O teste dos gêmeos

Estou em férias, fora do Brasil, com acesso apenas eventual à internet. Mais do que isso, não trouxe computador – apenas o celular.

Por este motivo, tenho estado ausente das repostas e das postagens.

No entanto, uma notícia veiculada pela mídia fez com que várias pessoas me mandassem emails – e me obrigou a testar o aplicativo do blogger para Android – afinal, não podia deixar passar essa notícia sem resposta…

Trata-se de um programa, veiculado na BBC, no qual 2 médicos jovens, saudáveis e sem sobrepeso resolveram fazer dieta: um deles, low carb; o outro, low fat.

Resulta que o que fez low carb perdeu mais peso, como esperado, mas o resto da notícia é uma sequência de erros. Os mais notórios foram o fato de que o que fez low carb se forçou a não comer salada nem frutas – e todos os leitores deste blog sabem que o que se advoga é uma dieta onde a salada é o principal em termos de quantidade, e que frutas de baixo índice glicêmico podem e devem ser consumidas; o fato de que o sujeito percebeu uma queda na performance esportiva, mas não deu tempo para que ocorresse a ceto-adaptação; o fato de ter sido afirmado que um perdeu mais músculos do que o outro quando o teste usado (bioimpedância) simplesmente não mede massa muscular; e o fato de o “teste de agilidade mental” usado ter sido um jogo de azar que nada tem a ver com habilidade mental. A parte sobre diabetes, então, é de uma ignorância atroz (ver http://lowcarb-paleo.blogspot.com/2013/07/low-carb-e-diabetes.html e http://lowcarb-paleo.blogspot.com/2013/09/por-que-glicemia-de-jejum-pode-aumentar.html)

Mas o Hilton Souza traduziu em tempo recorde a postagem do Andreas Eenfeldt sobre o assunto, e reproduzo a mesma abaixo, para vocês:

http://paleodiario.blogspot.com.br/2014/02/acucar-x-gordura-na-bbc-qual-e-o-pior.html

Açúcar x Gordura na BBC: Qual é o pior?

Artigo traduzido por Hilton Sousa.

Açúcar ou gordura, qual é o pior? Essa é a questão no documentário da BBC “Açúcar x Gordura”, que foi ao ar outro dia. E fazia muito tempo que eu não recebia tantos emails pedindo comentários!

É uma configuração interessante. Dois gêmeos idênticos – ambos médicos – entram numa dieta por um mês. Um, em uma dieta extremamente pobre em gorduras, outro numa dieta extremamente pobre em carboidratos (nem verduras são permitidas!).

Infelizmente, eles acabam basicamente “confirmando” as suas idéias preconcebidas. Pronto? Aqui vai o resumo da história:

Resultado

Obviamente, quando só há uma pessoa em cada braço da dieta, o acaso tem um papel enorme. Mas eu acho que os resultados foram mais ou menos o que poderia ser esperado. Minhas objeções são mais voltadas às explicações ignorantes (ou dramatizadas para a TV).

Peso

As primeiras coisas, primeiro. Ainda que ambos irmãos estivessem razoavelmente em forma ao iniciar, o irmão low-carb perdeu mais peso: 4kg, versus apenas 1kg do irmão low-fat.

Como estudo após estudo mostra uma maior perda de peso numa dieta low-carb, isso não deveria ser surpresa. A perda de gordura foi de 1.5kg no low-carb (um bom resultado em 1 mês) e 0.5kg no low-fat. A maior parte do resto da perda foi provavelmente água. Em uma dieta low-carb muito estrita, você perde rapidamente 1 ou 2kg em glicogênio e água.

Quanto de massa muscular os participantes perderam (se é que perderam) é impossível saber, visto que o BodPod (N.T.: o aparelho usado para a medição) só mede a massa de gordura versus a massa não-gordura (incluindo água).

Função cerebral

Para testar a função cererbral dos irmãos, os produtores escolheram fazê-los comprar e vender ações com dinheiro de mentira.

Isso mostra que o produtor é ignorante ou está apenas interessado num show dramático. Por quê? Porque negociação de ações a curto-prazo – sem informação privilegiada ou outros truques ilegais – é um jogo de azar simplesmente. Já foi convincentemente mostrado que um macaco treinado tem 50% de chance de ganhar de um operador de ações com educação formal. Por quê? Porque é aleatório.

Em outras palavras, o teste é um lixo, mas o irmão low-fat venceu (qualquer um dos dois tinha 50% de chance de ter vencido).

Mais interessante e relevante é que o irmão low-carb reclama de se sentir “com a cabeça pesada”. Eu tenho certeza de que ele foi honesto. Entrar numa dieta extremamente low-carb – sem nem verduras – pode resultar sim em problemas de concentração, etc, por uma semana ou mais, antes que o corpo e o cérebro se adaptem a queimar gordura e corpos cetônicos.

Esse problema pode ser parcialmente resolvido aumentando a ingesta de fluidos e sal. E depois de uma ou duas semanas, normalmente ele passa. (Nota do tradutor – 90% desse blog foi escrito com menos de 50g de carbs por dia – julgue se isso prejudiou a minha função cerebral).

Exercício

Para testar a capacidade deles se exercitarem, os irmãos fazem “longas sessões de bicicleta morro acima”. O irmão low-carb previsivelmente perde feio.

Por quê? Duas coisas: o corpo precisa de semanas ou às vezes meses para se adaptar a exercício de alta intensidade, usando majoritariamente gordura e corpos cetônicos. E mesmo assim você ainda pode precisar de carboidratos para esportes explosivos e anaeróbicos como esse.

Eu entrevistei o Dr. Peter Attia, que corre com sua bicicleta tranquilamente por horas, em uma dieta muito pobre em carboidratos. Mesmo ele usa um pouco de amido de liberação lenta para maximizar a performance de suas longas sessões de treinamento:

Diabetes

Finalmente, a cereja no bolo (da diabetes). O doutor afirma que o irmão low-carb tornou-se “quase” pré-diabético comendo low-carb! A palavra “quase” deveria ser na prática interpretada como “não”. Eu me pergunto se o doutor conhece a base sobre low-carb e diabetes. De fato, me pergunto quanto ele conhece de diabetes.

O irmão low-carb tem uma glicose de 5.1 antes da dieta (normal) e uma glicose de 5.9 depois da dieta (normal). Você percebeu a palavra “normal” duas vezes ? Sim, é isso mesmo – um glicose em jejum de até 6.0mmo/L é considerada normal, ao menos na Suécia (nota do tradutor: a unidade de medida utilizada na Europa é diferente da nossa – percisa multiplicar por 18). Ela também varia significativamente de um dia para o outro. Se testássemos a glicose em jejum do próprio médico, ela poderia ser 5.9 hoje e 5.1 amanhã.

O resultado poderia ser devido ao acaso, mas a glicose em jejum às vezes fica levemente mais alta numa dieta LCHF (leia http://lowcarb-paleo.blogspot.com/2013/09/por-que-glicemia-de-jejum-pode-aumentar.html) , enquanto os níveis de glicose durante o dia (após as refeições) é muito menor. Isso é provavelmente porque o corpo está adaptado a queimar gordura e então a necessidade de queimar glicose em jejum é mais baixa. Então você não tem a mesma “queda” nos níveis de açúcar, quando em jejum.

Eles também fizeram testes de tolerância à glicose – um teste muito mais relevante. Mas o resultado do irmão low-carb nunca é mencionado. Eu acho que estava normal.

O fato de que a diabetes é efetivamente tratada com uma dieta low-carb deveria nos dizer tudo o que precisamos saber. Você não desenvolve diabetes tipo 2 ao comer uma dieta que pode curar a diabetes. E você certamente não desenvolve diabetes tipo 2 (fortemente correlacionada à obesidade) perdendo 4kg de peso excessivo em 1 mês.

RESUMO

O documentário conclui que não é sobre gordura ou açúcar, e sim sobre evitar comidas processadas com ambos, açúcar e gordura, nela. Eu tenho certeza que essa estratégia funcionaria bem para esses dois irmãos razoavelmente em forma. É um excelente início. Mas não é suficiente para todo mundo.

Em pessoas com obesidade e diabetes, estudos convincentemente mostram que dietas low-carb são mais efetivas.

Finalmente, enquanto uma dieta low-carb super estrita não é necessária para todo mundo e tem possíveis efeitos colaterais (especialmente durante as semanas iniciais), ela certamente não resutla é diabetes. Isso é simplesmente ignorância.

Dr. Andreas Eenfeldt