A dieta de baixa gordura está morta – 5 – UpToDate

 

Postagens relacionadas:

A dieta de baixa gordura está morta – 1
A dieta de baixa gordura está morta – 2 

A dieta de baixa gordura está morta – 3

A dieta de baixa gordura está morta – 4

UpToDate. Trata-se de uma ferramenta de informações médicas altamente respeitada, utilizada por médicos em todo o mundo como a fonte mais atualizada e baseada em evidências para a tomada de decisões. É disponível mediante assinatura, e é disponibilizada em todos os maiores e mais renomados hospitais. É algo completamente mainstream – não é nem um pouco alternativo em sua abordagem. Nas palavras do próprio site:

Decisões mais inteligentes. Melhor tratamento.

O UpToDate®
é o principal recurso de suporte a decisões médicas baseado em
evidências, confiado pelo mundo todo por profissionais de saúde para
ajudá-los a tomar as decisões certas no local de atendimento. Foi
comprovado que ele muda a forma como os médicos praticam a medicina e é o
único recurso associado com melhores resultados.

Então, quando o texto abaixo, sobre gordura saturada, aparece no UpToDate, é porque a virada de opinião já ocorreu; o problema é apenas falta de atualização dos profissionais:

Fat intake and coronary risk (April 2014)

Although
it is known that there is a continuous graded relationship between
serum cholesterol concentration and coronary heart disease (CHD), and
that dietary intake of saturated fat raises total serum cholesterol, a
2014 meta-analysis of prospective observational studies found no
association between intake of saturated fat and risk for CHD [15].
The meta-analysis also found no relationship between monounsaturated
fat intake and CHD, but suggested a reduction in CHD with higher intake
of omega-3 polyunsaturated fats; a benefit with omega-6 polyunsaturated
fats remains uncertain. Given these results, we no longer suggest
avoiding saturated fats per se, although many foods high in saturated
fats are less healthy than foods containing lower levels. In particular,
we no longer feel there is substantial evidence for choosing dairy
products based on low fat content (such as choosing skim milk in
preference to higher fat milk). We continue to advise reducing intake of
trans fatty acids. (See “Dietary fat”, section on ‘Saturated fatty acids’.)

“Consumo de gordura e risco coronariano (Abril de 2014)

Embora saiba-se que há uma relação gradual entre concentação de colesterol e doença coronariana, e que o consumo de colesterol na dieta aumenta o colesterol total, uma metanálise de 2014 não achou associação entre gordura saturada e doença cardiovascular. A metanálise também não achou relação entre o consumo de gordura monoinsaturada e doença cardiovascular, mas sugeriu uma redução com o aumento do consumo de gorduras ômega-3; o benefício de gorduras ômega-6 permanece incerto. Em virtude destes resultados, nós não sugerimos mais que se evitem as gorduras saturadas propriamente ditas, embora muitos alimentos ricos em gorduras saturadas sejam menos saudáveis do que os que contém níveis mais baixos (nota do tradudutor: estão falando de fast food, não de coco ou carne de gado alimentado com pasto). Em particular, nós não achamos mais que haja evidências substanciais no sentido de escolher laticínios desnatados (tais como escolher leite desnatado ao invés de integral). Nós continuamos a recomendar a redução do consumo de gorduras trans.”

Precisa dizer mais alguma coisa?