sábado, 11 de janeiro de 2014

Pirâmide Alimentar - a vitória da política sobre a ciência - Guest Post

Artigo escrito por Cíntia Vieira Souto, professora da Faculdade Portoalegrense (FAPA), historiadora do Ministério Público do Rio Grande do Sul (e minha esposa!).


O artigo original pode ser conferido aqui: http://ofatoeahistoria.webnode.com/news/pir%C3%A2mide-alimentar-a-vitoria-da-politica-sobre-a-ci%C3%AAncia/ comentários podem ser feitos diretamente na página do artigo original.



07/01/2014 08:09


Cíntia Vieira Souto*

Vivemos numa sociedade absurdamente dependente de ciência e tecnologia, na qual quase ninguém sabe nada sobre ciência e tecnologia.
Carl Sagan (1934-1996)

A pesquisa Vigitel (Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico) do Ministério da Saúde de 2013 aponta que 51% dos brasileiros com mais de 18 anos estão acima do peso. Em 2006, quando essa pesquisa começou a ser feita o índice era de 43% [1]. Mas não é necessário recorrer à estatística. Basta circularmos no centro de Porto Alegre e veremos grande número de pessoas – homens, mulheres, adolescentes, crianças – acima do peso. Agora, pegue algumas fotos da infância dos seus pais ou dos seus avós. Dificilmente haverá algum obeso nessas fotos. O estranho é que no tempo dos nossos pais não havia produtos light ou diet, tampouco academias de ginástica. Há algo muito errado com a nossa alimentação. E isso tem uma história relativamente recente.



Basta consultarmos um nutricionista, um endocrinologista ou comprarmos uma revista tipo Boa Forma para tomar contato com a pirâmide alimentar. Até na escola as crianças estudam a onipresente pirâmide. Basicamente, ela nos diz para comermos uma maior quantidade de carboidratos (pão, arroz, massa, cereais), localizados na base, e comer pequenas quantidades de gordura, localizada no topo. No meio, ficam as frutas, verduras, carnes (magras), ovos, leite.

Mas qual a origem da pirâmide alimentar? A origem está relacionada a uma ideia que se transformou em um dogma: a de que a gordura faz mal para a saúde.

Durante a primeira metade do século XX, os nutricionistas estavam mais preocupados com desnutrição do que com alimentação excessiva. Depois da Segunda Guerra mundial, contudo, uma epidemia de doença cardíaca chamou a atenção das autoridades de saúde nos Estados Unidos. O bioquímico Ancel Keys, da Universidade de Minnesota, foi um dos primeiros a sugerir que a gordura na dieta poderia ser a causa da doença cardíaca [2]. Em 1956, Keys iniciou o “Estudo dos Sete Países”, no qual seriam avaliados 130 mil homens de meia idade na Iugoslávia, Grécia, Itália, Finlândia, Holanda, Japão e Estados Unidos. Os participantes eram submetidos a exames no início do estudo e tinham sua saúde periodicamente avaliada. Os primeiros resultados foram publicados em 1970 e, após, a cada cinco anos, à medida que os participantes envelheciam e faleciam. Os resultados foram: 1) o nível de colesterol estava relacionado à doença cardíaca; 2) a quantidade de gordura saturada na dieta aumentava o nível de colesterol e, logo, de doença cardíaca; 3) a gordura monossaturada protege contra doença cardíaca [3].

O problema desse estudo é que ele foi concebido para confirmar uma hipótese pré-estabelecida. Keys considerava que a gordura na dieta causava doença cardíaca. Então ele escolheu sete países cujos dados confirmariam essa hipótese. Segundo Gary Taubes, se ele tivesse incluído a França e a Suíça, por exemplo, sua hipótese cairia por terra [4]. O estudo causou algum impacto, mas havia controvérsias na comunidade científica. Muitos pesquisadores questionavam os resultados da pesquisa e discordavam abertamente da tese de que a gordura causava problemas cardíacos.

Paralelamente, independente do mundo científico, se desenvolvia no mundo ocidental e nos Estados Unidos em particular, um movimento anti gordura na alimentação. Relacionado à contracultura da década de 1960, esse movimento criticava o consumo excessivo de bens materiais, bem como de carne e do tradicional american breakfast à base de bacon e ovos [5].

Foram os políticos, todavia, que transformaram essa ideia em um dogma e mudaram a política nutricional dos Estados Unidos e, consequentemente, do mundo ocidental. Em 1969 foi criado, sob responsabilidade do senador George MacGovern, o Select Committee on Nutrition and Human Needs (Comitê em Nutrição e Necessidades Humanas) com o objetivo de erradicar a má nutrição. Esse trabalho terminou em 1970, mas os dois membros principais do comitê, Marshall Matz e Alan Stone, advogados, decidiram se ocupar dos excessos alimentares. A partir de 1976, um membro do comitê, Nick Mottern, jornalista, recebeu a tarefa de escrever um guia com diretrizes nutricionais. “Mottern, que não tinha nenhuma formação cientifica e nenhuma experiência em escrever sobre ciência, nutrição, saúde, acreditava que suas diretrizes dietéticas iriam produzir uma ´revolução na dieta e agricultura desse país`” [6]. Ele adotou a ideia da gordura como o principal vilão da dieta, ignorando as controvérsias científicas em torno da tese.

Em 14 de janeiro de 1977, foi publicado o Dietary Goals for the United States, documento que regula o que comemos até hoje. A recomendação principal era de cortar a ingestão de gordura para 30% do total de calorias consumidas e de gordura saturada para 10%. A gordura foi comparada ao cigarro e a indústria de carnes e ovos foi acusada de se comportar como a indústria tabagista, vendendo produtos nocivos somente para obter lucros. Muitos cientistas e entidades protestaram contra as diretrizes. Mas, em geral, eram acusados de estarem “trabalhando” para a indústria.

As diretrizes poderiam ter sido esquecidas com o encerramento do comitê MacGovern no final de 1977. Mas duas agências federais levaram a questão adiante. A primeira foi a USDA (United States Departamento of Agriculture). Carol Foreman, secretária assistente do USDA, consultou a NAS (National Academy of Science) a respeito das diretrizes. Quando seu presidente Philip Handler, disse-lhe que elas não faziam sentido e não tinham base científica, ela ignorou e procurou alguém com opinião contrária. Consultou os ex-membros do comitê MacGovern que indicaram Mark Hegsted, da Harvard Scholl of Public Health, um entusiasta das diretrizes. Hegsted foi contratado por Foreman. O resultado foi a publicação em fevereiro de 1980 do Dietary Guidelines for Americans, quase idêntico às diretrizes de 1977. Novamente houve reações, mas, dessa vez, a imprensa (The Washington Post, The New York Times) saiu em defesa do novo paradigma [7].

Nos próximos anos, cerca de meia dúzia de estudos foram feitos para verificar a hipótese de que a gordura causava doenças cardíacas. Nenhum desses estudos provou que o baixo consumo de gordura protege de doenças cardíacas. Um desses estudos, feitos pelo NHLBI (National Heart, Lung and Blood Institute) testava o efeito de uma droga, a colestiramina. Os pesquisadores concluíram que essa droga baixava o colesterol e diminuía, muito pouco, o número de mortes por doença cardíaca. Foi nesse ponto que os defensores das diretrizes se fixaram: se uma droga que baixa o colesterol diminui mortes por doença cardíaca, diminuir a ingestão de colesterol deve também diminuir as mortes por doença cardíacas (ignorando as diferenças entre os dois processos).

O NHLBI desencadeou uma massiva campanha a favor da tese. Em março de 1984, a capa da Time mostrava um prato com ovos no lugar de olhos e bacon no lugar da boca, com a palavra “colesterol” como título. O pesquisador do NHLBI diz na reportagem: os resultados “indicam fortemente que quanto menos colesterol e gordura na sua dieta, mas reduz-se o risco de doença cardíaca” [8].



Assim, estava formado o consenso. Em 1992, o USDA criou, com base nas diretrizes, a nossa conhecida pirâmide alimentar, recomendando pouca gordura e muito carboidrato. Nas palavras de Taubes “na história da convicção nacional de que a gordura na dieta é mortal, e a sua evolução de hipótese a dogma, políticos, burocratas, a mídia e o público desempenharam um papel muito maior do que o dos cientistas e da ciência” [9].

As diretrizes fizeram a felicidade da indústria alimentícia e farmacêutica. O café da manhã americano tradicional foi trocado por cereais matinais. Foram criados inúmeros produtos low fat, nos quais se utilizam carboidratos e produtos artificiais (adoçantes, corantes, estabilizantes) para simular o gosto da gordura. E as estatinas, medicamentos para reduzir o colesterol, são uma das maiores fontes de lucro da indústria farmacêutica.

Na verdade, somos resultado de uma evolução de cerca de dois e meio milhões de anos ao longo dos quais nos alimentamos predominantemente de carnes e vegetais. Nosso organismo foi adaptado para isso. Não é necessário ser cientista para perceber que a mudança da dieta para qual fomos evolutivamente adaptados causaria efeitos indesejados [10]. Eles estão nas ruas, nos consultórios médicos, nas escolas, nos programas de televisão.

Olhe novamente a foto dos seus avós. Eles não compravam produtos diet, não corriam no parque e não contavam as calorias que comiam. Então, não comam nada que seus avós não reconhecessem como comida.

Notas


[1] http://portalsaude.saude.gov.br/portalsaude/noticia/12926/162/mais-da-metade-da-populacao-brasileira-tem-excesso-de-peso.html Acessado em 12 de dezembro de 2013.


[2] TAUBES, Gary. The Soft Science of Dietary Fat. Science, New Series, Vol. 291, nº 5513, Março 2001, p. 2537.


[3] TAUBES, Gary. Good calories, bad calories. Random House: New York, 2007, p. 31.


[4] Ibidem, p. 32.


[5] TAUBES, Gary. The Soft Science of Dietary Fat. Science, New Series, Vol. 291, nº 5513, Março 2001, p. 2538.


[6] Ibidem, p. 2539.


[7] Ibidem, p. 2540.


[8] Ibidem, p. 2541.


[9] Ibidem, p. 2537.


[10] Para maiores informações http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/

*Professora da FAPA e Historiadora do MP-RS



Leia mais: http://ofatoeahistoria.webnode.com/news/pir%C3%A2mide-alimentar-a-vitoria-da-politica-sobre-a-ci%C3%AAncia/

83 comentários:

  1. A questão do combate ao consumo de gordura virou dogma, Parece a crença no aquecimento global. Se vc não acredita no aquecimento global e que a gordura faz mal, deve ser louco. Bom eu andei lendo esse site aqui recomendado por um outro post nesse blog:http://highsteaks.com/carnivores-creed/owsley-the-bear-stanley/bears-words-of-wisdom/.


    O cidadão, que mora na Australia,diz que consome exclusivamente carne, a 47 anos. Principalmente carne de gado, mas evitando fígado. É possível isso? E a vitamina C? E o risco de escorbuto?

    ResponderExcluir
  2. A glicose compete pelo mesmo receptor que a vitamina C. Só quem come carbs precisa muita vitamina C para não ter escorbuto. Leia: http://lowcarb-paleo.blogspot.com/2012/12/a-dieta-dos-esquimos-aventuras.html Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 11/01/2014 18:57, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  3. Citando Carl Sagan, aff..

    ResponderExcluir
  4. Meu maior ídolo.

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 11/01/2014 19:34, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  5. Parabens doutor, e rumo aos 2 milhoes de acessos.

    ResponderExcluir
  6. Bah, nem conto mais ;-)

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 11/01/2014 20:14, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  7. Adorei a frase do Sagan:
    Vivemos numa sociedade absurdamente dependente de ciência e tecnologia,
    na qual quase ninguém sabe nada sobre ciência e tecnologia.
    Belo texto!

    ResponderExcluir
  8. "Na verdade, somos resultado de uma evolução de cerca de dois e meio milhões de anos ao longo dos quais nos alimentamos predominantemente de carnes e vegetais. Nosso organismo foi adaptado para isso. Não é necessário ser cientista para perceber que a mudança da dieta para qual fomos evolutivamente adaptados causaria efeitos indesejados [10]. Eles estão nas ruas, nos consultórios médicos, nas escolas, nos programas de televisão." - Genial!!!

    ResponderExcluir
  9. Um dos meus tb!

    Sombras de Antepassados Esquecidos eu li. É um dos livros mais interessantes de se ler sobre a nossa evolução. Um clássico de Carl Sagan!

    ResponderExcluir
  10. "Tornou-se chocantemente óbvio que a nossa tecnologia excedeu a nossa humanidade."
    Albert Einstein



    ______
    42

    ResponderExcluir
  11. Prazer em conhecer!
    É impressionante o fato da política ter feito um estrago desses... mas quantos não são feitos. Triste como 'uma mentira contata 1.000 vezes torna-se verdade"...

    ResponderExcluir
  12. Eu estava pesquisando esse cara (The Bear, como se autointitulava). Ele na verdade é americanode nascimento e se naturalizou mais tarde australiano.

    O cara foi famoso, foi ícone da contra cultura americana nos anos 60. Seu nome era Owsley Stanley:

    http://en.wikipedia.org/wiki/Owsley_Stanley

    Mas vejam só como a vida tem certas ironias. Ele só comia alimentos de origem animal (exceto óleo de coco ou de macadâmias) por 52 anos, e tinha pretensões de viver por mais de 100 anos, mas acabou falecendo em um acidente automobilístico em 2011:

    http://blog.zeroinginonhealth.com/2011/03/13/zc-icon-dies-in-car-crash/

    ResponderExcluir
  13. 2014 mal começou e o blog está hiperativo. Excelente postagem, Doutor.

    ResponderExcluir
  14. Muito mais deletédio que o trigo, mais pernicioso que os grãos e mais venenosos que os remédios: POLÍTICOS, seres que não existiam no paleolítico; deveríamos extirpá-los, novamente, das nossas vidas.
    Excelente post.

    ResponderExcluir
  15. Hahaha

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 12/01/2014 12:55, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  16. Muito bom o artigo, e muito bem escrito. Merecia ser publicado nas revistas de grande circulação nacional (ou em algum grande jornal online).

    ResponderExcluir
  17. Fantástico o texto! Dr., você deveria ver o sucesso que faz no instagram! Temos até a hashtag #drsouto hahaha

    ResponderExcluir
  18. Como sempre, excelente!! E que bom contar com mais uma pessoa, obrigada Sra.Cíntia Souto.

    ResponderExcluir
  19. Realmente os departamentos de história das universidades brasileiras precisam de pessoas corajosas como a autora do post em tela. Espero agora um dia achar um historiador brasileiro que admita os erros do comunismo por exemplo. Mas deixando isso de lado, Souto, o post sobre a dieta dos esquimós e a aventura de Stefansson foi uma leitura das mais fascinantes que tive oportunidade de ver aqui no seu blog. E parabéns pela excelente, e trabalhosa, tradução.

    ResponderExcluir
  20. Obrigado. Posso te dizer que o número de historiadores não marxistas é MUITO maior do que o de médicos low carb.

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 13/01/2014 07:54, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  21. E o sistema educacional de hoje forma marxistas e zumbis low fat. O pau nasce torto.

    ResponderExcluir
  22. Ricardo Tognola Montes de Oca13 de janeiro de 2014 12:48

    Seu blog me abriu um universo que eu desconhecia. Um amigo começou a fazer dieta sem glúten e são visíveis os resultados. Estava procurando notas sobre o assunto e acabei parando no seu blog.


    O que gostei mais foi o embasamento científico e teórico sobre as afirmações e suposições. É extremamente irritante ter coisas impostas e o motivo geralmente é "porque sim".


    Não sou obeso, estou alguns quilos acima do peso, mas nada gritante. Curioso é quando falo que tenho que emagrecer e as pessoas falam que estou exagerando. Tenho 1,71 e peso 93 kg. Minha estrutura me favorece porque realmente não aparento estar tão acima do peso, mas é impressionante como as pessoas acreditam que você tem que aparentar estar extremamente obeso para se preocupar com a balança.


    O meu problema é que sinto um extremo desconforto comigo mesmo a anos, um cansaço inexplicável desde jovem mesmo na minha fase mais ativa fisicamente e sempre acreditei que poderia ser a alimentação.


    Estou maravilhado com o conteúdo que você tem repassado a todos e pretendo ir atrás de um nutricionista para controlar meu sangue e vitaminas e colocar em prática essa forma de vida que para mim está fazendo todo o sentido.


    E ainda consegui outros canais como o da Patricia Ayres no face para conseguir mais informações.


    Obrigado mais uma vez pelo excelente e embasado material.


    Ainda tenho várias dúvidas sobre colesterol, mas como estou lendo o blog agora de trás para frente, acredito que devo saná-las em breve.


    Xô açucar!

    ResponderExcluir
  23. Obrigado! Vai saná-las sim!

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 13/01/2014 12:49, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  24. tb cheguei nesse blog mais ou menos assim, recomendo pra você o site emagrecerdevez.com , na sessão de podcasts tem uns 3 podcasts com participação do Dr. Souto, é sensacional.

    ResponderExcluir
  25. Excelente o post e como estamos falando de paradigmas científicos lembrei do seguinte vídeo de Robert Sapolsky (sensacional):


    http://www.youtube.com/watch?v=NNnIGh9g6fA


    Ele recomenda o livro “Chaos: Making a New Science” de James Gleick (http://www.amazon.com.br/Chaos-Making-Science-James-Gleick-ebook/dp/B004Q3RRPI/ref=sr_1_1?s=digital-text&ie=UTF8&qid=1389638106&sr=1-1&keywords=Chaos%3A+Making+a+New+Science) e também fala de um cara que alegou a variação de glicose como causa para ser um homicida.


    Os outros médicos apenas pensam em categorias pré-concebidas, o Dr. Souto tenta enxergar o todo e caminha cada vez mais nessa direção.

    ResponderExcluir
  26. Dr. Souto!
    Muito obrigado pela utilidade pública que é este seu blog. Infelizmente a medicina caminha a passos lentos, e não sei se estarei viva ainda quando/se a grande maioria dos médicos forem mais "cabeça aberta" e adeptos de ler e pesquisar coisas NOVAS (não tão novas assim!) como a dieta low carb que trás uma melhora na saúde em geral... Se for conversar com uma nutri ou um médico escolhido aleatoriamente irei levar sermão. Triste realidade.

    Enfim...
    Tenho 24 anos e há 10 anos (!!) tenho gastrite. Hoje ela já é crônica e enantemática. Sei que é uro, não gastro, rs de qualquer forma hoje tentei começar uma dieta pobre em carboidratos, rica em gorduras... Coincidentemente ou não, a gastrite "atacou". Sempre ouvi de todos os gastros que já passei que era para evitar gorduras... De fato sempre senti que meu estômago tinha dificuldade em digerí-la.. se como algo mais "pesado" fico com aquilo o dia inteiro no estômago... (Uma vez comi linguiça as 20hs de um dia, e as 10h de outro - quando fui fazer EDA - lá estava ela.)
    Hoje comi ovos com azeite no café da manhã, costela suína no almoço, com salda e repolho cozido.. (comi arroz integral também, como falei estou tentando começar um estilo LCHF..Daí já começou a doer.)

    Direto ao assunto: Com o tempo, será que meu estômago/organismo se acostuma ao modo de vida low carb hight fat? Ou especialmente no meu caso realmente seria melhor evitar as gorduras?

    Agradeço a atenção!
    Denise.

    ResponderExcluir
  27. 14 dias estará tudo resolvido. Qualquer mudança drástica na dieta de qualquer pessoa provoca desconforto digestivo por vários dias. Vá aumentando a gordura aos poucos.


    Em 13 de janeiro de 2014 19:00, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  28. Dr. Souto, Já estou na estilo LCHF a quase 2 meses e completamente adaptado.
    Minha sogra está querendo seguir esse estilo mais ela foi diagnosticada com pólipo no estômado e o médico proibiu o consumo de carne vermelha, procurei alguma referencia no blog sobre o assunto sem sucesso... alguma posição?
    Grato

    ResponderExcluir
  29. Cintia Vieira Souto13 de janeiro de 2014 21:12

    Obrigada, Luciane. Acho essas coisas interessantes do ponto de vista histórico. Parece que a nossa alimentação sempre foi como é, mas, na verdade, essas mudanças são muito recentes.

    ResponderExcluir
  30. Cintia Vieira Souto13 de janeiro de 2014 21:13

    Obrigada, Jussara.

    ResponderExcluir
  31. Não vejo problema. Mas ela não precisa brigar com o médico. É só não comer carne vermelha.

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 13/01/2014 19:47, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  32. Obrigada! Irei tentar e volto para maiores detalhes. Denise.

    ResponderExcluir
  33. Não concordo com essa pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde, onde mostra que 51% dos brasileiros estão acima do peso ou obesos.
    Ligaram pra minha casa, tipo telemarketing, perguntando meia dúzia de coisas sobre o peso e etc... Nem sabia de tal pesquisa e aposto que um monte de gente também não. Tenho certeza que a maioria informou peso e altura errada entre outras coisas. A obesidade vista nas ruas em crianças, jovens, adultos e idosos é muitas vezes maior que 51%. Dinheiro jogado fora com pesquisa por "telefone", e nós pagamos a conta. A obesidade é uma grande epidemia escondida pelos governantes

    ResponderExcluir
  34. José Luiz Abrantes13 de janeiro de 2014 22:14

    Gostaria de parabenizá-lo Dr. Souto pelo excelente blog.
    Sou ortopedista na cidade de Nova Friburgo e iniciando na dieta low-carb.
    Nas refeições principais, não estou tendo dificuldades em termos de variação. Mas já vi algumas postagens que vão abrilhantar meu desjejum também.
    Obrigado e sucesso!

    ResponderExcluir
  35. Obrigado, colega! E quando já estiver craque e começar a tratar pacientes, me avise!

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 13/01/2014 22:14, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  36. Dr Souto, gostaria de fazer um pedido, se fosse possível você poderia fazer um post falando especificamente de alimentos integrais.Vêm se pregando constantemente a "vanglorização" deste tipo de alimento, na forma tradicional da dieta, apesar de toda a história da saciedade causada pelas fibras, gostaria de entender mais detalhadamente os seus malefícios mesmo sendo integrais,e se as fibras realmente compensam a sua ingestão!

    ResponderExcluir
  37. Grãos refinados = zero fibra + muito açúcar + glúten + zero nutrientes
    Grãos integrais = pouca fibra + muito açúcar + glúten + poucos nutrientes
    Salada = muita fibra + zero açúcar + muitos nutrientes.

    Conclusão: menos grãos e mais salada = mais saúde e menos gordura.

    Feita a postagem.

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 13/01/2014 22:21, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  38. Não te preocupes, o Dr. Souto está fazendo escola com os médicos no Brasil também. Em breve as coisas vão melhorar.

    ResponderExcluir
  39. Parabéns pelo artigo Cíntia. Essa perspectiva histórica é sempre impressionante, muito bom

    ResponderExcluir
  40. Dourtor Souto, Comecei o estilo de vida LCHF a uma semana. Ja estava a semanas lendo e me informando.
    Estranho nao sentir fome o tempo todo, antes em menos de 3 horas ja tava quase comendo a parece, eh tao bom a sensacao de liberdade que parece mentira.

    tenho 1,61 e 63 kilos, perdi com RA + Atividade fisica 12 kilos no ano passado, porem desde agosto/2013 eu estacionei.. as vezes desde para 61 as vezes sobre para 65. E mudar e estratageia foi o q me fez vir para Paleo, faco Boxing 5 vezes na semana e de final de semana vou correr e caminhar.

    Tem sido bem tranquilo para mim a transicao, ontem sem querer fiz um
    jejum de 18 horas, sem estresse, sem fome, estava lendo e perdi a hora do jantar e ai depois fui dormir. Percebo meu corpo
    menos inchado, porém os ponteiros da balanca nao mudaram muito hahah..
    inveja de gente q fala que foram 4 kilos na primeira semana hahah.

    Meu peso ideal segundo a nutricionista antes e meu porte seria 58 kilos.

    Duvida, eu ja li varios posts sobre o Jejum intermitente, gostaria de
    saber se mesmo no comeco da dieta posso fazer uma vez por semana?
    E se o Sr acredita que seria uma boa estrategia para perder gordura. A ultima vez q medi o meu percentual de gordura estava em 27% tenho 24 anos e sei q esta alto para meu porte. Estou meio perdida no que focar, peso, gordura, espelho.

    Obrigada por todas as informacoes que o Sr posta aqui. Ja li quase todo seu blog =)

    ResponderExcluir
  41. Olá. No que tange a jejum intermitente, ouça o corpo - quando ocorre quase sem querer, não há problema; se fosse com muita fome e mal estar, não estaria correto.
    Quanto ao que focar, eu focaria, pela ordem, em: sensação de bem-estar, medidas, espelho, percentual de gordura e, por último, peso.


    Em 14 de janeiro de 2014 07:08, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  42. Boa noite Dr. Souto,


    Parabéns à sua Esposa pelo Belo Artigo!


    Cabe-nos então sempre nos lembrar das Pirâmides como fatos Históricos, cuja mais recente data da década de 70, e a mais antiga de 3.000 a.C. no Egito. Como se diz: sem memória não se pode ter futuro.
    Mas graças à seu Blog, não nos esqueceremos nunca das Pirâmides!!! Nunca!! Mas apenas como fatos históricos, para não mais cairmos nas ciladas das "pirâmides".


    E graças a seu Blog, eu não possuo mais o fenótipo de pirâmide arredondada (na forma de "coxinha").


    Abraço e ótimo 2014, a você e família.
    Bernard (MD)

    ResponderExcluir
  43. :-)

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 14/01/2014 20:15, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  44. Pesquisando aleatoriamente sobre dieta Low Carb, cai nesse site :

    http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/22735105
    (apenas um exemplo de tantos q são contrários)

    O que voce me diz a respeito?? Pq pra mim q sou leigo, é muito difícil diferenciar de qual pesquisa/site/blog/etc é confiável e qual não é, tendo em vista tantas opiniões contrarias!! Qualquer argumento "cientifico" de ambos os lados é grego para meu conhecimento nulo da biologia do corpo humano!

    Agradeço desde ja pelo seu tempo!

    ResponderExcluir
  45. Obrigago, muito esclarecedor!

    ResponderExcluir
  46. hahah, adoro explicações assim, curto, objetivo e sem questões para dúvidas!Obrigada Dr Souto!

    ResponderExcluir
  47. A reposta mais completa está aqui: http://rawfoodsos.com/2012/07/01/bad-science-strikes-again/


    Em 15 de janeiro de 2014 17:59, Jose Carlos Souto escreveu:

    ResponderExcluir
  48. Li essa revista ano passado, e fala muitas coisas que são discutidas nesse blog.


    http://superstore.wnd.com/sales/99-CENT-STORE/Whistleblower-Single-Issue-February-2012

    ResponderExcluir
  49. Parece ótimo!


    2014/1/16 Disqus

    ResponderExcluir
  50. Olá Dr Souto, já li sobre como a onda low fat começou e se espalhou em documentários e outras reportagens. No Blog FatHead falam bastante de como tudo começou com uma pseudo Ciência e se espalhou. A minha gigantesca dúvida é como isso ainda sai das Universidades. Como nutricionistas no mundo e no Brasil deixam a faculdade com essa noção de Baixa Gordura, comer de 3 em 3 horas, controle de Calorias etc. Isso ser uma verdade da população eu até entendo porque somos influenciados por revistas de boa forma, Sites na internet e até dicas de dieta de atrizes magras. Mas um nutricionista na faculdade não estuda livros? E livros de faculdade não são escritos por doutores e PHDs? E não tem que ser baseados em Ciência e estudos científicos? E como esses livros trazem ensinamentos já derrubados e falsos fazendo que profissionais saiam da faculdade mantendo essa mentira que está adoecendo tanto a população? Seria demais acreditar que há uma teoria da conspiração que os fabricantes de produtos Diet e Ligh e Low Fat estejam por trás disso! Mas como essa mentira se espalhou no mundo acadêmico em que se devia checar tudo através de novas experiências e principalmente evoluir? Alguma ideia?


    Abraço!

    ResponderExcluir
  51. É muito complicado mudar alguma coisa. Na minha opinião a coisa funciona mais ou menos assim:
    http://www.portalbrasil.net/2007/colunas/economia/fevereiro_01.htm


    ______
    42

    ResponderExcluir
  52. Minha vó viveu no interior a vida toda, em sítio. Fazia todas as comidas com banha de porco. Resultado: morreu com 40 anos na década de 60. Sei não.....

    ResponderExcluir
  53. Descobri esse site por acaso, e estou aderindo a esta dieta como experimento. Posso dizer que faz muito sentido o aspecto da nutrição adequada x evolução; já emagreci 6 quilos em 1 mês, e noto um funcionamento melhor do meu organismo com esta dieta. E, melhor, fico com pouca fome ao longo do dia!!! Contudo, não faltam criticas à dieta paleo. Nesta pesquisa, é considerada a pior dentre 32 pesquisadas: http://exame.abril.com.br/estilo-de-vida/noticias/as-10-piores-dietas-para-emagrecer-segundo-u-s-news (pior ainda do que a drunkorexia, que tem como base o consumo alcóolico, e de outras meio macabras como a enteral e a inravenosa). Parecem que "endemonizam" a gordura mais do que essas outras coisas rs. Bom, eu continuo acreditando que a dieta paleo faz sentido e tem muitas vantagens para eliminar sobrepeso. Agora, que venham os esclarecimentos sobre o tal setpoint!

    ResponderExcluir
  54. ah, e gostaria de elogiar a dedicação e profissionalismo com que o Jose Carlos Souto mantém este conteúdo, parabéns pela iniciativa!

    ResponderExcluir
  55. Fulano fumou a vida toda e morreu aos 99 anos. O que isso prova? Nada.
    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 17/01/2014 22:06, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  56. Isso não é uma pesquisa, é uma peça de opinião. No meu blog vc encontra Pesquisa com P maiúsculo.

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 19/01/2014 13:03, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  57. Thanks ;-)

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 19/01/2014 13:04, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  58. Hum... se esse Fulano aí fumava cigarro de palha, tomava pinga todo dia e comia tudo na banha e com torresmo, tá falando do meu falecido Tio João - que morreu com 99 e muito bem! ;)

    ResponderExcluir
  59. De Souto ou Patricia, vcs sabem me informar algo sobre o amido resistente presente na banana verde? É saudável mesmo? Se encaixa na lchf ? Parece contraditório abaixar a glicemia se tem carbo. Queria entender um pouco mais!

    ResponderExcluir
  60. Bom dia estou fazendo essa dieta á 12 dias e perdi pouco peso, gostaria de saber se a pouca perca de peso pode esta relacionada a o queijo minas padrão e ao adoçante?

    ResponderExcluir
  61. Olá Cristiane,

    existem vários tipos de queijo minas: se for o frescal, que é sem sal e gordura, não vale muito a pena. Lembre-se que as boas gorduras são desejáveis (banha, azeite, óleo de coco, manteiga, abacate,etc). Se for consumir queijos, prefira os mais gordurosos. Leia: http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2014/01/reflexoes-sobre-postagem-anterior.html

    Quanto aos adoçantes não creio que seja o caso de travar emagrecimento, mas não posso afirmar que pra vc não trava. Só mesmo testando pra saber. Leia aqui: http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2013/02/adocantes-e-rotulos.html

    Você nem passou do período de adaptação! Tenha calma! As pessoas que perdem muito peso não são a maioria, o melhor é que essa perda seja contínua e pequena.

    ResponderExcluir
  62. http://g1.globo.com/jornal-hoje/noticia/2014/01/pesquisa-constata-que-suco-de-laranja-pode-ajudar-emagrecer.html



    Fiquei desconfiada com esta reportagem, e eu estava convencendo o pessoal aqui em casa a não ficar tomando suco de laranja, mas vem a GB e estraga tudo!Eu desisto...kkkk

    ResponderExcluir
  63. Boa noite,
    Patrícia por favor posso usar linhaça, amaranto,quinoua, s.girsssol, s.sabóbora e chis? E pq tenho um stock hehehe
    Obrigada

    ResponderExcluir
  64. Oi boa noite,
    Por favor posso usar amaranto,quinoua, sementes chia, girassol, linhaça?
    Tenho um stock hehehehehe
    Obrigada

    ResponderExcluir
  65. Obrigada
    Não tinha achado ja to zaroia de tanto ler este blog Kkkkkkkk
    Obrigada

    ResponderExcluir
  66. Boa tarde,
    Patrícia, Dr.Jose ,
    meu filho tem 3anos e apenas 10 kilos, ele tem paralizia cerebral e desturbio de deglutição grave alimenda através de gastronomia ( a alimentacão dele é suplementos hipercaloricoNutren Junior Pediasure,suplemento de carboidrato Carboch, frutas, legumes, arroz, feijao e carne)
    O que vcs acham sobre os suplementos?melhor cortar?
    Posso tirar o arroz com feijão e ficar apenas com legumes e carne frutas e etc
    Ele tem 80 centímetros aproximadamente, a gastro disse q o peso ta de acordo com a altura, então a proposta é:
    ele ganhar peso de acordo com a altura torno de 200 a 300 gramas por mês, como adaptar low carb sem que ele perca peso e ganhe peso de acordo com o crecimento?
    Desde já agradeço

    ResponderExcluir
  67. Jul suco de laranja não deve-se tomar?
    Amo suco de laranja tomo 2 vezpor semana por causa da frutose
    Abraço

    ResponderExcluir
  68. Olá Meirelane,


    quem precisa ganhar peso não deve fazer Low Carb High Fat, basta fazer Paleo sem restrições às raízes e frutas.
    Arroz branco é um amido seguro. Já os feijões não posso afirmar. Tem pessoas que não se adaptam bem com leguminosas, outras não tem problemas.
    Seu filho é um caso especial, não posso opinar sobre os suplementos.

    ResponderExcluir
  69. Sim entendi muito obrigada

    ResponderExcluir
  70. Cigarro de palha é melhor?

    ResponderExcluir
  71. Melhor?? Cigarro não é bom de jeito nenhum!

    ResponderExcluir
  72. José Luiz Abrantes29 de janeiro de 2014 08:31

    Estimado Dr.Souto,


    Há mais ou menos 10 dias minha alimentação tem sido a seguinte:
    Café da manhã: Café com manteiga e óleo de coco.

    Almoço: um tipo de carne (vermelha/porco/frango/peixe) e salada ( tenho variado as folhagens,mas sempre acompanhadas de tomate).
    Tarde: O bolinho de coco (receita do blog) ou belisco uma carne. Ontem comi dois ovos fritos no microondas.
    Jantar: basicamente o mesmo do almoço.
    Não tenho ingerido frutas.
    Não tenho calculado as gramas de carbs que tenho consumido, mas pelo supracitado, estão bem restritos.
    1ª pergunta: Por quanto tempo posso manter os índices de carbs reduzidos? Não sei exatamente qual dieta foi, mas minha cunhada (que mora em outro Estado), fez uma na qual poderia ficar apenas 2 semanas ( calculo eu que seja em cetose, para depois reintroduzir os carbs).
    2ª pergunta: Estava sedentário por 1 ano. Voltei a treinar jiu-jtsu/muay thai há 3 semanas. Tenho me sentido cansado nos treinos (não em termos de força muscular, mas de "gás" ). Ontem comi 2 ovos fritos no microondas.antes mais ou menos antes do treino. Seria o caso de consumir algo específico para render mais? Se for o caso, teria que ser algo prático, tendo em vista que saio do consultório direto pra academia.


    Obrigado.

    ResponderExcluir
  73. Pode comer assim o resto da vida, assim como toda a humanidade sempre fez durante os 2,5 milhões de anos de evolução que moldou nosos corpos.

    Qual a sua prioridade? Perda de gordura ou performance no Jiu Jitsu? Se for perda de peso, aguente por mais tempo a queda de performance esportiva (pode levar 4 semaas para voltar a ser o que era). Se o objetivo for performence, vc não precisaria estar comendo tão low carb assim - pode comer batata e frutas até 150g de carbs ao dia sem problemas.

    Dr. Jose Carlos Souto, M.D.
    Sent from Android phone
    Em 29/01/2014 05:31, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  74. José Luiz Abrantes29 de janeiro de 2014 12:47

    Ontem antes do treino comi 2 ovos fritos no microondas. Outro dia comi morango misturado com creme de leite.
    As frutas no caso sempre acompanhadas de fontes de gordura e proteínas, certo?
    A batata doce ( em pequenas quantidades apenas antes dos treinos pode ser uma opção.
    O valor máximo de 150g. Tem algum valor mínimo? Li algo sobre 20g, não me recordo a fonte.

    ResponderExcluir
  75. Doutor , tenho seguido a dieta LCHF PALEO já a algum tempo e tenho obtido ótimos resultados, porém tenho sentido muito incomodo com o meu intestino que funciona em média a cada 3 ou 4 dias, visto que funcionava diariamente. Sei que muitas pessoas tem esse problema no inicio da dieta, mas não a longo prazo... o que posso fazer para melhorar?

    ResponderExcluir
  76. Olá Bruna,

    Considere incrementar a ingestão de sal, água e das boas gorduras (óleo de coco, manteiga, banha, azeite, abacate, bacon).

    Explore mais o blog! Use a ferramenta 'Pesquisar este blog' no canto superior direito. Digite por exemplo: Intestino - e leia os comentários.

    Vários comentários sobre o assunto:

    "Intestino preguiçoso na Páleo / LCHF pode ser vários fatores: Pouco sal, pouca água, falta de boas gorduras. Olhe estes comentários do Dr. Souto: "Pode comer abacate todos os dias.
    Além disso, compre um bom probiótico (p.ex. Probiatop), misture com iogurte natural feito em casa ou batavo integral natural e umas 3 ou 4 colheres de sopa de linhaça moída, por 1 mês."

    O que precisa mudar é a flora intestinal (acostumada com açúcar, fica escassa quando muda a dieta).
    Minha sugestão é, além do que disse a Patrícia: Iogurte natural feito em casa (pois tem lactobacilos vivos) Linhaça moída na hora (compre um moedor de café, e moa um belo punhado de cada vez) Um bom probiótico (tipo Probiatop) Misture tudo, 2x ao dia, até regularizar, e depois 1x ao dia por 1 mês.
    Se precisar de um laxante em algum momento, use a lactulona, que é pré-biótica (serve de alimento aos probióticos)"

    "Precisa adaptar a flora intestinal. Faça o seguinte: compre um bom probiótico na farmácia, tome todas as noites misturado em um iogurte natural (feito em casa ou Batavo natural integral) com farinha de linhaça. Isso mais uns abacates. E não economize no sal.

    "Yakult de supermercado é puro açúcar.
    Minha colaboradora Patricia Ayres faz Yakult em casa: "Sou adepta dos probióticos. Penso que a melhor opção é fazer o iogurte ou yakult em casa. O yakult principalmente porque não existe esse tipo de probiótico sem açúcar e com gordura no mercado. Todos são feitos com leite parcialmente desnatado ou desnatado e açúcar. Nesta postagem - http://lowcarb-paleo.blogspot.com/2012/10/cuidado-com-produtos-light.html
    - ensina a fazer o iogurte caseiro. Lembre de usar sempre o leite INTEGRAL de boa qualidade. Para o yakult é só substituir o iogurte por 2 yakults (ou actimel).

    Se a lactose for fermentada já é considerado LC, pois os lactobacilos consomem o açúcar. Eu gosto de variar os 'bichinhos'. As vezes faço iogurte, as vezes actimel, as vezes yakult..."

    ResponderExcluir
  77. Frutas acompanhadas de gordura, não necessariamente de proteína.
    Penso que carbs pós treino são melhores que pré treino.
    Muito difícil chegar a menos de 20g, isto já é dieta cetogênica. Uma batata doce média tem 30g de carbs.

    ResponderExcluir
  78. José Luiz Abrantes29 de janeiro de 2014 19:40

    Patrícia, pelo horário que treino depois do mesmo vou para casa e janto.
    Pode ser apenas uma fase de adaptação ( estava sedentário e minha alimentação não era low carb).
    Sinto no inicio do treino falta de "gás", mas no decorrer do treino melhora. Um peso nas pernas e literalmente "bufando".
    OBS. teste ergométrico e exame de sangue 100%.

    ResponderExcluir
  79. Ola, eu tbm tenho bastante problema com intestino e para piorar não consigo chover abacate puro. Eu tenho batido cm creme de leite. Pode comer desse jeito td dia?

    ResponderExcluir
  80. Duas palavras: Amido Resistente


    Em 25 de fevereiro de 2014 08:52, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  81. Aguarde as próximas duas postagens, ou una-se aos grupos do facebook onde SÓ se fala disso. Ou vá comendo umas duas bananas verde por dia (batido no liquidificador com iogurte e canela até que fica gostoso).


    2014-02-25 9:43 GMT-03:00 Disqus :

    ResponderExcluir
  82. Tem uma receita de uma nutricionista low-carb americana (esqueci o nome) que leva uma banana verde batida com 1 xic de leite de coco, 1 c.s. de farinha de amendoa, 1 c.s. de cacau 100% em pó sem açúcar, 2 c.s. de abacate, gelo e adoçante que fica ÓTIMA. Meu café da manhã de hoje. Detalhe: intestino funcionando muito bem.

    ResponderExcluir