Prezado Dr. Souto: dieta e gravidez

“Bom dia, Dr. Eu comecei a dieta em janeiro, perdi 3 kg em um mês, e semana passada descobri que estou grávida, e decidi voltar a comer carbs por medo do bebê ter essa necessidade, mas estava me sentindo muito bem com a dieta e não posso engordar muito nesta gravidez, pois estou acima do meu peso.Gostaria de saber se mesmo grávida posso continuar, se faz falta os carbs para o bebê. Obrigada.”

Trata-se de pergunta muito interessante. Primeiramente, precisamos saber de que dieta exatamente estamos falando. Eu não recomendaria nenhuma dieta cetogênica na gestação. Não por que eu acredite que seja perigoso: se fosse, provavelmente a espécie humana estaria extinta há centenas de milhares de anos, visto que nossos antepassados (grávidos ou não) passavam passavam boa parte do tempo em cetose. Além disso, sabemos que as poucas populações atuais que permanecem a vida inteira em cetose, como os esquimós e os Masai, têm excelente saúde e gestações sem problemas. Então, por que eu não recomendo? Porque não há estudos estabelecendo a segurança de uma dieta cetogênica na gestação.  Então, embora eu ache que não teria problema, seria irresponsável eu recomendar isso aqui, publicamente.


Mas uma dieta paleolítica é perfeitamente aceitável. Aliás, nem poderia ser diferente: que dieta poderia ser melhor para uma gestante do que aquela com a qual a espécie evoluiu? É obviamente a dieta que nossos genes esperam encontrar.

E mais, não vejo como seu obstetra vá ser contra uma dieta baseada em:

  • Alimentos naturais, orgânicos e não-processados;
  • Carnes, peixes e aves, de preferência criados soltos
  • Saladas em abundância;
  • Frutas (SEM restrição);
  • Usar azeite de oliva à vontade;
  • Não comer porcarias, como biscoito recheado, doces, etc. E, por extensão, nada de farináceos;
  • Não usar óleos extraídos de sementes (soja, milho, etc), ricos em ômega 6

Quanto aos demais carboidratos, eu indicaria apenas aqueles de alto valor nutricional. Arroz branco, por exemplo, é amido puro, não tem nenhum valor nutricional. O mesmo se aplica à Maizena, batata frita, etc. O que é um carboidrato de alto valor nutricional? Exemplos:

  • Frutas (inclusive abacate)
  • Batata doce
  • Inhame
  • Quinoa, gergelim
  • Legumes (feijão, lentilha) (sim, eu sei que não é páleo, mas penso que na gravidez, pode)

Assim, estando grávida ou não, a base de sua alimentação deve ser a comida de verdade. E, dentro deste contexto, não há como errar.