-la ocasionalmente. Tenho na memória uma tia minha sendo humilhada pelos familiares, só porque retirou um naco de gordura de um churrasco para come-la, muito triste.
    A mais ou menos um ano conheci um método natural e extremamente eficiente, que no meu caso, eliminou o barro biliar.
    Este método está no livro chamado limpeza do fígado e da vesícula, de Andreas Moritz. Fiz o procedimento exatamente como diz o livro e me livrei de milhares de pedrinhas barrentas, de todos os tons de verde e amarelo. Acho que ele pode ajudar a quem está com dificuldades de digerir a gordura e sente mal estar. Na internet tem vários sites que ensinam, mas nenhum deles que ví até agora, é tão cuidadoso quanto o método do livro, porque se for feito de forma incompleta pode causar muito enjoo e dor.
    Abraço
    Fábio Alvarenga

    ResponderExcluir
  52. Galera o Dr Souto está concorrendo como Melhor Educador de Nutrição de 2013 no site da Arata Academy . Vamos votar http://www.arataacademy.com/port/melhores-de-2013/

    ResponderExcluir
  53. Ok, imagino que devo ficar lisonjeado... mas o que é Aratacademy?

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 30/12/2013 23:08, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  54. A Arata Academy é uma empresa de cursos fundada por Seiiti Arata onde ele dispõe de corsos online de educação financeira , produtividade e empreendedorismo digital,. No youtube ( seiiti arata) tem o seu canal com vários videos e nos video melhores de 2013 vc é um dos concorrentes junto com Dráuzio Varela , Rodrigo Polesso e outros.

    ResponderExcluir
  55. Dr me esclareça esse fracionar de gorduras. Não tenho vesícula, tenho ovário policístico que não posso tratar porque sou hipertensa e para fechar o quadro tenho um tumor na tireoide. A única dieta que faz com que eu não chegue aos 100 quilos é a atkins. Meu médico e eu estamos tentando matar o câncer de fome e estamos conseguindo porque o tumor reduziu bastante, porém eu não consigo emagrecer. Com muito, mas muito esforço e disciplina consigo manter o peso, não desço mas tb não subo, preciso perder 10 quilos, o que no passado perdia fácil, fácil! Nesse momento estou lendo todo o blog da Maria, o sr deve conhecer porque ela é bem famosa no trabalho que faz, em todo caso o endereço do blog é: http://mariamindbodyhealth.com Lendo o blog dela, resolvi fazer 80% gordura, 15% proteína e 5% carbos, não é sempre que consigo medidas exatas (controlo esses valores lá pelo fatsecret) mas estou sempre perto e me sinto bem assim, por isso a pergunta pq não consigo perder peso? Eu sei que o quadro não é essas coisas, mas ainda assim eu sempre perdi peso com atkins mesmo estando doente, mas de uns tempos pra cá não consigo mais. O que o sr sugere?

    ResponderExcluir
  56. http://paleodiario.blogspot.com.br/2013/10/17-razoes-pelas-quais-voce-nao-esta.html http://paleodiario.blogspot.com.br/2013/10/mais-9-razoes-pelas-quais-voce-nao-esta.html
    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 30/12/2013 23:33, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  57. Farad Oliveira de Araujo31 de dezembro de 2013 00:20

    Com certeza o maior desastre da história da ciência se chama "Ancel Keys". Esse homem "sem querer" já matou mil vezes mais pessoas que Hitler e o pior é que ainda vai matar milhões porque desfazer um mito dessas proporções leva muitos anos. Luto...

    ResponderExcluir
  58. Dr. Souto, pesquisando na carta de Pero Vaz Caminha, lá nos idos de 1500, encontrei o seguinte sobre os nossos índios:

    “Eles não lavram nem criam. Nem há aqui boi ou vaca, cabra, ovelha ou galinha, ou qualquer outro animal que esteja acostumado ao viver do homem. E não comem senão deste inhame, de que aqui há muito, e dessas sementes e frutos que a terra e as árvores de si deitam. E com isto andam tais e tão rijos e tão nédios que o não somos nós tanto, com quanto trigo e legumes comemos.” Pero Vaz Caminha
    (creio que os legumes mencionados seriam leguminosas e o inhame - mandioca)

    ResponderExcluir
  59. SENSACIONAL!!!!!

    O inhame é mandioca - que é páleo. E os legumes - bem, a etimilogia da palavra está ligado a coisas que crescem em vagens. Como estamos tratando do português de 1500, creio que refira-se a leguminosas (e não a hotaliças como é o uso atual no Brasil). Já que vc é interessada em história, tente descobrir isso - o uso da palavra legume no século 16 em português de Portugal ;-)


    Em 31 de dezembro de 2013 09:14, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  60. Dr. Souto pelamordedeus lança logo um livro seu!!
    Ainda que eu consiga ler em inglês (um pouco), estou na torcida...

    ResponderExcluir
  61. Farad Oliveira de Araujo31 de dezembro de 2013 13:15

    Dr. Souto. Lí a excelente matéria que fala sobre o tecido adiposo ser ativo e não um deposito de lixo como a maioria pensa. Porém gostaria muitíssimo que o Sr. fizesse uma continuação deste artigo explicando do ponto de vista fisiológico o mecanismo de eliminação da gordura excedente que ingerimos (quando estamos com a insulina controlada, claro). Ou seja, se o excedente não vai para o tecido gorduroso vai para onde? Como funciona o mecanismo que descarta essa gordura excedente? (Pesquisei na internet e não achei nada em português).

    ResponderExcluir
  62. Dr. Quais são os níveis ideais de glicemia para uma pessoa com resistência a insulina nao acumular mais gordura no tecido adiposo?

    ResponderExcluir
  63. Olá pessoal: um empreendedor digital chamado Seiiti Arata divulgou hoje um vídeo para a votação dos MELHORES EDUCADORES NA ÁREA DE NUTRIÇÃO E SÁUDE . Entre eles está o nosso amigo Dr Souto. Pedi a ele pra divulgar isso e ele me autorizou. Vamos compartilhar e votar para divulgarmos este estilo de vida tão importante para a vida das pessoas! Um abraço! Segue o link:

    http://www.youtube.com/watch?v=0ZJeaSPlqEY

    ResponderExcluir
  64. Adorei e será o tema do meu próximo post do meu blog!
    Fantástico!

    ResponderExcluir
  65. Abaixo de 95 em jejum, abaixo de 120 pós-prandial

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 31/12/2013 13:19, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  66. Obrigado, Dr.!

    ResponderExcluir
  67. Luciana, faço a dieta da mesma forma que qualquer outra pessoa. As gorduras contribuem com 40 a 60% da minha dieta; às vezes até 70-75%.
    Não tenho nenhum dos sintomas que eu tinha antes de remover a vesícula. Absolutamente nada.
    O único cuidado que eu tenho (e isto não tem nenhuma relação com a vesícula, é mais por preferência pessoal) é distribuir bem os tipos de gorduras que eu consumo. Ao fim do dia, gosto de saber que comi gordura saturada, monoinsaturada e poli-insaturada, na proporção em que o corpo pedir.

    ResponderExcluir
  68. Eles tinham tacapes, que usavam para caçar e pescar também.

    ResponderExcluir
  69. votado! Votaria nos outros se eles fossem tão coerentes quanto o Dr. Souto e o Rodrigo Polesso hehehe
    Vamos votar, galera. É a nossa chance de agradecer o trabalho fantástico do Dr. Souto e divulgar esta dieta que pode salvar muitas vidas, melhorar a qualidade de outras e reduzir o custo da saúde pública.

    ResponderExcluir
  70. Oi Patrícia! Vamos votar no Souto! E chamar a moçada do blog e comunidades sociais...

    ResponderExcluir
  71. Já votei e já está no face!

    ResponderExcluir
  72. Dr. Souto, pude encontrar o seguinte:


    "Não eram especialmente apreciadas as hortaliças e os legumes, pelo menos entre as classe superiores. O povo, esse fazia basto uso das couves, feijões e favas. As favas, assim como as ervilhas, as lentilhas, o grão de bico tinham igualmente significado como sucedânios ou complementos do pão. Os portugueses do interior, sobretudo beirões e transmontanos recorriam á castanha."http://ecosdotempo.blogs.sapo.pt/69661.html

    "A dieta medieval portuguesa era bastante limitada, constando sobretudo de pão de trigo ou centeio; de legumes variados, com predomínio para as couves, o grão e as favas; de frutas, como as castanhas, as maçãs, as uvas ou os marmelos; de vinho e de azeite; e de mel, que servia de adoçante.

    Algum peixe e alguma carne completavam a mesa dos mais abastados.
    Com grandes viagens de descobrimento, a partir do século XV, tudo mudou."
    http://www.cgalgarve.com/descobrimentos.html



    Uma pena que os portugueses não aprenderam mais com os índios!
    Acrescentando, o termo 'nédio', seria algo como 'reluzentes', de pele lustrosa.


    Contente que tenham gostado!


    E obrigada Dr., por nos apresentar este caminho novo, nos ofertar tão generosamente tantas informações, traduções e pesquisas! Parabéns pela coragem.
    Tenha um excelente ano novo! Você merece!

    ResponderExcluir
  73. Ola, se puder me passe o contato do cardiologista. Também sou de São Paulo e a última cardiologista que fui me mandou comer pão integral e barrinhas de cereais. ... mchirayama@yahoo.com.br Grato.

    ResponderExcluir
  74. Mais uma vez, GENIAL


    Em 31 de dezembro de 2013 18:25, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  75. Andrea,

    Veja este vídeo:

    https://www.youtube.com/watch?v=dHng1zcuDJI

    ResponderExcluir
  76. Eu tinha um pequeno cálculo na vesícula identificado num ultrassom abdominal. Após as mudanças na alimentação, fiz uma consulta com gastroenterologista (apenas falei com ele que comia de forma saudável sem entrar em detalhes e praticava exercícios). Ele pediu uma ressonância magnética para ter maiores detalhes antes de marcar a cirurgia para retirada do cálculo. Quando chegou o resultado, o cálculo não existia mais. Acredito que tenha sido a mudança na dieta!

    ResponderExcluir
  77. A há!

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 01/01/2014 20:26, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  78. Eu entendi que o Dr. Souto não conhece e não tem opinião sobre esse "concurso". Se ele recomendar o voto eu vou lá, se não, talvez não seja do interesse dele. IMHO


    _____
    42

    ResponderExcluir
  79. Sei lá, acho que o Dr. Souto não pediria nosso voto sob nenhuma circunstância. Não me parece o perfil dele.
    Acho que mal não faremos em votar.

    ResponderExcluir
  80. Puxa Erika!! Parabéns linda!! É tão bom ver pessoas readquirindo saúde por conta de comer comida de verdade... Muito legal... Vc vai gostar também do blog do Hilton, ele traduz os textos de Mark Sisson... Dê uma olhadinha é muito legal... http://paleodiario.blogspot.com.br/.
    E Drº Souto é um anjo nas nossas vidas!


    Abraços linda e parabéns por ter um cardio tão maravilhoso...Espero que outros "doutores' também percam o medo de serem realmente médicos ( cuidar do ser humano ).


    Bjinhos linda.

    ResponderExcluir
  81. "Mas o que acontece quando vesícula fica com
    pouco uso, não por algumas horas, nem por alguns dias, mas por ANOS? É
    justamente o que acontece quando se adota uma dieta de baixa
    gordura.

    Isso provoca uma "estase" da bile na vesícula, isto é,
    a bile fica parada, acumulando-se na vesícula em velocidade mais alta do
    que é usada. E a vesícula faz a sua tarefa de concentrar essa bile cada vez
    mais. A bile super-concentrada acaba levando à precipitação dos sais biliares (o
    chamado "barro biliar") e, por fim, à formação de cálculos biliares."

    Dr. Souto, foi exatamente o que aconteceu comigo. Fiz uma dieta paupérrima tanto em carboidratos quanto em proteínas e gorduras. Resultado: após alguns meses, fiz uma ultrassonografia onde foi detectada "lama biliar". Minha médica recomendou a extração da vesícula, o que eu fiz logo.

    Aproveito para perguntar: eu não tenho vesícula, mas não tenho sentido nenhum incômodo ou mal-estar seguindo a dieta LCHF. Preciso tomar algum cuidado extra?

    Agradeço desde já!

    ResponderExcluir
  82. Não!


    Em 2 de janeiro de 2014 15:51, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  83. Olha só que comentário mais simpático Morena Braga! ;)
    Muitíssimo obrigada pelo incentivo, neste exato momento estou lendo a última postagem do Dr Souto, após vou atrás desta tua indicação!
    Bjos e feliz 2014!!

    ResponderExcluir
  84. Merece virar um post! :)

    ResponderExcluir
  85. Merece mesmo, esses dias andei lendo diversos sites de personal trainers, de exercício físico e etc e é incrível como eles repetem o mantra: "não tem para onde correr, comer menos calorias do que se gasta = perda de peso". Junto com o outro incrível mantra "imprescindível comer de 3 em 3 horas para 'manter o metabolismo trabalhando'".

    ResponderExcluir
  86. Dr. Souto, como vc ve a possibilidade de substituir a bariátrica pela com a dieta low carb como opção de tratamento da obesidade mórbida, mto acentuada??

    ResponderExcluir
  87. Fale com Erikah no grupo do Facebook - perdeu 100 kg com low carb

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 10/01/2014 02:00, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  88. Exato. É um período de adaptação

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 13/01/2014 09:49, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  89. Também retirei a vesícula a alguns anos, por isso tive receio em começar a dieta. Passei mal muitas vezes por causa de alimentos que meu corpo teve dificuldade de digerir como frituras e temperos industrializados.
    Comecei a dieta a uma semana e não senti incomodo nem uma vez.
    Acredito que ninguém melhor que nosso próprio organismo para garantir que estamos comendo certo ou não. Mesmo com o cardápio cheio de "gorduras", são alimentos naturais, mesmo sem vesícula o corpo consegue lidar muito bem com isso..

    ResponderExcluir
  90. Qual é o grupo no facebook?

    ResponderExcluir
  91. Oi,
    Anesca, eu também
    estou com o mesmo problema, e isso desde o primeiro mês na páleo ( você é a primeira que vejo comentando sobre aumento de fluxo e cólicas depois da páleo, num blog em português. Já vi outros relatos parecidos mas só em fóruns americanos).
    Eu tinha a doce ilusão de que com um mês já iria melhorar, mas
    nada. Esperei 3 meses e também nada, e no 4º mês tive uma cólica
    fenomenal, assustadora, e uma enxaqueca terrível. 4 meses foi
    meu limite, pois vi um relato de uma mulher com 1 ano de páleo (!) que
    continua tendo cólica forte. Eu não quis pagar pra ver (minha cólica não
    é simples, dura 2 dias, e atrapalha MUITO a minha vida), então este
    mês fiz uns exames pra ver a quantas andam meus hormônios
    (devem estar enlouquecidos) e pra saber se preciso suplementar. Peguei
    algumas dicas nos fóruns, e sei que laticínio é bom evitar, assim
    como café (tirar o café para umas
    funciona, para outras não, vai do organismo). Eu já notei que fico mais irritada com o café. Também estou tomando Magnésio, que dizem ajudar, por causar relaxamento, mas para cólica não adiantou. Enfim, nada do que fiz até agora ajudou muito, vou esperar os exames saírem para ver com o nutricionista que atitudes tomar (tive que procurar um profissional, porque sozinha não estava dando conta da cólica nem da dieta). Se você souber de alguma coisa, ou se melhorar, deixe o seu relato aqui, por favor.

    ResponderExcluir
  92. Jussara, como é seu consumo de laticínios?

    ResponderExcluir
  93. Jussara,
    Quando você fizer os exames me conta... Talvez eu peça minha médica para fazer também!
    Laticínios você evita sempre ou somente no período?
    Abs,

    ResponderExcluir
  94. Já fiz os exames, agora só estou esperando os resultados (hormônios demoram uns 15 dias pra ficarem prontos). Podexá que volto aqui para contar.


    Sobre os laticínios eu tirei de uma vez, porque estavam me causando acne. Mas você pode experimentar tirar apenas na segunda fase do ciclo, pra ver se dá certo.


    Abraços.

    ResponderExcluir
  95. Oi, Patrícia,
    No começo eu consumia muito: creme de leite 38% gordura (aqui não tem nata), manteiga e queijo amarelo. Colocava bastante nos omeletes, no café, etc. Mas começou a me dar acne, e o dr Souto disse pra eu retirar. Deu certo, parou de sair espinha. Mas eu continuei usando manteiga no café, numa quantidade grande; e embora digam que ela é praticamente gordura, pode ser que tenha alguma relação, mas não sei. No final do ano eu andei comendo queijo e usando creme de leite, e a cólica piorou ainda mais, pode ser que tenha alguma a coisa a ver mesmo.
    Fora os laticínios, já li falando que não é bom comer ovo, os mais velhos dizem que é "remoso", e eu aumentei muito a quantidade depois da páleo, mas também não sei se tem fundamento ou se é achismo.

    ResponderExcluir
  96. Jussara eu amo queijo. Não consigo ficar sem.

    ResponderExcluir
  97. Eu também gostava muito de queijo, mas como estava me causando acne, eu gostei mais de ver meu rosto limpo. :) No final do ano eu andei comendo queijo e creme de leite no meio de receitas low carb, e foi o mês em que tive a cólica mais forte, então já vi que pra mim não dá mesmo. Mas cada organismo funciona de um jeito.

    ResponderExcluir
  98. Entendi. Eu nunca fui muito de ter espinhas, bem raro mesmo. Mas vou fazer um teste e reduzir os queijos pra ver se melhora no mês que vem!

    ResponderExcluir
  99. Para quem não tem acne nem SOP acho que laticínios são ok, mas tem essa questão da cólica. Eu esqueci de dizer que tirei os laticínios mas deixei a manteiga, que eu usava em grande quantidade no café. Apesar de dizerem que ela é quase que somente gordura, pode ser ela que ainda esteja me fazendo "mal".
    Eu sentia muita falta do queijo e do creme quando os retirei, porque estava acostumada a colocá-los em tudo, mas depois o corpo acostuma, e até passa a rejeitar.

    Fazer auto experimento é a melhor coisa. Muita gente refere inchaço quando come laticínios, para mim essa questão já é indiferente, então vai de cada organismo mesmo. Se você sentir melhora ao diminuir o queijo, nos conte.

    ResponderExcluir
  100. Farad Oliveira de Araujo23 de janeiro de 2014 22:05

    Rumo aos 2 milhões de visitas!!!

    ResponderExcluir
  101. Dr, não sei se o sr quis generalizar, mas só para tirar eventual dúvida de alguém, inhame é diferente de mandioca, embora possam sejam tubérculos parecidos, não são a mesma coisa. Agora, macaxeira, mandioca ou aipim são sinônimos...

    ResponderExcluir
  102. Inhame é um tipo de batata doce

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 01/02/2014 19:49, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  103. kkk...De qq forma, o Sr está certo, Caminha errou, ele quis dizer mandioca (macexeira ou aimpim), pelo menos de acordo com esta reportagem: http://revistagloborural.globo.com/GloboRural/0,6993,EEC565139-1641-4,00.html

    ResponderExcluir
  104. Dr Souto, todas as vezes que tive crise de vesícula, tinha consumido altas quantidades de carboidratos fritos no oleo de soja. Isto antes da LCHF. Depois nunca mais tive estas crises. Fico até com vontade de fazer outro exame para ver se as pedras que existiam desapareceram.

    ResponderExcluir
  105. Faz e nos conta!

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 09/02/2014 11:46, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  106. Jussara!
    Esse mês não tive nenhum sintoma desagradável, como aumento do fluxo nem cólicas. Somente uma vontade enooorme de chocolate no período pré mesntrual, TPM, de comer chocolate! Me resolvi com o Cacau Show 70%. No mais foi só isso! bjos

    ResponderExcluir
  107. Dr, ando lendo MUITO seu blog, e já estou entrando no mundo da dieta paleo. Em menos de 2 semanas seguindo, sendo que em um dos fim de semanas eu comi doces numa festinha de um ano, mas mesmo assim, já perdi por volta de 5kg, e o melhor, sem passar fome. Sei que parece até comercial de TV..rsrs... Mas queria uma ajuda, pois minha esposa tem Tireoidite de Hashimoto, e mais alguns problemas que o sobrepeso trás.
    Gostaria de saber, se tem alguma coisa em especial que ela deva fazer ?


    Pois ela só não me acompanha ainda, por causa da tireoide, e eu não consegui achar algo que pudesse explicar pra ela.


    nessas 2 semanas, se foram 5kg, 5cm de panceps...rsrs...

    ResponderExcluir
  108. Dr, ando lendo MUITO seu blog, e já estou entrando no mundo da dieta paleo. Em menos de 2 semanas seguindo, sendo que em um fim de semanas eu comi doces E salgados numa festa de um ano, mas mesmo assim, já perdi por volta de 5kg, e o melhor, sem passar fome. Sei que parece até comercial de TV..rsrs...




    Mas queria uma ajuda, pois minha esposa tem Tireoidite de Hashimoto, e mais alguns problemas que o sobrepeso trás.
    Gostaria de saber, se tem alguma coisa em especial que ela deva fazer para seguir junto comigo nessa dieta ?

    Pois ela só não me acompanha ainda, por causa da tireoide, e eu não consegui achar algo que pudesse explicar pra ela como seria no caso dela.

    nessas 2 semanas, se foram 5kg, 5cm de panceps...rsrs...

    ResponderExcluir
  109. Pedro,
    Não há nenhum post específico mas se você procurar por "Hashimoto" no campo de pesquisa (ou busca) na lateral direita do blog vai encontrar uma série de posts onde há comentários e respostas do Dr. Souto e de outro comentaristas muito bons também sobre o assunto. Abaixo seguem 2 que localizei por esse método.
    "Leia a série sobre tireoide do Chris Kresser: http://chriskresser.com/thyroi...
    E sim, a causa principal e o glúten e a soja (não adianta dizer isso ao endócrino, ele não vai saber isso, e dirá que é loucura). Além da eliminação total do glúten, é necessário eliminar completamente as leguminosas (soja, amendoim, feijão, etc). Em cerca de 90 dias, você pode repetir os exames, e provavelmente estará muito melhor."
    http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2013/08/creme-de-mamao-papaya.html

    "E sim, este hipotireoidismo leve pode estar relacionado aos seus sintomas. SE for tireoidite de Hashimoto, e se estiver no início, 90 dias de páleo pode começar a reverter a doença."
    http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2012/11/expectativas-versus-realidade.html
    _______
    42

    ResponderExcluir
  110. Está no caminho certo sim

    Use o arroz Parbolizado (mais amido resistente, índice glicêmico mais baixo), e como vc disse, sem exageros.

    Em 11/02/14, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  111. Obrigado pela resposta, Dr... entrei nessa dieta muito por sua "culpa", pois o senhor consegue apresentar fatos que não tem como arrumar uma desculpa pra não entrar nessa dieta... o seu conhecimento dá a garantia para qualquer um conseguir seguir e saber que caso tenha dúvidas, tem onde correr para saber.


    Agradeço de coração.

    ResponderExcluir
  112. Que bom, Anesca! Seu organismo se reequilibrou rápido.
    Eu tive pouca cólica este mês (5º mês de páleo) mas estava de férias, viajando, tomando sol, fazendo caminhada, dormindo cedo e com ausência de estresse, acho que tudo isso junto colaborou. Meus exames saíram, estou com deficiência de vitamina D (acho que o sol que tomei ajudou, tem estudos que falam que suplementação de vitamina D ajuda na cólica) e meus hormônios parecem estar mesmo desregulados (excesso de estrogênio). Eu ainda sinto muita irritabilidade na TPM, mas deve ser pelos hormônios loucos.Tenho que me consultar pra saber se é isso mesmo e ver o que tenho que fazer. :)

    ResponderExcluir
  113. Pois é Jussara! Aos poucos vamos chegando no ideal... vamo que vamo!

    ResponderExcluir
  114. Então o único jeito é retirar a vesícula? Que horror eu sinto dores mas esporadicamente! Li que ficar horas sem comer ajudar na formação de pedra na vesícula! Como fica o JI no caso?

    ResponderExcluir
  115. Erika, chegou a voltar no cardio? Também moro em SP e gostaria de marcar uma consulta com ele... me passa o nome/ endereço... lvseelig@gmail.com

    ResponderExcluir
  116. Dr. Souto gostaria de saber se posso fazer a paleo, pq não tenho vesícula. Emagreci 18kg com reeducação alimentar, mas a compulsão continua...então faz um mês que comecei a dieta com mais gordura e menos carbos, e estou me sentindo bem.

    ResponderExcluir
  117. http://lowcarb-paleo.blogspot.com/2013/12/a-vesicula.html

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 14/04/2014 20:05, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  118. Alessandra, também não tenho vesícula e faço paleo sem problema nenhum.

    ResponderExcluir
  119. Obrigada, que bom!!

    ResponderExcluir
  120. Obrigada Dr. Vou ler tudo...

    ResponderExcluir
  121. Depois de 6 meses na dieta fiz exame e descobri que tenho calculo biliar..pra mim foi uma grande surpresa..minha medica me encaminhou pra um cirurgião porém não tenho a menor pretensão em operar...eu não quero e nem penso em operar..eu simplesmente não sinto nada...absolutamente nada..será que elas estão grandes por isso não me incomodam??

    ResponderExcluir
  122. As que incomodam e são perigosas são as pequenas.

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 18/04/2014 04:35, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  123. Yuri Castello Branco17 de junho de 2014 00:12

    EM HELION POVOA, o CEREBRO DESCONHECido, diz-se: carnes vermelhas ricas em gordura, ao serem digeridas, o ferro heme junta-se a biles formando radicas pro-oxidantes. E completa dizendo que o radical livre do ferro é o mais potente radical livre'. Alem disso, vemos como uma dieta ricas em verduras,legumes e frutas,são uma forma de diminuir o lugar onde os radicasi livres saõ mais perigosos: o intestino! E nisso, chegamos a um dado: cancer de intestino é mais raro entre vegetarianos ,sem fazermos distinção entre se consomem grãos, açucar ou leite mpasteurizado. Então me pergunto: SE CARNES PODEM SER UM GRANDE AGRAVANtE PARA PRATICAMENTE TODAS AS DOENÇAS PORQUE NAO FAZEMOS UMA DIEtA RICA EM PROTEINAS VEGETIAS< BASEADA NAS BELISSIMAS GORDURAS DE ABACATES E CASTANHAS????

    ResponderExcluir
  124. Yuri Castello Branco17 de junho de 2014 00:14

    Por que sera que os calculos aparecem e simplesmente somem? O QUE TEM O PODER DE OS DISSOVER BIOQUMICAMENTE FALANDO?
    Afinal linus PAULING, ganhador do nobel, dizia: urinoterapia é perfeito para tirar pedras na vesicula - so nao sei porque!

    ResponderExcluir
  125. Yuri Castello Branco17 de junho de 2014 00:16

    mas vc comia só aveias, frutas e folha - era uma dieta restrita, so disso??? Ou tab comia TRIGO, AÇUCAR,LEITE por exemplo?

    ResponderExcluir
  126. Yuri Castello Branco17 de junho de 2014 00:28

    Muito interressante. Estava me pegunatndo se alem desse procedimento não teriam estudos comprovando q uma dieta correta pode previnir, tirar a necessidade de uma iminente - e MARCADA! - cirurgia de VESICULA???

    ResponderExcluir
  127. Yuri Castello Branco17 de junho de 2014 00:29

    Um amigo mel estava com cirurgia marcada e dores - demorou um mes faltando e de repende sumiu tudo e ate hoje ta tranquilo, sem dor! sera q realmente é preciso tirar a vesicula , ou mudando a dieta - fazendo tb essa limpeza de figado - resolve?

    ResponderExcluir
  128. Eu já lí em alguns comentários neste blog, relatos de prováveis remissões de pedras na vesícula/rins após aderir ao low-carb/páleo.

    ResponderExcluir
  129. Cálculos de colesterol (na vesícula) pequenos e em pequena quantidade, recentemente formados, poderiam ser teoricamente desfeitos por low carb (devido ao fato de que a bile passa a ser eliminada, e não fica tão concentrada na vesícula). O única cálculo urinário que pode ser desmanchado são os cálculos de ácido úrico puro. E o que leva à dissolução é o aumento do pH da urina. Para aumentar o pH da urina, é preciso aumentar MUITO o consumo de vegetais e de ácido cítrico (limonada). Uma dieta low carb com poucos vegetais CAUSA cálculos renais, pois acidifica a urina.


    Em 18 de junho de 2014 17:06, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  130. Favor, quem não tem vesícula pode seguir uma dieta low carb? Obrigado.

    ResponderExcluir
  131. http://www.lowcarb-paleo.com.br/2013/12/a-vesicula.html

    2014-09-11 11:04 GMT-03:00 Disqus :

    ResponderExcluir
  132. Maria Aparecida de Aquino11 de setembro de 2014 13:15

    Dr. Souto, o médico me disse que tenho uma leve esteatose hepática. Tenho feito lavagem intestinal sendo que uma por mês até completar 12, meses e percebo que tenho tido pontadas do lado direito bem no fígado e isto me preocupa. Minha comida é toda feito no óleo de coco. Pergunto se posso usar óleo de coco por causa destas pontadas e também estou na segunda semana usando 5% de iodo inorgânico + 10% de iodeto de potássio e percebi que tenho tido uma moleza incrível, muito sono, mas para minha alegria eu tinha olho seco e estou quase que totalmente curada em apenas duas semanas tomando 2 gotas por dia deste iodo Lugol. Há 3 dias tenho medido minha temperatura corporal antes de me levantar e deu o seguinte: 35.2, 35.9, 3,6. Os médico falam que não tenho problema de teroide, mas pela temperatura parece que tenho alguma coisa, não é? Lembrei-me que meus cabelo tem caído em tufos e minha unha muito quebradiça, mas nestas duas semanas que estou tomando o Lugol percebi que melhorou bastante.

    ResponderExcluir
  133. O fígado não dói (ao contrário da vesícula, se tiver pedras). Ter esteatose é um motivo a mais para fazer low carb: http://www.lowcarb-paleo.com.br/2013/12/o-figado.html
    Se está fazendo lavagem intestinais por constipação, então sugiro procurar um proctologista. Se está fazendo lavagens por algum outro motivo, não há motivo científico para isso.

    Sent from mobile phone
    Em 11/09/2014 13:15, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  134. Maria Aparecida de Aquino11 de setembro de 2014 13:34

    Nossa, que rapidez na resposta.....amei e muito obrigada. Vou ler o que me enviou.
    Subject: Re: New comment posted on Dieta Low-Carb e Paleolítica

    ResponderExcluir
  135. Maria Aparecida de Aquino11 de setembro de 2014 14:12

    Esclareço que a Limpeza do fígado que tenho feito e já estuo na 8ª, é porque estou no grupo do Facebook da "limpeza do fígado e da vesícula" e lá baixei um excelente livro o qual li e tenho seguido a risca esta limpeza. Faço esta limpeza porque imaginei se tenho esteatose leve poderia melhorar bastante ou até curar, apesar que aprendi nesta literatura que o nosso sistema imunológica 85% está exatamente no intestino e portanto, intestino limpo saúde perfeita. Reforço que eu tinha constipação desde menina. A minha observação é que até o presente momento coloquei um monte de pedrinhas verdes e outras bege. Com relação a carboidratos pergunto-lhe se comer batata doce todos os dias no café da manhã em vez de qualquer tipo de pão faz bem, além dos ovos é claro. Tenho por opção há mais de um ano não comer nada com glúten (minhas enxaquecas de 30 anos sumiram), mas como pão sem glúten (2 fatias), arroz no almoço (pouco) e tb tenho evitado qualquer leite animal e seus derivados, apesar que até uma ano atrás bebia um litro de leite por dia...rsrsrsr (sou ou era viciada neste leite), mas agora só tomo leite vegetal do tipo castanhas do Pará com leite de coco ou leite de coco com leite de inhame (feitos em casa). É importar deixar esclarecido que quando tirei o glúten e o leite animal melhorou e muito a urticária que havia aparecido em mim há 5 anos. Obrigada por tudo e por você ser um excelente médico e dando-nos exemplos de amor ao próximo. A luz sempre estará em seu caminho!

    ResponderExcluir
  136. Obrigado. Bem, o papel e o Facebook aceitam qualquer coisa. Se você olhar bem, eu cito os estudos científicos que embasam minhas postagens. Boa parte dessas coisas que circulam por aí ("limpezas", detox, etc), são práticas folclóricas baseadas em pensamento mágico. Mudarei de ideia se houver um estudo prospectivo e randomizado BEM FEITO sobre o assunto, acompanhado de plausibilidade teórica. Um abraço.

    Em 11 de setembro de 2014 14:12, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  137. Maria Aparecida de Aquino11 de setembro de 2014 14:48

    Doutor Souto você está de parabéns pela sua postura e agradeço-lhe pelos ensinamentos. Vou sim e por opção própria, seguir os seu ensinamentos e em breve postarei ótimas notícias. Obrigada

    ResponderExcluir
  138. Olá, Dr. Souto. Obrigada pelas excelentes publicações. Uma dúvida: retirei a minha vesícula a uns 8 ou 9 anos. Uma dieta rica em gorduras pode me prejudicar?

    Obrigada.

    ResponderExcluir
  139. "Ok, mas o que fazer se você acreditou nas diretrizes e vem se alimentado há anos de acordo com a pirâmide alimentar (60% de carboidratos ou mais), e em função disso já teve de retirar a vesícula?
    Como explicado acima, seu fígado continua fabricando bile, a diferença é que você não pode dispor de uma grande quantidade de bile concentrada para digerir uma grande quantidade de gordura de uma só vez. Qual a solução? Fracionar a gordura em pequenas quantidades durante o dia, e aumentar a gordura na dieta os poucos, a fim de que seu intestino se acostume."

    ResponderExcluir
  140. Obrigada, Patrícia. Na pressa acabei não lendo essa parte. :)

    ResponderExcluir
  141. Onde está a resposta para sua pergunta?

    ResponderExcluir
  142. Basta procurar na caixa de busca.

    http://www.lowcarb-paleo.com.br/2013/12/a-vesicula.html

    Sent from mobile phone
    Em 24/09/2014 19:00, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  143. Gostaria de saber se queijo coalho e um bom alimento para low carbo?
    Grata Abracos

    ResponderExcluir
  144. Dr Souto,
    Estou seguindo a dieta Paleo e lhe agradeço pelas informações colocadas no seu site. Tenho histórico familiar de colesterol e triglicerídeos elevados. Tenho emagrecido e visto minha forma física mudar como nuca vi antes. Fui praticante de artes marciais e já cheguei a treinar 8 a 10 horas por dia sem nunca ter chegado a um percentual baixo de gordura e agora coma LCHF - PALEO tenho visto meu % de gordura despencar a cada semana. Amei e adotei como novo estilo de vida. Ainda não fiz novos exames mas já estou com a requisição para fazer daqui há 2 semanas.
    Agora gostaria de lhe perguntar o caso de minha esposa que possui cálculos na vesícula. Existe alguma indicação de que adotando a PALEO de forma gradual, ou seja aumentando o uso de bile pela inserção de gordura na alimentação, essas pedras possam ser diminuídas e até mesmo eliminadas?
    Se o senhor possuir alguns estudos ou artigos que possam orientar ou validar esse pensamento poderia me indicar?
    Desde já agradeço pelo que tem feito por todos nós que descobrimos que ser PALEO é bom demais.
    Deu lhe abençoe pois você nos abençoou com este site e com as informações que nos fornece.

    ResponderExcluir
  145. Que legal. Quanto à ela, penso que a introdução gradual faça sentido. A dissolução de cálculos é às vezes possível, talvez não com dieta apenas.
    Sugiro que ela fale com seu médico sobre esse tratamento: http://app.centralx.com/bulas/#reader&k=bulas&id=3780

    Sent from mobile phone
    Em 12/10/2014 22:52, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  146. Dr Souto,
    Ela tem sentidos dores de cólicas e já recomendaram que fosse feita a extração. Segundo ele a vesícula dela não teria nem condições de armazenar bile de tanta pedra. Tem alguém que recomende aqui em Salvador/Bahia?

    ResponderExcluir
  147. Ah, nesse caso eu pensaria em fazer a cirurgia e depois fazer páleo sem problemas.

    Sent from mobile phone
    Em 13/10/2014 08:44, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  148. Obrigado Dr. eu estava pensando se seria possível a solução sem intervenção cirúrgica mas pelo visto não é a aconselhável. Só caindo no bisturi.

    ResponderExcluir