Prezado Dr. Souto: este alimento é proibido?

Resolvi imitar o Mark Sisson, que em seu blog tem uma seção chamada “Dear Mark“, na qual responde publicamente algumas questões de leitores que julga que podem ajudar a muitas pessoas.

Assim, periodicamente, vou responder a perguntas de leitores não como comentário, mas como postagem.

Pergunta: “O aipim e a batata doce são PROIBIDOS nesta dieta”?

Resposta: Proibido é uma palavra forte. Afinal, isto aqui não é religião. 

Se eu fosse um judeu ortodoxo, eu lhe diria para não misturar carne com queijo, porque é PROIBIDO. Se você comer aipim e batata doce todos os dias e começar a ficar com fome demais ou desejo de comer doces, ou começar a ganhar peso, é sinal que os carboidratos estão em excesso, e isso está provocando flutuações de glicose (que causam fome) e excesso de insulina. Meu objetivo é que as pessoas usem a cabeça e montem o cardápio que lhes dê o melhor resultado. Regras rígidas podem até ser mais fáceis de seguir num primeiro momento, mas são inviáveis no longo prazo – é preciso regras gerais, a partir das quais demos raciocinar e fazer nossas escolhas de risco e benefício. 

O que é preciso são apenas os princípios básicos:


1) Açúcar faz mal e deve ser evitado;
2) Glúten é tóxico e deve ser eliminado;
3) Gordura natural dos alimentos não faz mal;
4) Óleos de sementes não são aconselháveis;

5) Amido se transforma em glicose no corpo;


Pronto. Nada é proibido, é só usar a cabeça. Vou lhe dar um exemplo:

Álcool é uma toxina. Não há nenhuma dúvida sobre isso. Ninguém precisa de álcool na dieta, definitivamente não é um “nutriente essencial”. Se você consumir todos os dias, vai lhe fazer mal. Se consumir em grande quantidade, vai lhe fazer mal.

E aí, álcool é “proibido“? Se você for muçulmano, sim. Religiões proíbem alguns alimentos. Mas quem sou eu para “proibir” algumas coisa? Eu não bebo, em geral. Mas às vezes eu bebo um pouco. Ontem à noite tomei um cálice de vinho tinto. E aí vem o que quero que você entenda:

-> Eu SEI que o álcool é uma toxina. E eu bebi mesmo assim, porque eu QUIS. Mas eu bebi pouco, porque eu SEI que é uma toxina.

Substitua a palavra álcool por carboidratos, e você vai entender a forma como encaro o assunto.

O que me leva a escrever o blog é que, no caso do álcool, as pessoas que bebem SABEM que é uma toxina e, sendo adultos, são responsáveis por seus atos. Mas as pessoas foram ensinadas pelos médicos/nutricionistas/governos que os carboidratos são saudáveis e que deveriam comer menos gordura e mais carboidratos. Ou seja,
diferente de alguém que enche a cara e adoece e desenvolve cirrose pois bebe SABENDO que lhe faz mal, as pessoas adoecem, engordam e ficam diabéticas SEGUINDO as orientações que os
médicos/nutricionistas/governos lhes deram com o objetivo de melhorar a saúde.

Então, não existe alimento proibido. Existe o bom senso. E existe a ciência. Vou usar novamente a analogia do álcool.

  • Se você tomar um cálice de vinho de vez em quando, não tem problema. -> Se você comer uma batata doce de vez em quando, não tem problema.
  • Se você tomar um uísque de vez em quando não tem problema. -> Se você comer um bom-bom de vez em quando, não tem problema
  • Se você tomar vinho em todas as refeições, isto pode ser um problema. -> Se você comer batata doce em todas as refeições, isto pode ser um problema.
  • Se você tomar uísque TODOS os dias, isto será ruim para sua saúde. -> Se você comer bom-bons todos os dias, isto será ruim para sua saúde
  • Se você beber destilados todos os dias, da manhã à noite, você certamente sofrerá terríveis consequências para sua saúde.-> Se você comer açúcar e farináceos manhã, tarde e noite, você você certamente sofrerá terríveis consequências para sua saúde.

O que as pessoas precisam é da INFORMAÇÃO correta. A partir daí, podem tomar suas próprias decisões.