quarta-feira, 11 de março de 2015

Por que fiquei tantos dias sem postar? GVT



Rápido desabafo.

Antes de sair de férias, meu telefone ficou mudo e fiquei sem internet em casa. Liguei para a GVT, e só poderiam vir depois da saída do meu voo - não havia como vir antes. Marquei para minha volta. Voltei, e nada - telefone mudo. E na data acertada, ninguém apareceu. Liguei novamente, e marcaram para dois dias depois - à tarde. Tive de pedir a uma pessoa que ficasse na minha casa a tarde inteira. E a pessoa ficou lá inutilmente. Mais uma vez, ninguém apareceu. Liguei novamente e marcaram NOVAMENTE para 2 dias depois. Isso era um sábado à tarde. Deixei de passear, deixei de ir ao cinema, deixei de viajar pois eu tinha que estar em casa das 12 às 18 horas de sábado. Às 16 horas de sábado eu liguei novamente, e apenas me informaram de que eu deveria esperar até as 18. As 18 horas vieram, as 18 horas passaram, e nada da GVT.

Então, liguei para cancelar. Aí, como é de praxe, fizeram ofertas: "mandaremos um técnico amanhã de manhã na sua casa, e o senhor terá um plano com desconto por 12 meses", dizia a voz com sotaque de sabe-se-lá-de-onde. Ok, engoli a raiva e aceitei. Preciso dizer o que houve? Ninguém apareceu no dia seguinte. Isso tudo foi em fevereiro. Desde então, lutei para conseguir que uma das duas concorrentes (Oi e NET) instalassem a banda larga para mim. Sem sucesso. Oi marcou de vir duas vezes e não veio. NET dizia que ligaria em 30 minutos para agendar a visita e não ligava. Aí, eu ligava novamente e o processo recomeçava. Umas 4 ou 5 vezes.

Foram 4 semanas de uma situação completamente kafkiana. Na definição da wikipedia:

A escrita de Kafka inspirou a criação do termo “kafkiana”, usado tanto em português como em outras línguas (em inglês, fala-se “Kafkaesque”) para descrever conceitos e situações que remetem à sua obra, principalmente O processo e A metamorfose. Entre os exemplos de situações usadas estão momentos quando a burocracia subjuga as pessoas, geralmente de forma surreal, evocando distorção, falta de sentido e impossibilidade de ajuda. Personagens em uma cena kafkiana geralmente carecem de autossuficiência para escapara das situações labirínticas. Elementos kafkianos muitas vezes aparecem em obras existencialistas, mas o termo ultrapassou o meio literário e também é usado em ocorrências reais que são incompreensíveis, complexas, bizarras ou ilógicas.
Mas, enfim, acabei pagando mais caro, comprando um Web-box da VIVO, e tenho banda larga novamente em casa (embora com franquia de consumo...). Prefiro pagar mais e ter um serviço que funciona imediatamente após ligar na tomada, do que ter um infarto ou um derrame selecionando opções em menus, falando com atendentes em "call centers" na lua, e agendando visitas que nunca se concretizam.

Assim, desculpem-me pela ausência, em breve retomarei as postagens.



Nenhum comentário:

Postar um comentário