sábado, 30 de agosto de 2014

Os 12 motivos pelos quais low carb é melhor para DM: 1) Manejo da hiperglicemia

  • Os 12 motivos pelos quais low carb é melhor para diabetes: 1) Manejo da hiperglicemia

Esta é a primeira de 12 postagens explicado porque uma dieta de baixo carboidrato (Low Carb) deve ser a estratégia padrão, inicial, para o manejo do diabetes. Esta série de postagens é baseada no artigo 
Restrição de carboidratos na dieta como a primeira abordagem no manejo do diabetes: revisão crítica e base de evidências, sobre o qual já tratamos previamente (ver aqui). As referências bibliográficas estão no artigo original (clique aqui).

Se ainda não leu, leia antes esta postagem.

1) Hiperglicemia é o aspecto mais saliente da diabetes. Restrição de carboidratos na dieta tem o maior efeito em reduzir os níveis de glicose no sangue.

Ambos, diabetes tipo 1 e 2, são defeitos na resposta à comida, particularmente aos carboidratos. A hiperglicemia é ao mesmo tempo a característica definidora e a causa das sequelas do diabetes, incluindo os efeitos da insulina e da geração de proteínas glicadas ("advanced glycation endproducts", AGE's). O produto mais óbvio da glicação, a hemoglobina glicada (HbA1c), é amplamente aceita como sendo um critério diagnóstico para a doença. 
É universalmente aceito que os carboidratos são a principal fonte dietética de glicose, e que sua restrição produz as maiores reduções de glicemia tanto após as refeições quanto em geral. Embora defeitos da supressão da gliconeogênese (a produção de glicose pelo fígado a partir de aminoácidos e alguns outros substratos) e da glicogenólise (a transformação de glicogênio em glicose) sejam importantes causas de hiperglicemia, os carboidratos são de longe o mais importante fator dietético para a elevação da glicose e, como é de se esperar, a restrição de carboidratos reduz o perfil glicêmico de forma reprodutível e confiável.

Hussain e colaboradores compararam uma dieta de muito baixo carboidrato, cetogênica (VLCKD) com uma dieta de baixas calorias por um período de 24 semanas em 102 diabéticos e 261 não-diabéticos. Como mostrado na figura abaixo, a glicose caiu de forma mais dramática no grupo VLCKD do que no grupo de baixa caloria. Nas pessoas com diabetes tipo 2, após 24 semanas, o nível médio de glicose estava cerca de 20 pontos mais baixo do que o grupo de restrição calórica. Mais importante, no grupo VLCKD a glicemia ficou próxima do normal ao final das 24 semanas, enquanto no grupo da restrição calórica a concentração de glicose parou de cair após 16 semanas e permaneceu elevada. Nos pacientes normais, o efeito da VLCKD foi mínimo em termos de glicemia, como seria de se esperar. 

Na figura, o painel da direita mostra o efeito das duas dietas na HbA1c (hemoglobina glicada). Em 24 semanas, o grupo de diabéticos em VLCKD (em azul) atingiu um valor de 6,2%, enquanto o grupo de restrição calórica permaneceu acima de 7,5%


EM RESUMO, o que define o diabetes é a glicose elevada, e low carb é, comprovadamente, a estratégia dietética mais eficaz na redução da glicose.

Na próxima postagem: "durante a epidemia de obesidade e diabetes tipo 2, o aumentos do consumo calórico deveu-se quase que inteiramente a aumento de carboidratos"

63 comentários:

  1. É como você já disse algumas vezes Dr Souto, metabolicamente não há diferença entre uma colher de algum tipo de alimento rico em carboidratos e uma colher de açúcar puro. Mas isso é de difícil aceitação pelo status quo.

    ResponderExcluir
  2. muito bom doutor solto,mesmo que alguns aminoacidos aumente um pouco a glicose nen se compara com carboidratos pricipalmente as raizes amidos,e no documento que o senhor butou la pra download eu tava vendo ele e ten uma parte que eles falam dos beneficios da alta ingestão de proteinas quando vc fas low carb

    ResponderExcluir
  3. Aguardando ansiosa as cenas dos próximos capítulos!!

    ResponderExcluir
  4. http://en.wikipedia.org/wiki/Rabbit_starvation

    ResponderExcluir
  5. interessante tirei isso do texto que vc mandou:Tem sido observado que o fígado humano não pode metabolizar com segurança muito mais do que 285-365 g de proteína por dia,

    ResponderExcluir
  6. José Luiz Abrantes30 de agosto de 2014 23:27

    Essas postagens só confirmam as publicações iniciais do blog:
    A CHAVE de tudo - INSULINA

    ResponderExcluir
  7. Ninguém come tudo isso. Lembre que 300g de carne não são 300g de proteína, são 70. Um ovo são 6g.

    Sent from mobile phone
    Em 30/08/2014 22:56, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  8. “Only when the protein content of the diet increased substantially (45% of calories, 55% fat) did problems with digestion occur. Replacing excess protein with fat (20% protein, 80% fat) quickly resolved them, however.”

    “As said, in the Arctic we had become ill during the second or third fatless week. I now became ill on the second fatless day. The time difference between Bellevue and the Arctic was due no doubt mainly to the existence of a little fat, here and there in our northern caribou – we had eaten the tissue from behind the eyes, we had broken the bones for marrow, and in doing everything we could to get fat we had evidently secured more than we realized. At Bellevue the meat, carefully scrutinized, had been as lean as such muscle tissue can be.”

    http://athletichuman.com/two-brave-men-who-ate-nothing-but-meat-for-an-entire-year/

    ResponderExcluir
  9. O texto está traduzido aqui: http://lowcarb-paleo.blogspot.com.br/2012/12/a-dieta-dos-esquimos-aventuras.html
    Sent from mobile phone
    Em 31/08/2014 00:50, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  10. Andrei Rocha de Almeida31 de agosto de 2014 09:38

    Já que se falou em Hemoglobina glicada, HbA1c, lembro que nos low carbers a vida útil da hemoglobina pode passar de 140 dias aproximadamente, contra menos de 80 dias nos diabéticos. Isto faz com que a hemoglobina dos low carbers tenham mais tempo para serem glicadas. Logo uma HbA1c de 5,4 em um low carber é diferente de uma HbA1c de 5,4 em um high carber.

    Ver http://chriskresser.com/why-hemoglobin-a1c-is-not-a-reliable-marker

    ResponderExcluir
  11. É verdade!

    Sent from mobile phone
    Em 31/08/2014 09:38, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  12. Excelente Dr Souto ! Ansiosa para ler as próximas postagens !

    ResponderExcluir
  13. Dr. Meu filho tem 10 anos e pesa 69kg e tem 1.65m... a pergunta é. .. a dieta low carb/paleo é adequada para crianças ou é preciso fazer adaptações?

    ResponderExcluir
  14. Mesma lógica da grávida: http://lowcarb-paleo.blogspot.com/2013/02/prezado-dr-souto-dieta-e-gravidez.html
    Sent from mobile phone
    Em 31/08/2014 19:15, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  15. Aline Oliveira Gouvêa31 de agosto de 2014 21:23

    Dr.Souto estive hoje a discutir sobre os malefícios da fritadeira sem óleos... Em uma pesquisa encontrei q elas desencadeia na fritura a substancia acrilamida que é cancerígeno! Será q é influencia do tipo de óleo? Ou qualquer fritura terá essa substancia ??

    ResponderExcluir
  16. Eu frito com banha.


    2014-08-31 21:23 GMT-03:00 Disqus :

    ResponderExcluir
  17. Solidificando conhecimento. No aguardo do próximo capítulo.

    ResponderExcluir
  18. Doutor Souto,

    Introduzi o Low Carb na minha vida faz somente 20 dias. Perdi 4 quilos!

    Meu objetivo é emagrecer e ter qualidade de vida.

    Também gostaria de voltar a ter um prazer: praticar corridas de longas distâncias (maratonas).

    Porém, antes do LC, estava acostumado a fazer reposição de carboidrato durante os treinos e durante a corrida (até porque, treinos - ou corridas - longos dão muita fome durante sua realização)

    O senhor entende ser necessária essa

    ResponderExcluir
  19. Doktor!

    Imagino que não seja muito bem a área, mas o sr. recomenda realizar como exercício físico aulas de boxe? Pretendo entrar em uma academia de boxe pois academias comuns parecem muito chatas!

    ResponderExcluir
  20. Bem, que é alta intensidade, não há dúvida

    Sent from mobile phone
    Em 01/09/2014 03:17, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  21. Veja este site do Dr. Attia..... médico e atleta que traz muitas explicações sobre o desempenho atlético para quem pratica esse tipo de esporte....
    http://eatingacademy.com/

    ResponderExcluir
  22. Dr. Souto, estou bastante interessada em conhecer mais profundamente a dieta paleolítica e colocar em prática. Mas fica em mim uma dúvida importante: a expectativa de vida do homem paleolítico era em média 33 anos. Sei que têm aí inúmeros fatores como os riscos ambientais, ausência de medicamentos etc., mas os estudiosos dessa dieta pesquisam também EM QUE MEDIDA A ALIMENTAÇÃO DELES CONTRIBUÍA PARA TÃO BAIXA EXPECTATIVA DE VIDA?
    Grande abraço e muito obrigada pelas informações!
    Jeanne

    ResponderExcluir
  23. A expectativa de vida caiu MUITO após a agricultura.

    Sent from mobile phone
    Em 01/09/2014 12:59, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  24. Obrigado Cássio!

    ResponderExcluir
  25. Minha esposa adquiriu uma porcaria como essa... Poderia colocar o link da pesquisa aqui?

    ResponderExcluir
  26. Aline Oliveira Gouvêa1 de setembro de 2014 14:13

    Eduardo li sobre isso em uma página da DECO (Defesa do consumidor em Portugal) já não está no ar a página infelizmente... ja pesquisei mais sobre os malefícios e não encontro outras informações! Infelizmente!!! Na pergunta quis saber a opinião do Dr. Souto, ele respondeu que utiliza banha, e lendo e relendo o blog sei que a banha é otimo! Minha dúvida era sobre a fritadeira... se pode utilizar para fritar frango por exemplo (mesmo que utilize a banha)... se vc souber de mais informações a respeito me avise ;) Obrigada.

    ResponderExcluir
  27. Vou pesquisar a esse respeito também. É o que o doutor sempre diz: a indústria está pouco se preocupando com o consumidor. O foco é a venda.

    ResponderExcluir
  28. Olá Dr. Souto, nos últimos dias passei por apertos de saúde pelas primeiras vezes, mesmo seguindo uma dieta Paleo há 9 meses.


    Como já havia relatado ao senhor tive aquele episódio de visão escurecida com uma aceleração cardíaca no início da semana. Na sexta acordei com um pouco de incômodo na respiração, sem completar até o final, mas nada tão ruim. No sábado acordei um pouco mais incomodado, tinha um baile de formatura a noite para ir e não consegui dormir a tarde pois a respiração não estava muito boa e ficava cismado de não conseguir respirar normal. A noite, chegando ao baile, comecei a achar que minha respiração estava ainda pior, sem conseguir puxar ar suficiente, entrei em pânico, comecei a ter formigamentos até a dormência nas mãos e braços, fui até o posto médico do local da festa, onde vi que a pressão estava a 16/9, após ser medicado ela foi abaixando, a glicose estava a 115, havia comido ovos há 3 horas atrás. Um cardiologista com mestrado em WPW (síndrome que possuo) me atendeu, relatei tudo, ele disse que pode ter sido alguma arritmia do WPW e sugeriu que eu faça acompanhamento, ele me auscultou e disse que meu pulmão estava limpo, apesar de ainda estar incomodado.


    No dia seguinte, a noite, minha pressão estava 13/8,5, um pouco acima do meu normal que costuma ser 12/8 ou 13/8.


    Hoje amanheci e novamente um pouco de incômodo no pulmão, a respiração melhorou um pouco, porém ainda sinto uma pressão na região do pescoço e um leve incômodo até o pulmão. Só consegui marcar consulta médica para semana que vem. Algum palpite do que pode estar acontecendo?


    Obrigado Dr

    ResponderExcluir
  29. Se não for síndrome do pânico , a possibilidade de arritmia cardíaca deve ser considerada. Como são arritmias paroxísticas, talvez precise de um Holter pra diagnosticar; definitivamente precisa de um cardiologista.


    Em 1 de setembro de 2014 17:25, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  30. Quanto ao incômodo que ainda estou sentindo, pode ser apenas algo que vá passar sem necessidade de medicamentos?


    Obrigado pelas informações Dr.

    ResponderExcluir
  31. Leia: http://discovermagazine.com/1987/may/02-the-worst-mistake-in-the-history-of-the-human-race
    Sent from mobile phone
    Em 01/09/2014 20:33, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  32. Procure por um livro chamado "The art and science of low carbohydrate performance", do Stephen Phinney e Jeff Volek. Tem vídeos do Volek no YouTube também.

    ResponderExcluir
  33. http://www.paleodiario.com/2014/01/promocao-da-saude-evolucionaria-uma.html

    ResponderExcluir
  34. Sim Daniel, foi o que eu ponderei. É que eu gostaria de saber se existem estudos relacionando "a alimentação" com a expectativa de vida de então. A média citada busquei em alguns sites, mas não havia encontrado estudos abordando essa relação. Pelo visto foram postados alguns links abaixo. Vou ler para tirar minhas conclusões. Muito obrigada!

    ResponderExcluir
  35. Valeu Hilton!

    ResponderExcluir
  36. Aline Oliveira Gouvêa3 de setembro de 2014 19:26

    Eduardo Cruz, encontrei essa reportagem no Blog do Luciano ;)

    http://lucioamorim.com.br/acrilamidas-nos-alimentos-esquentados-assados-e-fritos-bonus-pao-frances-o-lixo-nutricional#.VAdqwGRdWpc

    ResponderExcluir
  37. O prazer de experimentar e observar as reações do corpo vem sendo uma alegria para mim, desde agosto que estou fazendo alimentação Lowcarb, estava muito cheia de dúvidas, mas felizmente com o carinho e atenção de cada um aqui no blogger e principalmente do Dr Souto, posso dizer que "Obrigada" é muito pouco, diante do ganho que venho conquistando dia a dia.
    Em 1 semana sem saber a verdade quanto a consumir a "tapioca" pela manhã, troquei por 02 ovos na manteiga com fatia de queijo, e já veio o resultado -2kg, fiquei tão maravilhada... E a certeza da intolerância ao açúcar na minha vida é real. Acredito que até dezembro tem foto antes/depois =)

    Abraço bem forte Dr Souto, pessoal que faz parte da família...

    #Me sentindo a Lowcarb'ete (kkk)

    ResponderExcluir
  38. Sensacional

    Em 15 de setembro de 2014 15:10, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  39. Massa! Digo, legal ;)

    ResponderExcluir
  40. Olá Dr Souto, se puder gostaria de tirar uma duvida, ou alguém que tenha conhecimento puder ajudar também ficaria grato, estou vivendo neste conceito paleo lowcarb a alguns meses e posso dizer que nunca fui tão feliz, tenho passado isso a muitas pessoas! Mas me deparei com uma situação falando pra uma pessoa sobre essa maravilha, a pessoa me disse que tem hipoglicemia, que não pode ficar sem comer açucares ou cargos senão tem fraqueza e ate desmaios... ja procurei aqui no blog mas não achei algo referente essa situação, como aplicar lowcarb pra alguém nessa condição?? Tem alguma solução?? Grato.

    ResponderExcluir
  41. Posso estar enganada, mas só tem hipoglicemia quem vive de carboidratos. http://www.lowcarb-paleo.com.br/2014/06/comer-de-33-horas-ma-ideia.html

    ResponderExcluir
  42. Obrigado pela resposta Patricia, li o artigo... mas parece difícil convencer a pessoa que se ela não comer carbos não tera crises de hipoglicemia, no período de adaptação não poderia haver algum problema, ate seu corpo saber queimar as gorduras? Eu por exemplo nas primeiras duas semanas, tive dor de cabeça, fraqueza... depois tudo mudou... é seguro incentivar a pessoa a tentar??

    ResponderExcluir
  43. Não se faz omelete sem quebrar os ovos.

    Sent from mobile phone
    Em 17/09/2014 18:01, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  44. Obg Dr. realmente é o que eu imaginava... mas foi só pra ter uma segurança!

    ResponderExcluir
  45. A Patrícia será nutricionista daqui a poucos anos, mas já sabe mais do que muitas ;-)

    Eu tenho interesse nesses testes. Não sei dizer o quão confiáveis são. E acho que o jeito será testar!

    Em 3 de outubro de 2014 18:26, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  46. Eu fiz um teste desse recentemente e foi apontado intolerância a muitos alimentos (leite, glutén, arroz, aveia, milho, centeio, amêndoa, castanhas, batatas, cogumelos , fermento e ovos). Antes de decidi fazer o teste eu fiquei sem comer por dois meses quase todos eles, (exceto ovos e fermento), e nesse período realmente os meus sintomas sumiram, então acho que faz um pouco de sentido. Na semana do teste voltei a comer tudo, pq é necessário e voltei a passar mal. Porém em relação aos ovos eu fiquei desconfiada, pois aparentemente não sinto nada.

    ResponderExcluir
  47. Patrícia, estou iniciando a paleo/low carb, mas estava mesmo insegura com a questão da hipoglicemia, pois tenho propensão. Estou sentindo fraqueza, tontura, sensação de pressão baixa deve ser pq o corpo não está acostumado né? Vou continuar firme. Estou consumindo de 100 a 120 grs de carb/dia. Não é tão baixo, mas perco peso fácil e quero ganhar massa. Estou no caminho certo? Bjs

    ResponderExcluir
  48. Aumente sal e água, que essa sensação passa.

    Sent from mobile phone
    Em 04/10/2014 00:43, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  49. Prezado Dr Souto, tenho acompanhado o seu blog e tenho aprendido muito!!! Estou fazendo a low carb há 1m. Neste período de testes observo o seguinte: estou com refluxo, por causa das gorduras,estou com um enjoo enorme , não consigo nem ver a comida. A alergista me pediu para mudar a dieta e diminuir as gorduras, e eu não sei o que vou fazer. Não quero parar a low carb, pois sou diabética e consegui estabilizar as minhas taxas em 109 pela manhã. Continuo tomando a medicação para o controle da glicemia. Me oriente por favor!!!! Perdi 1kg neste mês. O que eu faço?

    ResponderExcluir
  50. 1) vc pode diminuir a gordura, se quiser. 2) tente identificar algum alimento específico que esteja provocando isso (laticínios? Ovos?).

    Sent from mobile phone
    Em 04/10/2014 12:07, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  51. Dr Souto, esse teste é a maior furada! Da sempre o mesmo resultado pra todo mundo!! Leite, ovo, castanhas, fermento, gluten. Sempre isso. Eles tem um default de intolerancia e se for pra deixar de comer essas coisas que deixe, nao precisa fazer esse teste/golpe. Rsrs

    ResponderExcluir
  52. Não duvido que seja mesmo. Não tenho confirmação científica independente de sua validade.

    Sent from mobile phone
    Em 04/10/2014 13:25, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  53. Chris minha musa linda! Conheci o Dr. Souto através de você. Tb não consegui sentir confiança nesse teste, apesar que o do meu marido deu diferente. Mas está servindo muito bem para uma coisa: dizer p pessoas que ficam insistindo em oferecer glutén e afins q sou intolerante kkkk está funcionando e facilitando minha vida.

    ResponderExcluir
  54. Obrigada Dr Souto, vou experimentar!!!!!!

    ResponderExcluir
  55. Amelia Schwarzeluhr5 de outubro de 2014 09:56

    A Patricia é fera!

    ResponderExcluir
  56. Amelia Schwarzeluhr5 de outubro de 2014 09:56

    Vc me ajuda muito Paty! Obrigada!

    ResponderExcluir
  57. aprendo com o The Best!

    ResponderExcluir
  58. Lu, minha querida!! Haha tudo bem?? Eu e a Rafaela temos "raiva" desse teste pq concluimos que da os mesmos resultados basicamente pra todas as pessoas, com minimas variaçoes!! rsrs!! Temos implicancia! Mas nao tenho argumentos científicos pra comprovar. Hehe!! Apenas ceticismo! Dr souto, nos venos sábado!!!

    ResponderExcluir