sábado, 27 de setembro de 2014

Revisitando os adoçantes

Muitas postagens deste blog são dedicadas a desmentir estudos mal feitos. Esta postagem, pelo contrário, é o produto de um estudo muito bem feito, que me obriga a repensar coisas que já escrevi no passado. E o assunto é adoçantes artificiais.

O estudo a que me refiro é o seguinte:


O artigo foi publicado na revista Nature na último dia 17 de setembro, e repercutiu bastante na mídia internacional e nacional.

Por que este estudo é importante? Porque não se trata de um dos incontáveis estudos mal feitos habitualmente publicados sobre o tema. Por exemplo:

  • Há estudos epidemiológicos/observacionais indicando uma associação entre o consumo de adoçantes artificiais e obesidade e diabetes. Tais estudos não são úteis pois não estabelecem causa e efeito. Nesse caso, a causalidade reversa é óbvia: pessoas com obesidade e diabetes obviamente têm mais chance de usar adoçantes.
  • Houve um estudo avaliando o efeito deletério de doses gigantes de sucralose sobre a flora intestinal de camundongos. Tal estudo é inútil, pois as doses não são realistas, e por ter sido testado apenas em camundongos.
 Mas este estudo é diferente - os autores foram extremamente meticulosos - obsessivos eu diria - em estabelecer causa e efeito. Para tanto, o estudo  contou com várias fases:

1) Camundongos comendo sua ração normal receberam por 11 semanas: água, água com glicose ou com sacarose, água com aspartame ou sucralose ou sacarina.
  • Resultado: água com ou sem açúcar não fez diferença, mas a água com os adoçantes induziu resistência à insulina, indicado por uma piora no teste de tolerância oral à glicose. Em outras palavras, a mesma quantidade de glicose produziu uma resposta glicêmica maior nos animais que usaram adoçantes:


Detalhe: o efeito mais pronunciado foi com a sacarina, e o aspartame quase não teve efeito nesse sentido.

2) Tendo visto que o efeito era mais pronunciado com sacarina, os autores repetiram o teste apenas com este adoçante, mas dessa vez em camundongos engordados com uma dieta de alta gordura (dietas de alta gordura em roedores - ao contrário do que ocorre em humanos - provocam ganho de peso): o resultado se manteve --> indução de resistência à insulina com sacarina, mas não com água com açúcar. Repetiram ainda com outra espécie de camundongos - mesmo efeito.

3) O perfil metabólico dos camundongos que consumiam adoçantes ou não era o mesmo no que diz respeito a quantidade de líquido e comida consumidos, consumo de oxigênio, distância percorrida caminhando por dia, e gasto energético.

4) A insulina de jejum permanecia igual entre os grupos. Era a insulina pós-prandial que aumentava após o uso crônico dos adoçantes (sobretudo da sacarina).

5) Os autores então postularam que os efeitos pudessem ser mediados pela microbiota intestina (flora). Então, trataram os camundongos com antibióticos de amplo espectro para dizimar essa microbiota. Após 4 semanas de antibiótico com dois esquemas diferentes (azul e cinza, no gráfico abaixo), os efeitos dos adoçantes foram ABOLIDOS. Ou seja, o efeito deletério dos adoçantes sobre a tolerância à glicose eram mediados pela microbiota intestinal:
 A  = ciprofloxacino e metronizadol //  B = vancomicina

6) Não satisfeitos (os antibióticos poderiam ter algum outro efeito metabólico direto nos animais, independente de seu efeito sobre a microbiota), os autores decidiram PROVAR CAUSALIDADE. Para tanto, realizaram experimentos de transplante fecal:
As fezes de camundongos recebendo água com açúcar e de camundongos recebendo água com SACARINA (os outros adoçantes não foram testados!) foram transplantadas para outros camundongos desprovidos de germes. Os animais que receberam as fezes dos que haviam recebido sacarina (em azul, abaixo) passaram a apresentar a mesma resistência à insulina no teste oral de tolerância à glicose. Isto PROVA que o efeito foi mediado pela microbiota:
 7) Os pesquisadores então sequenciaram o RNA ribossomal da microbiota dos camundongos (mais uma vez, apenas dos que beberam SACARINA) e descobriram que a sacarina induziu importante mudança na composição dessa microbiota (disbiose), em mais de 40 unidades taxonômicas. Os gráficos abaixo são apenas uma pequena mostra do grande número de testes que os autores realizaram para demonstrar a profunda disbiose induzida pela sacarina - o estudo foi MUITO complexo e bem feito:
 
Em azul, as mudanças (aumentos e reduções) da representatividade de diferentes espécies bacterianas no grupo da sacarina
 
 Observe a grande mudança da microbiota no grupo da sacarina após 11 semanas.

8) Para provar MAIS AINDA que tratava-se do efeito direto da sacarina sobre a microbiota, a microbiota de camundongos normais foi cultivada em tubo de ensaio, e exposta a sacarina também in vitro. Esta microbiota sofreu modificações (aumento no filo Bacteriodetes e redução no filo Firmicutes). O transplante dessa flora cultivada com sacarina para camundongos livres de germes induziu resistência à insulina:
 A análise genômica dessa flora cultivada com sacarina in vitro mostrou mudanças semelhantes à flora exposta à sacarina in vivo

  • Ok, mas até aqui poder-se-ia dizer que tudo isso é válido para CAMUNDONGOS. Mas será que isso é válido para seres humanos?

9) Os autores analisaram 381 indivíduos de acordo com questionários de alimentação e encontraram a já conhecida CORRELAÇÃO (não causa e efeito) entre consumo de adoçantes e obesidade central, glicemia, Hb glicada, teste de tolerância à glicose, e esteatose. Contudo, isso poderia representar apenas causalidade reversa.

10) 172 pacientes foram aleatoriamente selecionados nesse universo de 381 para análise do microbioma intestinal por sequenciamento do RNA ribossomal. Houve uma associação estatisticamente significativa entre o consumo de adoçantes artificiais e disbiose intestinal (mudanças significativas na composição da microbiota nos indivíduos). Não houve correlção da microbiota com índice de massa corporal, apenas com o uso ou não de adoçantes.

11) Como já dissemos, associação não é causa e efeito. Os autores resolveram fazer um ESTUDO PILOTO, com 7 desses 172 pacientes (5 homens, duas mulheres), para tentar estabelecer CAUSALIDADE. Os 7 foram escolhidos por não utilizarem adoçantes. Eles foram instruídos a usar a dose máxima diária recomendada de SACARINA pelo FDA por uma semana, usando aparelho de monitorização CONTÍNUA de glicose e fazendo curvas glicêmicas de 2 horas todos os dias.
Dentre as 7 pessoas, 4 apresentaram piora significativa da tolerância à glicose com apenas 5 a 7 dias de exposição diária à sacarina:
Em azul, à esquerda, os 4 pacientes que pioraram após a sacarina; à direita, aqueles nos quais não houve diferença.

12) O microbioma das 4 pessoas que reponderam mal à sacarina ("respondedores") foi comparado ao dos "não-respondendores" com sequenciamento de RNA ribossomal, e havia notáveis diferenças entre eles. Além disso, os respondedores sofreram importante mudanças em seu microbioma com 6 dias de exposição à sacarina, enquanto o micorbioma dos não respondendores não foi afetado pela exposição à sacarina:
13) Para provar que, também em humanos, a exposição à sacarina induz resistência à insulina através de seu efeito na microbiota intestinal (ao menos nos respondendores), os autores escolheram 2 respondendores e 2 não respondedores e transplantaram suas fezes para grupos de camundongos livres de germes. O resultado? Os camundongos que receberam a microbiota dos respondendores desenvolveram resistência à insulina, e os que receberam a microbiota dos não respondedores não sofreram alterações em seu teste de tolerância oral à glicose:

CONSIDERAÇÕES:

  • Ao contrário do que foi noticiado na mídia, apenas a SACARINA foi testada extensivamente nesse estudo. A sucralose e o aspartame foram testados apenas no primeiro experimento com camundongos, e o aspartame não pareceu ter os mesmos efeitos;
  • Este estudo não deixa nenhuma dúvida sobre o papel CAUSAL da sacarina sobre a intolerância à glicose em camundongos, sobre o fato de que isso se dá através da disbiose intestinal, e sugere fortemente que o mesmo ocorre em humanos;
  • As doses empregadas neste estudo são equivalentes às doses máximas recomendadas pelo FDA (não são doses absurdamente altas);
  • IMPORTANTE: foram testados apenas 7 humanos, pois a parte em humanos nesse estudo era secundária. Ainda assim, ficou CLARO que a resposta VARIA, sendo IMPORTANTE em algumas pessoas e NULA em outras, dependendo da flora intestinal individual de cada um.
  • Falta ainda replicar este estudo com um número maior de pessoas e com diferentes adoçantes.
 --> IMPLICAÇÕES
No passado, eu realmente acreditava que os únicos problemas dos adoçantes artificiais seriam potenciais efeitos tóxicos diretos (risco de câncer, de problemas neurológicos, etc). E como tais riscos pareciam ser pequenos ou inexistentes, de acordo com a maior parte dos estudos, eu os considerava relativamente benignos. No que diz respeito à sua influência sobre perda de peso e síndrome metabólica, eu costumava dizer que "não são absorvidos, não elevam a insulina significativamente, não são calóricos, portanto podem ser consumidos". Contudo, agora está claro que o efeito sobre a microbiota é potencialmente deletério. Os estudos que apenas mediam a insulina após o consumo de adoçantes não captavam esse efeito, visto que eles não elevam diretamente a insulina; ele aumentam a RESISTÊNCIA à insulina, através de seu efeito sobre a flora intestinal, com exposição crônica. Assim, a insulinemia pós-prandial aumenta, mesmo que a insulina de jejum ou imediatamente pós-adoçante continue normal. Para mim, esse estudo foi uma bela lição de humildade intelectual...

Quando postei sobre adoçantes há quase 2 anos, escrevi as seguintes linhas:

  • Do ponto de vista de uma dieta Low Carb, como Atkins por exemplo, os adoçantes não calóricos estão liberados, afinal eles não elevam o açúcar no sangue e, portanto, não estimulam a insulina (mais sobre isso adiante). 
 
  • Do ponto de vista da dieta paleolítica, bem, é evidente que não havia aspartame ou sacarina na dieta de nossos ancestrais. É, por conseguinte, evidente que nossos genes não estão preparados para lidar com estas substâncias.
Observem o PODER do PARADIGMA EVOLUTIVO!!! Eu jamais poderia imaginar, na época, o complexo e fascinante mecanismo envolvendo a microbiota descrito no presente artigo da Nature. No entanto, simplesmente aplicando o paradigma evolutivo, já poderíamos SUSPEITAR do problema. Uma intervenção à qual não estejamos evolutivamente adaptados deve ser vista com reserva, e a hipótese nula deve ser a de que é inadequada. Quando uma intervenção dietética estiver em desacordo com o paradigma evolutivo, cabe provar que a mesma não faz mal - a presunção inicial deve ser a de que será deletéria.

Mais uma vez, saliento o poder do paradigma evolutivo, que me fez escrever as seguintes linhas naquela mesma postagem mais antiga:

  • Nenhum adoçante é "páleo" (isto é, condizente com os princípios de uma dieta paleolítica).
  • Use adoçantes como um ex-fumante usa adesivos de nicotina: para tentar largar o vício do açúcar;
  • O objetivo é usar menos adoçantes com o tempo;
E, logo após, eu escrevo uma frase que sugere que os adoçantes não são, assim, tão problemáticos, pois não elevam a insulina:
  • adoçantes artificiais podem elevar a insulina mesmo sem elevar glicose (apenas por terem o gosto doce)? A resposta curta é que, de uma forma geral, não. A maioria dos estudos mostra que não, e alguns poucos mostram pequenas elevações que, na prática, não teriam impacto.
Observe, mais uma vez, que o problema (elevação da glicose e da insulina após OUTRAS refeições que sequer incluam o adoçantes, devido à intolerância à glicose induzida por alterações na microbiota intestinal devido ao uso crônico de adoçantes que, por si só, não elevam a insulina!), jamais teria me ocorrido na época.

CONCLUSÃO: na dúvida, o critério evolutivo segue sendo o mais prático, e provavelmente mais válido, para se lidar com a extrema complexidade da nutrição humana. Usando esse critério, a pessoa poderia substituir TODA essa postagem por apenas uma frase, escrita há quase 2 anos:

"Do ponto de vista da dieta paleolítica, bem, é evidente que não havia aspartame ou sacarina na dieta de nossos ancestrais. É, por conseguinte, evidente que nossos genes não estão preparados para lidar com estas substâncias."
Se tiver que usar, use. Mas o objetivo, com o tempo, deve ser o de largar o vício.

425 comentários:

  1. Amelia Schwarzeluhr27 de setembro de 2014 18:20

    Parabéns Dr Souto! Mais um post digno da sua inteligencia! Obrigada! Estou me esforçando para eliminar o adoçante, confesso, difícil ainda!

    ResponderExcluir
  2. Levei dois anos

    Sent from mobile phone
    Em 27/09/2014 18:20, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  3. Amelia Schwarzeluhr27 de setembro de 2014 18:28

    mas nesses dois anos a gente ainda não tinha certeza do escrito acima, agora complicou né?!

    ResponderExcluir
  4. Bom. A vida é assim. Talvez eu tivesse levado um ano e meio pra largar, se estivesse mais convencido que deveria.

    Sent from mobile phone
    Em 27/09/2014 18:28, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  5. Amelia Schwarzeluhr27 de setembro de 2014 18:32

    Bem, como o Dr bem me conhece, talvez leve AGORA todos os meus VÁRIOS adoçantes para o lixo! 100% paleo, 100% Dr Souto!

    ResponderExcluir
  6. Tentei 5 cafezinhos fortes (só tomo mais fraco) sem adoçante! Foi o bastante! Nada mais com adoçantes! Quando estou na TPM, e não é sempre, bato tâmaras com o que vou tomar ou as como mesmo!

    ResponderExcluir
  7. Meu mundo caiu :( não consigo tomar café sem adoçar, portanto consumo adoçante todos os dias - geralmente três gotas de manhã e três a tarde (sacarina + ciclamato). Cerca de uma ou duas vezes por mês tomo um refrigerante zero. Não acho que isso seja muito, mas antes eu achava que não fazia mal. A partir de agora vou evitar coisas como gelatina diet e repensar o adoçante diário. Acho que parar de adoçar o café vai ser mais difícil que largar o pão!

    ResponderExcluir
  8. Realmente os adoçantes não são absorvidos qdo passam pelo intestino delgado, mas a microbiota intestinal do colon, tem capacidade de quebrar as moléculas de sacarina e retirar energia

    ResponderExcluir
  9. Parabéns mesmo! Uma postagem muito inteligente, uma das coisas que mais me passa confiança no Dr. Souto é essa preocupação que ele tem com ir além de simplesmente mostrar dados científicos, mas se preocupar muito com a qualidade das pesquisas científicas que divulga. Hoje em dia existe muita pesquisa mal feita, e muitas idéias enraizadas no meio acadêmico sem um embasamento científico de qualidade, isso é um perigo. Mas, quando a informação vem do Dr. Souto, já me sinto segura.

    Esse paradigma evolutivo é fantástico, tão certeiro e ao mesmo tempo tão simples. Se nossos ancestrais paleolíticos não estavam acostumados com determinada substância, nossos genes não estão preparados para a mesma. Se eu simplesmente aplicar isso no dia a dia, acho que vou ter a melhor resposta para muitas coisas.

    ResponderExcluir
  10. É uma jornada. Basta estar ciente, para poder fazer as mudanças bem devagar...

    Sent from mobile phone
    Em 27/09/2014 18:44, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  11. Fujam para a colina...rs...eu não consigo tomar café sem adoçante. !!!

    ResponderExcluir
  12. Excelente postagem Dr. Souto! Ja tinha abolido quase por completo esses adocantes da minha alimentacao.

    Fica a duvida sobre glucosideos de esteviol, o sr. pensa que ha problemas no uso esporadico do mesmo? Nao encontrei algo definitivo sobre eles.

    E quanto a adocar com dextrose? Por ser 100% glicose, e se consumido em conjunto com fibras e gorduras (a la PHD), o seu efeito seria menos prejudicial, desde que consumido mais a tarde/noite e levando em conta o numero de carbs para nao extrapolar da faixa tipica de 100g ?

    Obrigado Dr!

    ResponderExcluir
  13. Parabéns Dr. Souto!!!
    Mas eu fico me perguntando...E agora José? ??

    ResponderExcluir
  14. Amelia Schwarzeluhr27 de setembro de 2014 18:54

    kkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  15. Quanto à estévia, não foi pesquisada.Talvez seja melhor por ser natural, mas ninguém sabe, afinal certamente não evoluímos comendo estévia.

    Quanto à adoçar com glicose, é a melhor opção, desde que seja POUCO. É o mesmo raciocínio do chocolate 85%: açúcar de verdade, porém pouco, e com gordura junto.

    Sent from mobile phone
    Em 27/09/2014 18:51, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  16. Ir mudando o paladar?

    Sent from mobile phone
    Em 27/09/2014 18:53, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  17. O estudo apresentado é fantástico! Um ótimo exemplo do que é fazer ciência com competência e seriedade para o benefício do ser humano.

    ResponderExcluir
  18. Tem razão! Essas gotas de sucralose não podem me vencer!!! Eu espero...

    ResponderExcluir
  19. O mesmo se aplica ao STEVIA, De. Souto? Parabéns pela postagem explicativa, como sempre

    ResponderExcluir
  20. Não se sabe

    Sent from mobile phone
    Em 27/09/2014 19:05, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  21. Ola Dr Souto, tão bom ter uma referência confiavel , e melhor, com capacidade de exercitar a humildade, sem vaidades!!
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  22. Sidiclei Rodrigues de Souza27 de setembro de 2014 19:14

    O que dizer além de: Obrigado por compartilhar!!!

    ResponderExcluir
  23. Do ponto de vista evolutivo, sendo o esteviosídeo derivado de uma planta, que provavelmente o homem teve contato e utilizou (?) e levando em conta alguns estudos (não definitivos), parece-me que em uma perspectiva de controle de danos a Stevia 100% seria a melhor opção. O que pensa Souto?

    https://www.thieme-connect.com/products/ejournals/abstract/10.1055/s-2005-837775?device=mobile&innerWidth=980&offsetWidth=980

    ResponderExcluir
  24. Amelia Schwarzeluhr27 de setembro de 2014 19:49

    pena o gosto horrivel, melhor eliminar de vez!

    ResponderExcluir
  25. Estudo genial, análise fantástica! obrigada Dr.!

    ResponderExcluir
  26. Ótima matéria e esplendida grandeza com a revisão do que já havia escrito, porem agora com toda estas novidades doutor, é mais melhor e mais sensato adoçar com pouco adoçar (demerara, orgânico, mascavo),ou continuar com o adoçante?

    ResponderExcluir
  27. Eduardo Broering Nascimento27 de setembro de 2014 19:59

    Dr. sabes a dosagem máxima diária recomendada pela FDA? Qtas gotas/dia? Obrigado.

    ResponderExcluir
  28. Muito bom! Muito elucidativo o artigo, em especial com os comentários. Eu não uso adoçantes de forma alguma... aspartame e sucralose me matam de enxaqueca e stevia não me agrada o sabor residual. Tenho usado poquíssimo mel ( menos que meia colher de chá) para adoçar o café com creme de leite.

    ResponderExcluir
  29. "..Quando uma intervenção dietética estiver em desacordo com o paradigma evolutivo, CABE PROVAR QUE A MESMA NÃO FAZ MAL - a presunção inicial deve ser a de que será deletéria..." (retirado do texto).

    "..É uma jornada. Basta estar ciente, para poder fazer as mudanças bem devagar..." (Comentário de Dr. J.C. Souto.



    A pesquisa foi muito bem conduzida - esperamos que façam mais vezes com outros produtos que a humanidade consome.
    Dr. Souto, existe algum estudo ou terapia, que você conheça, que promova uma melhora na resistência à insulina tratando exclusivamente da microbiota humana?


    Congrats!

    ResponderExcluir
  30. Flávio, a estévia sai na frente por ser natural. Mas tenho certeza que não teve grande impacto evolutivo no ser humano. É uma planta da América do sul. Se fosse usar esse argumento, teria que aceitar que o trigo é bom, pois é usado por uma porção muito maior da humanidade, em grande quantidade, e por um tempo muito mais longo (quase 10 mil anos). Para ter um impacto evolutivo significativo, precisa bem mais do que isso, creio. E há o argumento que torna tudo isso desnecessário - o gosto é ruim.

    2014-09-27 19:47 GMT-03:00 Disqus :

    ResponderExcluir
  31. Minha fã número 1 :-)

    2014-09-27 19:50 GMT-03:00 Disqus :

    ResponderExcluir
  32. Todos os gurus páleo e low carb aceitam chocolate 85% que é adoçado com açúcar de verdade, porém bem pouco, e com toda a gordura do chocolate. Talvez adoçar com mel, com fruta, etc, e em POUCA quantidade seja o ideal. 1 colher de chá de mel não deve ter mais do que 3g de açúcar, não é mesmo?
    O xilitol me interessa muito, pois embora não exista um estudo fantástico como esse sobre xilitol, TUDO o que já li indica um efeito BENÉFICO do xilitol, que funcionaria como uma pré-biótico, como fibra.

    2014-09-27 19:55 GMT-03:00 Disqus :

    ResponderExcluir
  33. Do artigo acima: During this week, participants consumed on days 2–7 the FDA’s maximal acceptable daily intake (ADI) of commercial saccharin (5 mg per kg (body weight)) as three divided daily doses equivalent to 120 mg,

    2014-09-27 19:59 GMT-03:00 Disqus :

    ResponderExcluir
  34. Há vários estudos sobre amido resistente nesse sentido

    Em 27 de setembro de 2014 20:05, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  35. Ah, sim, número 1 com certeza!

    2014-09-27 20:13 GMT-03:00 Disqus :

    ResponderExcluir
  36. Amelia Schwarzeluhr27 de setembro de 2014 20:15

    sim, sim, sim !!!!!!!!

    ResponderExcluir
  37. Dr. Souto, entendi, porem o xilitol ainda continua sendo difícil de encontrar no Brasil e o preço ainda não é praticável, apesar de todos os benefícios atribuídos a ele. O mel seria a melhor escolha pela vossa postagem, o Sr. não considera que o açúcar mascavo em quantidades modicas teria algum beneficio sobre o adoçante?

    ResponderExcluir
  38. Também. O negócio é ir mudando o paladar.

    Sent from mobile phone
    Em 27/09/2014 20:50, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  39. Algumas pessoas, eu por exemplo, tem uma terrível intolerância aos polióis: manitol, xilitol, eritritol. A distenção abdominal com diarréia que eu tenho comendo um docinho de nada com qualquer deles é absurda. Constrangedora mesmo...

    ResponderExcluir
  40. Ou seja, melhor usar açúcar (POUCO) e desacostumar o paladar ao doce.

    Em 27 de setembro de 2014 20:53, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  41. Estava ansioso esperando a sua análise sobre este estudo. Mais uma vez , muito obrigado !

    Com relação a resistência insulínica, existe alguma forma, de "caseiramente" determina-la, ou pelo menos, identificar a possibilidade.

    Tipo algumas medições seguindo o intervalo de 30 minutos, após uma refeição contendo uma quantidade x de carbos?

    ResponderExcluir
  42. Só não vale liquidificar banana verde e adoçar sacarina, ne? Hehehe!

    ResponderExcluir
  43. Desculpe a ignorância. ..mas fala_se de mel ...açúcar mascavo...etc....mas e a rapadura?...onde se encaixa? Obrigada!

    ResponderExcluir
  44. Você quer adoçar alguma coisa com rapadura?

    2014-09-27 21:04 GMT-03:00 Disqus :

    ResponderExcluir
  45. Um teste de tolerância à glicose pode ser feito em casa medindo a glicemia em jejum, consumido 75g de glicose (não sacarose - use Karo) e medindo cada 30 minutos por 120 minutos.

    2014-09-27 21:03 GMT-03:00 Disqus :

    ResponderExcluir
  46. Espero que outros estudos derivem deste, esclarecendo sobre os outros adoçantes corriqueiros.
    Para bebidas eu acostumei não usar nada. Em sobremesas já testei stévia e não suporto o gosto. O xilitol me dá muitos gases mesmo usando a dose recomendada. Então, estou aprendendo a domar o paladar só com o doce de algumas frutas. Quando estou com muita vontade do sabor doce, eu uso banana bem madura cozida com canela ou congelada e batida com cacau; ou miritilo e morango congelados com creme de leite. São minhas sobremesas atuais e eventuais.

    ResponderExcluir
  47. Helena,
    Pelo que sei a rapadura moída nada mais é do que o açúcar mascavo, que no processo inverso é aquecido até dar ponto de corte.

    ResponderExcluir
  48. Sim..qdo criança qdo não tinha açúcar, minha mãe adoçava com rapadura....

    ResponderExcluir
  49. E como interpretar os resultdados obtidos, dr. Souto? Que resultados indicariam a intolerância ou não à insulina?

    ResponderExcluir
  50. Obrigada! Sou ignorante nesse assunto mesmo...valeu

    ResponderExcluir
  51. Eu uso um pouco a estévia (não tenho problema com o sabor), normalmente no café, e outro dia queria sentir algo doce (ainda não fui promovido a ninja) então coloquei algumas gotas na água. Surpresa! na água pura a estévia tem sabor neutro - parece água com açúcar mesmo. Fiquei com medo e não tomo mais.

    ResponderExcluir
  52. Complementando a pergunta do Silvio, seriam 75g de Karo ?

    ResponderExcluir
  53. É.
    http://chriskresser.com/when-your-normal-blood-sugar-isnt-normal-part-1
    Sent from mobile phone
    Em 27/09/2014 21:45, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  54. Maravilha Dr. Souto ! Acredito que eu deva iniciar um consumo de mais alto de carbos, por cerca de 3 dias, para não dar desvios, não ?

    ResponderExcluir
  55. É. Lembrando que páleo não é super low carb, e que frutas são sobremesa.
    Sent from mobile phone
    Em 27/09/2014 21:53, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  56. Eu sei, já aprendi isto aqui dr. Souto, fique tranquilo. É que estou bem acima do peso e estou fazendo algo mais "low-carb", tentando uma cetose de lucro.
    Eu li aqui também , em algum lugar, que para não dar desvios em uma curva glicêmica, seria de bom tom acrescentar algum carboidrato, de preferência paleos é claro, com o objetivo de não dar desvios na curva glicêmica.
    Pelo que li no artigo indicado, não estou diabético e , provavelmente, responderei bem a glicose, mas como estou tendo dificuldades de emagrecimento, estou tentando entender o motivo.
    Caso dê alguma coisa errada, fique tranquilo, procurarei um médico para repetir o teste.

    ResponderExcluir
  57. O adoçante eu não uso pra nada ! Consegui . Juro , mas e a gelatina diet eu voltei a comer como sobremesa na casa de amigos que sabem que sou contra doces e fazem pra me agradar e aqui em casa , será que vou ter que tirar . Como no máximo 2 vezes por semana . Honestamente devo tirar ? Se mandar eu paro agora , prefiro levar meus abacates como sobremesa pra casa dos amigos

    ResponderExcluir
  58. Lembrando também que, para 3 das 7 pessoas no estudo da Nature, o uso de adoçantes não fez NENHUMA diferença. Eu emagreci 20 kg tomando 2 litros de coca zero TODOS dias. Hoje, não uso mais.

    Sent from mobile phone
    Em 27/09/2014 22:11, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  59. Parabéns Dr.Souto pela sua análise.. Eu acredito que definitivamente temos que nos acostumar ao sabores reais dos alimentos. Sei que realmente não é nada fácil. Eu hoje só não consigo comer o abacate sem adoçar, e utilizo o stevia e xylitol para adoçá-lo. Porém já vi o senhor comentar em vídeos (corrija-me se estiver errada) que o doce com gordura é uma bomba...isso se aplica também ao abacate com stevia e ou xylitol?

    ResponderExcluir
  60. Dr Souto, feito os teste quais seria os niveis de tolerancia a glicose nomal

    ResponderExcluir
  61. Jovania Maria Muller27 de setembro de 2014 22:26

    Oi Dr. Souto! Posso fazer uma pergunta que não diz respeito diretamente a este assunto? Sou novata por aqui e me apropriando de toda esta discussão sobre a dieta low carb e muito, muito disposta mesmo a aderir como estilo de vida!!! No entanto, estou com uma dúvida crucial: tenho hérnia de hiato e esofagite, será que esta dieta é a melhor prá mim, tendo em vista a necessidade de aumentar o consumo de gordura diária? Parabéns por este blog esclarecedor e desmistificador!!!

    ResponderExcluir
  62. Não. Me referia a gordura com açúcar. Xilitol provavelmente é BENÉFICO, e estévia, bem, ninguém sabe.

    Sent from mobile phone
    Em 27/09/2014 22:15, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  63. http://chriskresser.com/when-your-normal-blood-sugar-isnt-normal-part-1
    Sent from mobile phone
    Em 27/09/2014 22:21, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  64. Com certeza, a retirada do trigo eliminará os seus sintomas.

    Sent from mobile phone
    Em 27/09/2014 22:26, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  65. Olá, Dr. Souto! Muito bom o post! Mas mudando um pouquinho de assunto, gostaria de saber se tem algum blog sobre a paleo para atletas. Pratico crossfit e mudei minha alimentação para a dieta paleolítica há duas semanas, porém fico muito perdida sobre o que comer no pré e pós treino, e como posso fazer uma "estratégia" na dieta para focar meus objetivos.
    Obrigada!!!

    ResponderExcluir
  66. A propósito , uma pessoa que operou a vesícula , pode fazer low carb , high fat ou deveria pegar mais leve nas gorduras e restringir bem os carbos . Tenho pena de ver uma pessoa da minha família que tanto amo tomando remédios com pão e margarina e tem medo de comer comida de verdade . Eu queria apenas que ela fizesse uma low carb , algo pra ela melhorar a saúde . Ela sofre de dores , vive esquecendo tudo , e eu já coloquei o barriga de trigo pra ela ler mas ela tem medo da gordura pois a médica que operou proibiu ela de comer gordura . Pode isso ? Absurdo , ela come pão com margarina arroz feijão , grãos , doces , o lixo da alimentação . Ela nem precisa ser tão low carb pois ela poderia fazer paelo não achas ? ela só precisa melhorar a saúde . Já li trechos do The grain brain , mas .... Ela tem medo da gordura , já faz 3 meses que ela operou a vesícula

    ResponderExcluir
  67. Dr souto tem vários podcasts no youtube .

    ResponderExcluir
  68. Acho essa entrevista fantástica https://www.youtube.com/watch?v=t74zJu90tcE

    ResponderExcluir
  69. http://www.lowcarb-paleo.com.br/2013/12/a-vesicula.html

    Sent from mobile phone
    Em 27/09/2014 22:59, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  70. http://carlinhostreinamento.blogspot.com.br/

    Sent from mobile phone
    Em 27/09/2014 22:55, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  71. Dr. Souto, e se for entre uma dose pequena de açúcar ou adoçante? O senhor ainda acha o adoçante melhor ou o açúcar? (meus pais definitivamente não vão tomar café amargo... e olha q já tentei viu)


    E será que a suplementação com fécula de batata poderia neutralizar um pouco o efeito dos adoçantes?


    Mais uma vez excelente post. Claro e objetivo, mas tbm mt bem explicado e com provas.

    ResponderExcluir
  72. Luiz Carlos,


    Eu operei e retirei a vesícula a aproximadamente 3 anos e estou neste novo estilo de vida a 5 meses e não tenho nenhum problema e nem restrição quanto a gordura como de tudo e prefiro as partes com mais gordurinha. rsrsr

    ResponderExcluir
  73. Será que a dieta Low-Carb/Paleo funciona? 40 dias.

    ResponderExcluir
  74. Foi uma ironia! Eu postei uma foto mostrando o resultado de 40 dias de dieta mas não aparece a foto.

    ResponderExcluir
  75. PARABÉNS ! dá vontade de esfregar na cara dessas nutricionistas que mandam vc comer carbos e mais carbos . Muito bom !

    ResponderExcluir
  76. obrigado ! Vou prender a minha vó aqui pra ler isto , mas a minha pergunta sobre a gelatina , algum problema em consumir 2 vezes na semana a diet , eu falo isso porque eu em casa de amigos fico sem saída , eu já me tormei o chato das dietas , falo que não como e pronto , mas em casa eu as vezes como ma , mas se o senhor falar não come , eu paro , lembrnado que eu não uso adoçante , doces , refinados , graõs e tenho abundância de verduras . Eu não como doce mesmo , e ainda estou tentando tirar a cafeína . Sou super ansioso e ela não me faz bem . Obrigado pela resposta , vou levar pra minha vó agora e obigado ao Carlos la pela resposta

    ResponderExcluir
  77. Há algo que sempre me intrigou , o impacto das frutas , sendo paleo , não é o mesmo da frutose de outros alimentos e os vegetais livres em quatidades não altera em nada uma dieta . Eu , não sou adepto apenas de folhas , como brocólis , repolho , couve e tudo tem carbos e como em quantidade , não faço indução de low carb , zero carb pois isso sim eu acho lotado de nutrientes . Mas vejo pessoas faarem mal dese alimentos , assim como cenoura em pequena quantidade e beterraba ,e raramente meia batata , isso não afetaria uma dieta low carb .

    ResponderExcluir
  78. E o que ela fez ? compartilhe para ajudar a tantas outras pessoas aqui .

    ResponderExcluir
  79. Recomendo a leitura do livro Sugar Blues: o Gosto Amargo do Açúcar .....

    ResponderExcluir
  80. Imediatamente lembrei do efeito dos agrotóxicos sobre a flora descrito por Stephanie Seneff http://vimeo.com/65914121


    Dr Souto, sei que é um "long shot" mas, com base no que a SS diz, seria possível afirmar que ao eliminar da dieta tudo o que leva agrotóxicos (dieta Paleo), a saúde melhora por que a flora intestinal melhora?

    ResponderExcluir
  81. É a conclusão do paradigma evolutivo

    Sent from mobile phone
    Em 28/09/2014 08:36, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  82. Mas o que me pergunto aqui é o quanto a culpa é dos carboidratos e o quanto é culpa dos agrotóxicos... Evidente que uma dieta hi-carb não é saudável por vários motivos, mas também não preciso demonizar um arroz com feijão orgânico se eu estiver no peso ideal...
    Price, no livro Nutrition and Physical Degeneration, conclui que diferentes dietas são igualmente saudáveis, desde que com alimentos produzidos localmente de acordo com as tradições de cada população...

    ResponderExcluir
  83. Não demonizo carbs.
    http://www.lowcarb-paleo.com.br/2013/01/entrevista-com-staffan-lindeberg.html http://www.lowcarb-paleo.com.br/2014/01/flora-intestinal-muito-alem-dos.html
    É preciso entender a distinção entre causa e tratamento: http://www.lowcarb-paleo.com.br/2013/08/tratamentos-e-causas.html

    Sent from mobile phone
    Em 28/09/2014 09:26, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  84. Parabéns pela análise dos estudos Dr. Souto!

    Bom, faço páleo há um ano e nunca consegui deixar a sucralose. Com esses resultados, fiquei preocupado. Se bem que só bebo uma xícara de café por dia com adoçantes (pela manhã). Coloco 10 gotas. E o segundo produto que uso é no meu iogurte natural.

    Mas, ficaram algumas dúvidas que não sei se o senhor poderá responder:

    1- Qual seria o consumo máximo de sucralose diário recomendado pela FDA?


    2- O estudo não mostrou, mas em quanto tempo a microbiota se restabeleceria após a cessão imediata do uso desses adoçantes? Se é que se restabelece!?


    3- Esse estudo é um grande balde de água fria nas dietas em geral. Deixar o gosto adoçado é o maior desafio na minha opinião para a manutenção dessas dietas. O senhor acha que haverá desenvolvimento de métodos para deixar a necessidade de açúcar/adoçantes daqui pra frente?

    ResponderExcluir
  85. O caminho é reler as frases em amarelo na postagem.

    Sent from mobile phone
    Em 28/09/2014 09:56, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  86. Celina Naves Cardoso28 de setembro de 2014 10:03

    Dr Souto o que me diz do açucar de coco?

    ResponderExcluir
  87. É açúcar. Deverá ser usado com a mesma extrema parcimônia que qualquer açúcar.

    Sent from mobile phone
    Em 28/09/2014 10:03, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  88. Mais uma excepcional postagem Souto!! Sem dúvidas muito elucidativo, com muita didática. Esse trabalho que fazes é "impagável"! Leitura obrigatória dos meu pacientes. Quanto aos adocantes, como tudo na vida, penso que o bom senso deve imperar. E o bom senso nos leva a olhá-los de uma forma atravessada por não fazerem parte da alimentação na evolução da humanidade. Penso que o ideal seria não usá-los e, pra quem usa, começar a desmama-los. "O sabor doce, na maioria das vezes, pode esconder uma natureza amarga por trás".
    Cordial abraço.

    ResponderExcluir
  89. Não digo o sr, mas entre os adeptos da dieta lowcarb vejo muitas pessoas já super magras e querendo parar de comer vegetais completamente...

    ResponderExcluir
  90. Dr. Souto, e qual é a relação entre a insulina e o consumo de café (sem açúcar ou adoçantes) especialmente no que diz respeito a resistência a insulina?

    ResponderExcluir
  91. Eu também sempre usava. Resolvi parar e, talvez por coincidência, não sei, meu eczema parou.

    No início é difícil mesmo, mas depois você passa a sentir melhor o gosto do café, inclusive eu passei a rejeita café ruim, que antes eu tomava com adoçante e disfarçava o gosto.

    ResponderExcluir
  92. Resposta rápida: faz bem.

    Resposta completa: www.marksdailyapple.com/coffee-and-insulin-fat-and-post-workout-meals/
    Resposta em áudio: https://umano.me/c/GqD69/coffee---even-decaf---could-help-cut-diabetes-risk
    Sent from mobile phone
    Em 28/09/2014 10:28, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  93. Flammarion Finoti de Oliveira28 de setembro de 2014 11:04

    Parabéns e obrigado por compartilhar conosco.

    ResponderExcluir
  94. Douglas Teócrito de Aquino28 de setembro de 2014 11:15

    Eu nunca tive o costume usar adoçante, sempre foi açúcar. Parei com ele há uns 4 anos e para eliminá-lo foi num período de 1 ano, reduzindo gradualmente a cada semana.

    ResponderExcluir
  95. Ok.

    Já comprei açúcar orgânico para substituir a sucralose que consumo diariamente. Mas vou com moderação. Pesquisei e encontrei esta tabela de medidas de açúcar com colheres:

    http://basilico.uol.com.br/2256-artigos-CONVERSOR-DE-MEDIDAS

    O que significa dizer que, qualquer que seja o açúcar, uma colher de chá não ultrapassará 5g.

    Além disso, li no rótulo do meu sucralose que 5 gotas equivalem ao poder adoçante de uma colher de chá, ou seja, 1 gota para cada grama de açúcar, aproximadamente.

    Seguindo essas medidas e considerando que nas minhas canecas de café eu me satisfaço com 10 gotas de sucralose, significa que para ter o mesmo efeito em açúcar, eu deveria usar no máximo 2 colheres de chá de açúcar no meu café.

    Acho que vou começar usando duas colheres de chá de açúcar e depois ir reduzindo até zerar com o tempo.

    Como eu só tomo uma xícara por dia, isso dá 10 gramas de sacarose diária. Se consumisse várias xícaras diárias, isso poderia ser temerário, não é?

    ResponderExcluir
  96. É

    Sent from mobile phone
    Em 28/09/2014 11:44, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  97. Entendido..grata pelo esclarecimento!!

    ResponderExcluir
  98. Nossa eu também achei que não conseguiria tomar café sem adoçar..mas insisti em tentar tomar sem nada, e agora eu não consigo tomar adoçado. Interessante que a gente aprende a apreciar o sabor do café. Eu desafiei alguns amigos a fazerem o mesmo. Resultado: eles também não conseguem mais tomar adoçado..

    ResponderExcluir
  99. Vou fazer um comentário meio chato, mas é essa a minha leitura desse resultado, no momento.

    Infelizmente, hoje a dieta páleo recebeu um duro golpe (para a sua popularização). Uma de suas bandeiras, que me convenceu a fazê-la, era a transição suave que você precisava fazer partindo-se de uma dieta tradicional. Com esse resultado das pesquisas, criou-se uma barreira enorme, quiçá até maior que a barreira do trigo (essa eu penei para superar). Não é só a questão de abandonar o açúcar, pois isso era fácil, bastava trocar por adoçantes, uma troca suave, fácil e barata. Agora você tem é que abandonar a sensação de "doce" que está acostumado. Eu estou fazendo um drama sim, mas é só uma reflexão ao saber que o processo de adaptação à nova sensação de "doce" vai me tirar da zona de conforto.

    ResponderExcluir
  100. Acho que você não entendeu.

    1) Páleo NUNCA teve adoçantes, só low carb que tinha.

    2) Esse estudo é só mais um, todo mundo já sabia há anos que adoçantes eram um assunto complicado (tanto que eu escrevi aquele outro texto anos atrás).
    3) quantas vezes eu vou ter que dizer que bebi 2 litros coca zero por dois anos e mesmo assim perdi 20kg??

    4) por que a pessoa deixaria de fazer low carb só para não usar adoçantes? E adotar novamente a dieta ocidental padrão? Isso não seria obviamente MUITO pior?? Se a condição necessária para se manter em low carb for usar adoçantes, então use. Será que as pessoas não conseguem conviver com a ambiguidade, com a redução danos, com a ideia de que o ótimo não pode ser o inimigo do bom? Será que seria melhor continuar vivendo na ilusão de que adoçantes são uma coisa sem NENHUM problema?

    5) Eu marquei em amarelo, acima, duas frases que, imaginei, resolveriam tudo:

    Use adoçantes como um ex-
    fumante usa adesivos de
    nicotina: para tentar largar
    o vício do açúcar;

    O objetivo é usar menos
    adoçantes com o tempo;

    6) Essas frases não estão claras? Eu disse, acima, que devemos abandonar os adoçantes HOJE? Eu disse que nunca poderemos usar? Eu disse que a partir de agora quem usar sacarina é um pecador? Eu disse ou sequer dei a entender isso? Talvez eu não saiba me expressar.

    Sent from mobile phone
    Em 28/09/2014 12:59, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  101. Mas veja Dr, eu concordo com tudo o que o senhor disse. Com relação a perder peso, usar o adoçante não vai me prejudicar, concordo totalmente, inclusive isso aconteceu comigo (perdi 14kg).

    Minha preocupação é com relação à saúde mesmo. Do resultado da pesquisa, entendi que usar adoçantes pode levar à resistência à insulina. Isso não seria uma passo para o diabetes tipo-2? Tenho grande preocupação quanto a isso, pois minha família tem histórico de diabetes. Ou seja, entendo que eu devo trocar imediatamente os adoçantes agora por uso muito controlado e moderado de açúcar (10g diários no máximo) e ir reduzindo até a sua total eliminação, do contrário, corro mais risco de desenvolver o diabetes se continuar no adoçante (mesmo que o elimine eventualmente). Estou errado no meu raciocínio?

    ResponderExcluir
  102. Dr , por isso que lá naquele tópico eu falei , tem coisas que estão escritas como Evite , com moderação e liberado . Acho tudo uma questão de Hermenêutica . EU vejo pessoas falarem que não perderam peso , que estão desanimadas . Eu descobri 2 alimentos que são um terror , amendoim e leite , mas ma fatia de queijo minas no meu omelete não faz mal , como o senhor sabe faço uso de medicação e tenho que comer . Aprendi que frutas não devem ser consumidas sozinhas . As coisas são simples , e não tem segredo . pra quem tem tendência a obesidade , tem que levantar a mão pro céu e ter um estilo de vida que não te deixe passando fome .

    ResponderExcluir
  103. Sim, e usar açúcar não causa diabetes? http://www.lowcarb-paleo.com.br/2013/03/o-acucar-causa-diabetes.html

    Sent from mobile phone
    Em 28/09/2014 13:55, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  104. Sim, em EXCESSO, conforme a conclusão do artigo. Por isso que falei no consumo limitado a 10g diários e a partir daí reduzindo até a sua eliminação.

    Mas essa pesquisa recente está me trazendo a informação de que o adoçante, pode causar resistência à insulina mesmo se NÃO for em EXCESSO!! Isso que me causou espanto.

    ResponderExcluir
  105. Não. O que o estudo mostrou é que 4 pessoas dentre 7, usando a dose máxima permitida pelo FDA de sacarina, desenvolveram intolerância à glicose. E três pessoas não tiveram efeito nenhum. Quem é capaz de usar apenas 10g de açúcar por dia pode usar açúcar sem problemas - até a fase inicial Atkins permite 20g carbs ao dia. Quem precisa usar muito açúcar, provavelmente estará escolhendo dos males o menor, se optar pelo adoçante.

    Sent from mobile phone
    Em 28/09/2014 14:16, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  106. Tomo café sem açúcar desde que comecei a mais de 4 anos e sinceramente acho que quem inventou a infusão do café torrado não aprovaria mistura-la ao açucar. Simplesmente não combina. Para mim café doce é como doce de picanha. Não faz sentido. O que quero dizer é que depois de um tempo sem doce, aquele sabor não parece fazer muita falta. As vezes depois de uma refeição tenho vontade de saberear algo doce, então como uma goiaba e me satisfaço.

    ResponderExcluir
  107. Ah tá louco... por que as pessoas são tão apegadas ao açúcar assim? Se isso faz mal a longo prazo por que é preferível não tentar deixar de usá-lo do que simplesmente não usar? Isso ai parece as pessoas que eu já ajudei a emagrecer... "ah mas café sem açúcar não dá...fica amargo" eu dizia... "tchê... tu toma chimarrão amargo e acha bom, por que café tem que ser doce?" ... quem seguiu o conselho emagreceu e ficou satisfeitissimo com o resultado que não teve coragem de voltar a usar açúcar... mesma coisa tempero de comida... " ah mas o tempero que da i sabor"... quando isso acontece eu convido pra jantar lá em casa. .. faço a comida só com sal e temperos frescos como manjericão e salsinha... comem e se deliciam... dai eu digo... "tá ai.. só sal e temperos naturais.. nada de caldo de galinha, caldo de carne, sazon nem extrato de tomate, ficou sem sabor? " dai eles entendem que o sabor tá na comida não nos temperos industrializados. .. esses dias fui comprar pão pra minha sogra e 3 pãezinhos deu 1 real... sai da padaria apavorado... depois veio monha cunhada dizer que dieta paleo é cara... dai me obriguei a dizer. .. caro nada se 3 pães é 1 real... eu tô é ganhando dinheiro em não consumir pão. ... kkkk se nao comprar

    ResponderExcluir
  108. Tive que rir... Os "especialistas" acham que o único benefício da dieta páleo é a perda de peso... Não fazem a menor ideia que a dieta proporciona um aumento na absorção de nutrientes e modulação da expressão gênica reduzindo a incidência de doenças...

    ResponderExcluir
  109. Não tem interesse em mudar o que da lucro, mesmo que falem algo positivo o final é sempre o mesmo, que não é sustentável e os cereais são necessários e bla bla bla. É muito difícil publicação e artigos nacionais.

    ResponderExcluir
  110. Nossa mídia é extremamente rasteira

    Sent from mobile phone
    Em 28/09/2014 19:21, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  111. Não só a nossa doutor Souto.

    ResponderExcluir
  112. Ah, mas não se compara. Olha essas reportagens e me diz onde está o equivalente nacional?
    http://www.dailymail.co.uk/health/article-2765715/How-butter-cheese-slim-ward-diabetes-Saturated-fat-long-demonised-doctors-evidence-suggests-healthy.html http://www.examiner.com/article/saturated-fat-gets-vindicated-by-mainstream-media-on-stunning-time-cover?utm_content=buffer27557&utm_medium=social&utm_source=twitter.com&utm_campaign=buffer
    http://www.wired.com/2014/08/what-makes-us-fat/
    http://m.theatlantic.com/health/archive/2014/06/how-americans-used-to-eat/371895/
    Sent from mobile phone
    Em 28/09/2014 19:54, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  113. Nao me referia a qualidade de nossa imprensa, que também na minha opinião, destoa muito de outras, mas quando utilizou o termo "rasteira" , opinei com relação ao "caráter" das imprensas no geral, que ao meu ver, são muito semelhantes neste ponto.

    ResponderExcluir
  114. Detalhe importante que foi administrado a dose máxima diária de sacarina recomendada,ou seja,em torno de 350 mg para uma pessoa de 70 kg.Isso equivale a umas 12~15 gotas aproximadamente.Para a sucralose,a recomendação máxima por dia poderia ser 3x mais.

    ResponderExcluir
  115. Compartilha com a gente o que ela fez.

    ResponderExcluir
  116. Não. Seria o equivalente a centenas de gotas de sacarina por dia, uns 4 litros coca zero.

    Sent from mobile phone
    Em 28/09/2014 20:53, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  117. Mais uma vez, é muito enriquecedor ler suas postagens Doutor. Dificil agora será acostumar as crianças a comer sem açucar ou adoçante.

    ResponderExcluir
  118. Não precisa. A ideia é acostumá-las a POUCO açúcar e ao açúcar das frutas. Páleo para crianças não é low carb.

    Sent from mobile phone
    Em 28/09/2014 21:00, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  119. Dr. Souto, o senhor pode, um dia, falar sobre o uso de HCG para emagrecimento. Grande Abraço! Sou seu fã. Muito grato pelos ensinamentos.

    ResponderExcluir
  120. Sou contra. Falei.

    Sent from mobile phone
    Em 28/09/2014 21:43, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  121. Eu também não vejo com bons olhos, porém muita gente me pergunta e sempre argumentam com seus bons resultados e baixos relatos de complicações. Como não encontrei nenhum artigo que refutasse seus defensores e a explicação fisiológica que eles dão queria me embasar para poder convencer as pessoas que não é uma boa alternativa.

    ResponderExcluir
  122. Ann Pharmacother. 2013 May;47(5):e23. doi: 10.1345/aph.1R755. Epub 2013 Apr 19.

    *Effect of the human chorionic gonadotropindiet on patient outcomes.*

    Goodbar NH 1, Foushee JA , Eagerton DH , Haynes KB ,Johnson AA .

    *Author information*

    *Abstract*

    *OBJECTIVE:*

    To report a case of left lower extremity deep vein thrombosis (DVT) and bilateral pulmonary embolisms in a patient who initiated the human chorionic gonadotropin (HCG) diet 2 weeks prior to presentation.

    *CASE SUMMARY:*

    A 64-year-old white female presented with leg swelling and shortness of breath. Lower extremity ultrasound revealed left leg DVT, and a computed tomography angiogram revealed bilateral pulmonary embolisms. A complete history and physical examination were unremarkable for any risk factors for acute thrombosis, with the exception of the initiation of
    the HCG diet approximately 2 weeks prior to presentation; the patient was taking 20 sublingual drops of HCG twice daily. Results of her hypercoagulable workup were negative. Upon admission, therapy was started with enoxaparin 120 mg subcutaneously twice daily and warfarin 5 mg orally once daily. According to the Naranjo probability scale, initiation of the HCG diet was a probable cause of our patient's adverse effects.

    *DISCUSSION:*

    The HCG diet has very few efficacy studies and no significant safety studies associated with its use. Six relevant studies were identified for assessment of efficacy, and only 1 was associated with a
    significant weight reduction in the HCG diet study population. All of these studies evaluated the use of the HCG diet via injections of the hormone and significant calorie restriction, which is known as theSimeons method. Currently marketed HCG products include sublingual drops, lozenges, and pellets, butnone of these methods has an evidence-based efficacy and safety standard.

    *CONCLUSIONS:*

    As popularity of the HCG diet continues to increase, so do the potential adverse events associated with the management of weight loss via an unproven strategy. Patient safety information regarding this dieting strategy should be recognized by medical professionals.

    S Afr Med J. 1990 Feb 17;77(4):185-9.

    *Human chorionic gonadotrophin and weightloss. A double-blind, placebo-controlled trial.*

    Bosch B 1, Venter I , Stewart RI , Bertram SR .

    *Author information*

    *Abstract*

    Low-dose human chorionic gonadotrophin (HCG) combined with a
    severe diet remains a popular treatment for obesity, despite equivocal evidence of its effectiveness. In a double-blind, placebo-controlled study, the effects of HCG on weight losswere compared with placebo injections. Forty obese women (body mass index greater than 30 kg/m2) were placed on the same diet supplying 5,000 kJ per day and received daily intramuscular injections of saline or HCG, 6 days a week for 6 weeks. A psychological profile, hunger level, body circumferences, a fasting blood sample and food records were obtained at the start and end of the study, while
    body weight was measured weekly.Subjects receiving HCG injections showed no advantages over those on placebo in respect of any of the variables recorded. Furthermore, weight losson our diet was similar to that on severely restricted intake. We conclude that there is no rationale for the use of HCG injections in the treatment of obesity.

    Sent from mobile phone
    Em 28/09/2014 21:57, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  123. Obrigado Dr. Souto.

    ResponderExcluir
  124. Excelente post Dr Souto. Lendo os relatos percebi que muitos homens sentem dificuldade em largar o sabor doce achei que seria mais difícil para as mulheres, Mais uma prova do quanto açúcar vicia. Na TPM dou umas escorregadas no sabor doce do chocolate amargo em alguma receita de doce mais paleo, com muita fibra para dar uma mãozinha. Mas tive uma dúvida. O Sr fala da "bomba" que é juntar açúcar com gordura. Isso se aplica às gorduras ruins e açúcar refinado ou se aplica também às gorduras boas como cacau, abacate e óleo de côco adoçados com mel? Sempre achei que para não absorver rapidamente o açúcar deveria usar junto com fibras ou gorduras boas... fiquei confusa!

    ResponderExcluir
  125. o abacate e um polyol,se eu comer um abacate eu passo o dia inteiro com enxaqueca ai eu dei um tempo no abacate e não mi deu mais enxaqueca,

    ResponderExcluir
  126. A bomba é um monte de açúcar com gordura, não um pouco de mel com gordura boa.

    Sent from mobile phone
    Em 28/09/2014 22:26, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  127. Sempre que eu argumento que o resultado é em virtude da dieta hipocalórica e principalmente baixa em carbos, eles dizem que só a dieta não funciona tão bem. Agora da para refutar.

    ResponderExcluir
  128. Espero que os demais adoçantes sejam testados da mesma forma...embora condorde que o melhor seja não utiliza-los....

    ResponderExcluir
  129. Sem querer fazer propaganda, o Pão de Açucar tem vendido chocolate 85%, francês da linha Casino com bons preços

    ResponderExcluir
  130. Pessoal, se vocês soubessem o quanto é fácil se livrar do vício pelo gosto superdoce...



    Larguem o açúcar/adoçante e em 2 ou 3 semanas estarão com a língua afiada para sentir o gosto doce natural dos alimentos.


    Vocês verão que o abacate é levemente amargo ou neutro (e não superamargo), o chocolate 90% é levemente amargo, o 85% é normal, o 70% é doce, o 60% é muito doce e qualquer coisa abaixo disso é insuportável, que as frutas hoje são muito doces e as verduras não amargam.


    Enquanto adoçarem as coisas, irão querer sempre adoçá-las. Tem gente comparando com glúten... não tem nem comparação!! quem conseguiu se livrar do glúten se livra de adoçantes com um pé nas costas... glúten é extremamente viciante.. muito mais que qualquer açúcar.


    Abraços!

    ResponderExcluir
  131. Dr. Souto, restou uma dúvida. Ao retirar os adoçantes, a resistência à insulina causada por eles deve regredir?

    ResponderExcluir
  132. vc está com acidose? testa o pH da urina...

    ResponderExcluir
  133. pH urinário não diagnostica acidose metabólica. Apenas o pH do sangue arterial (gasometria arterial) faz esse diagnóstico, que só ocorre em doenças graves, como insuficiência renal e sepsis. O pH NORMAL da urina é ácido, mas pode ser alcalinizado pela dieta (o da urina, não o do sangue - por sorte, pois alcalose metabólica pode ser fatal).

    Sent from mobile phone
    Em 29/09/2014 05:48, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  134. Não sei, o estudo em humanos durou uma semana apenas, e apenas 4 das 7 pessoas tiveram o efeito.

    Sent from mobile phone
    Em 29/09/2014 05:12, "Disqus" escreveu:

    ResponderExcluir
  135. Parabéns pelo excelente artigo,e para tirar a prova dos nove,retirei o adoçante (sacarina) por dois dias descobri o que estava me travando,menos 900 grs ao fim de dois dias!

    ResponderExcluir
  136. http://cienciadanutricao.blogspot.com.br/2014/04/dieta-do-hcg-nao-faca.html

    ResponderExcluir
  137. Meu maior mérito foi ter eliminado todos os refrigerantes. Mas, ainda como sorvete com frequência. Doces são meu vício. As pessoas não entendem que, mesmo sendo magro, a minha insistência em abandonar o pó branco do mal...

    ResponderExcluir
  138. Olá Dr Souto. Conheces este site ? Suppversity.blogspot.com.br

    Eles tomam uma abordagem mais high carb e menos high fat especialmente menos saturada, embora a maioria dos artigos q vi constam estudos de ratos para condenar high fat, mas em alguns casos aparecem estudos novos em humanos sobre resistência a insulina com gordura saturada. Embora tenha nas referências de leitura do site o Mark Sisson e Paul Jaminet.

    O que o sr acha? Acho q o Jaminet pode ter razao qnd diz da segurança de usar mt MUFA mas n acho tao válido o mesmo para SAFA. O argumento passado neste site q PUFA eh melhor do que SAFA ainda nao me convence ainda assim.

    Obrigado Dr

    ResponderExcluir
  139. Eu conheço, sim. Mas a evidência de nível realmente alto, em humanos, mostra que TUDO ISSO é detalhe: http://annals.org/article.aspx?articleid=1846638

    O que não é detalhe é que o medo louco das gorduras está adoecendo os 2/3 de humanos que são resistentes à insulina.

    Em 29 de setembro de 2014 09:08, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  140. Dr... se ocorreu com os ratos, em tese, tomar algum antibiótico poderia ajudar humanos a minimizar os efeitos dos adoçantes na flora intestinal... correto?

    ResponderExcluir
  141. O uso de antibióticos em humanos está associado a todo tipo de desfecho metabólico ruim que você possa imaginar, especialmente obesidade.

    2014-09-29 9:40 GMT-03:00 Disqus :

    ResponderExcluir
  142. O FDA recomenda centenas de gotas por dia???? Jesus!... então quem coloca 5 gotas por dia não tem certeza dos danos?

    ResponderExcluir
  143. Sim, esse estudo avaliou apenas a dose máxima diária recomendada pelo FDA. Desconheço algum estudo bem feito analisando o uso de pequenas quantidades.
    2014-09-29 9:58 GMT-03:00 Disqus :

    ResponderExcluir
  144. Concordo Felipe.... mas sobre deixar o doce, tenho uma mãe teimosa... pedir para parar com o açúcar ou o adoçante é uma via crucis... ao menos posso dizer que, se não quiser parar, pode reduzir... assim vou conquistando espaço. :-)

    ResponderExcluir
  145. Dr., o que eu poderia recomendar à minha mãe que não é diabética e tem 80 anos? açúcar ou adoçante? (ela acha que eu invento essas coisas de dieta).

    ResponderExcluir
  146. Dr Souto, em relação a biomassa de banana verde, ela tem a mesma funcionalidade da farinha de banana verde?

    ResponderExcluir
  147. Parabéns. você acaba de receber a faixa preta paleo-lowcarb. *saudação oriental em sinal de respeito*
    (caraca, CEBOLA doce? hahaha ninja! um dia eu chego lá)

    ResponderExcluir
  148. a biomassa e a farinha são obtidas com o aquecimento da banana. Isso faz perder o amido resistente original. Quando esfriam, cria-se o amido retrógrado, mas em menor quantidade. Os benefícios nutricionais da biomassa e da farinha devem ser os mesmos.

    ResponderExcluir
  149. Luciano Palmeira Vieira29 de setembro de 2014 10:49

    Sejamos paleolíticos... Adoce com mel, esporadicamente.

    ResponderExcluir
  150. Qual seria uma receita boa de suco natural (low carb)... Limonada com sal?

    ResponderExcluir
  151. Dr Souto, parabéns pela excelente análise!
    Fiquei com uma dúvida. Me pareceu pelo 1o. gráfico que apenas 4 camundongos consumindo sacarina tiveram resultado pronunciadamente elevado no teste de resposta glicêmica. Nota-se também a média geral ligeiramente elevada em relação aos que beberam água, embora a elevação seja pequena.
    Não tive acesso gratuito ao artigo completo, então não pude conferir, então gostaria de saber do Sr. se minha leitura do gráfico está correta, e saber a respeito da significância estatística do resultado, e se os pesquisadores buscaram explicação para a reação tão acentuada naqueles 4 comundongos e apenas modesta nos outros.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  152. Dr, li no Keto Clarity para fazer uso do xilitol em pequena quantidade para constipação intestinal e para mim foi uma maravilha.. Quando meu intestino está preguiçoso chupo um trident e lá vou eu para o banheiro!!

    ResponderExcluir
  153. Dr, sabe se expressar muitíssimo bem... Acho que inspira as pessoas a quererem demonstrar inteligencia nos comentários, as vezes sinto uma guerra de "eu sei mais que vc" ou "vc pode estar errado" aqui nos comentários... Sempre que escrevo algo para acrescentar aqui vem alguém por baixo contrariando... Acho divertido!

    ResponderExcluir
  154. Adoçante.

    Em 29 de setembro de 2014 10:11, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  155. Sem sal fica bem melhor

    2014-09-29 10:49 GMT-03:00 Disqus :

    ResponderExcluir
  156. ...sal? quem toma suco com sal, ainda mais de limão? o nome disso é salmoura... rs.
    qualquer suco de frutas vermelhas, sem açucar, costuma cair bem. O problema dos sucos é que você pode acabar consumindo muito mais frutas do que consumiria se as comesse em natura. Eu quando tomo limonada (ou o suco de qualquer coisa que acabe ficando meio azedo) eu coloco um pouco de adoçante, sim. Mas estou tentando eliminar isso tomando apenas sucos que não precisem ser adoçados. Suco de morango, por exemplo, fica muito bom sem adoçar.

    ResponderExcluir
  157. Como sempre ocorre, há sobreposição entre os grupos, mas houve significância estatística sim. Provavelmente há diferenças nas floras dos aminais individualmente - mas não exploraram isso.

    Em 29 de setembro de 2014 11:17, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  158. Sei como é. . Minha mãe no começo fez igual... mas eu tentei levar ela a usar adoçante e depois largar o doce de vez... só que eu fazia ela usar as folhas de estévia moída... mas sempre batendo na tecla que se ela queria emagrecer tinha que abrir mão do doce principalmente pela manhã. .. hoje ela já não usa nada de adoçantes e doces... agora estou tentando fazer ela tomar café com manteiga mas ela ainda é "pé atrás" com a idéia kkk mas falo pra ela que ela deve fazer cetose o máximo de tempo possível para perder peso e isso significa comer mais gordura... ela retirou a Vesícula tempos atras então ela acha que comer gordura vai fazer ela ter diarréia mesmo ela falando que agora come carnes gordas e ovos mexidos com bacon e não tem problemas... kkkk um dia ela se rende

    ResponderExcluir
  159. Oi Dr. tudo bem? Você tem alguma recomendaçao especial sobre esse xilitol? Alguma marca? liquido ou em pó? Mais fácil comprar por internet? muito obrigada

    ResponderExcluir
  160. Fazer o teste hj... Sei onde eu vi que o mark (primal blueprint) toma limonada com sal..

    ResponderExcluir
  161. Pensamentos aleatórios: Eu sei que vinagre com sal devolve o brilho para moedas de cobre. Sei também que marguerita tem limão e sal. E por fim, sei que tequila é a melhor coisa que se pode fazer com Agave.

    2014-09-29 11:49 GMT-03:00 Disqus :

    ResponderExcluir
  162. Só tomo no iogurte natural e não é diariamente, assim como no suco de limão, esporadicamente. Café já desce puro.

    ResponderExcluir
  163. Nei Robson Ribeiro de Brito29 de setembro de 2014 12:31

    Gente, são os adoçantes e suas derivações de produtos diets.

    ResponderExcluir
  164. Quando eu comecei a fazer paleo low carb, decidi eliminar os adoçantes de uma maneira gradativa. Um dia, conversando com um amigo, ele me falou que pra ele foi muito difícil deixar o adoçante de forma gradativa, então ele decidiu tirar de uma só vez. Segui o seu conselho e resolvi eliminar de vez, sem dó nem piedade, rsrsrs. Confesso que nas duas primeiras semanas foi bem difícil, mas aguentei firme e segui em frente, já na terceira semana fui me acostumando e hoje em dia tomo e como TUDO sem açúcar, agora sinto o gosto real dos alimentos, até o açaí eu tomo sem açúcar (pra mim foi mais difícil tirar o açúcar do açaí do que do café, pasmem!), abacate pra mim é doce. Quando quero comer um doce, muito esporadicamente, opto por doces de verdade e depois faço jejum para desintoxicar, o Dr. David Perlmutter, em seu livro A Dieta da Mente, sugere que quando sairmos da dieta por algum motivo, recomecemos a mesma com um dia de jejum, tenho feito isso e pra mim tem dado certo. Abraço a todos!

    ResponderExcluir
  165. Obrigada pelo esclarecimento, dr! Qual a relação entre acidúria e intolerância a salicilato alimentar (ex. abacate)? Haveria uma sobrecarga da enzima PST na fase II do fígado?

    ResponderExcluir
  166. Bom dia dr Souto, o estudo relatado demonstra que o consumo de adoçantes, em especial a sacarina, pode levar à resistência a insulina, porém, se pensarmos em um indivíduo já diabético que consome constantemente adoçantes a diabetes dele poderia ser agravada? Outra dúvida fora de contexto: posso usar a fécula de mandioca crua junto com suco de limão para obter amido resistente ou a acidez do limão desnaturaliza o A.R.? Obrigada :)

    ResponderExcluir
  167. Tu só não bebe cerveja, heim, que o resto... o maior pinguço da área hahahaha

    ResponderExcluir
  168. Como eu vou seguir com AR, só uso banana verde, sem sucralose! Tô passada....

    ResponderExcluir
  169. Izzy, não faço ideia. Me parece que tanto a intolerância aos salicilatos é um diagnóstico duvidoso quanto essa deficiência enzimática da qual nunca ouvi falar, e quando fui pesquisar apareceu apenas em sites alternativos pouco confiáveis. No pubmed, há UM relato de caso de 1982 que mesmo assim questiona.
    Hypertension. 1982
    Sep-Oct;4(5 Pt 2):III93-8.
    Sulfoconjugation of catecholamines, nutrition, and hypertension. Kuchel O , Buu NT , Serri O .
    Abstract

    Sulfoconjugation is an important metabolic pathway determining the fate and potential cardiovascular action of ingested phenolic substances. Among the three catecholamines, dopamine (DA) is to the highest degree sulfoconjugated and has the highest affinity toward the phenolsulfotransferase (PST). The concentration of some sulfated catecholamines, particularly of DA sulfate, increases following ingestion of catecholamines or their precursors. This can be confounded with blood-derived increases in DA sulfate associated with BP peaks in some hypertensive patients. We mimicked, therefore, the latter condition by infusion of free DA into normotensive subjects. At low DA infusion rates, plasma DA sulfate exceeded free DA concentrations, and there were no changes in blood pressure and pulse rate. At higher DA infusion rates, blood pressure and pulse rate increased only while plasma free DA concentrations exceeded those of DA sulfate, indicating that free DA remains biologically active only prior to being conjugated. A similar increase in DA sulfate from alimentary sources (e.g., eating a banana) remains without cardiovascular response and is not associated with an overflow of free DA, since all the ingested DA is conjugated in the gut. We describe a patient with pheochromocytoma who experienced repeated hypertensive crises after ingestion of food containing some biogenic amines, (once also documented by NE increase), possibly due to a phenol sulfoconjugation
    defect (e.g., substrate inhibition of the PST or its genetic deficiency). Platelet PST-determinations may serve as a screening tool to detect subjects with sulfoconjugation defects since they probably reflect the PSt activity in the gut where ingested phenols are sulfoconjugated.

    Em 29 de setembro de 2014 12:46, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  170. Bate com uma banana madura junto

    2014-09-29 13:09 GMT-03:00 Disqus :

    ResponderExcluir
  171. Nessa caso, use adoçantes e vá diminuindo seu uso com o passar dos meses/anos

    Em 29 de setembro de 2014 13:09, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  172. Farinha de tapioca (fécula de mandioca) é muito bão. Ele tem gosto neutro e dissolve fácil, dá pra usar em praticamente qualquer receita fria e até comer pura, pois dissolve na boca. dá pra colocar no iogurte, por exemplo, ou no leite frio. fica só o ôro.

    ResponderExcluir
  173. Eu usei bastante R.leite, mas os resultados da banana verde são tão melhores....

    ResponderExcluir
  174. Mas e se eu quiser manter um approuch low carb, ainda tá valendo? Melhor tomar de noite se usar banana madura?

    ResponderExcluir
  175. Sempre brilhante, Dr.! Parabéns pela humildade, pelo amor ao saber e principalmente pela paciência, que eu percebi que tu tem de sobra!!! ;-)

    ResponderExcluir
  176. qual deles seria o menos pior?

    ResponderExcluir
  177. Ah Dr Souto, acho que vou tapar o nariz e mandar o negócio pra baixo, AR me faz tão bem... Não estou disposta a parar...

    ResponderExcluir
  178. ótimo, que progresso! minha mãe é mais difícil. Acha que estou me matando e matando os netos dela. Deixa eu contar essa:
    Uma vez meu filho de 3 anos viu a avó com um pacote de biscoitos e pediu um... minha mãe deu, minha filha viu e correu para impedir: Quando cheguei na cozinha era um barulho só:
    Minha mãe querendo segurar o saco de biscoitos, minha filha puxando do outro lado, gritando apavorada: Tem glúten! Tem glúten!... e o meu caçula puxando o fundo do saco com as duas mãos: "Eu quero Glúten"... "Eu quero glúten".... KkKkKkKkkk...

    ResponderExcluir
  179. Acho xilitol, seguido de estévia, seguido de sucralose

    2014-09-29 13:27 GMT-03:00 Disqus :

    ResponderExcluir
  180. E o Eritritol Dr. Souto ? Alguma restrição ?

    ResponderExcluir
  181. esse xilitol é encontrado em farmácias?

    ResponderExcluir
  182. rapaz nen sei kkkk so sei que teve uma epoca que se eu comesse abacate me dava enxaqueca,como parei de comer não senti mais,so testando de novo pra saber

    ResponderExcluir
  183. De manhã tomo um iogurte natural batido com uma fatia de mamão papaya e adoço com uma laranja. Acho que não precisa ficar sem o sabor "doce" pela vida inteira. Li bastante aqui no blog mas me considero um iniciante. Em menos de um mês estou indo para 7kg perdidos. Quando quero comer um doce, como morango, ameixa, melão e se a vontade for de outra coisa, como um pedaço de chololate acima de 70%. Viva Paleo Low-carb!!!

    ResponderExcluir
  184. Muito obrigada pelo texto, Dr. Souto! =) Agora bora perder o vício de colocar sucralose no iogurte (apesar que, depois que eu comecei a fazer meu próprio iogurte, diminuí bem a quantidade de adoçante que uso - o iogurte feito em casa tem um sabor menos ácido, mais gostoso IMO). Uma coisa que eu sempre quis saber é sobre o mel. De vez em quando pode? Apesar de ser açúcar, ele é açúcar *de verdade*, afinal.

    ResponderExcluir
  185. fécula de batata misturado com água...
    marca aminna

    ResponderExcluir
  186. onde se lê "salicilatos" leia-se "FODMAPs" ;)
    sei que não é assunto do seu interesse, mas vou lhe enviar alguns papers

    ResponderExcluir
  187. Não que eu conheça. Mas o Xilitol tem efeitos benéficos sobre a flora intestinal comprovados

    2014-09-29 13:49 GMT-03:00 Disqus :

    ResponderExcluir
  188. Acho que é encontrado em joalherias

    2014-09-29 13:55 GMT-03:00 Disqus :

    ResponderExcluir
  189. Correto - açúcar de verdade, porém pouco.

    Em 29 de setembro de 2014 14:14, Disqus escreveu:

    ResponderExcluir
  190. Bem, o pH urinário não depende disso. Depende de tipo de sal que o rim excreta ao final do processo metabólico. Tipo: citrato, alcaliniza a urina, etc.

    2014-09-29 15:05 GMT-03:00 Disqus :

    ResponderExcluir
  191. Pode encontra-lo na Vitacost. Eu compro coisas lá eventualmente e eles são bem confiáveis, além de terem excelentes preços, mesmo com a possibilidade de taxação.

    ResponderExcluir
  192. Já comprei no site na Natue e no da própria empresa que vende o xilitol aqui no Brasil, a Essential Nutrition. Mas prepara o bolso, porque é muito caro. Pra quem usa adoçante eventualmente acho que compensa, o sabor é muito bom.

    ResponderExcluir