A semana das manchetes positivas – 3 – Gordura saturada não faz mal

Esta notícia (abaixo), publicada no portal Terra, simplesmente afirma, com uma estranha naturalidade, todas as coisas que eu venho afirmando (e justificando cientificamente) desde 2011. Pois é…

Toda verdade passa por três estágios.
No primeiro, ela é ridicularizada.
No segundo, é rejeitada com violência.
No terceiro, é aceita como evidente por si própria.

Arthur Schopenhauer Parece que, aos poucos, estamos chegando no terceiro estágio. Daqui a pouco as pessoas vão estar dizendo que “sempre souberam” que o problema não era as gorduras, e sim os carboidratos. Mas você leu primeiro aqui!

http://saude.terra.com.br/nutricao/gordura-saturada-nao-e-a-vila-para-o-coracao-diz-estudo,94cc2de2031e1410VgnCLD2000000ec6eb0aRCRD.html


Nutrição

atualizado às 10h39


Gordura saturada não é a vilã para o coração, diz estudo

 Foto: Getty Images
Foto: Getty Images

As gorduras saturadas da manteiga, do queijo e da carne
vermelha não são tão prejudiciais para o coração como se pensava até
agora, de acordo com um estudo publicado nesta quarta-feira (23) na
revista médica British Medical Journal.

A pesquisa foi coordenada por Aseem Malhotra, um dos
cardiologistas mais prestigiados do Reino Unido e especialista do
hospital universitário de Croydon, em Londres.

Em seu artigo, Malhotra afirma que o consumo de produtos
com pouca gordura “paradoxalmente” aumentou o risco de ter doenças
cardiovasculares.

Segundo o especialista, as pessoas consomem todo tipo de
produtos desnatados pensando que são melhores para a saúde e que
ajudarão a perder peso, mas que, na realidade, muitos deles contêm
grandes quantidades de açúcares acrescentados
.

A explicação é que a indústria alimentícia substitui as
gorduras eliminadas nos alimentos por açúcares e adoçantes, já que a
comida livre de gordura não é tão saborosa
, acrescentou Malhotra.

No entanto, acrescenta o especialista, é necessário
diferenciar as chamadas “gorduras trans” (encontradas em fast food,
produtos de confeitaria e margarina), que são prejudiciais, e as
gorduras do leite, do queijo e da carne, que não são ruins para a saúde
.

O especialista criticou a “obsessão” médica com os
níveis de colesterol, que levou milhões de pessoas a tomarem muitos
remédios com estatinas para reduzir a quantidade de gorduras
prejudiciais no sangue
.

Para isso, o cardiologista recomenda que as pessoas com
risco de sofrer doenças cardiovasculares façam uma dieta mediterrânea
rica em peixes oleosos, azeite de oliva, verduras e frutos secos.

É hora de romper o mito do papel das gorduras saturadas
nas doenças do coração” que esteve presente na indicação dietética e
nas recomendações nutricionais durante quase quatro décadas
, afirmou
Malhotra.

A teoria foi respaldada por outros especialistas como
David Haslam, Chefe do Fórum Nacional sobre a Obesidade, que afirmou que
a evidência científica está demonstrando atualmente que os carboidratos
refinados e o açúcar são na realidade os culpados
pelo aumento da
gordura no sangue.

Timothy Noakes, professor de ciências do esporte e da
atividade física na Universidade da Cidade do Cabo, acrescentou que “o
pior erro médico de nossa época foi considerar a alta concentração de
colesterol no sangue como a causa exclusiva da doença cardíaca
coronária”
.