Estamos negando a termodinâmica?

Por anos eu acreditei (e repeti incontáveis vezes) que as leis da física determinam que a causa da obesidade é o consumo excessivo de calorias acoplado ao sedentarismo. Mais especificamente, a primeira lei da termodinâmica, que trata da consevação de energia, determinaria este fato. Ninguém seria louco de negar a veracidade da 1a lei da termodinâmica. Mas esta lei não diz NADA a respeito da CAUSA da obesidade.

A 1a lei da termodinâmica explica, por exemplo, que alguém que engordou 10 Kg teve de consumir 75 mil calorias a mais do que gastou. Mas isso não explica em NADA a CAUSA deste ganho de peso, apenas estabelece uma obviedade. É tão sem sentido (e pouco informativo) como afirmar que a causa do alcoolismo é o consumo de álcool.  Em lógica, diz-se que tal lei não contém nenhuma “informação causal”.

Farei mais uma analogia para clarear mais ainda este ponto. Um paciente diabético (não tratado) produz grandes quantidades (4 ou 5 litros) de urina e tem muita sede. Poder-se-ia dizer: “ele bebe muita água, por isso urina tanto”. Ou “ele urina muito, por isso bebe muita água”. Ou ainda “para urinar tanto, ele necessariamente precisa beber muito”. Ou então “Urinando desse jeito, ele necessariamente precisa beber água o tempo todo”. Agora pense: alguma dessas frases diz algo a repeito da CAUSA do problema? Sabemos que a causa é o diabetes. Seria ridículo afirmar que a causa do excesso de urina é o fato de beber demais – ambos são consequências. Tentar curar um obeso restringindo a ingestão de calorias é como tentar curar o diabetes, com sua quantidade excessiva de urina, restringindo a ingestão de água – pense nisso.